quarta-feira, 3 de junho de 2009

O erro de Paulo Cristóvão

O “episódio Eriksson” provou a todos os sportinguistas uma coisa normalíssima: Paulo Pereira Cristóvão ainda não domina os meandros da política desportiva e da gestão de expectativas. Pode não ser um candidato infalível, mas será, seguramente, um bom presidente para o Sporting Clube de Portugal.
O que seria anormal é que um homem que não tem experiência como dirigente desportivo ao mais alto nível aparecesse aos olhos da nação sportinguista como um “guru” da gestão de expectativas. Isso sim, seria de desconfiar.
Sejamos claros: Cristóvão foi traído pelo entusiasmo e pelo voluntarismo ao revelar que iria apresentar publicamente Eriksson antes das eleições. Esse lapso, contudo, não me incomoda. Esse lapso humaniza um candidato que, acossado por ataques de todos os lados (a começar por uma imprensa pornograficamente “roquettista” e “bettencourtiana”, salvo honrosas excepções), acabou por dar um passo maior do que a perna, ao ter dado a ideia de que o consagrado treinador iria aparecer ao seu lado antes de os sportinguistas decidirem quem será o presidente. Não apareceu, não vai aparecer (apenas veio a público dizer que não tinha dito "não" ao Sporting), assim como, em Espanha, também não apareceram os trunfos eleitorais de dirigentes como Florentino Perez ou Juan Laporta.
Num País que vive de muita hipocrisia e num clube que tem vivido sob o comando de gente que se farta de dar palmadinhas nas costas para trair na primeira curva (Dias da Cunha, Rogério Alves e até Soares Franco que o digam…), Paulo Pereira Cristóvão – perante um adversário que já tinha dito qual seria o seu treinador – fez o que tinha a fazer: dizer aos sócios leoninos que tinha um treinador e que esse treinador era o credenciado Sven-Göran Eriksson. Deveria ter acrescentado que o acordo só seria oficialmente formalizado depois das eleições. Munido de um acordo com Eriksson, com quem resolveu tudo pessoalmente, não resistiu a revelar que iria apresentá-lo. Foi o seu erro. Um erro de principiante, que, estando de boa-fé, somos capazes de compreender. Terá sido um erro suficiente para mudar uma intenção de voto? Não acredito. Porque acredito na inteligência dos sportinguistas que amam o clube.

7 comentários:

40 postas pescada disse...

esse tema da apresentação do sueco não é um erro de principiante.
eu diria que faz parte da idiossincrasia do candidato.
para confirmar o que digo é só ler a entrevista de PPC hoje ao jornal Público.
é demasiado baixo a maneira como se refere a todos os dirigentes do Sporting dos últimos 20-30 anos.
é toda uma falta de cultura e ética sportinguista.

Leão Transmontano disse...

Um treinador é efectivamente uma peça demasiado importante num projecto desportivo. Mas não podemos reduzir a discussão sobre esta eleição à continuidade ou não de Paulo Bento. Tem de haver mais debate para que efectivamente possamos perceber não apenas as diferenças, mas sobretudo que caminhos e soluções para aquilo que é proposto.

A candidatura de Paulo Pereira Cristóvão é efectivamente uma lufada de ar fresco no panorama actual em que se encontra o Sporting. Está repleta de ideias, projectos e medidas que qualquer Sportinguista gostaria de ver em prática no clube. Vem abanar com a nomenclatura existente e protagoniza um debate sobre temas que pareciam esquecidos propositadamente. Mas será que é um projecto sustentável?

Essa é a questão que muitos Sportinguistas colocam.

David disse...

Demasiado baixo, 40 postas de pescada?
Antes pelo contrário, PPC foi demasiado simpático com um conjunto de senhores que têm delapidado o património do Sporting, deixando o clube completamente sem nada. Para além disso, sem resultados desportivos de realce.
Esses senhores, se não estivéssemos num país a brincar, seriam responsabilizados criminalmente pela gestão danosa de uma das maiores instituições deste país.
Mas infelizmente estamos num país a brincar.

hjssp disse...

Pois, só que se o Sporting se quer um clube profissional não pode ter amadores na cúpula administrativa. Quanto ao Eriksson, onde estão as provas de que realmente será o treinador do Sporting se PPC ganhar as eleições? É só isso que peço. Provas concretas, escritas de preferência ou pelo menos vindas da boca do Eriksson. Peço desculpa, mas a palavra de uma pessoa que eu não conheço de lado nenhum não me basta, chame-se ele Paulo Cristóvão ou Eduardo Bettencourt.

RG disse...

Sim...concordo q foi brando, ate pq atendendo ao facto de o sr PPC ter estado 8 anos sem pagar cotas, tem realmente mt a dizer das anteriores direcções do SCP

Sporting Sempre disse...

"Porque acredito na inteligência dos sportinguistas que amam o clube."

Ou seja, os outros ou são estúpidos ou não amam o clube. Boa maneira de tratar os sportinguistas...

ss disse...

Epa essa de ter tido uns anos sem pagar as quotas ja cansa. Ok, ja percebemos. Eu sou e sinto-me um grande Sportinguista e nao sou socio, poque como estudante o dinheiro nao abunda. O facto de o homem nao ner pago as quotas uns anos descredibiliza-o?! E entao porque é que sendo mais novo que JEB tem um numero de socio muito mais antigo?! Ja chega deste jogo sujo, proprio de quem anda desesperado. Se se preocupassem mais em mostrar mais e deitar menos abaixo, o Sporting agradecia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...