terça-feira, 12 de maio de 2009

Manuel Fernandes e a "sentença de morte" no SCP

“Penso acabar a minha vida no Sporting. Não sei quando mas acredito que há-de aparecer uma direcção que diga assim: "O Manuel Fernandes é interessante para estar connosco." Jamais neguei que tenho o sonho de trabalhar no meu clube. E vou consegui-lo, dentro de 5, 10 ou 15 anos.”

“Quando fui adjunto, no início de 90, senti que foi uma grande injustiça o que fizeram ao Bobby Robson. E atenção: fui eu que fiz, e não ele, a melhor equipa do Sporting dos últimos 30 anos: Paulo Sousa, Cherbakov, Balaokov. Figo, Balakov, Juskowiak, Cadete, Iordanov... O nosso despedimento, depois da eliminação com o Casino Salzburgo, foi das coisas mais incríveis que já passei, até porque considero ter sido a derrota mais injusta da nossa história. O presidente de então, Sousa Cintra, foi pressionado no aeroporto. Já no avião, sentado ao lado de Robson, disse-lhe: "Mister, já fomos." Ele não percebeu e expliquei-lhe: "Amanhã já não somos treinadores". Não quis acreditar. Infelizmente, tive razão.”

“[Voltar como treinador principal] era um dos meus maiores sonhos. Mas quando cheguei ao Sporting [em 2000-2001] senti logo que tinha sido enganado. Mal cheguei pensei logo em sair, porque soube imediatamente que o clube tinha contratado outro treinador [José Mourinho]. Mas como houve reacções contrárias dos adeptos, foram buscar um homem da casa para dar uma satisfação ao povo, com o intuito de o calar. Quem se entalou fui eu.”

“Pensei melhor e fiquei: estava no meu clube, sentia o carinho das pessoas e, mesmo sem ter escolhido a equipa, aceitei geri-la, na esperança de fazer um grupo à minha imagem na época seguinte.”

“[Luís Duque] não dizia nada, embora tivesse sido ele a levar-me para o Sporting. (…) Por isso eu digo que fui enganado. Mas o pior é que, quinze dias ou um mês depois disso, saiu do clube. Nessa altura percebi o que me esperava. A certeza de que não continuava aconteceu quando ganhei 3-0 ao Benfica e conquistei a Supertaça ao FC Porto. Tudo porque não aceitei ficar com um futebolista sem classe para jogar no meu clube.”

“[Era] Cáceres, um anãozinho que para lá andava e por quem o Sporting já pagara 60 mil contos pelo empréstimo. A contratação definitiva ficaria em 400 mil contos. Atirei-me ao ar e disse que o meu clube não pagava essa fortuna por um jogador daqueles. Assinei nesse instante a sentença de morte no clube. Foi pena, porque havia uma boa base de trabalho. Era só varrer o lixo que para lá andava e dar uns retoques no resto. Tenho a certeza de que hei-de regressar um dia, noutras circunstâncias.”

“O clube está com boa dinâmica e continua a tirar partido da formação, embora nem sempre surja o tal craque para fazer a diferença. Já se sabe: nem todas as colheitas são boas.”

“É verdade que, em quatro anos, os sportinguistas gostavam de ter um título, mas não se pode ter tudo. Para resolver alguns aspectos financeiros tem de prescindir de alguma coisa. Ganhar umas taças, valorizar jogadores e fazer dinheiro com sucessivas presenças na Liga dos Campeões acho que é um bom balanço.”

“Só estranhei ouvir Soares Franco dizer que não continuava, porque está inserido num projecto, no qual desempenha papel relevante. Mas há uma pessoa cuja saída me deixa um travo amargo: Miguel Ribeiro Teles. Nos seis meses em que estive no Sporting foi a única pessoa a quem reconheci condições para liderar o clube. Para o futuro, seria fundamental manter Ribeiro Teles e Paulo Bento.”

“A massa associativa trata-me com um carinho extraordinário. Sinto-o na rua e nos núcleos que vão reclamando a minha presença um pouco por todo o País. Mas eles também sabem que amo o meu clube e que sou uma pessoa pura e sincera. Para mim o Sporting é aquela camisola verde e branca às listas, que em miúdo desejei vestir nem que fosse uma vez na vida – e vesti umas 600. Não sei se isso me prejudica, mas não posso esconder que a minha loucura no futebol foi, é e será o Sporting.”

“Não sei se é por inveja ou por ciúme, mas sinto que nem todos gostam da paixão que os adeptos têm por mim. Como sócio, sinto-me feliz por ter o respeito e o carinho dos adeptos do Sporting. Para o ano, gostava de ser eu a entregar o emblema dos 25 anos de sócio ao meu filho. Acho que ninguém me vai impedir de fazê-lo.”

“No Sporting só contacto com uma pessoa, cujo nome não vou revelar. E, de facto, falei informalmente sobre o Carlão e outro jogador da U. Leiria. Quem é ele? É um que não tinha sequer um minuto quando cheguei e que eu nos primeiros quatro jogos deixei sempre de fora. Falo do Mamadou, central do Burkina Fasso. Sporting e Benfica não têm um central como ele.”
Manuel Fernandes, antiga glória do Sporting, actual treinador da União de Leiria, “Record”, 10-05-2009

18 comentários:

AAS disse...

O Manel é uma "Instituição" dentro da Instituição Sporting!

Um dos nossos!

Anónimo disse...

Como seria M.Fernandes Mister e Sá Pinto Adjunto.???????????

fabio disse...

É caso para dizer: abram todos os olhos!

Vejam o que as direcções do SCP têm feito ao património do Clube.

O Manuel Fernandes é um dos patrimónios do Clube, e porque não está ele connosco? Porque diz verdades. E as verdades não convêm!

Se não forem(JÁ) buscar esse Carlão, já se sabe onde vai jogar para o ano...

Cada vez mais os meus votos se inclinam para a candidatura do PPC, definitivamente.

Anónimo disse...

Os que pressionaram o Sousa Cintra no aeroporto para pôr o Robson fora, são iguais aqueles que fizeram pressão sobre a actual direcção para despedir o Paulo Bento.Se o actual treinador tivesse saído, possivelmente não se teria ficado em 2º. lugar e o Clube teria caído num lugar bem mais para trás.Claro, que para esses tais fundamentalistas que não sabem pensar com a cabeça, o 2º. lugar não presta para o Sporting e não vêem que este lugar poderá dar direito a alguns milhões de euros que ajudarão o Clube a formar uma melhor equipa para a próxima época, qualquer que seja a direcção.

Anónimo disse...

Interessante era saber, por exemplo, quem era o tal lixo que por lá andava, quem foi que influenciou o Sousa Cintra para despedir a equipa técnica e quem era o que queria contratar o tal Cáceres...Enfim, saber quem eram esses "amigos" do Sporting...De resto, o Manel Fernandes é e será sempre um dos nossos, quer alguns queiram, quer não. Já quanto a outros que adquiriram o sportinguismo por terem vindo para cá jogar e que pelo meio até se fizeram a outro clube...

menino gilinho disse...

Sim, o segundo lugar não presta para o meu Sporting e do Manuel Fernandes. É que o meu Sporting e o do Manel é um clube onde se joga sempre para ganhar, onde a conquista de troféus é que interessa, e não as contas de mercearia.

O Manuel Fernandes não tem lugar no actual Sporting. Espero, por isso, que a mudança se concretize já nas próximas eleições, para que as portas de Alvalade sejam de novo abertas aos filhos da casa e o Manel possa por fim regressar.

O Manuel Fernandes sempre foi tratado com desdém por esta cáfila de queques de vão de escada que se apoderou do Clube. Dizem eles que o Manel não serve, pois "não sabe ligar um computador". São uma vergonha! Não merecem que pessoas como o Manuel Fernandes se sentem sequer à mesma mesa.

No fundo, é como o Manel diz: têm é INVEJA, ciúmes por o Manel ser um ídolo da Nação Leonina, logo, um perigo para o protagonismo que tanto procuram.

Tenho nojo desta gente.

Anónimo disse...

Anónimo,
Sousa Cintra não foi pressionado por nenhum adepto. Ele tinha, isso sim, o sonho de ir buscar Carlos Queiroz e aproveitou o deslize do Sporting nas Competições europeias, onde o clube até tinha ambições, para despedir bobby robson. Quanto a Mourinho este é o primeiro a admitir o quanto deve a Manuel Fernandes, tanto que o convida para vários estágios nas equipas que tem orientado, com a excepção do FC Porto.

Quem julga que Manuel Fernandes não é um técnico actualizado, só sabe o que é futebol pelos jornais, blogs ou fóruns. Aliás a carreira do U. Leiria, se necessário fosse, está aí para comprovar... de equipa condenada à descida e que agora está à beira da promoção.

Agora não o convidem para andar com o bloco das substituições para trás e para a frente e para dar água aos jogadores, porque muito possivelmente vão ter uma desilusão.

Fernando Barros

Anónimo disse...

Talvez convenha a alguns dos que habitualmente vêm para aqui falar mal , ler e re-ler o que Manuel Fernandes diz de Miguel Ribeiro Teles, alias concordo completamente com o Manel... o MRT é que devia ser o presidente do Sporting!!!!

Hugo Pereira disse...

Obviamente, o Manuel Fernandes é um dos maiores símbolos do Sporting, mas daí até desempenhar um lugar de direcção ou de gestão vai uma enorme distância. Tentando pôr a paixão clubística de lado, que competências tem o Manuel Fernandes (além do seu amor pelo clube) que possam servir de mais-valia ao Sporting? É bom treinador? É uma questão discutível (subiu o Santa Clara e o Leiria, mas significa isso que tem o que é preciso para treinar um grande?), que, de qualquer modo, só se põe se o Paulo Bento sair. Tem as competências necessárias para ser director desportivo ou elo de ligação entre a direcção e o plantel? Se sim (eu pelo menos acredito que sim), óptimo, ponham-no a director desportivo. Se não - com todo o respeito que me merece - vai para lá fazer o quê? Servir de elemento decorativo? Se for para isso mais vale continuar de fora e a agir como símbolo sem qualquer tipo de ligação contratual ao clube. Pelo menos sempre não desgasta a imagem que tem junto dos adeptos. E se querem um exemplo concreto, basta olhar para o benfica. Este ano, contrataram para director desportivo um homem que era um grande benfiquista, mas não sabia fazer mais nada a não ser jogar à bola e os resultados estão à vista: 32 contratações (das quais só uma ou duas se aproveitam), 30 milhões de euros deitados fora, (mais) uma época miserável, uma taça conquistada da forma que todos sabemos e agora uma completa demissão de funções na questão do próximo treinador (a acreditar no Record, foi o Vieira quem contactou o Jorge Jesus, o que era uma função do director desportivo Rui Costa). Sinceramente, e como sportinguista e grande admirador do Manuel Fernandes, espero nunca o ver passar por aquilo que o Rui Costa está a passar: ser uma contratação por condescendência (desconheço ao Rui Costa qualquer competência para fazer seja o que for além de ser jogador) e com objectivos políticos (agradar aos adeptos depois de uma época em que acabaram em 4.º).

P.S.: Símbolo ou não, não fica bem a nenhum homem acusar pessoas de algo e depois não as nomear. Se acusa, nomeia. Se não nomeia, mais vale ficar calado.

Anónimo disse...

O que o Manuel Fernandes diz, é que o Sporting dele esteve perdido, e agora está no rumo certo: “Para resolver alguns aspectos financeiros tem de prescindir de alguma coisa. Ganhar umas taças, valorizar jogadores e fazer dinheiro com sucessivas presenças na Liga dos Campeões acho que é um bom balanço.” “Para o futuro, seria fundamental manter Ribeiro Teles e Paulo Bento.”
Isso para não falar da imagem com que o Duque saí daqui...um homem que a todos os custos, fez uma politica para o futebol do Sporting de populismo, atirando areia para os sportinguitas com show offs de contratações. O orçamento irresponsável do Sporting era de mais de 40 milhões de euros. Para não falar dos milhões que passaram por baixo da mesa ao João Pinto e ao Mourinho.
Incrível é o Luís Duque ainda ter credebilidade para voltar ao Sporting. Agora que começa a sair do buraco que ele deixou.

Pedro Sousa

Anónimo disse...

Destaco o elogio público a Miguel Ribeiro Teles, aliás, uma unanimidade constante que se verifica das pessoas que com ele trabalharam directa ou indirectamente. Uma pena que não possa ou queira assumir-se como presidente. Era a pessoa certa no sítio mais que certo.

João Lacerda

correioleonino disse...

Manuel Fernandes faz um ataque cerrado a alguma tralha do Franquismo. O lixo de que ele fala só pode ser Carlos Freitas, que era o responsável pela compra dos activos... Portanto, foi Carlos Freitas, que nem sportinguista é, quem despediu Manuel Fernandes!!! Uma vergonha!

J. Rita disse...

Carlos Freitas, grande amigo e, segundo dizem, sócio de Ribeiro Teles...

rui disse...

Volta Manel que fazes muita falta ao nosso clube.

zenga disse...

Ribeiro Telles, o "Sombra", faz parte da trupe que meteu o Sporting no buraco onde está.

Tem de ser punido, tal como os restantes!

Mário Rui Oliveira disse...

Norton de Matos e o outro que lá andavem na altura ...

Anónimo disse...

"
Anónimo zenga disse...
Ribeiro Telles, o "Sombra", faz parte da trupe que meteu o Sporting no buraco onde está.
Tem de ser punido, tal como os restantes!"

Tomara tu saberes o trabalho que fez MRT no tempo em que está ligado directamente ao Sporting. Tomara saberes que pessoa ali está. E se não basta uma figura histórica do Sporting, como Manuel Fernandes, elogiá-lo, então não sei. É perguntar a gente de diversos quadrantes: é perguntar a Dias da Cunha; é perguntar a Sá Pinto; é perguntar a quem quiserem sobre Miguel Ribeiro Teles.

Um dos mal do Sporting, dos sportinguistas, é o de toda a gente falar de coisas que não sabem (mas ouviram a prima do vizinho do tio contar). Outro mal é o de enfiar tudo e todos no mesmo saco.

Eu se fosse MRT fugia quanto antes do clube. Há quem não mereça. Que venham daí esses grandes sportinguistas que vão salvar o clube.

Tenham um pingo de honestidade intelectual antes de escreverem barbaridades.

João Lacerda

josé disse...

Segundo maior jejum da história. Mas eles são competentíssimos e óptimas pessoas...

Bah!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...