segunda-feira, 30 de março de 2009

Sinais de um congresso leonino

1. A realização do Congresso Leonino foi extremamente positiva no sentido em que demonstrou um património que é único entre os clubes portugueses. Quando se diz que o Sporting é “um clube diferente dos outros”, isso tem tudo a ver com esta disponibilidade dos sportinguistas para debater o clube num registo democrático sem paralelo no desporto em Portugal. O Sporting ainda é um clube diferente…

2. Contrariamente ao que tem sido divulgado por uma imprensa mandriona e apologista do poder vigente, as propostas de recomendação apresentadas – mesmo não sendo vinculativas – indicam claramente que os sportinguistas defendem um Sporting Clube de Portugal forte no futebol de formação e no futebol profissional, mas, simultaneamente, um Sporting Clube de Portugal assente no ecletismo. Uma estratégia que só a presidência de João Rocha soube interpretar nas décadas de 1970 e 1980 – período vibrante da história do clube, em que o Sporting se tornou na maior potência desportiva portuguesa. O facto de a construção de um pavilhão desportivo ter sido uma recomendação aprovada por unanimidade constitui, no fundo, uma moção de censura aos conselhos directivos do Sporting dos últimos anos, que desprezaram, de forma escandalosa, a construção de um pavilhão para as modalidades, que deveria ter sido incluída na empreitada de construção do novo Estádio de Alvalade.

3. As recomendações do actual Conselho Directivo do Sporting foram aprovadas por maioria, facto que coloca Filipe Soares Franco como incontornável na questão da sua própria sucessão – caso não surjam candidatos credíveis com modelos de gestão alternativos. Por parte do chamado poder vigente, a questão é saber se José Eduardo Bettencourt desistiu mesmo de avançar. Se desistiu, sobra o nome de Rogério Alves, que também já deu sinais de que não tem disponibilidade pessoal para assumir a presidência do Sporting. Dado que a disponibilidade de Menezes Rodrigues é folclórica, Filipe Soares Franco está cada vez mais próximo de ser o candidato escolhido por… Filipe Soares Franco. Tudo dependerá da “difícil” assembleia geral do próximo dia 17 de Abril.

4. Os sportinguistas que não concordam com as ideias de Filipe Soares Franco são catalogados pela propaganda do regime leonino como “oposição”. E os jornais vão atrás desse conceito intencionalmente depreciativo. É a face negativa do Sporting actual. O Sporting deveriam ser um clube de todos os sportinguistas, mas é hoje um clube fortemente politizado na lógica do seu funcionamento. Quem não está por nós, é contra nós, é da “oposição”. Para a direcção de propaganda de Soares Franco, o Sporting só é um clube dos que concordam com as ideias de quem manda. O que é revelador de um ambiente inquinado e pouco democrático, que contrasta com a abertura demonstrada pela organização do congresso. Só que é uma abertura ilusória. Filipe Soares Franco sabe que as suas teses vencem no terreno mediático. E conhece as insuficiências dos opositores ao nível da comunicação, que aparecem aos olhos da opinião pública apenas em registos reactivos ou como protagonistas de incidentes, tomando posições avulsas sobre questões acessórias (como aconteceu com Sérgio Abrantes Mendes, a criticar o inócuo voto de louvor a Soares Franco no encerramento dos trabalhos de Santarém). Por estes dias, o conselheiro leonino Luís Aguiar de Matos foi a única presença assinalável da “oposição” na comunicação social. O seu problema é que foi através de uma entrevista ao “Público” – um jornal generalista, portanto, que não é da especialidade. Na imprensa desportiva, ninguém existe com vida própria a não ser quem está no poder…

5. O Sporting sai do congresso mais ou menos como estava. Nada do que foi aprovado como recomendação era desconhecido do conselho directivo. O que vale é que o congresso não é vinculativo. No Sporting, uma assembleia geral ainda é uma assembleia geral. Pelo menos até ao próximo dia 17 de Abril. FOTO: "Record Online"

27 comentários:

Renman disse...

Isso e td dor de cotovelo por ver q maioria dos congressista aprovaram as ideias da actual direcção?
Oposição é palavra certa..alias é o q vc é ou n? Qd fala no pavilhão que supostamente as direcções ignoraram, sabe q está a fazer politica d oposição n sabe?
Se bem me lembro foi uma promessa de FSF, q por acaso a uns meses atrás ate deu um entrevista a explicar tds os contornos sobre ainda n se ter avançado para um pavilhão. E se leu tdas as recomendações tb viu q uma faz referencia a um estudo de viabilidade económica. Estudo esse q pode ate ser feito e entregue a futuros presidentes q aparentemente são os maiores para si, sr Mendes e sr Matos e haver a msm conclusão dos "q ignoraram a questão"....ser inviável financeiramente. Claro que tenho fé q após esse estudo se arranje parcerias para q o pav seja realidade...tal cm a actual direcção smp defendeu.

Anónimo disse...

Para o poder actual o Sporting é uma grande marca para os interesses pessoais. Resta a Academia e o estádio e eles querem o referendo numa assembleia delegada para não colocarem os seus interesses em causa perante as AG com os sócios. Eles querem comer tudo e , se os deixarem, não deixam nada. Dia 17 todos à AG para mostrar que~m defende o SCO. Os sócios, é claro.

Gouveia disse...

Caro LdE

comentando ponto por ponto.


1 - Tenho de concordar, genericamente. E genericamente porque se de facto houve discussão de ideias e projectos entre dirigentes e sócios nas 4 secções definidas para este Congresso (pelo menos na minha - Ecletismo - houve essa troca de ideias), o mesmo não se livrou do rótulo de "Congresso das Inerências", em que eram claramente maioritárias as "forças da situação". Portanto, afirmar que o SCP ainda é um clube diferente é quase, ainda, verdade! Mas trata-se duma Democracia cada vez mais mais indirecta, e como tal, pré-cozinhada.



2 - 100% de acordo com a sua análise! O jornalismo desportivo português é pelo menos tão vergonhoso como o futebol a quem presta a sua vassalagem.

3 - Pela informação que eu recolhi o avanço do Bettencourt está fora de questão. A corja está à rasca porque ou não há condições intrínsecas de cada um que é sondado para avançar ou então a "factura" é tão alta que os "suspeitos" do costume declinam amavelmente e com um sorriso amarelo... O desespero é tão grande que se vai sucedendo o desfile de nomes e vão saído as manchetes nos jornais (ou nos blogs de serviço) para despoletar as vagas de fundo! O problema é que o mar anda "flat" há muito tempo e os surfistas de serviço estão-se a virar para outros desportos - menos radicais.. Não acredito que desta vez o gigantone avance, mas o Sporting é hoje o "Jornal do Incrível" do Desporto em Portugal, e também ajuda o facto de FSF ser um mentiroso compulsivo!

4 - Ver 2.

5 - 100% de acordo com a sua análise! Por enquanto até 17/4/09...

Nota: Se se conseguir a mobilização de outras AG's recentes, duvido ( para não dizer que não acredito) que se consiga obter 75% dos votos dos sócios presentes no sentido de alterar os estatutos...! A chantagem irá subir para níveis pornográficos...!

Aguardemos!

olho de boi disse...

LdE, segundo o rennie man, não deve falar do pavilhão. Faz de conta que o cabra-alta nunca o prometeu e que o Sporting é um clube de futebol, à inglesa.

Renman disse...

Para olho de boi, falta-te visão pá...prometeu sim....e és tu q o pagas? Se és força ai, ja devia tar construido!!

Se viste e duvido pq aparentemente tens problemas de visão, a moção que passou no congresso passa por primeiro se fazer um estudo de viabilidade financeira e claro de local.
Caso saibas...o local a mt que está prometido para o Lumiar ( onde n se sabe), mas o "cabra-alta" cm lhe chamas ainda n e presidente da Camara d Lisboa para tratar disso com celeridade, malandro ele...

Qt a parte financeira, n sei se sabes mas um pavilhão custa dinheiro, e ele n cai do céu. Ora se um pavilhão com cerca de 700 lugares custa 3 milhões de euros ( caso duvides podes sempre procurar pavilhões recentemente construídos e pertencentes a clubes desportivos da zona de LX e saber qt custaram ( do clube da minha área o custo foram esses 3, talvez tu arranjes mais barato na candonga)...imagino qd custará um de 5.000 lugares. Cm o SCP n nada em dinheiro, tu provavelmente ate nem contribuis cm nenhum, o PAV ainda n foi feito.
Agora pelos vistos tu e os sr do blog, são e dariam melhores alternativas ao "cabra-alta",então nada melhor q estaram no dia 5 de Junho no papelinho q nos vai ser dado a votar, de modo a escolhermos o vosso projecto q me cheira ser grandioso

josé zeferino disse...

Apelo a que se resista então à chantagem que aí vem e que se vote não ao fim das assembleias gerais dos sócios.

Basta de Conselho dos Lambuças! Não deixemos que este monstro engorde ainda mais!

Anónimo disse...

Caro LDE
Então quem não concorda com a direcção não é oposição ?essa nunca tido ouvido ; quem não se assume e só sabe deitar abaixo, então qual é o nome ? que vergonha de Homens; então a Asssembleia Geral é que vai mandar ? pois é para vocês o Sporting é de Lisboa ; os que não podem ir á Assembleia que se lixem ; só servem para pagar quotas ; que mentalidade tacanha ; acordem para a realidade.

Anónimo disse...

Ao Rennie man

Com o dinheiro deitado á rua que deram por um tal de Grimi (que quer ser uma grande referência do Sporting, mas é aquele lá da rua dele)já se fazia um pavilhão. Fácil não?

Leão de Alvalade disse...

Caro LdE:

1-Talvez a diferença mais notória entre o SCP e os outros 2 grandes seja precisamente a forma como os sportinguistas se dispõe a discutir o clube e as suas opções estratégicas, coisa que não se vê nos outros 2, mesmo quando questões para análise não faltam.

2-A recomendação saída do Congresso que mereceu votação mais expressiva foi a da construção de um pavilhão. Isso diz tudo sobre o que os Sportinguistas pensam daquela que deve ser a matriz do clube.

3-A não candidatura de Bettencour nos deve fazer reflectir a todos sobre a necessidade de remunerar os cargos dirigentes. Um clube e SAD com um orçamento como o do Sporting e com um passivo de mais 250 milhões (quando saberemos o número exacto?) não pode ser governado por qualquer um. Neste momento os cargos directivos apenas estão acessíveis a sportinguistas abastados, reformados ou desempregados, ou como diz JEB, inconscientes. A realização do Congresso e a forma como decorreu e suas consequências revelam que FSF tem uma estratégia e esta estaria incompleta se não tivesse sido pensado quem levasse a cabo as alterações que preconiza. Os Sportinguistas subestimaram a sua capacidade estratégica. Tem pelo menos um mérito: tentar governar segundo o modelo em que acredita.

4- O défice democrático nos comportamentos não deve ser apenas creditado a FSF e à sua direcção. A forma intempestiva como Isabel Trigo Mira e Abrantes Mendes abandonaram a sessão por causa de um justo voto de louvor acaba por os descredibilizar. É porém sabido que a informação sobre a situação do clube é constantemente sonegada. Com um tratamento assim, quem consegue estruturar um programa alternativo? É para mim notório que, mesmo com alguns excessos de linguagem expressos na blogosfera por parte de alguns opositores, que os que contestam FSF e que se organizaram, como o Leão de Verdade , ou grupos de reflexão como AAS, têm pautado as suas intervenções com grande elevação, pese a guerrilha que lhes é movida e que o episódio do Record fala por si.

5-É preciso não esquecer o carácter não vinculativo das propostas aprovadas, que carecem de aprovação em A.G. Haverá força para chegar aos 75% que algumas requerem? É real o risco de o Congresso se tornar um grande nada?

Renman disse...

Sim sr anonimo o Grimi é mau...tu ate deves ter sido dos q o ano passado ate ameaçava matar a direcção se não contrata-se o argentino...alem de q provavelmente ate lhe batia palmas nos jogos...
Falar mal dps de se ver q s falhou e fácil...claro q agora para ser coerente ate vai dizer q nunca gostou do Grimi

Gouveia disse...

Mais ecos do Congresso:

"mudam-se os tempos, mantêm-se os interesses"!

Fui co-autor da Recomendação substantiva mais unânime do evento: a do Pavilhão.

Tenho consciência que a secção onde participei -Ecletismo - era de todas a mais pacifica, a que menos facções comportava, e aquela onde o velho coração leonino batia com mais emoção. Não posso, porém, de deixar de destacar um episódio: Quando perguntei ao Prof. Moniz Pereira qual era o orçamento da secção de Atletismo (no âmbito da minha recomendação que propunha o aumento do budget da histórica secção) o "Sr. Atletismo" recusou-se consecutivamente a responder! Respondeu somente assim: "É muito inferior ao do Andebol (695.000 €), e desde que não mo baixem... que deixem como está que eu cá me vou arranjando!" afirmou com um ar altamente consternado, já depois de ter considerado ABERRANTE o facto do SCP não dispor de um Pavilhão.

Portanto, fiquei (ficámos) com a nítida sensação que, na eventualidade da manutenção da Dinastia SADica no Sporting,
o desaparecimento deste enorme Homem levará o Ecletismo Leonino a entrar automaticamente em vias de extinção.

Também fiquei encantado por conhecer o Eng. Gilberto Borges e admirar o fantástico trabalho que ele está a desenvolver no Hóquei de formação(por enquanto)!

"A gestão do Clube nunca se deve focar no Sócio porque tem de se focar no Clube."

Que Soares Franco tenha feito essa interpretação da recomendação mais polémica do Congresso, não me espanta nada, por 3 razões:

1- Provavelmente nunca leu os Estatutos do SCP.

"Quero um clube só de futebol, sem sócios mas com adeptos que não se intrometam na gestão nem tenham voto nas eleições dos corpos sociais. Sou do Sporting por causa do futebol e não tenho empatia pelo ecletismo"
2- Para alguém que afirmou o que acima se transcreve, louve-se (por uma vez que seja) a sua coerência...

3- Para um individuo que, sendo Presidente do maior clube português e que já foi um dos maiores da Europa, exprimir-se com vocábulos e expressões como: 'PA MIM. 'TAMOS, 'TEJA NO CAMINHO DA INOVAÇÃO, PÓ SPORTING, TÁ FORA DE QUESTÃO A MINHA RECANDIDATURA, etc. é evidente que algo mais exigente em termos literários ou inteligiveis torna-se um bico de obra, 'tá a ver...!

Depois da farsa, venha a AG!

VIVA O SPORTING!

Luis de Magalhães Pereira

Pedro Pita disse...

Fiquei boquiaberto, sem palavras ao ler isto:

http://www.scribd.com/doc/13758154/Recomendacoes-Congresso-Sporting-2009

É mau demais para ser verdade, mas é mesmo verdade, foram estas as recomendações do congresso do nosso clube. Discordo totalmente do post, como adiante se verá. Este congresso apenas serviu o propósito de lançar a vaga de fundo para Filipe Soares Franco se recandidatar. É demasiado ruim para ser verdade. A partir daí fez-se luz e percebi o discurso do Dr. Dias Ferreira de ontem à noite. O Sporting está à beira de um abismo, com Dias Ferreira daremos o passo em frente. Vejamos o que dizem as ditas recomendações, item a item( seleccionei aquelas em que me detive com mais atenção, para um documento de debate-análise que elaborei para finalidades que não vêm ao caso).

1.º Tema: desafios do ecletismo

- A construção de dois pavilhões multiusos. Pedir um já é pedir um bocadinho (tendo em conta a miséria das modalidades do nosso clube), mas dois?! Então se o Sporting alega que não tem outro remédio, para angariar receitas, que não seja arrendar partes do seu património desportivo( caso do Holmes Place de Alvalade), está-se mesmo a ver que vai encontrar massa para construir dois pavilhões... Ou seja começamos bem, as primeiras cinco recomendações deste vector são para ninguém levar nada a sério do que lá vem escrito.

- A seguir vem a maldita sexta recomendação. Digo maldita porque está mais que visto que quem a propõem tem um claro objectivo- acabar com mais uma dúzia de modalidades do Sporting. Quer-se dizer ecletismo sim, mas um ecletismo de e para alguns. É ridículo pensarem em acabar com mais modalidades do que têm feito, é não perceberem o Sporting e a sua história. E o que é engraçado é que para acabar com modalidades cria-se um grupo de trabalho, e logo adiante entra-se em contradição porque para voltar a activar o Basket, o Ciclismo e o Hóquei, e para criar o Rugby e, imagine-se, o Golfe, já não é necessário grupo de trabalho nenhum! Logo por aqui vê-se bem a mentalidade de quem produziu aquele documento. É a mesma com que todos os atletas do Sporting lidam diariamente há coisa de quinze anos, portanto nenhuma novidade. A parte lamentável é virem depois para a imprensa vir dizer que são a favor do ecletismo eles que nem sabem o que isso significa!

- A parte cómica estava reservada para a recomendação n.º 19. Quer-se dizer há modalidades "emblemáticas"( na opinião do Sr. Silva e do congresso), logo apoiem-se estas. Está portanto posto a nú o propósito de quem nos dirige: mandar para a falência todas as modalidades para além do atletismo e do andebol. Assim ficou de facto tudo muito mais claro. Mas o que é surreal é mesmo a aprovação de duas recomendações contraditórias (como de resto acontecerá mais adiante muitas vezes, para se ver o "nível" da coisa). É que a recomendação n.º 20, ou seja a seguinte, diz-nos que para além das supracitadas também o Ciclismo, o Hóquei e o Futesal são emblemáticas… Em que é que ficamos? É o Caos… Está-se mesmo a ver a coerência do pensamento das diversas luminárias que fizeram o congresso. Ou seja aprovou-se tudo e o seu contrário para que toda a gente saísse satisfeita. Podem achar o que quiserem mas isto não é coisa própria de um clube com um traçado estratégico definido, não acho que seja este o modo de tratar assuntos com seriedade.

- Depois vem o Atletismo, mais a pista coberta, o reforço de modalidades- não de todas, porque como é bom de ver há nisto filhos e enteados…- até que chegamos à fatídica recomendação n.º 27: 50% da quotização do Sporting deve ser afecta às modalidades. Bom, pensei eu, finalmente uma proposta decente. Há porém um pequeno senão. Quota suplementar facultativa para aqueles que queiram perder tempo com essa coisa das modalidades… Ok, fiquei esclarecido. Há, para o autor desta prosa, dois Sportings: o das modalidades e do futebol. Já sabia que era esta perspectiva de quem nos dirigia, mas nunca isto ficou tão claro como no texto desta recomendação. Achava que éramos todos do mesmo clube, mas pelos vistos estou equivocado.

- Claro que não podia faltar ao cardápio a recomendação n.º 28: temos que fazer um esforço “honesto, real e sincero” para arranjar patrocínios. Pudera! Como se as modalidades do Sporting não o soubessem já… Como se elas não fizessem esse tal esforço há quase duas décadas. Como se esse não fosse também o dia a dia do Sporting. E ainda há a LATA de darem conselhos a quem tanto dá ao clube a troco de nada ou quase nada!!!

- Depois vêm meia dúzia de recomendações pontuais, com as quais genericamente todos temos que estar de acordo( se bem que algumas se revestem de alguma comicidade, no sentido de serem tão ocas que nem se pode chamar aquilo de recomendação, como as recomendações n.º s 35 e seguintes.), até que se chega à única recomendação merecedora de real aplauso, a n.º 38, que propõem que o Prof. Mário Moniz Pereira seja nosso Presidente Honorário.

E de ecletismo estamos tratados. É um documento muito pobre, inconsistente e incoerente aquele que saiu do Congresso. Exigia-se mais, muito mais, da parte do clube mais eclético de Portugal, com dezenas de modalidades desportivas. O Sporting não se resume a seis modalidades! Confesso que esta foi a parte que li com mais atenção( até como parte interessada), e a parte mais pobre das conclusões do Congresso. Começo trágico, pensei. Mas pode ser que melhore lá para a frente.

2.º Tema: Sócios e adeptos.

- As duas primeiras recomendações deste vector encheram-me as medidas. Sim senhor, isto sim é pensar em grande. Quer a internacionalização quer a promoção das academias são a meu ver sectores estratégicos em que o Sporting deve investir. Só não percebi é o que é que isto tem a ver com sócios e adeptos! Azar dos Távoras!... A segunda proposta decente que vejo, está logo enquadrada no local errado… Devia estar na parte do futebol, digo eu.

- Depois disto vêm o grosso do golpe de Filipe Soares Franco, do seu último golpe, espero eu. Primeiro não podia faltar a recomendação n.º 4, proposta por Rui Oliveira e Costa e por Dias da Cunha: As questões estratégicas passam a ser votadas através de Assembleias Gerais Referendárias. Quer-se dizer vamos lá a acabar com essa coisa da democracia e das AG’s e passar a tratar das coisas com a populaça. Esta proposta representa o triunfo do populismo plebiscitário próprio de um peronismo de pacotilha. Mas a parte surreal da coisa é que o mesmo Congresso aprovou em alternativa, na recomendação n.º 5, que a Assembleia Geral se deve manter tal como está actualmente nos estatutos para preservar a AG como espaço de debate. Que raio, em que é que ficamos?! Quer-se dizer aprovou-se tudo, uma coisa e o seu contrário. E depois ainda há quem fale a sério do Congresso…

- A coisa estava a ficar quase esquizofrénica. Mas eis senão quando deparo com uma recomendação, a n.º 7, que propõem que as Assembleias Gerais, certamente depois de perderem qualquer competência, passem a ter a seguinte composição:
- Orgãos sociais eleitos do clube;
- Os cem sócios mais antigos do Sporting;
- Antigos Presidentes;
- Sócios escolhidos por sorteio, para mandatos de dois anos, em percentagem a definir.
Eu pensava que a sem vergonhiçe tinha atingido o seu patamar máximo, mas a a realidade não cessa de me surpreender. Quer-se dizer agora as AG’s do Sporting passam a ser um grupo de velhinhos, acompanhados de uns sócios sorteados ao calhas. Esta é a prova inequívoca da noção distorcida da democracia que existe nos dirigentes do Sporting Clube de Portugal.

- Outra pérola: a recomendação n.º 8 pede a criação da Assembleia Leonina, uma espécie de Parlamento Leonino, órgão intermédio entre a direcção e o a Assembleia Geral. Tinha que ser o Rui Oliveira e Costa a lembrar-se de uma destas!... Esta luminária quer pelos vistos meter o Sporting e a sua gestão no mesmo Caos em que se encontra o sistema político português. Não tarda nada criam-se os partidos dentro do Sporting, e depois virá o tempo em que haverá( porque não…) o Procurador do Sporting e o Provedor do Sporting. Tenham juízo!... Isto nem parece uma proposta séria saída de um congresso. É tão ridículo que nem parece real. Mas o problema é que é mesmo real, estes são os que nos dirigem!... Numa palavra, é medonho o estado actual do nosso clube.

- Continuando vêm a seguir umas recomendações ocas e vazias- destaca-se o dia do Leão, e outras coisas que tal…- que nada recomendam de recomendável, até que chegamos ao Conselho Leonino( recomendação n.º 11). Aqui fica bem claro o quanto gosta a actual direcção do Sporting de ouvir os sócios. O Conselho Leonino é talvez a originalidade organizativa mais peculiar do nosso clube, e é talvez uma das razões para que se tenha perpetuado no tempo a grandeza do Sporting. O Conselho Leonino permite e permitiu sempre, mesmo nos momentos de pior crise, unir o clube por dentro e tratar dos problemas a fundo. Chamam-nos elitistas por isto, mas é um órgão que está intimamente ligado à cultura profunda do que é Sporting. Aquilo que vai na cabeça de Dias Ferreira ao querer acabar com este órgão( como de resto na Filipe Soares Franco), retirando-lhe competências, e transformando-o em Assembleia Delegada, é muito simples: Dias Ferreira quer acabar com a democracia no Sporting. Dias Ferreira, como outros, teme o juízo dos sócios do Sporting, e teme as opiniões discordantes. Vai daí cala-as. Tem a quem sair.

- Vejamos atentamente outro brinco, a recomendação n.º 17. Aí se diz que as claques do clube não devem poder envergar os símbolos do Sporting!... Patético! Entenda-se: eu fui, sou e serei sempre contra as claques de futebol, essa corja de delinquentes. Mas uma coisa é ser contra as claques e a favor da sua legalização, outra completamente diferente( repito-o para se ler bem COMPLETAMENTE DIFERENTE!!!!) é dizer que há sportinguistas de primeira e de segunda, e que devemos vedar a qualquer sportinguista o uso dos símbolos do seu clube. Só uma concepção totalitária e anti-democrática pode conceber que se tratem os sportinguistas das claques( tão sportinguistas como eu, ou como os senhores congressistas) como filhos de um deus menor. Esta proposta diz muito sobre a mentalidade do seu proponente. Mais: Na recomendação n.º 23 propõem-se que as claques passem todas para o sector sul do estádio. Conhecendo-se as boas relações existentes entre a Juve Leo e o Directivo Ultras XXI está-se mesmo a ver o resultado desta recomendação…

- Posto isto, e após uma série de propostas avulsas, dos equipamentos à pintura das cadeiras( o maior defeito do documento é mesmo ser um conjunto incoerente de propostas…), chegamos à surreal- desculpem a repetição do adjectivo, mas acho-o bastante adequado- recomendação n.º 26. Segundo ela o Sporting agora vai passar a substituir-se ao Estado e passa a ser quem define qual o aparato policial necessário para cada jogo, a fim de se apelar à ideia de um espectáculo familiar. O senhor Luís Silva Pires não deve saber o que é o Estado de Direito, nem tão pouco o que é o conceito de segurança no dito. Isso não é grave. O que já é grave é que não haja no Congresso quem o esclareça! Mas enfim, tinha mesmo que ser tudo aprovado, e se outras coisas ainda mais surreais o foram porque não mais esta?...

- Seguem-se uma série de recomendações dispersas sobre os mais variados assuntos, desde o jornal ao site, passando pelas game boxes, o tal Provedor do Sócio( qualquer dia ainda teremos um Procurador-Geral do Sporting!), mais as quotas( o inevitável Dias Ferreira estava imparável na sua senha anti-sócios…), mais isenções de quotas, mais a obrigatoriedade dos atletas do Sporting serem igualmente sócios( até aqui tudo bem), e terem que ser assinantes do Jornal do Sporting( o que é ridículo), até que chegamos a mais uma pérola, a recomendação n.º 68. Segundo ela devem afastar-se do Sporting elementos comprovadamente de outras cores clubísticas. Bom vamos ter que mudar: 1- de treinador( comprovadamente benfiquista); 2- de capitão( comprovadamente benfiquista); 3- Hélder Postiga( comprovadamente portista); 4- Todos os estrangeiros a actuar no Sporting( comprovadamente dos clubes dos seus países). Metam mãos à obra, força rapazes!... Patético. Tão patético que nem merece ser levado a sério.

- Leia-se agora atentamente a recomendação n.º 70 e respectivas alternativas. Não dá para acreditar- aquele é o verdadeiro retrato de um clube sem rei nem roque. Cinco recomendações alternativas sobre o mesmo assunto?! Um dia destes ainda elegeremos cinco Presidentes, admirem-se… O Sporting está absolutamente desunido e sem rumo, essa é a minha conclusão do que li.

- Outra recomendação surreal: Obrigar os jogadores a irem saudar o publico no final de cada jogo( n.º 71). Mas acham mesmo que é necessário escrever isto? Não devia ser uma obrigação elementar. Não acham humilhante para os jogadores do Sporting lerem esta recomendação? Enfim, se é assim que se gere um clube acho que estamos entendidos.

- Depois seguem-se mais uma boa dezena de propostas avulsas sobre tudo e nada, não se percebendo a coerência de quem organizou(?!) tudo aquilo. O mais incrível é que é só facilidades: ele é descontos para isto, descontos para aquilo, descontos para aqueloutro. Dá mesmo vontade de perguntar: e no fim de contas quem é que vai pagar a festa? Haverá uma réstia de noção da situação económica do clube? Ou será que a politica é quem vier a seguir que feche a porta?

- Para acabar pede-se o fim da tourada do Sporting( já só cá faltavam os defensores dos direitos dos animais!),e mais uma série de assuntos desconexos- desde a assistencia aos treinos na Academia( que imaginava eu ser matéria da exclusiva competência do treinador decidir se isso era ou não adequado à defesa dos interesses da equipa!) à nota sobre o fim da violência no desporto- cabe lá tudo!... E de sócios e adeptos estamos tratados. Quase diria que se tratou de tudo menos de sócios e adeptos. Tinha a sensação antes do Congresso que o Sporting era um clube desorganizado. Agora fiquei com a certeza.

3.º Tema: Modelo estratégico do futebol.

- Formação. Palavra chave. Formação, formação e mais formação, uma overdose de formação!... Eis que Luís Silva Pires e Filipe Almeida Fernandes entram em acção e metem a cassete. Tudo no Sporting é lindo e profissional, às vezes temos é uns azares( este ano a sorte foi-nos mesmo MUITO ingrata… Ou será apenas sorte?)- eis a conclusão da retórica das primeiras dez recomendações do Congresso. Nada de discutir a política de contratações do clube, que faz com que um nabo como Grimi seja contratado em vez de Tiago Pinto, que faz com que Saleiro não tenha tido oportunidades, que faz com que o nosso melhor Keeper tenha sido dispensado em beneficio de um frangueiro a quem este ano já devemos uma boa dúzia de pontos, etc. Ou seja nada de discutir em concreto o que é a formação- esse chavão abstracto sempre na ponta da língua de quem nos dirige. Diria que esta é melhor forma de Soares Franco se sair em beleza, falar na gestão no abstracto e não descer ao concreto. Não há nenhum sócio do Sporting penso eu que não defenda a formação, mas discutir um modelo estratégico do futebol reduzindo-o a um chavão é pobre. De uma pobreza que mete medo.

- Miguel Salema Garção, um homem da comunicação com sensibilidade para estas coisas, fez a meu ver a melhor recomendação de todo o Congresso, que perde por se ver misturada com um cem número de outros assuntos, arrumados sem critério e sem coerência. Assim a recomendação n.º 16 propõem que a actual Sporting SAD, se passe a denominar Sporting Clube de Portugal- Sociedade Desportiva de Futebol, SAD. O nome das coisas é o seu sinal externo- e acho que o nosso nome completo faz parte da nossa identidade intima. O Sporting não é de Lisboa, nem tão pouco de Alvalade, é de Portugal!

- Antes e depois da recomendação n.º 16 temos o caos!... Volta a falar-se de tudo e mais alguma coisa, desde o preço dos bilhetes ao sistema de jogo da equipa- que imagina eu ser da matéria competência exclusiva do treinador da equipa, mas certamente estou equivocado… E com a 25.ª recomendação estamos tratados no que diz respeito a modelo estratégico para o futebol profissional. Fiquei com duas certezas: não temos modelo, nem tão pouco estratégia. No Sporting parece que tudo corre ao sabor das modas e da conjuntura, e parece-me que a única razão para se ter apostado na tão apaniguada formação é uma razão bem mais mesquinha: não temos massa para contratar jogadores decentes porque devemos as penas aos pássaros. Eis-nos chegados à questão da massa…

4.º Tema: Modelo de sustentabilidade financeira.

- Eis o busílis da coisa. Massa. Dinheiro. 1.ª Recomendação? Simples: Repudiar qualquer proposta que implique a diminuição das receitas do Sporting. Surreal( de novo este adjectivo!). Quer-se dizer por um lado mais de metade das recomendações do Congresso falam em diminuir receitas( a quotização e os bilhetes são receitas do clube, se bem me lembro de ter lido os nossos estatutos bem…), por outro vem a primeira recomendação financeira e zás, manda para as ortigas mais de metade das recomendações do Congresso!... Como diria o outro organizem-se pá!...

- Depois temos os lugares comuns da gestão do costume a propósito de receitas: ele é o naming( recomendação n.º 2), as receitas mais ou menos originais do costume, desde as apostas no estádio à internacionalização da marca Sporting( para a qual os recentes 12-1 contra o Bayern deve ter sido útil…), enfim um sem fim de banalidades óbvias. Pensei eu: ainda bem que não estão a falar em aumentar novamente as quotas, safa!... Esta direcção fica na história por ter subido as quotas do clube para níveis incríveis( em poucos anos passou-se de 6 euros para doze euros!!!). Pois bem achava eu que já chegava, sobretudo quando nos temas anteriores se prometeu mundos e fundos. Eis que deparo com a recomendação n.º 8, que me diz em tom mavioso que agora passam a ser os sócios a estabelecer para si próprio o que passam a pagar. Ok, estou de acordo. Quem pode mais que pague mais, se assim o entender. Mas é pena que esta recomendação já chegue um bocadinho tarde, certo? Tenho a sensação, porque não tenho números mas conheço o clube, que no meio das tempestades económicas que assolam o mundo devemos ter perdido dezenas de associados pagantes. E a razão porque eles se afastaram também foi o valor exageradíssimo das quotas, um absurdo para a realidade do país.

- E eis que às dezanove recomendações termina o aspecto das receitas. Pode dizer-se que é um documento pouco imaginativo, que reproduz quase ipsis verbis o que já havia sido objecto dos últimos seis orçamentos do clube. Não deveria ser para isto que se faz um congresso, devia ser para propor soluções novas. Nada disto sucedeu. Podia ser que no que diz respeito às despesas a coisa melhorasse…

- Despesas. Aqui sim vamos ao real e ao concreto. E aqui temos a direcção no seu esplendor, porque esta é a sua verdadeira natureza e linguagem: racionalizar custos, cortar despesas, enfim tratar dos problemas draconianamente. Veremos o que vai resultar das recomendações n.º s 19, 20, 21 e 22 deste Congresso, sobretudo desta última que propõem uma comissão de controlo de projectos que promete cortar nos do costume( leia-se nas modalidades amadoras- as mesmas que vivem com metade do que ganha um júnior mediano do Sporting).

- Por último, e para manter a coerência(?!) com os temas precedentes volta o caos às recomendações, e volta-se a falar de tudo e de nada, de um modo confuso e completamente avulso. Desde a SAD passar a pagar o naming ao Sporting, à reestruturação financeira da divida tudo lá cabe. Até o inevitável Dias Ferreira lá vem falar de finanças do clube- ele que, do que ouvi falar, até nem é propriamente mestre do ofício. Mas enfim no Sporting vale tudo. Se até há Juristas que não sabem o que é o Estado de Direito, porque é que não haviam de haver Juristas a botar discurso sobre soluções financeiras para o clube?!

Eis o verdadeiro retracto da ausência confrangedora de rumo do Sporting e da ausência de alternativas para a pobreza intelectual de quem nos governa. Se foi para isto que o Congresso foi feito valeu a pena. Eu pessoalmente sonhei com outra coisa, mas a culpa aqui é claramente de uma única pessoa: Ernesto Ferreira da Silva. Demonstrou não ter a mínima estatura para poder ser dirigente do Sporting e que não tem a mínima competência para organizar um Congresso. Colou-se à direcção e quis que o Congresso fosse aquilo que foi. E foi apenas aquilo que foi.

Um grande abraço

Gouveia disse...

Caro Pedro Pita,

Tive a hercúlea paciência de ler o seu testamento sobre o Congresso!
Ah... e também fiquei boquiaberto!

Tiro para já 3 conclusões:

1 - Você não respira sem utilizar a palavra SURREAL.

2 - Você não foi ao Congresso, não entendeu o seu funcionamento e não enviou nenhuma recomendação.

3 - Você não faz a mais pequena ideia do que é o Sporting da actualidade e o que são e como funcionam os seus órgãos sociais.

Eu fui Delegado ao Congresso e fiz uma série de recomendações!

Considero que o Congresso foi uma farsa e concordo que o objectivo implícito foi criar a vaga de fundo para mais uma pirueta do artista FSF.

Mas você tem de se acalmar...

Anónimo disse...

Ena
Oradores e escribas não faltam ; só faltam candidatos e projectos ; Sr.Pedro Pita e Sr.Gouveia : bla bla bla, mas afinal de onde vem o dinheiro para o pavilhão, Sad, etc ; tenham juizo e vocês com esse pensar deviam viver em 1960 ; amanhã acordam e não têm clube, mas o vosso candidato é o Dias da Cunha ? ou o Abrantes Mendes ? é que como nunca vi nenhum projecto nem ideia, fico confuso .
Sempre SCP

leao revisor disse...

Luis Magalhaes Pereira

Tu dizes coisas que sao juizos teus e nao o que realmente se passou.
1º O Moniz Pereira disse que o orçamento era inferior e nao MT inferior ao do Andebol, e eu digo-te ao contrario do que tu queres eu ainda digo que é demasiado!! Correm 2 vezes por ano com a camisola do SCP e recebem 12 meses.
Tambem digo uma coisa, se achas que este congresso foi uma palhaçada e só serviu interesses da direcção o que foste lá fazer?
Agora a AG é que conta? Porque? Porque o que se passou no Congresso com o auditorio de pé a aplaudir o FSF deixou-te preocupado?

Miguel Fraga disse...

Concordo com o post, no geral, à excepção da consideração do termo "oposição" como sendo negativo e depreciativo.

É uma palavra como outra qualquer, limita-se a referir àqueles que não estão com esta direcção.

PS: O link para o blog "Leão da Estrela" foi adicionado ao blog "Lugar de Leão" (http://pensar-sporting.blogspot.com), apenas criado ontem, pela importância que tem na vida do Sporting, neste campo virtual.

Saudações Leoninas.

Pedro Soares disse...

Caro Gouveia,

1- Não sou quem não respira sem aplicar a palavra surreal, é o Sporting que está surreal. Basta ver as recomendações do Congresso para se perceber que está surreal!

2- Não fui ao Congresso porque geralmente gosto de aplicar o meu tempo a coisas úteis. De resto até me dei ao trabalho de me inscrever. Quando percebi o caminho que as coisas estavam a levar desisti de colaborar naquela farsa.

3- Quanto a não fazer a menor ideia do que é o Sporting direi é o típico ataque pessoal de quem nada tem a dizer sobre o que eu escrevi. Não me ofende quem quer.

Tenho dito.

Cumprimentos cordiais.

Pedro Pita disse...

Um anónimo escreveu isto:

"Ena
Oradores e escribas não faltam ; só faltam candidatos e projectos ; Sr.Pedro Pita e Sr.Gouveia : bla bla bla, mas afinal de onde vem o dinheiro para o pavilhão, Sad, etc ; tenham juizo e vocês com esse pensar deviam viver em 1960 ; amanhã acordam e não têm clube, mas o vosso candidato é o Dias da Cunha ? ou o Abrantes Mendes ? é que como nunca vi nenhum projecto nem ideia, fico confuso .
Sempre SCP"

Tenho a dizer-lhe que a parte que me dá mais amargura na situação actual do Sporting é que, parafraseando uma frase célebre, se o governo é péssimo, a oposição está pior ainda. A nós associados perante o cenário actual resta-nos a meia verdade de Catão- não sabemos o que queremos, sabemos o que não queremos. E sim, oxalá o Dr. António Dias da Cunha venha a apoiar( e até integrar, talvez como Presidente da AG, quem sabe?) uma solução alternativa ao demencial Dr. Dias Ferreira e essa corja formada pela dupla OPCA/BES, que ameaça arruinar de vez o Sporting para seu proveito próprio. É nessa alternativa que acredito, não creio em soluções de continuidade dinástica, nem tão pouco sequer acho concebível uma recandidatura de FSF( Apesar dele estar doidinho por se meter nela!). Mil vezes o Dr. Dias da Cunha, de cuja seriedade e integridade sinto uma imensa saudade. Critiquei a sua estúpida aliança com o Benfica, mas acho-o um homem mil vezes mais sério que o bando que tomou de assalto o Sporting. Oxalá ele se empenhe na solução- o Sporting precisa disso urgentemente.

Um abraço

Gouveia disse...

Leão Revisor,

Em 1º lugar eu não o conheço de lado nenhum para me tratar por tu! Não lhe dou essa intimidade.

Em 2º lugar é falso aquilo que escreveu acerca da resposta do Prof. Moniz Pereira. O orçamento é muito inferior ao do Andebol, e por isso é que o Prof. ficou consternado com a minha pergunta. O facto dos atletas correrem poucas vezes por ano com a nossa camisola é completamente subjectivo e é uma virtualidade desta secção. É claro que para si os inúmeros títulos conquistados não contam para nada...

Em 3º lugar você, (que pelo aquilo que escreve no seu blog e nos comentários no Leão de Verdade, é uma pessoa mal formada e intelectualmente desonesta) consegue mentir outra vez: eu nunca disse que o Congresso foi uma Palhaçada (você é que mencionou essa palavra) eu disse que foi uma farsa! Aliás você nunca defende o Sporting, você defende outros interesses!

Em 4º lugar de facto a AG é que conta, porque para além da farsa e das inerências e dos aplausos de pé a um dos mais vergonhosos Presidentes da nossa história, na AG é que as decisões tomadas são vinculativas! E na AG vai lá estar em peso a menina dos olhos do Gigantone: a minoria de bloqueio!


Pedro Soares ou Pedro Pita,

Não percebo se são a mesma pessoa (e se nesse caso Pita é um Pseudónimo) mas não tive qualquer intenção de o ofender, apenas fiquei com a impressão de que não tinha percebido muito do que se tinha passado no Congresso.

Aliás aprecio muito os seus comentários e acho-o um sócio muito válido que enriquece o debate com excelentes opiniões e uma memória clubistica que não pode deixar nenhum Sportinguista ferrenho indiferente!

Cumprimentos cordiais e Saudações Leoninas

Anónimo disse...

Para mim, o problema do Sporting é: Cargos a mais! Comissões a mais, resumindo: Gente a mais! Tou farto de queques a brincarem aos gestores, irra!!! Que tristeza de clube!São precisos 50 cargos para gerir um clube!que anormalidade! Mais os velhos senis que por terem 80 anos de sócio já podem dizer todas as babuseiras inclusivé cuspir a dentadura!! Vamos de mal a pior...

Pedro Pita disse...

Caro Gouveia,

O meu nome é Pedro Pita Soares( não me escondo sob a capa de psedónimos), sou sócio e atleta do Sporting Clube de Portugal, e nalgumas sou obrigado a assinar como Soares( requerimentos e coisas do género que não vêm ao caso), e normalmente como Pita, por achar presunção a mais escrever três nomes. Por lapso saiu Soares, as minhas desculpas por isso. Mas fui eu mesmo, usando um termo à lá Fernando Pessoa, que escrevi.

Quanto a não compreender o que se passou no Congresso é muito simples: não compreendi mesmo! Aquilo não passou de uma Assembleia Geral encapotada, confinada aos sócios que foram a Santarém, que fez umas recomendações ridiculas e imcompreensíveis( que acima tratei apenas de trancrever no seu, desculpe o termo mas não encontro outro, surrealismo!) para outra Assembleia Geral dissimulada que terá lugar muito em breve. O Congresso com que eu sonhei, e que faria todo o sentido, não seria nada disto. Teria paineis especializados, teria especialistas a falar de matérias especificas, seria organizado por forma a pensar o futuro do Sporting daqui a dez anos, e não seria propriamente condicionado por um acto eleitoral. Teria de ter lá toda a gente- desde ex-Presidentes da Direcção e da Assembleia Geral( quantos lá foram?!), até membros de todas as secções do clube, porque ninguém melhor que eles conheçe o Soporting. Em resumo não seria um Congresso de e para a populaça, seria um Congresso em que o melhor que o Sporting tem se dispusesse a pensar o Sporting. As próprias conclusões do Congresso nem seriam votadas pelo dito- mas sim pela Assembleia Geral do Sporting subsequente. O Congresso seria em resumo um momento de unidade da familia leonina, e um momento de fazer balanços. Foi com isto que eu sonhei, e foi por isto que eu me bati. Daí a minha desilusão com Ernesto Ferreira da Silva, um homem que mostrou não ter qualquer qualidade para poder ser dirigente do Sporting.

Um grande abraço

Anónimo disse...

O Congresso da morte anunciada do Sporting Clube de Portugal.Os sócios vão passar à peluda.Nunca mais vão ser ouvidos.

neutel saloio disse...

Têm bom remédio: chumbem a alteração aos estatutos na próxima assembleia geral. E depois, em abril, corram de lá com "eles".

Anónimo disse...

Foi chumbada uma recomendação que recomendava que a gestão do Clube devería estar focada no Sócio.

A conclusão que se tira é a de que ou os Delegados não fazíam ideia sobre o que estavam a votar ou o Congresso estava cheio de Accionistas da SAD, mais preocupados com a rentabilização bolsista das suas acções...

De qualquer forma, foi notório a forma como o Congresso estava "minado" e "armadilhado".

Anónimo disse...

Como é possível que num cogresso feito por sócios do Sporting estes votem contra os sócios? Só demonstra como vai a oposição. A vitória foi do sistema que, mais uma vez, tenta influenciar os sportinguistas a viabilizar as propostas dos vendilhões do templo. A verdadeira resposta vai ser dada na AG do dia 17. Os sócios não se podem demitir da responsabilidade de manter vivo o SCP.

Anónimo disse...

Nos jornais leio que quem se indignou contra uma suposta manipulação foi Isabel Trigo Mira. Este sinal demonstra bem a coragem da única pessoa que tem qualidade, conhecimento do clube - não se notabilizou só pela sua acção nos Núcleos - e categoria para assegurar o futuro do SCP e devolver a esperança aos sportinguistas. Já fomos enganados pelos meninos da Linha durante muitos anos. Vamos dar a resposta que eles merecem. O pânico está instalado nos tachistas. Não o conseguem esconder. Na questão financeira estão a esconder a realidade e a todos os pedidos que solicitam a amostragem das contas arranjam as desculpas mais esfarrapadas para esconderem o quê?

Anónimo disse...

Mas afinal qual é o vosso candidato ? ah, é o bota abaixo ; esse ganha de certeza com os vossos votos ; pois é quem não vai á Assembleia Geral não conta para nada ; só os meninos Lisboetas é que podem ir ; o vosso SCP é de Lisboa ; acordem para a realidade ; vocês querem que o nosso SCP seja o Belenenses daqui a uns anos ; ah e porque ainda não têm candidatos ? tenham vergonha.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...