sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

RECORTES Oportunidade

É verdade que o Sporting teve, como presidentes, a sua quota-parte de cromos, de que Jorge Gonçalves e Sousa Cintra foram excelentes exemplares, deixando claro que o suposto elitismo leonino não passa de um mito. Mas as presidências do Sporting foram quase sempre mais sisudas e menos carismáticas do que as do Benfica e do Porto. E as transições menos dramáticas.
Esquecendo Santana Lopes, que deve sempre ser visto como um intervalo lúdico, foi o regresso da família Roquette que marcou o princípio da empresarialização do clube. Para participar em qualquer debate leonino passou a ser necessário dominar o jargão da gestão e da banca.
Depois veio um dos melhores e mais injustiçados presidentes. Para além de uma honestidade à prova de bala, Dias da Cunha foi o único dirigente desportivo que teve a coragem de pôr o dedo na ferida. Apesar de ter feito do Sporting campeão e de ter construído o novo estádio, os adeptos nunca morreram de amores por ele. Faltava-lhe em carisma o que lhe sobrava em trabalho e entrega desinteressada.
A chegada de Soares Franco levou à progressiva descaracterização do clube. Agora, a sua saída abre muitas oportunidades. O Sporting precisa de um presidente que, mais do que nos negócios e no imobiliário, pense no futebol e nos adeptos. Que queira que o Sporting seja, antes de mais, dos sócios. Que mantenha a Academia nas mãos do clube. Que não se veja a si próprio como um CEO, o Sporting como uma marca e os sportinguistas como clientes.
Talvez o Sporting em trespasse e sem alma seja muito moderno. Mas não sei se a paixão por um clube resiste a tanta modernidade. Quem procura “militância” não quer consumidores passivos.
AUTOR:
Daniel Oliveira, colunista do "Record", 09-01-2008

9 comentários:

scp1965 disse...

Pois, para discurso do Bloco de esquerda até é bom ; Deus nos livre de algum dia chegares ao poder; só havia associações sindicais não havia empresas ; já agora, devias apoiar o Dias da Cunha , pai do maior défice de sempre do Sporting e do pacto com o SLB ; e bom bom é o Sergio Mendes, presidente da Asssembleia da grande direcção do Jorge gonçalves ; estes é foram bons ; mas afinal , soluções para o futuro é só blá, blá ? sim porque o FSF apresenta medidas, e o resto ?

Nuno Trindade disse...

Quase completamente de acordo com o colunista do Record. Apenas um senão para Dias da Cunha. Não considero que tenha sido um grande presidente.
Quanto a FSF, finalmente uma grande notícia! E só pode melhorar com a saída do Paulo Bento! Chega de miserabilismos!

MLA disse...

Quanto tempo mais vai o Daniel Oliveira escrever para o Record...?

Anónimo disse...

É sempre a mesma pasmaceira, depois de se irem embora são todos bons!!
Dias da cunha, foi campeão com orçamentos mais baixos do que FSF.E não vendeu património. Não faz dele um grande presidente, é verdade, mas quando vejo dizerem que foi reponsável pelo aumento da dívida, convém lembrar que foi ele que construiu o AlvaladeXXI. Projecto de anteriores dirigentes, e com votos dos sócios, cujas ajudas do estado ficaram-se por 5% ou pouco mais. Por isso n digam disparates.
FSF fez várias avarias, vendeu nani por 25milhões n construiu estádio, vendeu património, aumentou os tectos salariais e a dívida baixou?? Não sejam palermas.
Só quando as futuras direcções, se honestas e completamente desvinculadas ao projecto FSF, assumirem a direcção é que vamos perceber o verdadeiro impacto das medidas de FSF.

Rui V. disse...

Medidas??!!

VENDER A SAD??!!

Isso não é uma medida, é uma vergonha!
Quem tinha a obrigação de fazer o papel de "Guardião do Templo", faz a triste figura de "Vendilhão do Templo". Esta Administração da SAD e este Conselho Directivo, com estas politicas descaracterizantes e destruidoras é que são a verdadeira oposição ao Sporting Clube de Portugal!

Qual o projecto alternativo? Não alienar nunca a maioría da SAD, recolocá a SAD ao serviço do Clube, acabar com esta bicéfalia SAD/Clube, aproximar os Sócios e as antigas glórias e potênciar a militância.

Anónimo disse...

Este blog é uma vergonha. Defende-se quem contribuiu para o fosso financeiro em que o Sporting se encontra e ataca-se quem tem de fazer o seu trabalho com a corda na garganta. Ao Leão da Estrela só digo que espero que na tua vida não sejas como queres que quem está à frente do Sporting seja. Quem não honra os compromissos e não paga o que deve, acaba na sarjeta. Se é isso que querem para o Sporting, então continuem a pensar da mesma maneira. É o que dá tentar falar de assuntos de que não se percebe! Se calhar nunca ouviram dizer que "o futebol é um negócio"... Sejam um bocadinho mais inteligentes e menos irracionais, por favor!

menino gilinho disse...

Excelente artigo de opinião do Daniel Oliveira, um adepto igual a nós. Resta saber, agora, quanto tempo irá demorar até ser abafado pelos donos da imprensa do regime.

Tite disse...

Completamente de acordo com o Daniel, apenas não gostava do Dias da Cunha no modo como falava. Faz-me lembrar o Paulo Bento.
Até podem ser bons naquilo que fazem, mas o modo como o dizem fazem desmobilizar qualquer um.
Em contraponto, temos o FSF que fala bonito, fala com charme, é um gentleman, um sedutor mas quer o poder absoluto no Sporting. WHY? YES, WHY? Porque não é transparente?
É por estas e por outras que o DdC o chama de mentiroso e simulado. Ele lá terá as suas razões!!!

Anónimo disse...

Todos se esquecem que FSF era o presidente substituto de DC, só que em conjunto, nomeadamente, com MRT sempre esteve em boicote quase permanente apesar de serem eles a liderar, como bem queriam, a SAD.Foram os maiores críticos quando DC apontou publicamente os "rostos"do sistema.Transformaram o Manifesto, que era nem mais nem menos que uma frente para estancar o domínio absoluto do FCP nas estruturas do poder do futebol português,numa subjugação ao Benfica. PC agradeceu.
Dias da Cunha quis dar ao Sporting a dimensão de um líder, com opinião própria, afrontando o poder instalado.
Hoje o Sporting está cada vez mais dependente do sistema global, que domina o futebol e o país.Caminha a passos largos para a falência total quando tinha tudo para ser o grande Sporting que todos nós queriamos. Resta o Hino cantado pela nossa Maria José Valério que os vendilhões do SCP não se atreveram a retirar, apesar de ter estado de castigo por um tempo.
O BES vai fechar a torneira, as empresas do estado vão fechar a torneira, as receitas televisivas estão hipotecadas até 2019, as receitas de bilheteira também estão quase todas hipotecadas, o passivo não desce e os sócios são cada vez menos! É assim que FSF vai deixar o Sporting, apesar de ter vendido o património não desportivo e o desportivo (Nani). A acrescentar a este triste panorama, FSF e companhia, com uma postura absolutamente deajustada, têm desmobilizado a militância sportinguista. Fala saber quem tem capacidade para desatar todos estes nós? Para já, com a posição de FSF, quem põe a cabeça de fora? Será que foi para isso que FSF disse o que disse?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...