sábado, 17 de maio de 2008

A Supertaça Portuguesa

A final da Taça de Portugal, entre o Sporting e o FC Porto, será a última competição oficial da temporada envolvendo as principais equipas do futebol português. Mas não deveria ser assim. O mais correcto seria disputar-se, oito dias depois, a Supertaça Cândido de Oliveira, com as duas equipas novamente em confronto. Essa competição é que deveria encerrar a temporada 2007-2008.
A Supertaça Cândido Oliveira começou por ser disputada em duas mãos, no terreno de cada um dos finalistas, e a meio da temporada seguinte, eventualmente por motivos de competitividade. Mais recentemente, passou a ser disputada no início da época seguinte e num único jogo em campo neutro. Não é correcto e perde a competição.
A Supertaça Cândido de Oliveira, como troféu que pretende consagrar o vencedor da Liga e o vencedor da Taça de Portugal, deveria ser o último jogo da temporada a que se refere. Teria mais emoção e mais público. Desde logo porque, sendo disputada na temporada seguinte, essa Supertaça não diz nada aos atletas que acabam de chegar aos plantéis dos respectivos finalistas. Porque esses jogadores não suaram a camisola para disputar essa Supertaça e, naturalmente, não a sentem como uma competição maior que deveria ser. É humano.
Por outro lado, sendo a primeira competição da temporada seguinte, a Supertaça Cândido de Oliveira acaba por ser um troféu desportivamente desvalorizado, uma vez que as equipas se encontram em preparação para uma temporada inteira e não para aquele jogo em particular, que normalmente aparece no calendário futebolístico nacional cerca de um mês após as férias, com os jogadores ainda fora de forma.
Talvez o Sporting pudesse lançar esta questão em sede da Federação Portuguesa de Futebol e da Liga de Clubes. Em nome da competitividade e do engrandecimento de um troféu que deveria ser valorizado como o troféu dos troféus do futebol português.

4 comentários:

Sociedade disse...

Tem razão.
Mas a Supertaça da UEFA também é nestes moldes. Tal como, penso, na generalidade dos outros países. ^
Neste ponto, estamos no mesmo patamar que os outros.

PS: e o Sporting não terá mais com que se preocupar?

Joao disse...

Pessima ideia, na minha opiniao.

Entao no fim de uma epoca longa, com as equipas cansadas, ja pouco motivadas, os adeptos cansados de futebol, ainda se ia jogar a Supertaca?

Depois era ver o Leao da Estrela dizer algo assim do genero:"Supertaca no fim da epoca: mais umas das peculiaridades do nosso pequeno futebol. Em vez de fazer como em Inglaterra, em que a Supertaca arranca a epoca, e presenteia um publico sedento de futebol com as melhores equipas do pais, o futebol portugues decide arrastar uma epoca longa e comecar a epoca de uma forma rotineira.

Se calhar FSF em vez de se preocupar com coisas marginais, deveria lutar por mudar isto para, como ele quer fazer crer os ingenuos, fazer o futebol portugues evoluir"

Estou mesmo a ver que seria isto.

Pedro disse...

Não concordo nada. A competição faz todo sentido onde está, como aperitivo para a nova época. Noutro altura, não geraria interesse nenhum - e então no final da épocam seria quase uma Taça Amizade, com as equipas a quererem ir de férias.
Depois, o que está errado é dizerem que a Supertaça se refere ao ano anterior - faz tanto sentido como dizer que a final da Liga dos Campeões da próxima quarta-feira é relativa à época de 2006/07, só porque os clubes se qualificaram para ela com base nos os resultados da época anterior.
É exactamente o que se passa na Supertaça Portuguesa.

LF disse...

Não concordo.
Acho que se estaria a dar à Supertaça um importância que ela não pode ter, pois afinal trata-se de apenas um jogo.

Acho que a abrir a época está muito bem, e é a forma de a valorizar devidamente.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...