sábado, 31 de maio de 2008

RECORTES LEONINOS Blogosfera

O ESSENCIAL DA BLOGOSFERA SPORTINGUISTA SOBRE A ASSEMBLEIA GERAL

“O verdadeiro objectivo da SAD não consiste em ser uma ferramenta, um meio de projectar os valores que tornaram grande o Sporting Clube de Portugal, conferindo transparência e objectividade ao Clube! É sim um fim em si mesma, cujo objectivo real, ontem finalmente revelado pelo seu presidente, é dar dividendos aos seus accionistas! O Sporting Clube de Portugal morreu, a morte não causou surpresa, por já se encontrar moribundo há algum tempo, sem aparentar sinais de convalescença. (…) O Clube morreu, mas a luta vai continuar até que todos os responsáveis pela sua morte sejam apurados e consequentemente punidos.”
1906 Luta & Resiste

“A Figura Principal: Rogério Alves. Como seria de esperar, esteve ao seu habitual nível, e não desiludiu sendo a personagem que falou durante largos períodos de tempo como a atingir um orgasmo psicológico cada vez que ouvia a sua própria voz. Cometeu infracções graves no decorrer na AG como a não colocar à votação requerimentos propostos, algo que é motivo para a impugnação da AG pelos requerentes. Permitiu que um sócio usurpasse o tempo dos outros através de um estratagema digno dos melhores políticos portugueses. Vai ficar para a história do Sporting como o presidente da AG que permitiu que se fizesse uma verdadeira golpada ao abrir as urnas enquanto ainda havia sócios inscritos para falar. Quis fazer de Salomão e perdeu o controlo da situação, donde só não chegou a haver agressões pela actuação da segurança, e donde ele nada conseguia fazer por total perda de autoridade por ele causada. (…) Notou-se desde o início uma tensão latente na AG, donde se realça o facto de ao que me apercebi, sempre que havia uma opinião favorável ou desfavorável cerca de metade dos presentes aplaudia. Dai posso concluir que o número de votantes, do sim ou do não, seriam quase equivalentes, mas não o número de votos. O que pude observar foi então que a grande divisão estaria entre os sócios mais novos e os mais antigos, e o maior número de votos destes últimos foi factos decisivo.”
A Última Roulote

“Clima: Vergonhoso. Aquele não é o Sporting que aprendi. Estou enjoado de sportinguistas que dizem amar o clube mas que são incapazes de se comportar à altura dele. Ameaças de pancada, insultos aos oradores, requerimentos semi-anónimos para se passar à votação... O que é isto? (…) Isabel Trigo Mira: Foi dela a frase da noite, com o ‘não é isto que queremos deixar aos nossos filhos’. Não podia concordar mais.”
PRB, Centúria Leonina

“O que é certo é que o clube vive numa situação insustentável, com um passivo ainda exorbitante e que quem colocou o Sporting nesta situação não foi a actual direcção. O que se assiste agora são tentativas de inverter a situação, o que nunca ninguém tinha feito, para no futuro o Sporting conseguir ser economicamente sustentável. Mas o que isto acarreta é o não investimento do aspecto desportivo actualmente. E é isto que desgosta os sportinguistas. Quando é o futebol que tem mais notoriedade e traz mais prestígio e dinheiro, todos querem que se invista. Além do mais, os adeptos querem ver também investimento nas modalidades, porque o Sporting não é só futebol. Mas não há dinheiro. A actual direcção está na fase de consolidação do Sporting para um futuro próximo, mas no presente não é possível fazer milagres. Quiçá no futuro agradeçam a Soares Franco. Ou não…”
Equipa Leonina

“Não creio que haja margem para grandes dúvidas que hoje os campos estão clarificados. Existe, de um lado da barricada, uma operação montada para desfazer o Sporting (não é de hoje e só por ingenuidade se poderá acreditar no contrário), para a execução da qual os seus autores lutam tenaz e afincadamente. Admitamo-lo sem rodeios porque essa é uma realidade desta guerra que precisa de ser claramente tida em conta: a parada é alta e estão muitos tachos em jogo. Mas, existe, do outro lado, um número significativo e crescente de partidários do ideário Sportinguista, que continuam a acreditar no Clube dos princípios, tal como foi idealizado pelos seus fundadores, um Sporting ainda hoje perfeitamente actual e válido.”
King Lizards

“Sei agora que há Sportinguistas para fazer o Sporting do futuro, que não passa, nem de perto, nem de longe, por nada disto que este bando de malfeitores de estrada que é a direcção actual e seus capangas, amigalhaços de ocasião e apaniguados quer implementar, usando todas as artimanhas e truques baixos que a sua mente perversa consegue idealizar. Sei agora que o Sporting, o Grande Sporting, como gostamos de lhe chamar, tem gente à altura da sua grandeza para assegurar o seu futuro. Sei agora que o Sporting é e vai continuar a ser dos Sportinguistas. Porque não são poucos os que gritam corajosamente SPORTING! (…) O Sporting é dos Sportinguistas porque há Sportinguistas verdadeiros para continuar o Clube.”
King Lizards

“Um dos primeiros oradores, sócio Dias Ferreira, apresentou-se com um discurso que o próprio anunciou demorar cerca de 24 minutos. Após esgrimir argumentos com o presidente da mesa, alegou o facto de em seu favor cinco sócios inscritos terem abdicado dos seus tempos de intervenção. A negociação de «minutos» prosseguiu durante alguns instantes, que acabou numa decisão do presidente da mesa em conceder ao sócio em causa metade do tempo por este exigido. Ia a intervenção já ultrapassando largamente o tempo estipulado, quando o presidente da mesa interrompeu afirmando que estenderia o tempo em mais quatro minutos na sequência de mais uma desistência em favor do orador.”
Frederico Abreu, Leão de Verdade

“Cerca das 23,30 horas, foi entregue à mesa um requerimento que prescindia da palavra dos sócios ainda inscritos que não a tinham usado, passando de imediato à votação. A confusão nos longos minutos que se seguiram, resultou na tentativa de votação de braço no ar do requerimento, frustrada pela impossibilidade dos serviços a conseguirem concretizar. Neste longo período ninguém usou da palavra. Entretanto, deram entrada na mesa outros dois requerimentos, que não foram sujeitos a votação. Facto para o qual não houve nenhuma explicação. Posteriormente o presidente da mesa tomou a decisão de conceder um minuto a cada um dos ainda inscritos, mas abrindo a votação de imediato. Acto contínuo, uma grande maioria dos sócios desloca-se para a zona das urnas a fim de exercer o direito de voto, por um lado, sendo que por outro, ainda alguns sócios tentavam usar da palavra. Acredito que o presidente da mesa, pessoa pela qual tenho consideração, fará uma reflexão destes acontecimentos para que os evite no futuro, a bem da dignidade e grandeza que o órgão máximo do nosso Clube merece.”
Frederico Abreu, Leão de Verdade

“Foi uma noite má para o Sporting. Não o digo pelo resultado da votação. O projecto de reestruturação financeira mereceu uma maioria ampla de apoio e, segundo julgo perceber, o facto de não se ter atingido a maioria qualificada de dois terços apenas inviabiliza a transferência da SCS, o que não compromete o resto do projecto, legitimado pelo voto, nem põe em causa a devida preparação da próxima época. A assembleia foi francamente mal dirigida.”
Nosso Querido Clube

“O ambiente da assembleia também deixou muito a desejar. Tornou-se evidente que o grupo do dr. Dias da Cunha está disposto a tudo. Como é possível que um homem que, com toda a razão, tanto se indignou contra os insultos que a claque lhe dirigia em cada jogo da equipa, possa vir para uma assembleia com um grupinho organizado, apostado em fazer da reunião magna do Clube um comício ou uma arruaça? Lamentável. A este respeito, cumpre destacar a diferença da conduta do dr. Sérgio Abrantes Mendes, que fez uma notável intervenção, proporcionando até, com a homenagem ao prof. Moniz Pereira, a mais sentida ovação da noite.”
Nosso Querido Clube

“Senti na plateia a falta de muitos ilustres sportinguistas, que sempre me habituei a ver em assembleias. Os núcleos reunidos no passado fim-de-semana exigiram que as assembleias passem a ser convocadas para os fins-de-semana. Têm toda a razão. É preciso criar condições para que todos os sportinguistas possam estar presentes.”
Nosso Querido Clube

“Posto isto só no futuro saberemos se foi positiva ou negativa a posição tomada ontem, pois o seu impacto só será visível a curto/médio prazo, mas quer-me parecer que o Sporting tal qual todos nós conhecemos está a caminhar para o seu fim. O Sporting seguirá um caminho mais empresarial, deixará de exercer uma posição maioritária na SAD, a opinião dos sócios será cada vez menos válida, existirá um investidor a comandar os nossos destinos e uma das nossas bandeiras e imagens de marca caminhará para a extinção: o ecletismo passará a ser uma recordação na sua quase ou toda a globalidade, sendo o futebol o único motor do clube. (...) Assim sendo, gostava que isto fosse uma visão pessimista, mas parece-me que é o futuro do Sporting. Vamos ver o que o tempo dirá.”
O Visconde de Alvalade

“Espero sinceramente que os que discordam da minha posição não estejam redondamente enganados, porque se estiverem o futuro do SCP será bem diferente... para pior.”
Rugido Leonino

“Podia o projecto de reestruturação ser adiado? Não creio. Até me parece quase esquizofrénico termos andando a exigir o fim do estrangulamento que os acordos com os bancos nos causavam na tesouraria e agora evitar olhar de frente para uma possível solução. Já não me parece que a marcação em cima do joelho de uma AG fosse um serviço bem prestado. Antes me parece que foi uma grande contribuição para o engrossar o lote dos que votaram não. Já a minha avó dizia que não se apanham moscas com vinagre. Mesmo aceitando a urgência da apreciação e votação do projecto, nunca se devia ter dado a impressão de que se queria “despachar isto rápido”. Os sócios sentem-se pressionados e este sentimento gera desconfiança, cria resistências e antipatias desnecessárias. Esta administração não poderia ou não deveria ter ignorado o meio em que se move. Uma alteração profunda como a preconizada merecia uma apresentação prévia e a marcação de variadas sessões de esclarecimento. Estas não tinham que ser apenas presenciais. Ignorar a blogosfera leonina e as suas potencialidades como meio de comunicação parece-me falta de visão.”
Verdão, Sangue Leonino

“Dos cerca de 34% que votaram não, estou convicto que a maioria o fez pura e simplesmente por optar pelo constante bota-abaixo, independentemente das medidas a tomar. A operação de contrair o empréstimo dos 60 milhões através da emissão dos tais títulos obrigatoriamente convertíveis em acções no prazo de 5 anos, que apenas obrigariam o clube a pagar uma taxa anual de juros de 3% era das melhores medidas que alguma vez se poderia conseguir. Melhor, seria impossível. Quem me dera poder renegociar com o meu banco o meu empréstimo da casa e colocá-lo numa taxa de juro próxima desta.”
Sociedade Leonina

“O Projecto apesar de não ter visto a passagem da SCS para a SAD, aparentemente vai em frente! Óptimo! Quer isso dizer que podemos reforçar a equipa... Se pudéssemos ir buscar o Wagner Love e o Daniel CArvalho, isso sim era de me levar às lágrimas!”
Sporting 2006

“Infelizmente, o problema do nosso Sporting vai muito para lá da "pertença" continuidade ou não do actual presidente, que embora goste muito de colocar o seu cargo numa espécie de "poltrona", que ameaça deixar sempre que possa encontrar alguma contrariedade, não passa de, pelo menos para já, de um "projectista incapaz", visto que já inventou mil e uma soluções para o buraco financeiro do clube mais ainda não resolveu nada, ou quase nada!!!”
Sporting Até à Morte

“Esperei por todas as explicações para decidir o sentido do meu voto. Há um facto que foi decisivo. FSF disse que a Academia não tinha sido valorizada com o novo aeroporto. Devido a tudo o que disse e desdisse no passado já não confiava no que dizia. Mesmo que apresentasse um projecto fabuloso, não tenho confiança para passar um cheque em branco. Acho mesmo que a nova localização do aeroporto é o que está a mover isto tudo. O meu voto é não.”
Sporting no Coração

“O resultado da Assembleia Geral de 28/05/2008 não poderá ser encarado como uma “vitória”, “derrota” ou, sequer, “meia-vitória” ou “meia-derrota” de nada ou de ninguém, desejando-se, isso sim, que seja uma vitória do Sporting Clube de Portugal, associação particular de interesse público e agremiação desportiva centenária, devendo, para isso, prevalecer a ponderação, a moderação e o bom senso de todos os Sportinguistas em prol do Sporting Clube de Portugal.”
Comunicado da Associação de Adeptos Sportinguistas, Visão Leonina

2 comentários:

joaquim agostinho disse...

Tenho consideração pessoal por Dias Ferreira.
Lamento profundamente que se tenha prestado a números de circo.
O malabarismo até foi contraproducente, desviou as atenções da mensagem que queria transmitir e que poucos perceberam.
Rogério Alves não se comporta como o Presidente de todos os Sportinguistas, mas antes como advogado de defesa de FSF.
É pena!!
Assembleia indiscrítivel, para quem quer ser diferente dos outros.
PARA QUE SERVEM AS ACÇÕES DA CLASSE A, QUANDO AS ASSEMBLEIAS PODEM SER MANIPULADAS DESTA MANEIRA?

Anónimo disse...

Se houver uma próxima AG,vou pedir a palavra,mas nem sequer vou esgotar o tempo concedido,pois só vou colocar uma pergunta a Soares Franco e a mesma a José Roquette.
Sei que ambos são punhos de renda e ficam muito melindrados quando apelidados de mentirosos,mas a pergunta terá que ser feita e logo ficaremos a saber qual dos dois é mais mentiroso.
Afinal a Academia é do Sporting ou não?
Se não porque razão se diz que Ronaldo,Nani e outros foram formados na Academia do Sporting?Assim,tal como Soares Franco afirma,dever-se-ia dizer que os jogadores foram formados na Academia do leasing.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...