sábado, 15 de agosto de 2009

A equipa mais portuguesa de Portugal

Sporting, Académica de Coimbra, Belenenses, Olhanense, Rio Ave, Vitória de Guimarães e Vitória de Setúbal são as sete equipas da I Liga Portuguesa cujos plantéis integram 15 ou mais futebolistas portugueses. Em tempos de globalização, estes clubes são as honrosas excepções na defesa e valorização do jogador português – que é, afinal, a essência do nosso futebol.
Dos três candidatos ao título, o Sporting (que ao longo da sua história centenária sempre apostou nos melhores futebolistas portugueses) apresenta-se nesta temporada como a equipa mais portuguesa de Portugal, com 15 lusitanos num planel de 24, sem contar com Liedson – facto que deve constituir um motivo de orgulho para todos os sportinguistas e para todos os portugueses que gostam de futebol, e que deveria ser devidamente sublinhado pelos dirigentes leoninos quando entram em comparações com os adversários...
Aliás, o FC Porto e o Benfica têm nas suas fileiras menos de 10 jogadores portugueses, facto que se reflecte numa presença cada vez menor destes clubes na selecção nacional. Nesta pré-temporada, o Benfica (que noutros tempos, antes da década de 1980, só alinhava com portugueses) até chegou a apresentar-se em campo com 11 jogadores estrangeiros!...
No momento em que começa a Liga Portuguesa 2009-2010, valia a pena pensar nisto. E valia a pena dizer, desde já, que um eventual sucesso do Sporting, vencendo a Liga, a Taça da Liga ou a Taça de Portugal, ou todos os troféus – não obstante todas as dificuldades decorrentes de uma pré-temporada atípica –, será, sem dúvida, um sucesso do futebol português e do futebolista português, que a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) deveria ser a primeira instituição a valorizar.
De resto, o Sporting consegue ainda outra proeza: mesmo sendo dos chamados três grandes a equipa com mais jogadores portugueses, também irá ceder à selecção portuguesa um dos seus melhores estrangeiros de sempre – Liedson, com cuja naturalização para vestir a camisola de Portugal não concordo de modo nenhum. Mas se a FPF não sabe formar pontas-de-lança de qualidade (permitindo a internacionalização sem critério das equipas jovens), e se Liedson está disponível, quem somos nós para não apoiar o nosso melhor goleador com a camisola das “quinas”?...

10 comentários:

Pedro Davidson disse...

E dos 9 estrangeiros que lá andam, se calhar a maior não é superior a jogadores que poderiam vir da academia. Assim de repente estou a lembrar-me de:

Pedro Silva > João Gonçalves
Grimi > Tiago Pinto

Só aqui já se poupava algum, mas parece-me que o Rochemback também podia sair. Se mandasse só ficava o Polga, o Izmailov, o Vukcevic, o Matías Férnandez, o Caicedo e o Liedson.

Já que nunca comentei o meu 11 referido neste momento seria:

4-2-3-1

Patrício
Pedro Silva - Carriço - Polga - André Marques
Veloso - Adrien
Fernandez - Moutinho - Izmailov(Vukcevic)
Liedson

Francisco disse...

http://mexidasdomercado.blogspot.com/

Eduardo disse...

Juçgo que Liedson não deveria aceitar jogar na selecção. E porquê?Porque não me parece que vá ser bem recebido; porque se acertar, vão dizer que acertoui porque tem o Simão, o Ronaldo, etc,. Nunca pelo valor dele: porque se não acerrtar meu Deus o que vão dizer os detractores. Lembram-se do Ricardo?

Vamos a Eles disse...

E o que ganhamos com isso de sermos mais portugueses?

Os outros so tem o Bruno Alves, o Meireles e o Rolando e são campeões todos os anos...

Giorgio Armando disse...

O Roca Chumbo é titular ehehehe...cheira-me a desgraça...

Anónimo disse...

e títulos?? O que importam são os títulos, o resto é conversa....

Anónimo disse...

Mais portuguesa e mais fraca

coitados

Sérgio_alj disse...

Pois, tantos portugueses e no final será um Brasileiro o único internacional português!

david disse...

Interessante, que fazem alarde da equipa mais portuguesa de Portugal mas quando mais um brasileiro jogar pela equipa que devia ser toda portuguesa de portugal vêm fazer alarde que dão mais um à selecção.

é o portugal dos pequeninos.

Mário disse...

A lei portuguesa permite que ao fim de 6 anos, um estrangeiro residente (incluindo futebolistas) adquira a dupla nacionalidade e com isso obtenha direitos e deveres inerentes. Entre eles e dos mais importantes, é que possa participar na vida política do país, votando ou concorrendo a eleições como candidato a um cargo (excepto a Presidente da República). Posto isto, e como considero o futebol, por muita paixão que desperta, menos importante que votar, não compreendo as renitências em relação a um jogador (no caso Liedson) em jogar na selecção nacional. A menos que consideremos que jogar na SN é mais importante que, por exemplo, ser eleito para a Assembleia da República!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...