sexta-feira, 6 de março de 2009

SPORTING NO MUNDO Macau

Com 82 anos de existência, o Sporting Clube de Macau, fundado em 11-09-1926, filial nº 25 do Sporting Clube de Portugal, é uma extensão da nação sportinguista naquele antigo território português no Oriente. Símbolo da grandeza do clube de José Alvalade, ignorada por muitos, a novidade é que o Sporting Clube de Macau está em fase de relançamento, contando com mais de 60 associados recentemente inscritos. O novo impulso daquela embaixada do Sporting Clube de Portugal em território chinês pode ser confirmado no seu blog, de criação recente, animado pelo novo presidente da direcção da filial leonina, António da Conceição Júnior – considerado o “leão” mais activo de Macau.
A escolha de uma nova direcção do Sporting Clube de Macau foi antecedida pelo lançamento de um Movimento para a Reactivação da Filial - através de um blog que pode ser consultado aqui -, onde são identificados 166 sportinguistas existentes em Macau, incluindo 7 associados menores.
Os “leões” Frederico Rato e Henrique Saldanha foram eleitos presidentes da Assembleia Geral e do Conselho Fiscal e de Sindicância, respectivamente. De acordo com o presidente recém-eleito, há agora muito trabalho a fazer, especialmente por se tratar de um clube com 82 anos de existência. Para já, e segundo relata o jornal “Hoje Macau”, no topo da agenda está a actualização dos Estatutos, para “agilizá-los de acordo com o tempo em que vivemos e apresentar oportunamente uma proposta para que o agora reactivado Sporting Clube de Macau possa ter uma existência actualizada e legalizada”. Neste sentido, serão também abertas inscrições para admissão de novos sócios. Outro objectivo estratégico é “criar condições para ter uma sede própria”.
De qualquer modo, a força do Sporting Clube de Macau também irá depender da política do Sporting Clube de Portugal em relação às suas filiais espalhadas em Portugal e no Mundo. “Dependerá da forma como o Sporting Clube de Portugal entender olhar para Macau e para a China”, sublinha Conceição Júnior. Ora aqui está um bom tema para debater no congresso e na campanha eleitoral que se aproximam em Alvalade...

2 comentários:

António Conceição Júnior disse...

Caro Leão da Estrela,
É uma honra para nós, Sportinguistas de e/ou vivendo em Macau merecer a atenção de um artigo.
Estamos num processo de (re)construção da Filial No.25 com 82 anos e é nosso desejo honrar a história que temos.
Bem haja e muitos parabéns pelo seu dinamismo e conhecimentos informáticos.
António Conceição Júnior
Sporting Clube de Macau

Um adepto de futebol disse...

Euro 2004: Tribunal de Contas diz que a Câmara Municipal «concedeu desmesurado apoio ao F.C. Porto»
[ 2006/01/13 | 17:54 ] RedacçãoLinks relacionados:

Um relatório do Tribunal de Contas considera, após uma auditoria aos apoios municipais concedidos aos clubes com estádios do Euro 2004, que houve um claro favorecimento nos apoios imobiliários aos ditos clubes. Em particular ao F.C. Porto, através dos terrenos no âmbito do Plano Pormenor das Antas. A Câmara Municipal do Porto concedeu apoios totais na ordem dos 89 milhões de euros, sendo que 88 milhões desse total foram para o F.C. Porto e apenas um milhão para o Boavista.

O relatório diz que este favorecimento aos azuis e brancos foi feito através do valor de alguns dos terrenos entregues pelo município ao clube, os quais «foram subavaliados para quase um terço do seu valor comercial», adiantando que «através da distorção do conceito legal de comparticipação financeira foi possível à autarquia conceder desmesurado apoio imobiliário ao F.C. Porto, proveniente do património público autárquico, traduzível e redutível, naturalmente, à noção de dinheiros públicos».

Por tudo o que foi dito atrás o documento do Tribunal de Contas considera que «o contrato está gizado de molde a proteger generosamente o interesse do F.C. Porto, em detrimento do razoável acautelamento do interesse público e dos dinheiros públicos».

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...