sexta-feira, 3 de abril de 2009

Tão grande como os maiores da Europa

O Sporting Clube de Portugal já foi tão grande como os maiores da Europa. Mais de 50 anos depois, subsistem no estrangeiro os ecos dessa grandeza do futebol leonino. Como confirma este trabalho do jornal espanhol AS.

7 comentários:

Anónimo disse...

http://kongasblog.blogspot.com/2009/04/pinto-da-costa-afinal.html

será que o benfica ganhou um novo adepto? :D

Thaypan disse...

Sem duvida, um código genético fantástico, o deste Clube..Nobre, honrado, e que nunca apelou á ajuda de Calabotes ou Batistas.
O Travasos, á época, cognominado, o Zé da Europa, foi o primeiro jogador Português a ser convocado para jogar numa selecção Europeia. Nunca entrámos em esquemas mafiosos, de roubar jogadores e ir esconde-los no Algarve.
Nunca andámos a distribuir quinhentinhos nem viagens para o Brasil, aos árbitros e outros agentes desportivos, par q fossemos beneficiados em campo, e não temos paineleiros, nas nossas Tvs, a fazerem a apologia, da vigarice,reinante nos ultimo 20 anos nos campos de futebol, nem teóricos cinefilistas, a realizarem filmes, em que não se olham aos meios, para se atingirem os fins.
Somos a reserva moral deste pobre e cada vez mais pequeno País.
Viva o Sporting Clube de Portugal.

CRibeiro disse...

Mas o presidente SF dá a mão ao Pinto da Costa.
Dar beijinhos a um criminoso não fica bem na fotografia da ética.
Será por misericórdia ?

Pedro Pita disse...

Confesso que desfio sempre do "As", o equivalente culé da "Marca". Mas claro que é motivo de orgulho, até como filho e neto de espanhóis, ver um jornal do também meu país lembrar-se do meu país. Já ouvi dizer de fonte segura que, nos tempos idos que passou entre nós, sua majestade o Rei de Espanha, Don Juan Carlos de Bourbon y Bourbon, foi em tempos simpatizante do Sporting, por força da influencia do grupo de amigos com quem confraternizava no Estoril. Creio que o valor estratégico desse facto, de cuja veracidade não duvido pela fidedignidade da minha fonte, devia ser mais salientado pelo Sporting no sentido da tão falada internacionalização da marca do clube.

Quanto a Jesus Correia tem uma história muito importante relacionada com Espanha, e mais particularmente com o meu Atleti. Jesus Correia tem uma placa no Estádio Vicente Calderón alusiva ao facto de ter sido o único jogador que meteu seis(!!!) golos ao Atletico de Madrid no seu terreno. Só por aqui se vê a classe dos cinco violinos: Nem o Real Madrid pentacampeão europeu nos foi capaz de inflingir tal proeza! Mas, segundo as minhas fontes familiares( neste caso falíveis...), o melhor jogador dos cinco violinos foi Albano- apesar de irregular como salienta o texto do "as". Ah, e o outros três grandes violinos fora dos cinco ao que parece foram os Keepers Azavedo e Carlos Gomes, e ainda o médio Carlos Canário- o cérebro da equipa.

Um grande abraço

Pedro Pita disse...

Confesso que desfio sempre do "As", o equivalente culé da "Marca". Mas claro que é motivo de orgulho, até como filho e neto de espanhóis, ver um jornal do também meu país lembrar-se do meu país. Já ouvi dizer de fonte segura que, nos tempos idos que passou entre nós, sua majestade o Rei de Espanha, Don Juan Carlos de Bourbon y Bourbon, foi em tempos simpatizante do Sporting, por força da influencia do grupo de amigos com quem confraternizava no Estoril. Creio que o valor estratégico desse facto, de cuja veracidade não duvido pela fidedignidade da minha fonte, devia ser mais salientado pelo Sporting no sentido da tão falada internacionalização da marca do clube.

Quanto a Jesus Correia tem uma história muito importante relacionada com Espanha, e mais particularmente com o meu Atleti. Jesus Correia tem uma placa no Estádio Vicente Calderón alusiva ao facto de ter sido o único jogador que meteu seis(!!!) golos ao Atletico de Madrid no seu terreno. Só por aqui se vê a classe dos cinco violinos: Nem o Real Madrid pentacampeão europeu nos foi capaz de inflingir tal proeza! Mas, segundo as minhas fontes familiares( neste caso falíveis...), o melhor jogador dos cinco violinos foi Albano- apesar de irregular como salienta o texto do "as". Ah, e o outros três grandes violinos fora dos cinco ao que parece foram os Keepers Azavedo e Carlos Gomes, e ainda o médio Carlos Canário- o cérebro da equipa.

Um grande abraço

Miguel Fraga disse...

É um enorme motivo de orgulho ver o nome de grandes glórias do nosso clube serem, tantos anos mais tarde, relembradas num jornal de um país que não o nosso.

"Tão grande como os maiores da Europa."

Saudações Leoninas.

Anónimo disse...

Os comentários são agradáveis de ler, salvo o do CRibeiro que está com ciúmes do SF andar aos beijinhos ao Pinto da Costa. Mas isso é um problema dele.Mas os comentários esquecem o grande capitão Cardoso, o Manecas, sempre com o lenço nas calças, o Peyroteu, que grande marcador, O Albano e para mim o génio Vasques a quem o Dr. Tavaresv da Silva pôs o nome de Malhoa
Eduardo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...