quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Sporting e dinheiro

João Vieira Pinto disse na RTP-N que o Sporting tinha de fazer uma opção: ou assumia que não lutava pelo título de campeão ou investia muito mais dinheiro no futebol.
Discordo totalmente: essa é a solução mais fácil. Se uma equipa está mal, injeta-se dinheiro, compram-se dois ou três bons jogadores e resolve-se o problema. Ora as coisas não são assim. Basta pensar um bocadinho para ver isso. O Braga está em 2.º no campeonato e tem certamente um orçamento inferior ao do Sporting, para já não falar nos do FCPorto e do Benfica.
Claro que há jogadores decisivos, que só por si resolvem jogos. Messi inventa golos sozinho. Drogba mete bolas que nenhum outro conseguiria meter. Mas esses jogadores fenomenais contam-se pelos dedos. O futebol é um jogo coletivo - e assenta sobretudo na organização e na dinâmica coletivas. Aí é que reside o seu segredo.
A prova está neste Benfica de Jesus, que joga o dobro do Benfica da época passada, embora tenha quase os mesmos jogadores. Simplesmente esses jogadores estão integrados numa dinâmica onde rendem muito mais.
A equipa do FC Porto também é um exemplo desta verdade. Com Pinto da Costa, o clube atingiu uma tal personalidade, uma tal estabilidade, que os jogadores (e até o treinador) passam e a equipa mantém um rendimento semelhante. E, na Europa, o FC Porto elimina ano após ano equipas com orçamentos muitíssimo superiores ao seu. Dizer que, para os resultados melhorarem, um clube tem de investir mais, é afirmar o óbvio. Só que esse óbvio nem sequer é sempre verdade...

Autor: JOSÉ ANTÓNIO SARAIVA
Fonte: "Record", 17-02-2010

16 comentários:

o Pedro que procura Inês disse...

O Sporting gasto esta época 14 milhões de euros em reforços. O JVP ainda acha pouco?

Curiosamente, Pedro Mendes e João Pereira foram os mais baratos.

Quanto teriam custado o Carlão (apontado ao Sporting pelo Manuel Fernandes), aquele defesa central da naval que termina contrato no fim da época e um lateral esquerdo decente? Se calhar, menos do que o Pongolle...

Mas como a jogar no Championship Manager, o Salame Garção contratava o Pongolle pro Sporting e aquilo era uma máquina de fazer golos... Veio o Pongolle para agora venderem o Izma!

Incrível, não? E andam a ganhar fortunas estes dirigentes "profissionais" que percebem menos de futebol do que qualquer adepto de bancada!

Anónimo disse...

Se o investimento valesse títulos o R. Madrid ganharia sempre a Champions. Estou de acordo, o problema do Sporting não é o investimento. Se fizermos bem as contas, no Sporting, é diferente do que "o Sporting", desembolsou-se bem mais do que no FCP em aquisições. E qual é a diferença nos resultados? Ainda agora, no mercado de inverno, foi do Sporting que saiu o maior investimento da Europa! Resultados, estão à vista. O problema está na gestão. Com estes e os anteriores dirigentes só ganham os empresários e quem com eles reparte. Dar 6,5 milhões por um jogador que já está fora de prazo, Pongoll tem 25 anos???? é, no mínimo um acto lesivo dos interesses do Sporting. E quem paga isso? Não basta "dar o peito às balas." Gostaria de saber se no Santander se deitasse dinheiro à rua como neste caso, o que sucederia? Não atirem mais areia para a cara dos sportinguistas. JEB não se consegue libertar do dominío de MRT que continua a mandar, como dá para notar. JEB diz que dá o peito às balas, mas devia dizer quem é que lhe dá os tiros.

rui dos patos disse...

Estes bandalhos roquetteiros percebem tanto disto como eu percebo de lagares de azeite...

Primeiro, não há dinheiro. Depois, já há, mas em vez de irem buscar jogadores chave como um bom redes, um lateral esquerdo e um central, vão torrar 6,5 M€ no "cinema-mongol". E o Rúben Micael é que era caro...

Está na hora de darem o lugar a outros, de preferência Sportinguistas!

Anónimo disse...

Criticar com verdade è uma coisa, falar de borla è melhor estàr calado 1º- o Porto investiu esta epoca muito mais que o Sporting 2º-o Ruben Micaele jà estava comprometido com o Porto 3º- o Pongolle foi contratado pelo Sà Pinto não sei para è que falam do Salema , quanto ao artigo de opinião , è uma opinião vale o que vale mas não deve ser muito.

o Pedro que procura Inês disse...

Desculpa, anónimo, mas na atribuição de funções de Director Desportivo ao Sá Pinto, a compra e venda de jogadores não era da sua competência: isso até foi tornado público!

Seria de quem? Para "suspeitos", restam o Bettecourt e o Salema, não é verdade?

quanto ao primeiro ponto tens toda a razão, quanto ao segundo repetes o que diz o Bettencourt...

Josué disse...

A contratação do mongol foi da responsabilidade do cotonete que assumiu a pasta das contratações.
A verdade está no meio entre o que disse João Pinto e a opinião do LdE.
Como para a incompetência há limites começo a achar que o JEB quer mesmo liquidar o clube, porque comprar o mongol, que é um caicedo II e vender apenas um dos melhores activos do clube, (Izma), das duas uma, ou este gajo é mesmo incompetente ou então como ele disse, quer mesmo que tenhamos saudades do PB.
Precisavamos de um guarda redes "feito", um central de inegável categoria e mais um lateral, e manter os jogadores de melhor qualidade, e um director desportivo a SÉRIO, essas é que eram as prioridades.
Eu não sou sócio, não posso fazer muito mas alerto os sportinguistas que isto bem pode ser o principio do fim, este homem (JEB) não sabe o que anda a fazer, anda ao sabor do vento, não tem estratégia para o clube, se isto continua assim a próxima época ainda vai ser pior que esta.
Saudações.

djebo imbeccille disse...

Desculpe sr. Josué, mas nós temos estratégia e há muito que está montada: tornar o Sporting uma empresa de futebol, vulgo "clube-empresa", mas que de clube nada tem.

Iniciámos o projecto há 15 anos sob a batuta do nosso mestre, o guru Roquette. Começámos por mandar para abate as modalidades. Com isto conseguimos 2 coisas: ter menos trabalho e dividir os sócios. Dividir para reinar é o lema.

De seguida, mudámos de símbolo, para deixar claro que a partir daquela data, éramos um clube novo e que o passado era para esquecer. Lopes, Mamede, Agostinho, Livramento e outros que tais, só atrapalham o emergir do meu querido Sporting FC.

O "projecto" foi de vento em popa. Cavámos ainda mais o fosso que divide os sócios ao fazermos aprovar a venda do património. É certo que tivemos que armar uma "estrangeirinha" delegando essa decisão nos nossos lacaios do conselho leonino. O que é certo é que resultou! Foi maravilhoso, de tal forma que o meu caro amigo Dias Ferreira já está a trabalhar numa alteração aos estatutos, por forma a criar um órgão intermédio para aprovar essas coisas ( a tal Assembleia Delegada). Sabe, Josué, queremos poupar essa maçada aos velhotes dos cinquentenários, coitados, que querem ir dormir cedo e não podem porque as AG's acabam tarde.

O congresso também foi uma jogada de mestre. Minámos aquilo com pessoal nosso, desde membros dos órgão sociais, até aos presidentes dos núcleos (com a trela posta, obviamente, que essa malta do campo é imprevisível), e fizemos aprovar tudo o que interessava para dar cobertura a um assalto aos estatutos. Claro que houve algumas distracções, como por exemplo deixar passar a proposta de dar mais dinheiro das quotas ao clube do que à SAD. No entanto chumbámos a proposta da "gestão do clube focada no sócio". Foi giro ver a cara de parvos dos amigos do Rogério, os moços da Centúria Leonina, quando a nossa rapaziada chumbou aquela moção.

Trataremos de alterar também o artigo que diz que o estádio se chama José Alvalade. Esse indivíduo tinha uma visão ultrapassada do que deve ser o Sporting, com a mania do desporto e do bem-estar. Os tempos são outros e o importante é o cash-flow. Não podemos ficar reféns das ossadas de ninguém. Assim poderemos vender o "naming" do estádio a uma empresa qualquer. Estádio BES, ou Estádio Matutano... qualquer coisa serve, desde que gere mais valias para a SAD.

O passivo astronómico que dizem que eu ajudei a aumentar não é problema. Com a pasagem do Estádio e da Academia para a SAD, mais os VMOC's, ficaremos a pagar menos juros e o futebol tornar-se-á apetecível para os investidores.

E para aqueles que dizem que o SCP ficará sem nada, é mentira! Fica com os troféus, e eu assumo já aqui perante a família sportinguista que a SAD não cobrará um cêntimo ao clube pelo uso do espaço onde está o museu. Palavra de cavalo-branco!

Como vê, caro Josué, temos projecto.

Com o Sporting na mente,

Ass.: A Comissão Liquidatária do SCP

lesma do mar disse...

"Quando chegou do Brasil e lhe perguntaram se tinha acompanhado o Sporting, o presidente Bettencourt disse: «Infelizmente, estou a par». Já somos dois. Recapitulemos alguns factos.

Na campanha eleitoral recusa-se a debater com o outro candidato. Depois, diz «Paulo Bento forever», ficando refém de um treinador. Já eleito, dispensa Derlei e prefere ir buscar Caicedo.

Como primeiro presidente remunerado do Sporting, diz que vai ganhar menos que o Abel. Uma declaração deselegante para com um jogador do Sporting.

Quando Paulo Bento sai, diz que os sócios ainda vão ter saudades dele, pondo desde logo em xeque o próximo treinador.

Ao mesmo tempo, depois de se ter batido para aumentar o número de sócios, chegando aos 100 mil (uma óptima medida), menospreza um sócio por ser o 90 e tal mil. Menospreza e quer bater.

Depois de não ter força para trazer Villas Boas da Académica, não consegue esconder esse facto e Carvalhal fica desde logo diminuído por se perceber que foi segunda escolha e por não ser apresentado à comunicação social, sendo antes apresentado on-line. O Sporting comunica mais com a CMVM do que com os sócios.

No mercado de Inverno não consegue o regresso de André Santos, porque no contrato de empréstimo o departamento jurídico do Sporting se esqueceu de colocar uma cláusula de resgate. Uma incompetência que devia ser o suficiente para o administrador responsável devolver o prémio. Descobre-se que o direito de preferência sobre Carlão se resume a um acordo verbal entre Pedro Barbosa e alguém do Leiria. Não vale nada, portanto.

Compra João Pereira. Boa contratação. Mas que entra mal no clube ao ser apresentado, não aos sócios e através da comunicação social, mas num jantar de uma claque. Pongolle, esse, custa 6,5 milhões. Não é dito onde estava esse dinheiro no Verão, quando, por exemplo, Nené saiu do Nacional por 5,5.

Sá Pinto anda à bulha com Liedson. Uma das razões para o incidente é a falta de autoridade que Sá Pinto tinha, porque a estrutura não lha conferiu. O incidente é posto imediatamente nos jornais e ainda não se sabe quem é o bufo.

O presidente vai de férias, sem se pronunciar sobre o sucedido.

São publicadas escutas do Apito Dourado. Numa delas, Bettencourt e o Paulinho são injuriados por Pinto da Costa. Ninguém do Sporting diz nada.

O Sporting perde três jogos importantes seguidos. Bettencourt continua de férias.

Antes do jogo com o Benfica, Luís Filipe Vieira (LFV) acusa o presidente do Sporting de faltar à palavra. Não se defende.

A primeira vez que fala nos últimos tempos não é para se referir convenientemente ao caso Sá Pinto e ao bufo, às pesadas derrotas, às referências insultuosas nas escutas ou à acusação de falta de palavra de LFV. Não, é para dizer que Carvalhal depende dos resultados. Exige a este treinador o que nunca exigiu a Bento. Ou o que é que José Eduardo Bettencourt acha que «forever» quer dizer? Volta a desprezar o treinador quando diz que com Bento é que faria uma boa dupla. Portanto, dá este voto de confiança a Carvalhal no dia em que se vai tentar pôr fim a quatro derrotas consecutivas.

Mas não é só isso que JEB diz. Diz também que quer implementar um modelo à Porto, porque o Porto há 30 anos que é o melhor. JEB esquece que o modelo do Porto, escarrapachado nas escutas, assenta em fruta e cafezinhos e que muito tem lesado o Sporting. É que no Porto, em altura de crise, não é o presidente que mandam para o Brasil. É o árbitro.

Percebe-se porque é que o presidente ganha menos do que o Abel: é que o Abel tem de ficar cá a assistir ao descalabro, não se pode pisgar para o Brasil. De onde, se é para dizer estas coisas, JEB mais valia não ter voltado."

Excerto da crónica de José Diogo Quintela

Petinga disse...

Djebo imbecille

Muito bom!!!!
tragico mas veridico

Anónimo disse...

Ou asumia que lutava pelo titulo de campeão ou investia muito mais dinheiro no futebol.

Dando o exemplo do Braga, joga para ser candidato, mas nunca se assume.

Tal como o Sporting não o deve fazer.

digam-me uma coisa, acham que o braga para o ano estará da mesma forma a lutar pelo titulo?

JVP fala em construir uma estrutura forte e duradora... Não um um caso isolado.

veja-se o boavista... o guimarães á 2 anos... veja-se o leixões da 1ª volta da época passada...

tiraram o wesley foi o k se viu...

o sporting pode andar 20 anos a "poupar" e até ganhar... 1 ou 2 campeonatos, não mais do que isso.

Filipe Fernandes disse...

Quantos titulos ganhou o Sporting nas décadas 80 e 90?

Anónimo disse...

Como podem comparar a candidatura ao título de uma equipa como o Braga ao caso do Sporting?? O Braga inicia um percurso nos último 5 anos e talvez venha a atingir o auge este ano. Ninguém exige o título ao Braga e não se assumem como candidatos.
Ao contrário, o Sporting é geneticamente candidato não há lugar a anos de preparação. Desta forma é mais fácil gerir um orçamento mais reduzido.

Anónimo disse...

Como é óbvio, o JVP tem razão, e o Senhor Saraiva percebe zero de bola.

Como é óbvio. Por cada um exemplo de excepção (o Braga este ano, o Boavista de há dez anos, o AZ na Holanda, WOlfsburgo, e mais dois ou três por essa Europa), ganha quem investe mais.

Ganha Barça ou Madrid em Espanha, ganha Porto aqui, ganha Inter em Itália, ganha Man UTD ou Chelsea em Inglaterra, ganha Bayern na Alemanha, ganha Lyon e Bordéus em França, ganham sempre os mesmos nos mesmo sítios. E sim, ganha quem mais investe.

E este ano cairá para o Benfica, um clube que em 3 anos gastou 50 milhões de euros em contratações. Javi Garcia, Ramires, Aimar, Di Maria, Saviola, Cardozo. Foram todos baratos? Nem um.

Mas se quiserem assobiar para o lado e dizer que o dinheiro não conta para nada, como o Saraiva, esse portento de tipo que percebe de bola à barda, força.

Aliás, esta nossa última década de não-investimento (comparada com Benfica e Porto) tem-nos trazido títulos e mais títulos. Aliás, azar dos azares, a última vez que fomos campeões implicou gastar-se dinheiro.

João Moura

Anónimo disse...

O problema é que não tens dinheiro para mandar cantar um cego, e o pouco que tens torra-lo em suplentes do Atleti. Assim não vais lá...

Para além disso, tens uma cáfila de incompetentes a enxamearem os corredores de Alvalade, que não têm capacidade de gerar receitas num clube de 3 milhões de adeptos.

É uma tristeza.

Sporting até morrer disse...

Não posso concordar com o José António Saraiva quando diz que o Benfica joga o dobro do ano passado com os mesmos jogadores.

Os mesmos?
Saviola, César Peixoto, Ramirez, Javi Garcia, Coentrão são mais de meia equipa titular a quem se deve juntar Cardozo que estava ostracizado, e ainda os outros reforços que também vão jogando: Julio César, Airton, Kardec, Schaffer, Weldon, Eder Luís.

Isto não foi uma revolução?
Foi o que faltou ao Sporting este ano em vez do PB forever...

Mesmo assim não é este o meu modelo favorito, pois esse está no Sporting de 99/00, composto por muita humildade e amor à camisola.
Esse plantel, sim senhor, foi o último a honrar as nossas célebres palavras de esforço, dedicação, devoção e glória.

Se o actual plantel se esforçasse metade do que faziam jogadores como Acosta, Schmeichel, Duscher, Vidigal e outro estariamos noutra posição neste momento.

SL

Anónimo disse...

Tenho pena que o Carlos Carvalhal que e excelente treinador e o maior inocente não renove por mais 3 ou 6 anos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...