sábado, 23 de agosto de 2008

Vitória manchada pela arbitragem

Mesmo quando se ganha é importante destacar os erros grosseiros das equipas de arbitragem, sobretudo quando eles são decisivos para o resultado final, como foi o caso, na estreia do Sporting na Liga Portuguesa 2008-2009. A equipa leonina começou bem, com uma vitória por 3-1 sobre o primodivisionário Trofense, mas passou ao lado de uma goleada e acabou por sofrer um golo graças a uma grande penalidade inexistente.
Os golos leoninos foram marcados dentro da primeira meia hora, por Tonel (4’), Izmailov (24’) e Yannick Djaló (um bonito golo de calcanhar, imitando Madjer, aos 28’). O jogo parecia destinado a uma goleada à moda antiga, uma vez que o Trofense, desorientado e nervoso e muito curto, mais parecia a selecção das Ilhas Feroé. Só que a equipa leonina tirou o pé do acelerador e o adversário foi ganhando confiança e subindo no terreno, tendo obrigado Rui Patrício a mostrar as suas qualidades. No seu melhor período, o Sporting mostrou que, com Rochemback, ganhou um autêntico abre-cápsulas, sobretudo em lances de bola parada. O médio brasileiro marcou o pontapé-de-canto que proporcionou a Tonel o primeiro golo leonino na Liga e o livre que daria o segundo golo, por Izmailov, na recarga a um primeiro remate de Yannick à barra.
A segunda parte ficou marcada pelo lance da grande penalidade inexistente (59'). Anderson Polga tinha sido ultrapassado e derrubou Edu Souza, quando este estava isolado. O árbitro auxiliar de Paulo Baptista considerou que era grande penalidade, só que a falta tinha sido cometida bem fora da área. Um erro de arbitragem grave. Polga foi expulso, o que não se discute, e Pinheiro enganou Patrício, marcando o golo solitário da equipa da Trofa que, diga-se, pelo que fez a longo da partida, até fez por merecer.
A jogar com dez, o Sporting manifestou algumas dificuldades e limitou-se a gerir a vantagem. Daí resultou uma segunda parte pachorrenta, a fazer lembrar os piores jogos da temporada passada. A diferença é que a vitória estava assegurada. Até ao fim, ainda houve uma ou duas oportunidades de golo para cada lado. FOTOS: Hugo Correia (Reuters)

9 comentários:

Pai da Leoa disse...

Começou o combate............... e vai ser MUITO DURO!!!!

Dina disse...

Pedido especial..dirigido a quem de direito (???):
-Srs por favor quando mudarem as regras...avisem a malta.
Ah e já agora...apaguem aquelas linhas e meia lua ou como raio se chama aquilo...que já não serve para nada.
A malta agradece...porque assim fica a pensar, tal como eu, que lá inventaram um penalty onde ele não existia!!
Bolas...e ainda faltam 29...

Anónimo disse...

A roubalheira começa cedo...

Rei Reyes disse...

o trofense abriu as pernas de uma maneira estranhissima.
foi pelos emprestimos do Caiado e do Tiago ??

Sporting na Família desde 1907 disse...

Se porventura o golo de Yannick Djaló (e a jogada) tivesse sido marcado por um jogador de outro clube, era capa e notícia até no jornal da Associação de Moradores do Alto de Santa Cecília, aparecia em todos os canais televisivos como o melhor golo do século e Djaló era automáticamente nomeado para o Troféu "O Ídolo de Ouro" (onde já se encontram Phelps, Bolt e Quique Flores " O Romântico").

Anónimo disse...

Dois penalties em dois jogos seguidos é muita fruta. Foi este árbitro que anulou golo ao Hugo Viana. Nunca vai mudar.
a) JCFrancisco

Mário Rui Ventura disse...

Não condeno o árbitro pelo erro mas sim o auxiliar. Baptista limitou-se a dizer o que manda o livro - olhou para o auxiliar, ele levantou a bandeirola e encaminhou-se para a grande área. Grande penalidade, segundo o homem que está ali a ganhar dinheiro para ver esses lances específicos. Na única decisão de que dependia o critério de Paulo Baptista, o árbitro não errou: mostrou vermelho a Polga.

Sou sportinguista e é óbvio que não era grande penalidade, mas penso que causaria ainda mais ruído o árbitro não aceitar a decisão do seu auxiliar do que limitar-se a "oferecer" um golinho ao Trofense que, diga-se, tem equipa para uma época bem tranquila.

Renata A. disse...

Foi um bom jogo do Sporting, principalmente na primeira parte, que foi de sentido único: sempre em direcção à baliza do Trofense.
Na segunda parte em virtude da grande penalidade muito mal assinalada, os leões ficaram algo desorientados em campo e o Trofense aproveitou para criar mais perigo junta da baliza de Patrício. No global, foi uma boa entrada do leão.

SL

Visconde disse...

Uma verdadeira entrada de leão, que fez um bom jogo e podia ter construido um resultado mais dilatado, não fosse a "estupidez" de Polga e a cegueira da equipa de arbitragem.
O Sporting reforça a sua candidatura ao titulo para a qual tem uma próxima deslocação muito complicada, onde se vencer pode tirar dividendos do clássico da próxima jornada.
Contra tudo e todos, rumo ao titulo...

Abraço

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...