quarta-feira, 15 de julho de 2009

A patologia de Izmailov

Não sou médico, nem ouso colocar em causa a competência do departamento médico do Sporting, chefiado por Gomes Pereira. Mas, neste espaço de informação e debate sobre o futebol do Sporting, tenho o direito a questionar o “caso” da “patologia” de que padece o tendão rotuliano do joelho direito do russo Izmailov, partilhando esta preocupação com os leitores do LEÃO DA ESTRELA. E questiono a situação neste sentido: como é possível que, num clube de futebol de alta competição, um jogador sofra uma lesão em Março, regresse aos relvados um mês depois, não conseguindo fazer mais do que dois jogos incompletos, voltando a parar para iniciar um tratamento dito “conservador”, ou seja, sem recorrer a uma intervenção cirúrgica, para se concluir, quatro meses depois, que, afinal, o atleta tem de ir à faca para debelar o problema? Não foi tempo a mais à espera de uma recuperação que não aconteceu? Não seria de pensar que o Sporting e o seu departamento médico tivessem acesso aos melhores especialistas, dentro ou fora do clube, procurando uma solução mais rápida para a lesão de um jogador importantíssimo na equipa de Paulo Bento?...
É evidente que dificilmente seremos esclarecidos sobre estas questões, sobretudo quando as notícias dos jornais são fornecidas através de comunicados emitidos “no site oficial”, não havendo, portanto, lugar ao esclarecimento cabal das situações, muito menos coragem ou vontade de fazer todas as perguntas. Ora, a bem da transparência, e da própria medicina desportiva, em casos como este, os médicos – os do Sporting e os de todos os clubes – deveriam assumir um papel pedagógico, sendo os primeiros interessados em esclarecer a opinião pública, se possível, utilizando o menor número possível de jargões da medicina para que todos entendam. Não sendo assim, os sportinguistas não entendem como é que Izmailov, ao fim de quatro meses a tentar recuperar, vai, afinal, parar mais três ou quatro meses, porque tem de ser operado.

6 comentários:

Marinho de Alvalade disse...

»Não sou médico, nem ouso colocar em causa a competência...». Então este post serve para quê?

Transparência? Mas estamos a falar de tráfico de orgãos?

E quem lhe disse que o departamento médico do Sporting não consultou vários especialistas, e escutou segundas, e terceiras opiniões?

É uma grande contrariedade, sem dúvida, e muito falta nos vai fazer este jogador. O resto, são especulações.

Já agora, de que forma gostaria de ser esclarecido sobre esta questão?
Dado que não recomenda os jargões da medicina que os imbecis dos médicos teimam utilizar, que tal,

»Izmailov fez dói-dói no joelhinho. O doutor deu umas picas e disse para o menino fazer ginástica, mas o dói-dói não passou e vai ter que ir à faca.«

RFM disse...

Caro
Marinho de Alvalade

O Sr. diz não ser Médico, mas defende com unhas e dentes os ditos do departamento médico do Sporting,e pelo que vejo o Sr. não admite qualquer anormalidade no sector ou incompetência.
Ora então como se justifica isto exposto em Post..?!
estamos a brincar ou Kê?!
Lembram-se dos casos de Yordanov, Delfim, Sá Pinto, Marios Niculae entre outros?!
A lista pode ser longa. Veja-se como acabou o plantel do SPORTING a época passada na Enfermaria.
Isto no FCP de PC tinha dado uma volta grande. Podem crer.Depois admiram-se. O SPORTING de Paulo Bento acabou de rastos e sem jogadores para o banco.
NB. Curioso também foi a forma como foi tratado S. Pinto que teve de se dicidir em ir para Alemanha, para poder vir a jogar.
Mas há mais casos...

Marinho de Alvalade disse...

Caro RFM,

Não querendo alongar-me sobre este assunto, eu não digo que não sou médico. Se ler com atenção, a minha primeira frase é uma citação do post do autor.

É claro que admito incompetência, negligência, falhas em qualquer situação, e em qualquer actividade que envolva seres humanos. Até porque infelizmente elas existem. O que me custa muito é quando fazemos afirmações acerca de assuntos que não dominamos. Afirmar (não no caso do LdE, mas em muita da blogoesfera Sporting) que na situação de Izmailov, terá havido algum tipo de procedimento incorrecto, sem estarmos dentro do assunto, parece-me, pelo menos, precipitado. É claro que a frustração devida pela incapacidade do jogador, nos pode levar a atacar tudo e todos. mas não é assim que vamos lá.

Quanto aos casos citados, se quiser, eu disponibilizo uma lista sem fim de jogadores que tiveram problemas de todo o tipo, em clubes de todo o mundo, e com recursos muito maiores que os nossos.

PLnauta disse...

Discussão absurda...

PL

Vamos a Eles disse...

Incompetencia absoluta para um jogador fundamental e insubstituivel

Leão de Quiosque disse...

Mas isto é uma enfermaria ou um clube de futebol? Um impedimento de um jogador tem ser equacionado também na perspectiva da equipa. Valeria a pena ter ficado sem Izmailov no final da epoca passada, quando ainda estava tanta coisa em jogo, e correr o risco de conseguir resolver o seu problema fisico com um tratamento conservador efectuado durante as ferias? São estas questões que têm de ser ponderadas. É muito facil vir agora afirmar que foi burrice mas não sei se a nossa presença na Chapions teria sido assegurada se não tivessemos o homem a jogar naquela altura, mesmo debilitado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...