quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Luís Duque e a incompetência

"[O principal problema do Sporting] é a incompetência. E nada leva a crer que a incompetência tenha mudado [nos últimos tempos]."

“Não posso exigir o mesmo a um presidente não profissional que exijo a um presidente profissional.”

“[Não sei] se o Sporting não estará no final da época muito pior do que está agora.”.

"[Receio que o Sporting chegue ao final da época] sem grandes alterações no plano desportivo e mais debilitado no plano financeiro.”

“O mercado de Janeiro é um mercado para retocar o plantel e colmatar uma lesão inesperada, mas para fazer uma revolução, e tendo em conta que quem dirige o clube já o dirigia em Outubro, só pode significar a falência daquilo que foi feito no início da época.”

"[Os investimentos que fiz no futebol, quando era presidente da Sporting SAD], eram necessários [e tiveram como retorno] a conquista do título e a criação das condições para se ganhar um segundo título.”

"[O meu] despesismo deu um título ao Sporting. O futebol não é uma ciência exacta, mas o objetivo essencial, que era a conquista do título, esse, foi conseguido.”

Luís Duque, presidente da Sporting SAD na conquista do título nacional em 1999-2000, Antena 1, 30-12-2009 :: FOTO: "Record"

Compras, dispensas e recusas de Carlos Freitas

Carlos Freitas, enquanto gestor do plantel de jogadores do Sporting, dispensou Miguel Garcia, comprou Abel ao Sporting de Braga, colocou Carlos Saleiro a rodar e comprou metade de Hélder Postiga ao FC Porto.
O mesmo Carlos Freitas, agora gestor de activos do Sporting de Braga, comprou Miguel Garcia ao Olhanense e recusou Abel e Hélder Postiga, ambos do Sporting.
Tanto no Sporting de Portugal como no Sporting de Braga, não sabemos onde terminou o papel do gestor desportivo Freitas e começou o papel do treinador das respectivas equipas. Mas não deixa de ser curioso atender às compras, dispensas e recusas que tiveram como protagonista o antigo gestor de activos do Sporting (ao que se diz, pretendido de volta por José Eduardo Bettencourt). FOTO: "A Bola"

Obs. - O sítio Sporting Apoio está a promover um inquérito digital para apurar a popularidade dos espaços sportinguistas na Internet, nomeadamente na blogosfera. Se gosta do blogue LEÃO DA ESTRELA, pode fazer a sua escolha clicando aqui. O inquérito está disponível até 31 de Dezembro. Obrigado!

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Bettencourt recupera estratégia de Cristóvão

Seis meses depois do acto eleitoral para a direcção do Sporting Clube de Portugal, que ditou a vitória esmagadora de José Eduardo Bettencourt sobre Paulo Cristóvão, eis que o futebol do clube passa a ser dirigido segundo a estratégia do candidato derrotado, que não conquistou mais de 10 por cento dos sócios leoninos.
Considerando esgotado o projecto de Paulo Bento, o candidato Paulo Cristóvão era defensor de mais investimento na equipa de futebol, de modo a aumentar os níveis de exigência e criar novas receitas. Como trunfo da sua campanha exibiu o treinador sueco Sven-Göran Eriksson. Nos últimos dias da campanha começaram a chover notícias que davam como certas as contratações de alguns craques em fim de carreira.
Os sportinguistas que foram votar assustaram-se porque, do outro lado, José Eduardo Bettencourt fazia passar a ideia do "rigor" corporizada na permanência do treinador Paulo Bento e da maioria dos jogadores. Nem solução havia para um pavilhão nas imediações do Estádio de Alvalade. O clube estava endividado...
Seis meses depois, tudo se alterou. E tudo se alterou porque a equipa de futebol falhou, provando-se, deste modo, que, não obstante a criação da sociedade anónima do futebol e da sua presença na Bolsa de Valores, tudo o que de importante diz respeito ao futebol moderno continua a ser decidido como antigamente, ou seja, em função dos resultados desportivos dentro do campo. Dos golos que entram ou não. Das bolas que vão ao poste ou entram na baliza...
Acossado pela desilusão da massa associativa que lhe tinha dado uma das vitórias mais claras de sempre, José Eduardo Bettencourt mandou às malvas o rigor e tratou de arranjar uma solução para investir na equipa de futebol. E lá apareceram 15 milhões de euros para jogadores, bem mais do que aquilo que Paulo Cristóvão propunha investir seis meses antes... Depois, claro, de Paulo Bento se ter afastado e, com ele, os dirigentes amigos... Até já há lugar e modelo de financiamento para o pavilhão desportivo das modalidades: bem junto ao Estádio de Alvalade, ideia que, quando foi anunciada por Paulo Cristóvão, logo foi apontada como impossível e demagógica...
Tudo isto para dizer uma coisa que agora já é evidente aos olhos de todos: na últimas eleições do Sporting, a estratégia certa para o futebol leonino era a de Paulo Cristóvão (o ex-treinador Paulo Bento, aliás, seria o próprio a confessar que esteve quatro meses a mais em Alvalade...). Donde, José Eduardo Bettencourt só agora está a começar o seu exercício presidencial... FOTO: "A Bola"

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Os pequenos que gozam com o Sporting

Neste clima de viagens diárias do Sporting ao supermercado de Inverno, onde estão disponíveis produtos de saldo de rendibilidade imediata algo duvidosa (em particular no que diz respeito a jogadores estrangeiros que não pegaram nos clubes que representaram até agora), o que é lamentável é que sejam os pequenos clubes portugueses a gozar com os dirigentes do Sporting Clube de Portugal. Não têm onde cair mortos, baixam as calças aos que verdadeiramente mandam no futebol português e ainda gozam connosco, os sportinguistas. Pelo menos é essa a leitura que retiro de duas notícias lidas no "Público".
Em Leiria, o inefável João Bartolomeu, conhecido de outras guerras do mercado negro da bola lusitana, e que tem um plantel construído com a ajuda leonina, duvida que Sporting “tenha dinheiro para Carlão”. “Andam para aí a contratar jogadores suplentes de outros clubes, repetem os mesmos erros e não aprendem com eles”, diz ainda Bartolomeu, numa alfinetada em José Eduardo Bettencourt.
Na Madeira, Rui Alves, presidente do Nacional, outra ave rara bem conhecida por fazer abortar transferências para Alvalade, desviando jogadores para o Porto ou outras paragens, nega negociações com Sporting por Ruben Micael, adiantando que, apesar de todas as notícias, a única proposta que recebeu é de um clube espanhol.
Os dois dirigentes têm em comum o facto de terem aprendido na escola futebolística de um amigo que, em certas ocasiões, eles têm mais a Norte. O que eles dizem revela, antes de mais, uma enorme falta de respeito pelo Sporting. A questão é que esses indivíduos jamais ousariam dizer o mesmo do FC Porto. Mas o que é grave é que isso que eles deitam da boca para fora também não anda muito longe da verdade. É esperar para ver... FOTOS: "A Bola"

Vote no LEÃO DA ESTRELA

O sítio Sporting Apoio está a promover um inquérito digital para apurar a popularidade dos espaços sportinguistas na Internet, nomeadamente na blogosfera. Se gosta do blogue LEÃO DA ESTRELA, pode fazer a sua escolha clicando aqui. O inquérito está disponível até 31 de Dezembro. Obrigado!

domingo, 27 de dezembro de 2009

Saídas e entradas em Alvalade

Os 15 milhões de euros anunciados para o reforço da equipa de futebol do Sporting vão sendo transformados em jogadores. Depois do defesa direito João Pereira - mais um jogador de estatura baixa na defesa... -, segue-se o avançado móvel francês Sinama-Pongolle (na foto), que chega a Alvalade depois de ter falhado no Atlético de Madrid. Entretanto, a limpeza continua na estrutura dirigente. Rita Figueira deixou a administração da SAD. O Sporting corre contra o tempo.

sábado, 26 de dezembro de 2009

A promessa de João Pereira

"Agora só penso no Sporting. Estou no Sporting e vou defender o Sporting até à morte."
João Pereira, lateral-direito formado no Benfica, novo reforço do Sporting contratado ao Sp. Braga, RTP Online, 22-12-2009

domingo, 20 de dezembro de 2009

Carvalhal, os sportinguistas e os traumas da equipa

"Qual o sportinguista que não está preocupado? Um bom sportinguista está preocupado, mas estamos aqui para encarar as situações de frente. Esperamos reverter a situação."

"É nas adversidades que se vê a coesão de um grupo. A equipa está coesa, muito unida, e com vontade de voltar às vitórias. Sabemos que vai ser difícil, mas os níveis de confiança e entrega vão ser elevados. Isso é meio caminho para a vitória."

"A entrada frente ao Vitória de Setúbal foi boa. Foi à Sporting. Com a União de Leiria não entrámos bem, mas fizemos uma grande segunda parte. Não me parece que seja falta de capacidade. Caso contrário, não teríamos feito esses bons períodos. O desafio é manter esse padrão. A equipa apresenta alguns traumas, que têm sido superados."

Carlos Carvalhal, "Record", 18-12-2009

Regresso às vitórias com golo de Saleiro

O Sporting não tem como escapar ao pior Natal dos últimos anos. Basta olhar para os números e qualquer sportinguista que se preze terá vontade de colocar uma pedra de carvão no sapatinho dos “leões”. Mas a vitória de hoje na Figueira da Foz frente à Naval – e especialmente a atitude da equipa na segunda parte – revelam alguns sinais de retoma. Se antes do golo de Saleiro se ouviu nas bancadas um esclarecedor “aquece Sá Pinto!”, na segunda soaram algumas palmas ténues, mas sentidas para o esforço de alguns jogadores. Apesar desta vitória (1-0), os “leões” continuam mais perto do último lugar do que do primeiro.
FOTO: Marcos Borga (Reuters - Portugal Sport Soccer)

sábado, 19 de dezembro de 2009

Um campeão de Inverno inesperado

O ex-sportinguista Hugo Viana festejando um dos golos da vitória do Sp. Braga sobre o Benfica. Nesta primeira volta da Liga 2009-2010, o Sporting de Braga de Domingos Paciência - e de Carlos Freitas, e de António Salvador... - superou os três "grandes" do futebol português com três vitórias. Um caso raro em 70 anos do principal campeonato de Portugal. Aconteça o que acontecer no Benfica-FC Porto deste fim-de-semana, os bracarenses entram em 2010 no primeiro lugar.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Rúben Micael, um reforço português

O médio ofensivo português Rúben Micael, de 23 anos, do Nacional da Madeira, é dado como possível reforço do Sporting no próximo mês de Janeiro. A confirmar-se, seria uma excelente notícia, pois estamos perante um valor seguro do futebol português que pode, de facto, reforçar a equipa leonina.
Nascido em Câmara de Lobos, em 19 de Agosto de 1986, Rúben Micael Freitas da Resurreição tem 23 anos, começou a jogar futebol no União da Madeira, mas mudou-se para o Nacional na época 2008-2009, onde foi uma das revelações da Liga. Esta temporada deu nas vistas na Liga Europa, tendo marcado 7 golos, cinco deles na fase de grupos.
Rúben Micael já esteve na agenda do Benfica, tem sido observado pelo Arsenal e está a ser avaliado por Carlos Queirós, com vista ao Mundial 2010, na África do Sul. Oxalá o Sporting consiga ter cordões para poder abrir a bolsa... FOTO: "A Bola"

Já estamos como o Belenenses

Não há dúvidas. O Sporting já está como o Belenenses (sem menosprezo para o clube de Belém). Estas declarações do treinador Carlos Carvalhal, antes do jogo com a Naval 1º de Maio, teriam sido escandalosas se tivessem sido feitas há apenas 5 anos. Como estamos em 2009, já não estranhamos tamanhas dificuldades. O que fazer para dar a volta a isto?...

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

¿Por qué no te callas?

“Fizemos um excelente jogo e uma excelente exibição, mas infelizmente perdemos."

Rui Patrício, após a derrota do Sporting por 1-0 frente ao Herta de Berlim para a Liga Europa, "Público Online", 16-12-2009
Foto: Gero Breloer - AP Photo

O "bom jogo" de João Moutinho

O Sporting perdeu com o Hertha de Berlim por 1-0, para a Liga Europa, na Alemanha, em jogo para cumprir calendário e prestigiar a equipa portuguesa, uma vez que o apuramento para a fase seguinte já estava conseguido. No final, o "capitão" leonino João Moutinho mostrou-se satisfeito com a exibição da equipa: "Acho que fizemos um bom jogo, criámos bastantes oportunidades. O Hertha acabou é por ser mais feliz ao sair daqui com uma vitória".
A questão é simples, caro João Moutinho: se o Sporting perdeu o jogo, então não fez nenhum "bom jogo". Logo, o "capitão" do Sporting deveria estar zangado, triste e frustrado consigo e com a equipa. Chega de contentamento com derrotas e empates! Chega de falta de ambição! Chega de fazer de conta que representam o Sporting Clube de Portugal!... FOTO: "A Bola"

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

O coração de Mexer

O Sporting está no mercado para reforçar a equipa de futebol. O defesa-central moçambicano Mexer, internacional pelo seu País, que actuava no Desportivo de Maputo, é um dos reforços de Inverno da equipa leonina. Assinou por dois anos e meio.
Mexer - um nome irónico para reforçar uma equipa que tem na lentidão do seu futebol um dos seus problemas - tem 21 anos e uma grande margem de progressão. Independentemente disso, importa destacar que Mexer teve uma entrada de "Leão" no Sporting: "É um grande sonho jogar no Sporting até porque venho para o meu clube do coração."
Não estamos perante uma declaração de circunstância soprada nos ouvidos do atleta pelo seu empresário, como acontece quando um jogador estrangeiro aterra em Lisboa ou no Porto sem saber onde veio parar. Neste caso, o Sporting parece estar a contratar um jogador estrangeiro que se confessa sportinguista do coração. Como antigamente, quando o futebol português entrava pelos ouvidos do povo africano e fazia milhões de adeptos anónimos nas colónias portuguesas...
É uma surpresa e um achado receber no Sporting um estrangeiro a dizer o que disse Mexer. Porque este jogador simboliza a dimensão internacional da marca Sporting, cuja existência muitos teimam em negar mesmo no interior do próprio clube (pela inacção ou pelas trapalhadas em que se metem, nomeadamente os barretes que têm sido enfiados na equipa de futebol...).
Não sei o que Mexer vale como jogador. Mas bastou ouvir as suas palavras para augurar-lhe um bom futuro em Alvalade. Que o seu coração verde seja feliz em Lisboa!... E que, na próxima vez, a notícia do ingresso de um novo jogador no Sporting só seja conhecida depois da assinatura do respectivo contrato. O profissionalismo iria agradecer... FOTO: Mike Hutchings (Reuters)

sábado, 12 de dezembro de 2009

As brincadeiras de Alvalade

Mesmo lido é difícil de acreditar. Mas aconteceu mesmo. E se o presidente do Sporting, José Eduardo Bettencourt, ou quem o representa nestas tropelias de cabo de esquadra que são pagas a peso de ouro, deixasse de ocupar o tempo escrevendo comunicados estúpidos para os jornais? Será que os assessores ganham à tarefa? Ou será que Alvalade já se transformou num recreio?...
Ser sportinguista é ser herói nos dias que correm, porque não há motivos para termos orgulho na nossa equipa de futebol, assim como não há motivos para termos orgulho nos nossos dirigentes. Um deslize uma ou duas vezes ainda se aceita e se compreende num presidente estreante, mesmo sendo muito bem pago. Agora, fazer asneiras todas as semanas - depois de uma campanha eleitoral também fértil em tiradas de efeito muito duvidoso - é algo de muito grave.

Taco a taco com a União de Leiria!...

No campo de batatas de Alvalade, o Sporting recebeu a União de Leiria e perdeu por 1-0. Vergonhoso! Humilhante! Abaixo do que seria imaginável, mesmo tendo em conta que o futebol é jogado com uma bola redonda.
Na Liga Portuguesa, Sporting e União de Leiria lutam taco a taco pela sétima posição, quando está decorrido mais de um terço da prova. Seria motivo para despedimento com justa causa de alguns dos jogadores mais bem pagos da equipa de Alvalade. A fim de ajudar a equipa de Carlos Carvalhal a lutar por um lugar na Liga Europa do próximo ano - objectivo que, em face dos resultados até agora registados, parece muito difícil - talvez fosse de ponderar a ideia de o Sporting pedir à Federação Portuguesa de Futebol o Estádio Nacional para os seus jogos na condição de visitante. Não só por causa da relva, mas também pelo pesadelo que tem sido a sistemática perda de pontos no Estádio de Alvalade... FOTOS: Reuters

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

O Sporting e o Natal...

Mesmo realizando uma das piores temporadas de sempre (com resultados fracos e exibições péssimas), o futebol do Sporting vai chegar ao Natal... A equipa leonina mantém alguns dos seus objectivos intactos (exceptuando a presença na Liga dos Campeões e, talvez, o título nacional).
Graças à mudança de treinador e à substituição dos dirigentes do futebol, o Sporting tem todas as condições para reaparecer em grande no próximo mês de Janeiro. Dia a dia, Carlos Carvalhal vai conquistando a nação sportinguista. Não era preciso muito. Daí a facilidade com que o trabalho do novo treinador tem merecido a aprovação dos Adicionar imagemadeptos leoninos. FOTO: www.sporting.pt

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Izmailov, o imprevisível

O russo Izmailov é um excelente jogador de futebol, que acrescenta classe e disciplina táctica em qualquer equipa. O problema é que a sua condição física é muito imprevisível. Assim, nunca podemos contar com ele a 100 por cento... Em Setúbal, regressou depois de uma longa paragem motivada por lesão grave num joelho, mas foi devolvido ao estaleiro, agora com um problema muscular. É também por isso que o rendimento global do futebol do Sporting não prima pela regularidade. FOTO: "A Bola"

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

E Liedson marcou em Setúbal...

Dois golos sem resposta do luso-brasileiro Liedson em Setúbal fizeram o Sporting regressar às vitórias na I Liga Portuguesa.

A autoridade de Carvalhal

"Sou o treinador, eu é que escolho a equipa e o sistema. Não me desvio um milímetro."

"Não entendo o mau ambiente em torno de Stojkovic, não é isso que eu vivo no dia-a-dia. Os capitães tomaram uma posição pública e garanto-vos que não existe problema nenhum. Existe uma distância de milhares de quilómetros entre o que se diz e a realidade."

"Estou preparado para tudo e vêm aí mais notícias, mas venham elas."

"Quero realçar que [Angulo] é uma pessoa com carácter muito forte e uma personalidade singular. Disse-lhe o que entendia sobre a sua posição e ele teve sentido profissional enorme. Ele é que fez esta opção."

"Eu não engano jogadores de futebol. Não mando recados e não mando falar por mim, digo o que entendo olhos nos olhos."

"Disse desde o início que mal é da equipa que não tem um sistema alternativo. O Sporting tem um sistema já instituído, mas tem que ter outro para surpreender adversários. Esse é que temos que trabalhar mais."

Carlos Carvalhal, "Público, 07-12-2009

Um fenómeno estranho chamado Rabiu

É um dos fenómenos sem explicação no futebol do Sporting actual. Do nigeriano Rabiu Ibrahim, jogador de 18 anos, que ainda é do Sporting (pelo menos até final da época), e de quem dizem ser um dos melhores jovens talentos do futebol africano da actualidade, anda a prestar provas a Carlos Carvalhal. Isso mesmo.
Não vou entrar em pormenores sobre a qualidade do jogador, que nunca vi jogar. O que sei sobre este jogador internacional pelo seu País é aquilo que vou lendo como toda a gente. Todos dizem que estamos perante um grande craque, um talento africano, porventura o melhor de sempre. Sendo assim, tendo o jogador 18 anos e sendo ele o maior produto da falhada observação estrangeira do futebol jovem do Sporting (os resultados falam por si), por que raio é que o atleta não renova o seu contrato e passa a integrar o plantel principal como um jogador a utilizar pela equipa do Sporting?...
Estão à espera de quê? De outro Paulo Futre?... De outro Cristiano Ronaldo?... Ou será que Rabiu não passa de um embuste e andamos a ser enganados por empresários e por jornalistas que não passam de pés de microfone?... FOTO: "Record"

A experiência de Angulo

Ao fim de 97 dias, o médio espanhol Miguel Angulo, tão experiente que já não tinha mais nada de importante para dar ao futebol europeu de alta competição (mesmo ao português...), voltou à sua terra. Foi mais um serviço com o alto patrocínio da central de compras do Sporting...
Nani foi vendido em 2007. Salvo erro, foi o último jogador a dar lucro aos depauperados cofres de Alvalade. O que vale é que o navio vai aguentando os disparates. Como em todas as histórias, até um dia.
Entretanto, Carlos Carvalhal faz o seu caminho como pode. Já levantou o castigo ao proscrito Stojkovic e desfez o famoso losango de Paulo Bento. Agora, só queremos ganhar em Setúbal. Hoje, o "nosso" Manuel Fernandes é um adversário como outro qualquer... FOTO: "A Bola"

sábado, 5 de dezembro de 2009

Agora é que o Varela fazia falta...

Com 4 golos em 7 jogos na I Liga 2009-2010, o ex-sportinguista Silvestre Varela, foi dispensado em definitivo, na época passada, pela dupla Paulo Bento/Pedro Barbosa, já é um dos jogadores mais valiosos do FC Porto (ontem, voltou a facturar na goleada em Guimarães por 4-1). O Sporting preferiu pagar bem mais, no final de cada mês, pela grande experiência internacional de Felipe Caicedo. Afinal, no catálogo, estava escrito que o moço valia 9 milhões de euros...

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Benfica TV para cegos...


Clique na imagem para ver o inacreditável.

Liedson pede para sair da equipa

“O melhor é colocar outros colegas que estejam em melhores condições, porque infelizmente não estou a ajudar a equipa com golos. O melhor é pensar direitinho. Talvez o melhor seja [Carlos Carvalhal] tirar-me da equipa e dar oportunidade aos meus companheiros.”

“Ninguém gosta de jogar sozinho. A adaptação [à táctica de Carvalhal] é difícil, fiz alguns jogos assim na selecção e senti-me bem. Mas na selecção há diferenças porque jogamos em 4x3x3 e temos dois extremos que desequilibram. Aqui não temos jogadores com essas características e é mais complicado.”

“É preciso paciência e fazer o que o treinador está a pedir. [Mas] não está a ser fácil.”

“Hoje, [com o empate 1-1, em Alvalade, frente ao Heerenven] não foi um dos melhores jogos para o Sporting, mas o resultado final deu-nos a classificação e valeu a pena. Só com trabalho é que podemos melhorar."

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

O regresso de Stojkovic

Proscrito por Paulo Bento, por alegado caso grave de indisciplina no balneário, nunca explicado ou confirmado publicamente, o guarda-redes Stojkovic é, finalmente, um entre iguais no plantel do Sporting. O treinador Carlos Carvalhal, que entrou pela porta do cavalo, dá mais um passo na sua afirmação em Alvalade.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

O Sporting e o barulho mediático do lóbi "gay"

O Sporting Clube de Portugal tem sido pioneiro e único em muitas coisas. Foi a primeira equipa portuguesa a jogar nas competições europeias de futebol (1955); foi a equipa que fez o resultado mais volumoso de sempre numa prova europeia (1963-1964); foi a equipa que deu à Europa o melhor marcador numa temporada (Yazalde, 1973-1974); foi a primeira equipa portuguesa a arranjar um expediente legal para contratar jogadores internacionais do extinto bloco pró-soviético antes dos 30 anos de idade (Kostov e Bukovak, em 1982); foi a primeira equipa a ter um jogador pago para treinar sozinho (Afonso Martins, na década de 1990); foi o primeiro clube a pedir uma indemnização multimilionária por um jogador que estaria dispensado (mais de 5 milhões de euros pedidos ao FC Famalicão por causa do brasileiro Careca); foi o primeiro clube a criar uma sociedade anónima para gerir o futebol; foi o primeiro clube português a decidir construir uma academia de futebol e um novo estádio; enfim, foi o primeiro clube em muitas outras situações.
Agora, foi também o primeiro clube português a ser acusado de discriminar homossexuais. Tudo porque o clube lançou uma campanha promocional da Gamebox, com descontos para uma segunda pessoa, desde que seja do sexo oposto. Objectivo: levar mais mulheres aos estádios, não se tratando de uma campanha destinada a pessoas casadas, mas a pessoas de diferentes géneros, o que é muito diferente. Algo que o Sporting tem todo o direito de fazer.
Mas isso foi o suficiente para que a comunidade "gay" reagisse escandalizada, nas páginas do jornal “i”, contra tamanho “horror”. Numa altura em que os homossexuais aguardam que o Governo decrete a legalização do casamento só entre homens ou só entre mulheres (enquanto outros quadrantes defendem a realização de um referendo), a comunidade "gay", que, como é notório, tem um peso enorme na comunicação social portuguesa, limitou-se a usar o Sporting Clube de Portugal para arranjar mais visibilidade para a sua luta.
A gente sabe como eles e elas sabem os caminhos do barulho mediático. E a gente também sabe como o jornalismo que temos se rende a uma polémica com costumes pelo meio. Basta ler o editorial de Miguel Pacheco para percebermos as intenções. Quando o responsável por um jornal refere que a Sporting SAD é “uma instituição de utilidade pública” estamos conversados quanto aos seus argumentos. E quando vemos Pedro Afra, director-geral do Sporting, a confessar, candidamente, que “não temos de pensar nos homossexuais em todas as campanhas que fazemos”, percebemos, enfim, como tudo aconteceu.
Donde, o lóbi "gay" encontrou na gritante falta de jeito que o Sporting continua a revelar na sua comunicação para o exterior um terreno fértil para chamar a atenção dos seus direitos com base em presuportos errados. Porque, ao Sporting bastaria dizer uma coisa elementar: meus senhores, a campanha "Gamebox Duo" não se destina a casais, não temos nada a ver com a vida privada dos associados; a campanha destina-se a promover a diversidade de géneros no Estádio de Alvalade. E se José Eduardo Bettencourt tivesse aproveitado esta polémica como deveria, em favor do Sporting, poderia ter convocado uma conferência de imprensa para dar conta da indignação da nação sportinguista e ainda teria espaço para explicar o que está em causa. Teria, deste modo, mais publicidade gratuita para levar mais homens e mulheres ao Estádio de Alvalade através do "Gamebox Duo". A impressão que fica é que, às vezes, nos corredores leoninos, ninguém pára para pensar.

A falsa crise de Liedson

Os olhos da crítica estão de novo virados para o luso-brasileiro Liedson, pelo facto de o avançado do Sporting não marcar golos com a frequência a que nos habituou nos seus melhores momentos. Em 21 jogos pelo Sporting, nesta época, Liedson marcou apenas 7, ou seja, um golo a cada três jogos, quando o avançado leonino, estando no seu melhor, vale, pelo menos, meio golo por jogo. Ora, é evidente que os maus resultados do Sporting (cinco empates e uma derrota nos últimos confrontos na Liga Portuguesa) são indissociáveis da crise de golos de Liedson. Mas acho que a falta de golos do luso-brasileiro tem muito mais a ver com problemas de ordem colectiva. A questão não é muito complicada: ponham a bola perto da baliza que Liedson sabe o que tem a fazer. FOTO: Francisco Leong (AFP - Getty Images)

domingo, 29 de novembro de 2009

O discurso de Carvalhal

Carlos Carvalhal confessou-se "frustrado" pelo empate com o Benfica em Alvalade. É o discurso certo para um treinador do Sporting Clube de Portugal. Porque só os ambiciosos e vencedores podem sentir o sabor amargo da frustração.

sábado, 28 de novembro de 2009

Sinais animadores em Alvalade

Sporting e Benfica empataram a zero em Alvalade num jogo equilibrado, com momentos de muita intensidade, onde qualquer das equipas poderia ter ganho. Foi um bom espectáculo, com as bancadas cheias de um público vibrante. Só faltaram os golos. Desta partida, há uma ideia a retirar: ficou provado que a qualidade das duas equipas não justifica os 11 pontos de diferença na tabela classificativa. Nem as diferenças nos respectivos orçamentos.
O Sporting, que agora procura reconstruir uma equipa sob a orientação técnica de Carlos Carvalhal, já vai no 13º ponto perdido consecutivamente, em resultado de cinco empates e uma derrota nos últimos seis jogos. Mas, neste contexto, isso não é o mais importante.
O importante é sarar rapidamente as feridas do jogo leonino, para que o Sporting volte a alegrar os sportinguistas. Os sinais de Carvalhal são animadores. Com garra e atitude, a equipa parece renascida. FOTO: Francisco Leong (AFP - Getty Images)

JOGOS INESQUECÍVEIS Sporting-Benfica, 3-1


Campeonato Nacional da I Divisão, 1981-1982

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Aílton Ballesteros, 1949-2009

Lembro-me perfeitamente do brasileiro Aílton Ballesteros, antigo médio leonino, que faleceu segunda-feira em S. Paulo, aos 60 anos. Sobretudo agora, que os inúmeros espaços de memória existentes na Internet (tais como o blog Armazém Leonino) nos levam a recordar nomes inesquecíveis de um futebol remoto que, curiosamente, acabam por nos ser mais familiares do que inúmeros ídolos com pés de barro muito mais recentes.
Para mim, que na década de 1970 fazia a transição da infância para a adolescência, havia jogadores mais importantes no Sporting, a começar por Manuel Fernandes, Laranjeira, Marinho, Manoel, Keita, Jordão ou Fraguito. Mas o brasileiro Ailton, que jogara no FC Porto, teve a sua utilidade no lado esquerdo do meio-campo leonino. Conquistou uma Taça de Portugal ao serviço do Sporting, em finais da agitada década de 1970. Agitada no País, por causa da revolução de 25 de Abril de 1974, e, por consequência, no Sporting, liderado por João Rocha, o último grande presidente do clube.
A notícia da sua morte foi revelada pela edição online do semanário "Grande Porto", com base em informação prestada por um amigo da família do jogador. O médio esquerdino, nascido a 20 de Outubro de 1949, chegou ao futebol português em 1975 para vestir a camisola do FC Porto, onde permaneceu durante duas temporadas, transferindo-se depois para o Sporting, onde esteve até 1979. Nas Antas, Aílton conquistou a Taça de Portugal em 1977. Em Alvalade, fez 54 jogos, marcou 4 golos e ganhou a Taça de Portugal de 1978. Depois da curta estadia em Lisboa (1977-1979), Aílton voltou ao Norte para vestir as camisolas do Boavista e do Varzim. Merece um minuto de silêncio no Sporting-Benfica do próximo fim-de-semana. IMAGEM: Capa da revista "Golo" (uma das raras publicações desportivas a cores na década de 1970)

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Como esconder a derrota do Benfica...

Nesta primeira página de "A Bola", só com a ajuda de uma lupa ficamos a saber que o Benfica foi eliminado da Taça de Portugal, no Estádio da Luz, onde perdeu com o Vitória de Guimarães. Provavelmente, para os benfiquistas da Travessa da Queimada, a Taça de Portugal já deixou de ser um troféu importante.
Os sportinguistas que não se iludam. Esta primeira página verde foi o expediente que encontraram para esconder a inesperada derrota caseira do Benfica, nada animadora na semana da deslocação a Alvalade. Aliás, no canto inferior direito, num título que, para os benfiquistas, funciona como uma pequena dose de "Xanax", ainda ficamos a saber que, em futsal, o "Benfica brilha na Europa". É assim que se fazem as coisas no jornalismo português.

domingo, 22 de novembro de 2009

O melhor Sporting da temporada

Isto está a melhorar. O Sporting, agora de Carlos Carvalhal, conseguiu o resultado mais volumoso da época (4-1), eliminando os Pescadores da Costa da Caparica, e seguiu em frente na Taça de Portugal. Mesmo com Abel e Grimi nas faixas laterais da defesa, mas com Miguel Veloso, que esta época voltou a ser feliz no Sporting, a facturar duas vezes, estamos perante o melhor Sporting da temporada, porque foi aquele que conseguiu o resultado mais dilatado. Nesta altura do temporada, com tantas oportunidades para ganhar já desperdiçadas, temos de ser pragmáticos.
Quanto ao supercampeão Benfica, que muitos já tinham apontado como vencedor antecipado da "dobradinha" 2009-2010, começa, lentamente, a descer à terra. No último jogo para a I Liga, venceu o Naval 1º de Maio com um golo marcado em tempo de descontos. Desta vez, o jogo com o Vitória de Guimarães durou 97 minutos e dez segundos, mas nem assim conseguiram marcar um golo que fosse. Donde, os vimaranenses venceram, e com toda a justiça, por 1-0, atirando a equipa de Jorge Jesus para fora da Taça de Portugal. Ainda não chegamos ao Natal e as coisas já começam a ficar no lugar certo. FOTO: Francisco Leong (AFP Photo - Arquivo)

Paulo Bento, Sá Pinto e a guerra leonina

Ainda não tive tempo para ler todas as entrevistas de Paulo Bento aos mais variados órgãos de comunicação social. Mas, para o que está em causa, basta atender ao título que, na sexta-feira, promovia uma das entrevistas, nas páginas do "Record": "Sabia que Sá Pinto voltaria no dia em que eu saísse."
Basta ler esta frase de Paulo Bento para concluir que o Sporting é um clube balcanizado, portanto, com problemas gravíssimos para resolver ao nível da relação entre pessoas, que Carlos Carvalhal só agora está a conhecer. Porque não é de acreditar que as demissões da equipa técnica, do administrador Ribeiro Telles e do director desportivo Pedro Barbosa acabem de imediato com esta onda de crispação e desconfiança. Um clima que dura há muito tempo, mas que foi mais ou menos escondido pelas taças que Paulo Bento foi conquistando... Até agora, as partes foram andando dentro do clube, a gerir os ódios de estimação numa paz tão podre que acabou por contaminar a própria equipa de futebol, gerando a conhecida má qualidade de jogo, que levou ao afastamento dos sportinguistas dos estádios.
Tudo tem a ver com tudo. E numa equipa de futebol, em que a harmonia colectiva é essencial para haver sucesso, tudo ainda tem mais a ver com tudo. Donde, não será avisado ignorar que Paulo Bento era uma parte substancial do problema leonino.
Falar de uma estratégia concertada de alguns sectores do Sporting para derrubar três pessoas concretas (Miguel Ribeiro Telles, Pedro Barbosa e Paulo Bento) é outra tonteria de quem não tem vergonha na cara e procura enganar parolos desprevenidos. A verdade é que Paulo Bento demitiu-se porque o seu trabalho como treinador não estava a resultar. Em 22 jogos particulares e oficiais nesta temporada, o Sporting alcançou menos vitórias (8) do que empates (10) e somou 4 derrotas. Marcou 30 golos (menos de 1,5 golos por jogo) e sofreu 21 (praticamente 1 golo por jogo). E não falemos da qualidade de jogo para não estragar este texto...
Entretanto, o ex-treinador está a confirmar as suas lacunas na forma como (não) comunica para o exterior. Enquanto treinador, não sabia usar o espaço mediático a não ser para fazer a acta do jogo (na primeira parte não entrámos bem, blá, blá, blá...), para criticar a "falta de maturidade" dos jogadores ou para atacar as arbitragens (justamente, diga-se, mas sem eficácia, dando o corpo às balas, porque falava como extensão de uma liderança dirigente ausente...).
Agora, do lado de fora, Bento resolveu começar a disparar em todas as direcções e dar conselhos a José Eduardo Bettencourt, nomeadamente quanto às companhias do presidente. Onde muitos conseguem vislumbrar coragem e frontalidade, talvez estivessem mais certos se vislumbrassem demasiados erros de principiante. Não foi por acaso que Jesualdo Ferreira disse que a carreira de Paulo Bento "só agora é que vai começar"...
Sim, porque, uma dessas companhias é Rogério Alves, ex-presidente da Assembleia Geral do Clube e presidente da Assembleia Geral da Sporting SAD (e não um badameco qualquer...), também atacado pelo ex-treinador. Será que, depois disto, Bettencourt ainda considera a saída de Paulo Bento "uma perda irreparável" para o Sporting? Seria interessante saber... FOTO: Raquel Esperança, "Público Online"

sábado, 21 de novembro de 2009

Paulo Bento dispara sobre Rogério Alves...

"Após o jogo com o Marítimo, [Rogério Alves, presidente da Assembleia Geral da Sporting SAD] teve declarações que não trouxeram qualquer benefício para o grupo, que não foram correctas, porque há coisas que se podem tolerar e outras que não devem ser toleraras. Uma pessoa com a responsabilidade dele, não podia, nem devia, ter dito o que disse. Quero acreditar que isso não tem a ver com o que eram os desejos e objectivos dele no clube. Depois, o Sporting é, se calhar, o único que tem uma associação de adeptos, que tem lugar no Conselho Leonino e com o seu vice-presidente atrás de uma baliza, bem vestido, a insultar os jogadores. Não me parece nada normal. Parece-me coisa de gente que se quer servir do Sporting."

"[José Eduardo Bettencourt] é inteligente para saber de quem se rodeia e vai ter de ter cuidado com alguns abutres que andam à sua volta."

"Estive quatro meses a mais por uma questão cultural, porque o futebol português não está preparado para tanta continuidade. Conseguimos fazer com que o Sporting voltasse a ganhar e a ter princípios. Mas devia ter parado no final da época, por todo o contexto que iria ser criado a seguir, para atingir o treinador, o director-desportivo e o vice-presidente. Não é normal ter gente a pressionar no início da época, quando, no caso do Twente, atingimos o objectivo. Tive o cuidado de alertar, internamente, até os jogadores, de que estava criado um cenário prejudicial. Resultou nestes quatro meses de grande pressão, criada por gente interna. Oxalá o presidente tenha coragem de os denunciar e que esta situação sirva para alguns serem descobertos."

"Nunca ouvi nenhum jogador, nem ninguém da estrutura, dizer que estava satisfeito com o segundo lugar. O nosso rendimento e resultados foram sempre desvalorizados. O Sporting era segundo porque havia demérito do Benfica, e não mérito nosso. Era a opinião da Imprensa e de muita gente do Sporting, que agora se está a revelar. Existe um complexo de inferioridade, exponenciado pelo que o Benfica está a fazer esta época."

"O Sporting tem oito títulos desde 1958, logo, o estofo foi diminuindo. Entre 1982 e 2000, não sei se existiu, sei é que não houve títulos. Depois, há os que se deprimiram por só ganharem taças. Nós tentámos que essa cultura, exigência, disciplina e rigor estivessem presentes e, por isso, conseguimos lutar com uma equipa tetracampeã e superar outra equipa, que investiu muito mais do que nós. Se calhar, foi por querermos implementar esses valores que tivemos problemas."

"Os que estão no clube e que não gostam que a SAD seja um espaço fechado, porque gostam de mandar o seu palpite, acabam por minar o trabalho da SAD. Quando a SAD tiver capacidade de calar e expor essa gente - alguns de fora e outros que estão lá dentro, como o doutor Rogério Alves, que queria um poleiro maior -, vai ter o trabalho mais facilitado."

"Os [conflitos com jogadores] que aconteceram foram resolvidos a favor dos interesses do Sporting. E depois dos jogadores. Os casos de Miguel Veloso e Vukcevic resolveram-se porque se focaram no que tinham de fazer. O mérito é deles. Depois, houve outros problemas em que os jogadores em causa, no momento da saída, tiveram as palavras que estão gravadas. O Sporting, por ser o clube dos doutores, aqui no mau sentido, é muito liberal, por todos gostarem de falar ao microfone - já disse que não são cornetos -, o que leva a mais problemas."

"Comigo, naturalmente, [Sá Pinto] não estaria no futebol. Pode dar algum respaldo, devido à imagem que tem junto a uma franja de adeptos, e alguma tranquilidade ao presidente."

"Fica a mágoa de não ter sido campeão. O pior momento foi a eliminatória com o Bayern."

Paulo Bento, "Jornal de Notícias", 21-11-2009

Malcolm Allison forever!

Tributo a Malcolm Allison, treinador do Sporting campeão e vencedor da Taça de Portugal na temporada de 1981-1982, a penúltima "dobradinha" leonina. Confira aqui grande parte de uma carreira de sucesso. O treinador inglês completou 82 anos em Setembro último. Allison, sim, forever!...

Bettencourt apanhado na rede "Face Oculta"...

...acusado de só ter trazido sucata para o futebol do Sporting!...

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

A despedida de Miguel Ribeiro Telles

"Dizer a João Moutinho que não iria para o Everton foi talvez o meu momento mais difícil na SAD."


"Não vou voltar ao Sporting. Não tenho mais nada a fazer no futebol."

Miguel Ribeiro Telles, "Sol", 20-11-2009

Artur Agostinho e os novos abutres

Há dias, um sportinguista que já viveu muitas das crises que ao longo dos anos têm atormentado o seu clube, confidenciou-me que a situação actual lhe fazia lembrar um caso que ele próprio protagonizara. Explicou-me que, ao aperceber-se que o seu fígado lhe dera alguns sinais menos agradáveis, decidira, finalmente, fazer o que o seu médico há muito lhe vinha recomendando. Sem que tivesse, até então, conseguido convencê-lo.
Ainda que contrariado, o nosso sportinguista avançou para uma série de análises e o resultado foi... assustador! Além de confirmar que o fígado necessitava de cuidados especiais, ficou a saber que a glicemia tinha "disparado" para valores preocupantes e que o colesterol estava acima do normal. Isto, enquanto a hemoglobina o alertava para a ameaça de uma anemia iminente. Por sua vez, as plaquetas não estavam nos conformes e o PSA denunciava que a próstata não andava a portar-se bem. Finalmente, os níveis de ácido úrico também se revelaram pouco tranquilizadores.
É lógico que, nesta altura do campeonato, o leitor pergunte o que é que isto tem a ver com a crise de um clube de futebol. Respondo que tem - e muito! - porque uma análise correcta e atempada dos factos pode levar a descobertas "interessantes", incluindo o "trabalho de sapa" de alguns oportunistas que aguardam o momento certo para se lançarem como abutres sobre um clube em crise, quem sabe se provocada até por estratégias de contornos pouco claros.
Procuram esses oportunistas conquistar, a todo o custo, as honras e mordomias com que sempre sonharam mas que, à falta de carácter e competência, só seriam possíveis com o recurso ao tráfico de influências. Em vez de servirem o clube, que dizem amar desde pequeninos, o que eles procuram é servir-se a si próprios, utilizando intrigas, traições e doses maciças de bajulação, com palmadinhas nas costas, à esquerda e à direita, sem olhar a meios para alcançar os fins.
Sabe-se hoje que essa fauna abominável utiliza métodos que constam da cartilha de alguns pseudo agentes e empresários, especialistas em fazer chegar à comunicação social nomes de jogadores e treinadores, pretensamente desejados e aliciados para representarem determinados clubes. O processo foi alargado a alguns candidatos a "dirigentes de topo" que se desdobram em pífias ações de marketing. É um facto que são experts nesse tipo de comunicação mas, quanto ao resto, já sabemos que, até hoje, apenas colecionaram flops.
Mesmo quando conseguem "encostar-se" habilidosamente a quem se presta a servir-lhes de "bengala" para subirem rapidamente e em segurança. Como sempre fizeram e farão até que alguém tenha a coragem de os desmascarar.
Uma nota final. O ex-presidente do Sporting, Soares Franco, em entrevista ao "Jornal de Negócios", disse que se tivesse permanecido à frente do clube, tomaria opções diferentes das do seu sucessor. Não me parece feliz a intervenção de quem não quis candidatar-se a novo mandato, apesar dos esforços de muitos para que o fizesse. Mais um erro de "timing" que FSF bem poderia ter evitado.
Artur Agostinho, ex-director do jornal "Sporting", em crónica no "Record", 16-11-2009

terça-feira, 17 de novembro de 2009

A coerência de Bettencourt

Quero que o Sporting comece a jogar bem e a ganhar, rapidamente, para poder vibrar e partilhar essa alegria com os milhares de sportinguistas que consultam o LEÃO DA ESTRELA. Mesmo com aqueles que, talvez sem outro trabalho remunerado na vida e achando-se os únicos sportinguistas do mundo, só entram aqui para atacar o autor do blogue.
Mas, antes dessas alegrias, que espero ansiosamente, deixem-me destacar a coerência de José Eduardo Bettencourt. O presidente do Sporting, numa das várias demonstrações de falta de capacidade de liderança, tinha dito que, como treinador, queria "Paulo Bento forever". Quando Paulo Bento pediu a demissão, Bettencourt continuou fiel ao seu pensamento: fez questão de falar aos jornalistas ao lado do treinador autodemitido, considerando a saída de Bento "uma perda irreparável". Num processo atribulado, Carlos Carvalhal foi anunciado como treinador, mas não teve direito a conferência de imprensa de apresentação. Mais uma vez, Bettencourt foi coerente. Afinal, Paulo Bento era o seu único treinador e só ele mereceria honras públicas de apresentação ou de despedida...
No fundo, Carlos Carvalhal entra no Sporting pela porta mais pequena da Academia de Alcochete, seguindo os passos nada determinados de um presidente leonino com os olhos no chão, afectado por tantas declarações sem sentido produzidas nos últimos tempos. Não sei por que porta Carvalhal irá sair no futuro. À falta da mítica "Porta 10A", que seja pela maior porta do Estádio de Alvalade, pois seria sinal de que tinha triunfado. FOTO: "Record Online"

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O salário de Carvalhal

Carlos Carvalhal vai ganhar apenas 13 mil euros líquidos por mês, ou seja, 28 por cento do que recebia Paulo Bento. Será um dos treinadores do Sporting mais baratos de sempre. Só por isso, Carvalhal merece o respeito e o apoio de todos os sportinguistas.

SPORTING NO PAÍS Portimão


Clique na imagem para ver.

domingo, 15 de novembro de 2009

O que Carvalhal significa

A contratação de Carlos Carvalhal (independentemente do valor técnico do treinador) e o interesse demonstrado no novel treinador André Villas-Boas (revelação na Académica ao fim de dois ou três jogos) significam que o Sporting Clube de Portugal não tem estratégia nenhuma no futebol português e continua a reboque dos interesses do FC Porto.
Toda a gente sabe que tanto André Villas-Boas como Carlos Carvalhal são extensões “de Pinto da Costa” ou “do FC Porto”, no sentido em que fizeram carreira sob o manto tutelar do presidente portista. Carlos Carvalhal até tem um livro em que Pinto da Costa escreve o prefácio… É com essa gente espalhada nos vários clubes do País que o FC Porto tem ganho títulos sobre títulos, nas últimas três décadas.
Neste desastrado processo de escolha do sucessor de Paulo Bento, José Eduardo Bettencourt perdeu a grande oportunidade de afirmação de uma nova liderança no Sporting. E desiludiu os sportinguistas.
Houve um tempo em que o futebol do Sporting, em momentos de crise e quando não encontrava uma solução técnica julgada da dimensão do clube, recorria aos homens da casa, aos treinadores sportinguistas. É curioso verificar que o Sporting contou com o precioso trabalho desses homens na maioria dos últimos cinco títulos nacionais (e títulos são campeonatos, para que não haja confusões): Mário Lino, em 1974, Fernando Mendes, em 1980, e Augusto Inácio, em 2000.
Neste sentido, seria razoável que, neste período de grave crise em Alvalade, Paulo Bento tivesse como sucessor um treinador como Manuel Fernandes, capaz de relançar a equipa e de fazer a reconciliação com a massa associativa, à boleia da grandeza simbólica do antigo número "9" de Alvalade no seio da nação sportinguista.
Eu sei que Manuel Fernandes não tem grande imprensa, nem deve ter grande nome junto dos empresários que enchem os bolsos de muitos comissionistas. Não tem, sobretudo, quem lhe desenhe uma carreira que o seu talento e a sua dimensão mereceriam. Infelizmente, estamos num tempo em que qualquer rapazinho que trabalhe com José Mourinho fica talhado para ser mais um “special one”. E, depois, há aqueles que têm os amigos nos lugares certos, à hora certa...
Falhado André Villas-Boas, Bettencourt ficou desesperado, pois até já tinha despedido os adjuntos de Paulo Bento e estava na iminência de ter de anular o despedimento por alguns dias... Só assim se entende que o Sporting, depois de uma semana a procurar ingloriamente uma "grande surpresa", tenha optado com rapidez por outra extensão de Pinto da Costa. No fundo, o presidente do Sporting escolheu para treinador o pé que estava mais à mão…
Agora, resta esperar para ver. E, como sportinguistas, apoiar. Prejudicado por ser segunda ou terceira escolha, Carvalhal, que tem saltitado muito nos clubes portugueses, não tem currículo (à excepção do trabalho feito no Leixões), nem dimensão, mas isso nem sempre é o mais importante. Para já, o treinador leonino conta com o apoio dos analistas do "sistema". Como quando abrimos um melão, o fruto até pode ser saboroso. O problema é que isso é raríssimo.
Neste momento de grande incerteza, inclino-me muito mais para acreditar na ironia do grande sportinguista Lauro António, quando ele diz que a contratação de Carlos Carvalhal, além de não ser surpreendente, torna a equipa do Sporting mais homogénea, sobretudo depois de Bettencourt ter contratado Caicedo e Angulo no Verão... FOTO: Ricardo Jorge Carvalho - Público Online

Os "cretinos" de Alvalade

Há uns "cretinos" no Sporting (ora aí está a presidência de Bettencourt a contribuir, pelo menos, para enriquecer o nosso vocabulário..), daqueles que estão tão informados que só podem estar lá dentro, que tentam, a todo o custo, atirar para cima de Ricardo Sá Pinto a responsabilidade pelo falhanço da contratação do treinador André Villas-Boas. É evidente que estamos perante uma enorme cretinice. Como é uma cretinice colocar nos jornais informações de uma eventual recusa de Jorge Costa a um convite leonino, tendo também Ricardo Sá Pinto na jogada em nome do Sporting. Ora, Sá Pinto disse claramente que não seria o responsável pelo pelouro das contratações. Donde, o antigo "capitão" leonino, agora na pele de executivo da SAD, tem de ter atenção redobrada no labirinto que é o futebol de Alvalade, pois está a pisar um campo minado. A verdade é que, pelas notícias já vindas a público, em escassos dias, a ideia com que ficamos é que há cretinos que querem queimar Ricardo Sá Pinto. Não em lume brando, mas numa fogueira.

Agora sim, a belenização do Sporting!

Se não estiver enganado, e espero estar, temos aí a belenização do Sporting em todo o seu esplendor. Carlos Carvalhal é o novo treinador do Sporting. Um treinador que Pinto da Costa não teria nenhum interesse em desviar para o Porto (por motivos óbvios, a começar pelas 2 vitórias em 17 jogos oficiais do Marítimo), apesar de o presidente portista lhe ter escrito o prefácio do livro "No treino de rendimento superior a recuperação é... muitíssimo mais que 'recuperar'" (um título estranhíssimo), talvez para ajudar na carreira. Estou sem mais palavras.

sábado, 14 de novembro de 2009

O "team manager" de Alvalade

O Sporting pode não ter organização ou dinheiro para convencer um jovem candidato a treinador. Mas não tem falta imaginação para cargos pomposos. Miguel Salema Garção, para não ficar perdido no balneário, será "team manager", na dependência de Sá Pinto, ou do presidente, ou de quem quer que seja. O importante é que o Sporting já tem "team manager". Seja lá o que isso for. FOTO: "A Bola"

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

O aborto do treinador

O aborto das negociações entre o Sporting e o treinador da Académica André Villas-Boas é mais uma derrota para José Eduardo Bettencourt, neste arranque de mandato muito mais atribulado do que seria de esperar – mais a mais tratando-se do primeiro presidente do Sporting profissional e bem pago. É também mais uma vergonha para os sportinguistas (o clube nem consegue contratar um treinador de 32 anos de idade que é uma incógnita, quanto mais uma estrela…). No fundo, um retrato do pântano a que chegou o Sporting Clube de Portugal, no qual o “o profissional” José Eduardo Bettencourt tem mostrado o amadorismo mais puro.
Um pântano ao nível da comunicação. Como é possível deixar os jornais, rádios e televisões darem André Villas-Boas como treinador, para que, agora, Bettencourt tenha de explicar o fracasso, deixando para o treinador que vier o estigma da segunda escolha? Não está ninguém no departamento de comunicação?...
Um pântano financeiro. Segundo notícias divulgadas pela rádio, a Académica de Coimbra pretendia uma verba entre 1 e 2 milhões de euros para liberar o seu treinador. O Sporting recusou. O mesmo Sporting que teve 3 ou 4 milhões para um defesa como Grimi; que teve 2,5 milhões por 50 por cento do inconsequente Hélder Postiga; que está a pagar não sei quantos milhares de euros por mês a um jogador como Caicedo, que se revela no melhor defesa das equipas contrárias; que teve 650 mil euros para dar por Rodrigo Tiuí, e por aí fora.
Independentemente disto, é evidente que o Sporting terá um novo treinador antes do próximo jogo com o Benfica. Em última instância, temos Ricardo Sá Pinto (se continuarem a ignorar Manuel Fernandes, agora uma segunda escolha...). Sá Pinto que, na entrevista ao jornal "Sporting", fez questão de lembrar que tem o curso de treinador. Um pormenor revelador que escapou a muita gente... FOTO: Raquel Esperança - Público Online
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...