quarta-feira, 10 de março de 2010

O café de Coimbra que sofre pelo Sporting

Peguemos numa máquina do tempo ainda por inventar e recuemos dez anos. Estamos a 9 de Março de 2000. O medo do apocalipse já lá vai e em Portugal uma equipa começa a ameaçar a hegemonia do FC Porto, que parece ir a caminho do sexto título consecutivo. Essa equipa é o Sporting, que já não se sagra campeão desde 1982. Por todo o país, os sportinguistas começam a aparecer na esperança de festejar um título, muitos deles pela primeira vez. As histórias de grandes sportinguistas surgem na comunicação social e uma delas ganha mais força que todas as outras: a de um restaurante em Coimbra que não aumenta o preço do café desde o último campeonato.
Na altura, vivíamos ainda no reino do escudo e, se na maioria dos sítios o café se bebia a 100 escudos, o Restaurante Brasil vendia-o a 25. Porquê? Maria de Jesus da Silva, a proprietária do estabelecimento (na foto, com o cachecol leonino), repete ao "i" uma explicação que chegou a dar vezes e vezes sem conta no passado: "O Sporting já não era campeão há algum tempo e uns amigos benfiquistas do meu marido [Manuel de Jesus] provocaram-no para ele não aumentar o preço do café enquanto o Sporting não voltasse a ser campeão."
Maria de Jesus manteve a promessa inquebrável mesmo depois da morte do marido, num acidente de viação, em 1995. Na sombra do café a 25 escudos, o café ganhou notoriedade e passou a ser um ponto de paragem obrigatório de muitos sportinguistas, apesar de o estabelecimento ser frequentado principalmente por benfiquistas. "Sempre foi um hábito. Gostam de cá vir e nem se importam que seja tudo verde à volta. Na altura, o pior nem era isso. Quando se começou a saber em todo o lado que o café era mais barato, começou a aparecer gente muito oportunista, que chegava a vir cá beber três cafés durante a manhã. Nunca me importei com o prejuízo que a promessa provocou, mas não foi com esse intuito que foi feita. Acabámos por arranjar a solução de adiar a abertura do estabelecimento para as dez horas."
A noite de 14 de Maio, quando o Sporting foi finalmente campeão, mantém-se como uma das melhores recordações de Maria de Jesus. A presença das várias televisões, o estabelecimento completamente cheio, o trânsito cortado e, acima de tudo, o título do Sporting contribuíram para que fosse uma noite inesquecível. Os festejos davam margem para tudo, inclusive para um cliente que decidiu pagar um café com uma nota de dez contos, desabafando: "Por todos os cafés, por todos os cafés."
A subida do preço para os 100 escudos não tinha data marcada mas, perto da meia-noite, o presidente do Sporting da altura, José Roquette, cumpriu a promessa e passou por Coimbra para beber o último café ao preço antigo e o primeiro a 100 escudos: "O Sousa Cintra e o Santana Lopes também já tinham dito que vinham quando o clube fosse campeão, mas não estava nada à espera. Foi tudo uma surpresa." (continua aqui)

Reportagem publicada pelo jornal "i", 09-03-2010. Leia mais clicando aqui.

6 comentários:

Leão do Sul disse...

Cafés destes não têm os vermelhuscos, nem os gajos do pomar da fruta madura...

E os defensores da SAD, onde estão? Nem pelo pai Roquettte ter lá ido vêm cá comentar????

Anónimo disse...

Ainda bem que não temos dasse!
Só tem cafés destes quem não ganha nada durante décadas caso contrário não valia a pena colocar o café barato e prometer que só subia quando se fosse campeão!... lol

Além disso, um café onde a principal clientela é vermelha... deve ser mm para gozar, so pode!

Paulo Ramos

A.C. disse...

Isto é sofrer pelo clube ate com prejuizo proprio. e andam atrasados mentais como rui oliveira e costa e dias ferreira portistas disfarçados que so envergonham o Sporting sempre nas zonas vip e nas jantaradas a falar por estas pessoas.

cavalgadura branca disse...

Comentar para quê? É um post sobre paixão. Eles gostam é da lógica do "cliente" futeboleiro.

VG'76 disse...

Peço ao LdE que não deixe passar comentários onde constem os nomes "Oliveira e Costa" e "Dias Ferreira". Não consegui suster o vómito e agora tenho que limpar o teclado.

filhote disse...

Notável, também o restaurante do chefe Santos no centro do Rio de Janeiro. Genuína "capela" sportinguista, além da boa gastronomia portuguesa.

Não é verdade, amigo Gouveia?

À sexta-feira, o leonino chefe Santos prepara umas favas de ir às lágrimas.

Por isso, aqui deixo o desejo sincero que para o meu clube - Benfica -, e para o vosso, as 2ªs eliminatórias da Taça Europa sejam favas contadas. Não serão, seguramente, mas que sigam em frente!!!

Saudações benfiquistas!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...