quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Os joelhos de Venâncio e falta de memória

Num exclusivo do LEÃO DA ESTRELA, o antigo jogador leonino Virgílio Lopes escreve sobre o antigo "capitão" Pedro Venâncio, a falta de memória no Sporting (que provoca o desrespeito pelos seus símbolos) e as campanhas de marketing do clube "manhosas" e por vezes "incompreensíveis". O título deste "post" é da responsabilidade do LEÃO DA ESTRELA.

Esta é uma boa oportunidade para dizer alguma coisa sobre o Venâncio. Em primeiro lugar, o Pedro é, na minha opinião, o último grande símbolo do Sporting. Colocou sempre em primeiro lugar os interesses do Sporting, arriscando, tantas e tantas vezes, a sua carreira e o seu futuro. Não conheci ninguém com uma capacidade de sacrifício, uma entrega e uma disponibilidade para servir o clube, em todas as condições, sujeitando-se ao que fosse necessário sem nada pedir em troca, que se pudesse comparar com ele. Fui testemunha de muitos desses momentos.
Era, aos dezoito anos, quando se tornou profissional, um defesa central fabuloso e um homem com uma postura absolutamente exemplar. Não atingiu talvez, como atleta, o lugar que todos os que com ele privávamos diariamente prevíamos. As lesões eram terríveis e por vezes aquilo que assombrava era que, apesar delas, ainda conseguisse jogar ao nível que apresentava.
Quanto à sua postura como homem manteve-se inalterável. O Venâncio foi um futebolista por quem todos tinham um enorme respeito, dentro e fora do clube, foi um capitão de equipa exemplar, um brilhante treinador no futebol de formação e um dedicado e leal adjunto no futebol profissional. Sobretudo nesta última função conseguiu aquilo que é extraordinariamente difícil: ser leal ao seu clube e ao treinador com quem trabalhava.
Nem quando foi tristemente desrespeitado pelo Sporting, o Venâncio deixou perceber o quanto isso lhe doía e manteve um silêncio que traduzia uma enorme prova do seu respeito pelo Sporting. Em resumo o Pedro Venâncio fez aquilo que só os verdadeiros símbolos desta instituição são capazes de fazer: serviu sempre o seu clube sem nunca lhe passar sequer pela cabeça servir-se dele.
Ser um símbolo do Sporting Clube de Portugal é ter um lugar muito especial na história do clube. Apenas uns poucos o conseguiram ao longo dos anos e convém que continuemos a ser extraordinariamente exigentes quanto às qualidades necessárias para pertencer a esse pequeno grupo, que é composto não apenas por futebolistas mas também por dirigentes, funcionários e atletas de outras modalidades.
Custou-me muito ver a ignorância de alguns adeptos sportinguismos, aqui na Internet, sobre um figura impar do Sporting como foi o grande massagista Manuel Marques. Seria bom que os responsáveis pela comunicação do clube fossem realmente responsáveis e não deixassem morrer na memória dos adeptos algumas destas figuras que foram, e serão sempre, enormes exemplos de sportinguismo e de bem servir o clube do seu coração. Talvez o retorno fosse bem maior do que o que tem sido conseguido com estas últimas campanhas promocionais manhosas e por vezes verdadeiramente incompreensíveis.
Se não conhecem a história do clube, e nalguns casos isso é tristemente evidente, procurem quem a conheça e mantenham-na viva. Nestes tempos em que alguns daqueles que são apresentados como símbolos, fabricados artificialmente por dois ou três jornalistas amigos, ajudados por alguns dirigentes, se vão servindo do clube em vez de o servirem, são fundamentais os exemplos dos grandes sportinguistas, que são na realidade o nosso orgulho. Os outros são apenas bons atletas ou dirigentes competentes, por exemplo. Alguns, para mal do Sporting, nem são competentes nem sérios.
Voltando ao Pedro Venâncio. Estivemos a conversar no dia da Festa de Homenagem ao Iordanov e contou-me que os joelhos estão a ceder definitivamente e que teme inclusivamente pela sua capacidade de mobilidade no futuro. Se no Sporting não sabem desta situação, tinham a obrigação de saber. De qualquer forma ficam agora informados.
Espero que tenha à sua disposição os médicos e os recursos de recuperação que o Clube possui. De forma sincera e atenta. Aproveitamentos para melhorar a imagem são, como é evidente, desonestos e deploráveis.
O Pedro Venâncio sentir-se-ia definitivamente mais feliz se percebesse que valeu a pena tudo o que fez pelo Sporting Clube de Portugal, e que continua a ser admirado e respeitado, pelos dirigentes e adeptos do seu clube.
Quanto ao que o Venâncio afirmou ao DN, não estou de acordo. O que o Sporting precisa acima de tudo é de competência. Se quem desempenhar funções no clube, for competente e adepto do Sporting melhor ainda. Mas em primeiro lugar tem que estar a competência, qualidade que nos últimos anos não tem sido propriamente abundante em Alvalade.

Virgílio Lopes, futebolista do Sporting Clube de Portugal nas décadas de 1970 e 1980 (via Facebook:
http://www.facebook.com/leaodaestrela)

12 comentários:

Jota disse...

Concordo com muito do que o Virgílio diz. E concordo que muitos alegados adeptos desconhecem completamente a história do clube, mesmo a mais recente. Como, por exemplo, aqueles adeptos que querem ver o clube cheio das chamadas "referências", mas que não se cansaram de exigir as saídas de Paulo Bento e Pedro Barbosa, eles sim, duas das maiores referências do clube nas últimas décadas.

Se é verdade que há jogadores que deram muito ao Sporting, como Venâncio, Oceano, Carlos Xavier ou o próprio Virgílio, também o é que são nomes que estiveram ligados a um período muito mau da história do clube, em que nada se ganhava. É só por isso que me custa ver antigos jogadores que nada ganharam a darem conselhos e dicas a quem, hoje, também nada ganha. Porque as verdadeiras referências do Sporting, essas já estão todas mortas. Falo de Travassos, Vasques, Albano, Azevedo, etc, que deixaram Alvalade com 6, 7, 8 títulos de campeão.

Por isso lá está: não havendo hoje em dia referências que nos possam ensinar alguma coisa o melhor é mesmo apostar na competência.

Só para comparação: com a saída de Bruno Alves, quantas referências há no plantel do Porto? Pois é. Eu, cá por mim, prefiro um jogador que marque 30 golos por ano e os festeje normalmente do que um que marque 3 e beije o emblema e aponte para a claque de cada vez que marca. Mas isso sou eu, que sou esquisito.

Campo Grande disse...

Excelente post! Parabéns, Virgílio, pela coragem, pela inteligência e pelo desprendimento!

PARABÉNS LEÃO DA ESTRELA POR SER UM ESPAÇO DE LIBERDADE QUE NÃO ENCONTRAMOS NA IMPRENSA!

Anónimo disse...

Caro Virgílio,

Excelente texto. É reconfortante saber que os nossos antigos atletas e campeões se continuam a preocupar com o clube, mesmo quando o clube não soube - e muitas vezes não sabe - dar-lhes o reconhecimento que merecem.

Permita-me também que o felicite pela lucidez do seu último parágrafo. Também eu discordo do Venâncio nesse aspecto. O que faz um bom dirigente não é ser sportinguista - isso somos todos nós - é ser competente, uma qualidade bem mais rara. O resultado de se confundir uma coisa com a outra está à vista de todos.

Saudações leoninas,

Pedro Estêvão

Anónimo disse...

Total e absolutamente de acordo com o texto do SENHOR Virgílio Lopes.
Quando um qualquer adepto sportinguista falar do SENHOR Pedro Venâncio, deve fazê-lo com respeito e gratidão por um atleta que fez jus ao lema do grande SCP.
Não ganhou títulos ? Isso faz parte do jogo.
O que me interessa é a forma como se serve o Clube.
O SCP ao longo da sua história nunca foi ingrato para ninguém; quem foi foram figuras (ou figurões) que por lá passaram e fizeram mau uso do poder temporário que lhes foi conferido, e que por essas atitudes desrespeitaram e envergonharam o Clube.
O Virgilio deixa um repto à actual Direção do SCP. Estaremos atentos à reacção.
Leão da Lapa

Nuno Miguel Caetano disse...

Aplaudo de pé o que escreveu Virgílio Manuel Bagulho Lopes.

E eu também espero que Pedro Manuel Regateiro Venâncio tenha à sua disposição esses médicos e esses recursos de recuperação o quanto antes!

P.S.: perdoem-me a utilização dos nomes c...ompletos. Foram jogadores dum tempo em que, para mim, eram como se fossem da minha família. Muitos, agora, nem merecedores são da camisola que envergam e que (por vezes) suam...!

Pedro Góis Nogueira disse...

Virgilio à sua altura. Uma lição de solidariedade e sportinguismo. Era bom que o Sporting tivesse memória e ajudasse o Venâncio, creio que não fará mais do que a sua obrigação.
De resto, pessoalmente gostava de ler mais vezes o grande Virg...ilio. Escreve muito bem. São textos muito úteis.

Anónimo disse...

Um puto cheio de razão...

"o adepto sportinguista é um pouco instável emocionalmente".

Carriço - The Captain Kid

...a exemplo do presidente da AG,(em tratamento no Júlio de Matos!) a grande maioria anda a
ansiolíticos.

Nuno Lourenço disse...

Aproveito para dizer que assisti de inicio a carreira do Venancio no nosso clube e tenho de dizer que o nosso clube nao teve um comportamento correto com o venancio no tempo do sr. Sousa Cintra tendo sido dispensado de forma vergonhosa.
Acho... que o Venancio deve estar dentro da estrutura do nosso clube e desde ja agradeço ao Virgilio tambem grande profissional no nosso clube este texto em defesa do Sportinguismo do Venancio.

Orlando Soares disse...

GRANDE COMENTÁRIO DO VIRGILIO,NOTA-SE AQUI O NIVEL DE INTELIGENCIA DE UM DOS BONS FUTEBOLISTAS QUE PASSARAM PELO SPORTING...GOSTEI TAMBÉM DAQELE REPARO QUANTO A IGNORANCIA DOS SPORTINGUISTAS DE UMA DAS SUAS GRANDES FIGURAS O MASSAGISTA MANUEL MARQUES O MÃOS DE OURO COMO ERA APELIDADO,ATÉ NO ESTRANGEIRO ALGUNS GRANDES FISIOTERAPEUTAS,ME DIZIAM QUE ELE ERA O MELHOR DO MUNDO.

Fernando Melo disse...

Li o comentário do Sr. Venâncio e nos comentários que li estão lá uns atrzados mentais que dizem que ele tambem quer um tacho, por amor a Deus calem-se, só um animal pode zurrar um comentário desses.

Sporting até morrer disse...

Ó Jota,

Prefiro mil vezes esses jogadores de um período em que não ganhámos nada que estes de um período em que nada ganhamos.

Esses suavam e honravam a camisola!

Estes só pensam no ordenado ao fim do mês...

Não fale mal de jogadores como Carlos Xavier, Oceano ou Venâncio pois isso nem parece de um sportinguista...

SL
José

Piedoso disse...

O Sporting morreu no dia em que João Rocha saíu.

O que se vem assistindo daí para cá é ao esventrar da carcaça por hienas e chacais, com um coro de néscios a aplaudir.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...