segunda-feira, 28 de julho de 2008

RECORTES LEONINOS

MOUTINHO
João Moutinho marcou o fim-de-semana desportivo com a inesperada declaração de que pretende deixar o Sporting. Acrescentou já ter dado conhecimento de tal intenção à SAD. Acontece que em vez de resolver o problema em sede própria, exactamente negociando a eventual saída com a administração, como começou por fazer, optou posteriormente pelo recurso à via mais fácil: tornou pública a intenção de sair. Durante anos e anos deve ter ouvido os treinadores dizerem-lhe que o caminho mais rápido para a baliza é a direito. Na vida também é assim e escolher a pressão pública como forma de atingir o objectivo é perder-se em rodriguinhos.
Ao publicitar uma ameaça de rotura, João Moutinho hipotecou parte significativa do prestígio que angariara nos últimos anos em Alvalade, ele que desde que chegou ao plantel sénior só ficou de fora por impedimento físico ou disciplinar, sendo o jogador mais utilizado dos leões nas últimas épocas. Aos 21 anos, era o capitão unânime do Sporting, aquele que tanto seria escolhido para o cargo pelo treinador, como pela administração da SAD, pelo balneário ou por referendo de associados feito à porta do estádio.
Num futebol minado pelas leis de mercado, ainda selvagens mas existentes, por mais que tenha havido movimentos internacionais para a criação de orçamentos regulamentados e auditados, e os inerentes tectos salariais tendentes a impedir que os grandes dizimem os pequenos, João Moutinho tem todo o direito de querer ganhar mais do que aquilo que ganha, mas aos 21 anos deixar-se inebriar pela primeira proposta tentadora que lhe aparece em termos financeiros pode até envolver riscos em termos desportivos. O Everton é um emblema do meio da tabela e aceitá-lo como aposta poderá até pôr em causa a ambição de mais altos voos.
A declaração de João Moutinho marca também o fim de uma figura que o jovem leão, por muitos já comparado a Francisco Stromp, figura maior do Sporting, estava a recriar, a do jogador-porta-bandeira. Mesmo que continue em Alvalade, e Paulo Bento garante que tem condições para ficar se o Everton não voltar à carga com mais dinheiro, João Moutinho terá novo estatuto: ser um entre iguais.
AUTOR: Carlos Machado, "O Jogo", 27-07-2008

10 comentários:

Anónimo disse...

Passados tantos anos a ilusão ainda alimenta as mentes que apenas vêem o lado lírico da questão. Todos atacam JM e não conseguem olhar e ver que, mais uma vez, a estratégia de quem ganha, quase sempre, é algo mais profundo e muito judicioso. É da história que o enfraquecimento dos adversários é meio caminho andado para a vitória. Neste capítulo apenas perdeu com Gaspar Ramos no caso Geraldão, com Dias da Cunha que o limitou na gestão dos árbitros na época 2201/2002 e com José Veiga que em 99/2000 ao serviço do Sporting e 2004/2005 ao serviço do Benfica derrotou o líder do FCP utilizando estratégias que aprendeu com o próprio. Nesta época PC foi buscar Rodriguez ao Benfica e já lançou a confusão com Moutinho. Ninguém o pode levar a mal. Ele defende os interesses do FCP e não tem adversários à altura como está mais que provado. Quem não percebe isto, não percebe nada do futebol português.

João Brites disse...

Fui criado e cresci a ouvir dizer que temos de ser responsáveis, de que quando assumimos algo temos de cumprir e que temos de respeitar os "contratos" que fazemos na vida. Também sempre me ensinaram que por vezes levamos uma vida a criar um nome, um estatuto e que em 5 minutos tudo isso pode caír por terra. Neste momento para mim o João Moutinho é o espelho disso tudo.

O João chegou onde chegou pelo seu valor, pela sua qualidade e o Sporting não é seu dono, mas foi também o Sporting que lhe proporcionou todas as condições para evoluir, para crescer, para aos 21 anos ser um dos jogadores mais acarinhados e respeitados do futebol nacional. De livre vontade o João assumiu um acordo, que agora - ao que parece - por míseros 1,5 milhões de euros (míseros para um futebolista que ganha o que ganha) está a deixar em causa. Para mim nem se trata do valor, para mim trata-se é da atitude verdadeiramente mercenária.

Quando lhe foi confiada a braçadeira de capitão, o Sporting não só lhe confiou a liderança de um grupo, como lhe deu o estatuto de "porta estandarte" de um clube centenário, um representante de milhões de sócios, adeptos e simpatizantes espalhados pelo mundo. É isso que por vezes estes jovens parecem não ter noção. Quem é o João Moutinho - para não ir mais longe - ao pé de um Vítor Damas, um Jordão, um Manuel Fernandes? Eu digo-vos... não é nada! Como se costuma dizer, de insubstituíveis estão os cemitérios cheios, os jogadores passam e os clubes continuam e o Sporting é grande demais para se baixar perante seja quem for.

Para mim, o que o João conquistou desde que em Dezembro de 2004 passou a fazer parte do plantel principal, foi literalmente por água abaixo. O respeito e carinho que os sportinguistas tinham por ele nunca mais será o mesmo. Sei e não sou inocente de achar que o futebol de hoje em dia é o do "amor à camisola", mas sou um "romântico" e continuo a achar que o amor a um clube, o respeito a uma instituição, é algo bonito de se ver.

Estiveste mal João, muito mal. O futuro a Deus pertence e cá estaremos para ver quem perde ou quem ganha com isto. Na minha humilde opinião de sportinguista e sócio desde que nasci... João, já estás de longe a perder.

[João Brites]
[BLOGUE] [SUPERSPORTING]

Simples Sportinguista disse...

No mínimo, braçadeira de capitão fora do braço e banco de suplentes com ele!!! Que cumpra o contrato que assinou livremente e mais nada!!!Vai sendo tempo de pôr na ordem mercenários e empresários que minam o nosso clube!!!

Pedro Reis disse...

já estava admirado que o culpado não fosse o PdC...
o JM tem voz própria e foi com ela que disse o que todos ouviram/leram. O resto é areia...

Anónimo disse...

É por causa das análises da maioria apontarem o dedo acusador a meros peões que os chamados grandes de Lisboa andam a ver a banda passar há tantos anos. Quando as atenções se centram no diz que diz dos peões que servem, a preceito, os interesses de quem "luta" sempre para ganhar, e os "inocentes" continuam a ver a árvore e não a floresta, Sporting e Benfica bem podem dedicar-se à pesca por que no futebol vão continuar a ser secundários em resultados desportivos e financeiros e o resto é areia para os olhos dos papalvos.PC é o maior.

Dina disse...

Recuso-me a fazer comentários sobre pessoas que não querem ficar no Sporting...por mim, este, tal como já tinha acontecido com o outro antes...deixaramn de serem merecedores de tal.

Stromp disse...

Petição on-line para tirar a braçadeira ao João Moutinho aqui:

http://www.petitiononline.com/stromp/petition.html

Para que se honre a braçadeira de capitão do Sporting!

Saudações Leoninas!

Anónimo disse...

estou de acordo com o primeiro comentário, e digo mais:

PdaC andava tão entretido em sabotar o Sporting e o JMoutinho que se esqueceu de recorrer da perda de 6 pontos do FCP.

...estas mentes quando começam a elaborar teorias da conspiração - e não se desse o caso de isto ser uma pequena tragédia para o Sporting - só daõ vontade de rir.

JMoutinho quer mais dinheiro; o Sporting diz que não dá; vamos ver quem sobrevive a este mundo cão.



40 postas pescada

Anónimo disse...

Estou desiludido com JM. Julgava-o mais inteligente que isso. Não é que parte da massa adepta não o mereça, ao assobiá-lo, e ao rejeitar a camisola do capitão no ano passado.

Mas havia os outros sportinguistas todos, a maioria, e esses outros não mereciam ter-se enganado quanto ao profissionalismo de JM. E enganaram-se, ou ele enganou-nos bem.

O Figo foi melhor, dentro do género, assinou pelo Sporting, quis melhor, não lhe deram, cumpriu até ao último dia com esforço e dedicação, e depois foi-se embora como todos sabiam que ia acontecer, sem assinar para dar o jeito aos cofres do clube. Culpa dos dirigentes da época. Mas cumpriu, e saiu de cabeça erguida.

Agora é diferente, e JM foi mau profissional, ao comprometer deste modo um (bom) contrato, que ele assinou livremente.

Ninguém lhe pedia amor ao clube, apenas profissionalismo.

Agora, devia ficar, até ao fim ou até alguém pagar a tal cláusula. E se não jogar bem, deverá ficar no banco, até acabar o contrato, a apodrecer se for preciso.
Deviam deixar isso ficar bem claro perante os sócios e perante todos os outros, e deviam deixá-lo ficar bem claro desde já, para dar o exemplo aos outros miudos que o observam das nossas excelentes camadas jovens, e que no futuro podem querer seguir-lhe o exemplo.

Pois façam dele um exemplo de futuro. Mostrem estes dirigentes e este treinador que têm tomates, e que não admitem tais desvarios de amador a ninguém tão bem pago e tão bem cotado do nosso clube.

É a única via digna.

Quanto ao JM, que peça públicas desculpas, ou que sofra as consequências das suas palavras.

Uma enorme desilusão....

Coração de Leão

Anónimo disse...

As teorias da conspiracao sao bem tipicas de quem ja comeca a ver a vida a andar para tras... e que o PdC vai mesmo ser suspenso durante 2 anos, e como ele ja nao e novo... preparem-se para a reviravolta no equilibrio de forcas do futebol portugues.

Quanto ao JM, nao quero falar mais. Fico apenas a espera do que vai fazer nos proximos dias. Gostava (emocionalmente) de ver a SAD e o Paulo Bento darem-lhe uma resposta em publico muito firme para servir de exemplo. Mas compreendo (racionalmente) que nao e assim que se gerem as coisas no melhor interesse do clube.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...