quinta-feira, 12 de Março de 2009

O desastre de Munique e a alternativa dirigente

Travassos: primeiro jogador português a integrar uma selecção da Europa, oito vezes campeão nacional pelo Sporting, entre 1946 e 1958

AS ELEIÇÕES NO SPORTING (5)

Independentemente do rude golpe na imagem internacional do futebol do Sporting, as cartas que definem o que está em causa nas próximas eleições para os órgãos sociais do clube já estão lançadas há muito tempo. O duplo desastre com o Bayern de Munique, que só agravou a situação do Sporting, é apenas a consequência de um clube sem rumo directivo, o que faz alastrar na equipa de futebol os equívocos dos dirigentes, como uma mancha de óleo queimado. Equipa de futebol onde o treinador Paulo Bento, manifestamente, revela estar muito desapoiado perante a avalanche de trapalhadas de balneário que minam a equipa do Sporting deste o início desta época.
A verdade é que a direcção de Filipe Soares Franco, que para muitos é uma direcção educada, de gente civilizada e de boas famílias, que não entra em esquemas corruptos, mas que procura integrar o “sistema” como um grupo de senhores bem comportados (numa aliança com um FC Porto dominante, que usa o Sporting na sua guerra com o Benfica como quem mastiga uma chiclete…), é, afinal, uma direcção de liderança frouxa e sem carisma, que tem uma vaga ideia de como é que a bola pincha e que não se dá bem com o cheiro a suor das camisolas dos jogadores nem entende os seus problemas existenciais, estando, por isso, a arrastar o Sporting para o abismo, a começar pelo facto de o clube estar afastado dos principais problemas que colocam em causa a sobrevivência do futebol português.
O alheamento do clube em relação aos processos “Apito Dourado” e “Apito Final”, por exemplo, confirma um Sporting cada vez mais parecido com o Belenenses. Um caminho descendente que é preciso inverter com toda a urgência. A multiplicação de casos na equipa de futebol sem que se conheça o pulso firme dos dirigentes é outro lado do problema. Por isso é que alastra também a falta de militância dos sportinguistas anónimos, dado que, para eles, o futebol tem de ser um espectáculo e não pode ser um motivo de chacota, como aconteceu agora à escala europeia e mundial.
Ora, face a este estado de coisas, neste período pré-eleitoral (as eleições, repito, deveriam ser antecipadas), uma eventual alternativa dirigente – que, inexplicavelmente, continua sem aparecer – não pode estar presa a calculismos de qualquer espécie, nem a consensos espúrios (que são um dos problemas graves do Sporting moderno) sob pena de ficar desprovida do carácter genuíno das candidaturas vencedoras. A não ser que os descontentes se contentem com a ideia de marcar calendário eleitoral festejando 20 por cento dos votos nas urnas…
Só uma candidatura que assuma uma ruptura com o actual estado de coisas – e as rupturas, desde que sustentadas numa equipa competente e num programa coerente, não têm necessariamente de ser negativas… – é que poderá capitalizar a adesão dos sportinguistas que não se revêem num clube sem peso nas estruturas do futebol português, que não ganha o título nacional há sete anos, que se mostra ziguezagueante na gestão do seu futebol (ainda hoje está a ser paga a internacionalização do plantel com jogadores estrangeiros sem qualidade mínima, operada em 2007-2008). Um clube que não permite uma análise das contas das várias sociedades leoninas por entidades externas e que, ainda por cima, precisa de vender o seu património imobiliário (o estádio e a academia) a accionistas que deixará de controlar… Tudo em nome de um projecto desportivo que, como se vê, está falido.

14 comentários:

Virgílio Bernardino disse...

Subscrevo na Integra!

SL!

LEÃO DO SUL disse...

Muitos parabéns, LdE! Foi das melhores coisas que li sobre o Sporting actual!

carlos dias disse...

Grande foto para ensinar a história do CLUBE aos benfiquistas que temos no Sporting!!!

Alcibíades disse...

Hoje quando vinha para casa a ouvir a RCP fez-me confusão um senhor a dizer ao telefone que para próximo presidente do Sporting queria ou o dr. Bettencourt, ou o dr.Ribeiro Telles, ou o dr.isto ou dr.aquilo.
Que tal um que fosse dr. do futebol e mentalidade portuguesa? Daqueles drs. gordos de bigode que cometem erros de português, que têm um apelido comum, mas que pensam, sobretudo, com o coração verde?

joao jose disse...

Ouvi hoje na rádio, em discurso directo, o presidente de Soares Franco dizer que não falava com os jogadores! Que há hierarquias e blá, blá blá. Boa confissão da sua inépcia como presidente de um clube que tem no futebol a asua principal razão de ser.

Se o presidente do CA de qualquer empresa não tem pejo em falar com os seus trabalhadores porque carga d'água o presidente de um clube de futebol não há-de falar com os seus jogadores?!!!

Pedro disse...

Convençam-se disto, enquanto estivermos aliados com os corruptos do norte não vamos a lado nenhum. Ficamos apenas com os ossos.

O Sporting deve bater-se contra o benfica no campo, e não com uma aliança vergonhosa que só nos minimiza enquanto clube.

Eu quero lá saber se o benfica fica sempre fora da Champions ou não! Eu quero é um Sporting ganhador e, principalmente, de cabeça bem erguida!

BASTA DE SUBSERVIÊNCIA AO NOJENTO DO PINTO DA COSTA!!!

Anónimo disse...

Bem quando vejo tótós como o Raúl Oliveira a fazer uma petição para o derlei ficar mais um ano.. tristeza, este SCP vai mesmo mal!

Morcego disse...

A defesa das eleições antecipadas é uma declaração de derrota antecipada.
Se isso acontecer, a probabilidade do SCP ganhar o campeonato ou mesmo ficar em 2º (digam, o que disserem um lugar interessante, tanto mais na conjuntura actual) baixa bastante.
Se uma forma geral, quem discorda da política desportiva que tem sido seguida nos últimos anos? Acho que muito poucos.
Assim, devemos deixar esta direcção e equipe técnica acabar o seu trabalho, preparar a época seguinte em termos de renovações de contrato e pré-época. O próximo treinador deve adaptar-se à política desportiva do SCP e não o contrário, como por exemplo aconteceu este ano no SLB.
Por último, devemos alterar estatutariamente a data das eleições, na minha opinião, para que ocorram sempre no mês de Outubro/Novembro.

Rui Meireles disse...

Oh Carlos Dias... tire mas é as vendas dos olhos.
Eles sentam-se ao lado do corrupto mor, eles vendem e compram ao clube corrupto... e são Benfiquistas?
É à custa de tapados como o senhor que estamos como estamos. Subservientes a um poder podre...

Deixem de pensar nos tripeiros e nos lampiões e pensem é no nosso clube. Em como podemos melhorar.

PSousa*Bancada Directa* disse...

Parabéns pela abordagem racional que sempre teve até agora.

Vou reproduzir na integra no espaço BD.

Abraço

FSS disse...

Friamente ( esquecendo os 12-1 )

A direcção podia ter aceite 15 M € por Veloso, perdia um jogador e via-se livre de um problema.
No entanto estaria a premiar o comportamento objectável de Veloso.
Foi consistente com o que fez com Moutinho.
Também com Vuk mostrou firmeza ao não ceder mas conciliadora.
Todas as outras formas de lidar com estas situações me parecem piores.


Paulo Bento não devia responder nos jornais a Velosos e cia.
PB ou MRT que o façam.

SL
FSS

FSS disse...

Saudo este Post.

Independentemente de concordar com a maior parte do que é dito, congratulo-me com a frieza após tão duro golpe.

SL
FSS

FSS disse...

Caro Morcego,

Porquê Outubro?

Saudações Leoninas.

FSS disse...

Quanto a PC e “Apito Dourado”

Os Srs. Pinto da Costa e António Mortágua, tentam fazer passar por disparatado a compra de um árbitro por apenas 2500 € e num jogo que díficilmente teria peso na atribuição do título.
No entanto o baixo preço é perfeitamente consistente com a baixa importância do jogo.
Mas isto não quer dizer que a viciação do jogo seja desprovida de sentido.
Vejamos:
Caso haja vontade de ensaiar tácticas e experimentar jogadores, dá jeito que os jogadores não venham a ser eventualmente expulsos;
O facto de a equipa ainda estar envolvida na Champion's League e na Taça cria necessidade de gerir melhor os esforços e evitar cartões. Assim 11 pontos podem ser uma vantagem menos confortável do que em outras circustâncias;
Acima de tudo há que aproveitar estes jogos menores para solidificar os laços com os arbitros. Isto torna mais facil obter a colaboração dos arbitros quando for mesmo importante.
Acima de tudo torna a aliança permanente e implicita e nao pontual. Facilitando ajudas em qualquer jogo desde que as coisa estejam a correr mal para o FCP.

O Sr. Pinto da Costa tambem já apresentou o facto de o FCP estar na final da Champion's como prova de que o FCP nao precisa do "Sistema" para vencer.
Mais uma vez isto e atirar areia para os olhos, pois:
As equivas devem ser avaliadas jogo a jogo. Caso contrario o Benfica nao tinha de jogar pois nunca seria eleminado pelo Gondomar. Mas com o FCP só os bons so bons momentos é que valem;
Acima de tudo pela possibilidade de optimizar a gestao de esforco tacticas e jogadores com vista as competicoes europeias poupando nas competicoes domesticas sem comprometer resultado e usando as competições domésticas como ensaio para as competições europeias, o hipotético sistema seria primordial no proprio desempenho da equipa mesmo nas competicões europeias.

A maior parte das pessoas não consegue ver isto, mas PC de certeza que consegue. Ele próprio afirmou quando do caso Calheiros que era inocente pois se quisesse pagar uma viagem a um árbitro o faria de uma forma mais sofisticada. Ou seja armou-se em esperto. Desta vez arma-se em parvo.

O facto dele entender estas relações não prova nem desmente a existência do "sistema" nem os crimes de que e acusado, mas não abona pela sua boa fé e hosnestidade intelectual.

PC continuara a ser considerado inocente ate prova de que é culpado e continuará a ser considerado suspeito ate prova que não é culpado.

Saudações Leoninas
FSS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...