quarta-feira, 31 de março de 2010

Os bufos do Sporting estão bem colocados

A decisão está oficialmente tomada: Carlos Carvalhal não será treinador do Sporting na próxima época. A notícia, porém, já era conhecida publicamente quase há um mês, tendo sido revelada pelo "Record" em 6 de Março. O que confirma o Sporting como um clube absolutamente transparente. É por isso que sabemos há muito que o próximo treinador será o jovem André Villas-Boas, uma incógnita, que luta pela permanência da Académica na I Liga (está quase...) e que tem no currículo colaborações em equipas técnicas de José Mourinho. Agora, talvez para dar a ideia de que nada está decidido, também se diz que os franceses Paul Le Guen (seria bom, seria...) e Tigana estão a ser analisados como hipóteses para treinar o Sporting.
O que tudo isto revela é que os famigerados bufos do Sporting, de que Paulo Bento foi o primeiro a queixar-se, não são os jogadores - como julga Costinha. Eles estão certamente muito melhor colocados na estrutura leonina. Caso contrário, como seria possível haver jornais a contar tantos pormenores, sem que o clube se escandalize com o "streap-tease"?... Conseguirá Costinha dar com os verdadeiros bufos?... FOTO: "A Bola"

A influência de Jorge Mendes

Tenho admiração pela competência profissional do empresário Jorge Mendes. É um agente FIFA de sucesso - um dos melhores do mundo e dos que mais dinheiro movimentam. E os seus jogadores costumam ser um exemplo de comportamento nos clubes que representam, uma vez que, é público e notório, têm um apoio de retaguarda fornecido pelo empresário, nomeadamente ao nível do seu relacionamento com os meios de comunicação. Basta atender à transformação por que passou o sportinguista Miguel Veloso...
Por isso, considero que o facto de Jorge Mendes ser o empresário eleito para mandar nas compras e vendas de jogadores do Sporting acabará por ser positivo, pois terá o condão de poder esconder as crónicas debilidades leoninas ao nível dirigente.
Gosto do estilo discreto e eficaz de Jorge Mendes, mas acho negativo que os dirigentes do Sporting abram todas as portas ao empresário, demitindo-se da sua missão de dirigir o clube de dentro para fora, que é para isso que foram eleitos. A questão é que não se conhece outro clube português ou estrangeiro onde um empresário exerça tanto poder como aquele que Mendes está a revelar em Alvalade, a começar pela escolha do director do futebol, Costinha.
Das três aquisições de Inverno que temos como amostra, o que podemos dizer é que Mendes trouxe uma certeza com influência positiva na equipa (Pedro Mendes), uma certeza instável que ficou aquém do que prometeu nos primeiros dois jogos com a camisola leonina (João Pereira) e uma desilusão muito cara (Pongolle). Ou seja, Jorge Mendes (que tem a seu favor ter sido o empresário que mais dinheiro deu ao Sporting numa transferência com a venda de Nani ao Manchester United) ainda não se revelou como uma mais-valia nesta ligação ao "Sporting de Bettencourt"...
É evidente que tudo correrá bem enquanto estivermos na fase dos nomes que aparecem nos jornais como hipotéticos reforços, para o futuro imediato ou para o médio prazo. Esperemos que o Sporting ganhe com a acção de Jorge Mendes e não se transforme num laboratório de experiências e negócios do empresário.

terça-feira, 30 de março de 2010

A homenagem a Yordanov

No dia 5 de Maio, às 20h30, o antigo avançado búlgaro do Sporting Yordanov terá, finalmente, a sua festa de homenagem. A prestar pelo Sporting, não por iniciativa própria mas por imposição de um tribunal, num caso estúpido, já abordado aqui no LEÃO DA ESTRELA, conforme podem confirmar nos links em baixo. E isso é que é vergonhoso para o Sporting e para os sportinguistas. Não sei se os burocratas da Sporting SAD, que foram derrotados em tribunal, estarão por Alvalade nesse dia.
O que já sabemos é que não faltarão amigos do antigo "capitão" leonino, nomeadamente os internacionais portugueses Vítor Baía, Rui Costa, Pauleta, Jorge Costa, António Veloso, Paneir e Neno, assim como vários antigos companheiros de equipa, designadamente Oceano, Pedro Barbosa, Rui Jorge, Beto, Pedro Venâncio, Carlos Xavier, Marco Aurélio, Vidigal, Nelson Alves, Luisinho, Sá Pinto, Leal, Filipe Ramos, Paulo Costinha, Pedrosa e Nelson Pereira.

MAIS DADOS SOBRE O "CASO" YORDANOV NO "LEÃO DA ESTRELA":

segunda-feira, 29 de março de 2010

Izmailov reforça Costinha

O director do futebol do Sporting, Costinha, é o grande vencedor do "caso" Izmailov. Embora, inicialmente, tenha revelado precipitação, ao mandar Izmailov para casa, em pleno estágio para o jogo com o Atlético de Madrid, a verdade é que uma viagem do jogador para a Rússia no próprio dia do embate com os espanhóis acabou por reforçar a imagem de Costinha.
Independentemente dos factos, a ideia que fica é muito clara: Izmailov não estaria com confiança para jogar e estaria à espera de abandonar o estágio porque já teria um bilhete de avião para se deslocar à Rússia; Costinha reagiu de forma dura às reticências do atleta em participar no jogo com os espanhóis porque suspeitaria de algo de anormal. Pode não ter sido assim (Izmaillov até poderia ter decidido viajar depois de ter abandonado a Academia), mas é esta a percepção com que fiquei deste caso. O director de futebol do Sporting reforça a sua imagem e o seu poder em Alvalade, pois mostrou que estava certo para agir como agiu, aparecendo aos olhos dos sportinguistas como competente para a função que ocupa. Se não houver mais nada que nos escape neste imbróglio, ainda bem para o Sporting.
Izmailov vai agora pedir desculpas ao Sporting e aos adeptos pela viagem à Rússia realizada sem autorização (de acordo com o regulamento interno os jogadores têm que pedir autorização para se deslocarem ao estrangeiro), o que acontecerá numa entrevista a publicar nesta terça-feira pelo jornal do clube. Como se trata de um atleta sem histórico de indisciplina, apesar de ter Paulo Barbosa como empresário, Izmailov será facilmente perdoado pela nação sportinguista.
Resta o médico Gomes Pereira, a figura que ficou machucada neste processo, pelas contradições entre ele e o jogador que resultaram da exposição mediática deste caso. Fala-se que o seu lugar poderá ser ocupado por um médico escolhido pelo empresário Jorge Mendes, o mesmo que trouxe João Pereira, Pongolle e Pedro Mendes e que agora comanda a central de compras de Alvalade...

Bettencourt calado não diz asneiras

Quando os sportinguistas mais precisavam da voz do timoneiro, de alguém que aponte o caminho, sobretudo agora, que é tempo de dificuldades, o presumível timoneiro cala-se. Uma coisa é certa: calado, o homem não diz asneiras. Como se pode ler aqui. O problema é que o Sporting deixou de ter uma voz no futebol português, pois não tem opinião relevante sobre nada. Apoia o portista que o FC Porto apoiar para a Liga de Clubes e já é muito. Quando rebentou o Apito Dourado, era preciso esperar pelos tribunais. Agora, o melhor é estar calado para não dizer asneiras. O Sporting Clube de Portugal não tem uma ideia sobre nada. Apenas sabemos que quer imitar o FC Porto. É a negação de uma história centenária no desporto português.

domingo, 28 de março de 2010

Um PEC a sério para o Sporting

A SAD do Sporting adiou por seis meses a conclusão do famigerado projecto de reestruturação financeira, o caminho escolhido por Filipe Soares Franco para gerir o clube (há quem considere que esse plano visa acabar com o clube), que José Eduardo Bettencourt, como cérebro da continuidade do projecto inventado por José Roquette, se limitou a apoiar. Porém, o Sporting demora a parir esse plano.
Na campanha eleitoral, em Maio último, Bettencourt elegeu a reforma financeira como uma prioridade absoluta para os primeiros dois meses da sua presidência. Objectivo: libertar o clube do peso dos compromissos bancários e conseguir meios financeiros para apostar forte no futebol profissional. Mas, até agora, no que à gestão de Bettencourt diz respeito, só temos conhecido trapalhadas... E aquilo que era essencial para dar continuidade ao franquismo - o único objectivo da sua candidatura à presidência nas eleições de 2009... - tem sido adiado. Agora, anuncia-se para Setembro de 2010 a conclusão do dito plano. O que demonstra que, apesar de Alvalade ter agora um presidente profissional, as coisas continuam a decorrer devagar...
Entretanto, esta reestruturação financeira tem servido para o exercício da maior demagogia. É evidente que o Sporting precisa de renegociar a sua dívida aos bancos, recorrendo a todo o tipo de engenharias financeiras que os banqueiros inventam (sempre no sentido de serem eles a ganhar e nunca os clientes, sendo o Sporting um cliente como outro qualquer). Mas como o Sporting está endividado, sem receitas extraordinárias à vista, sem Liga dos Campeões no horizonte, e à beira da falência, é uma ilusão esperar grandes investimentos na equipa de futebol profissional. Como é uma ilusão fazer depender um investimento maior no futebol dessa reestruturação financeira. Mas a verdade é que já vão preparando a massa adepta leonina para o pior, dizendo que, com o adiamento da reestruturação financeira, será difícil investir mais no futebol já em 2010-2011. Não sabemos o que fará o director do futebol, Francisco da Costa, que, é bom recordar, entrou em Alvalade para conjugar o verbo ganhar em número de vezes suficiente para ser campeão. Terá meios para isso?...
Ora, nem sempre querer é poder. O Sporting precisa de abandonar promessas vãs e assentar os pés no chão, deixando de ser guiado pela loucura, que promete, com uma seriedade aparente, o possível e o impossível ao mesmo tempo. A questão é que não é possível investir na equipa de futebol para ser campeão se não há dinheiro nem para os compromissos já assumidos. É preciso lembrar que o Sporting paga em juros à banca, anualmente, uma verba equivalente ao que custa a equipa de futebol. É muito dinheiro. Se não houvesse juros a pagar aos bancos o Sporting teria meios para investir mais do que o FC Porto e mais do que o Benfica. Mas o quadro não é esse.
Infelizmente, José Eduardo Bettencourt não pode ser mais do que um gestor da dívida leonina. Está igual a José Sócrates no comando do País... Só precisa que alguém faça um PEC (Plano de Estabilidade e Crescimento) a sério para aplicar no Sporting. Ainda que esse PEC implique que o Sporting não tenha a responsabilidade de lutar pelo título durante 2 ou 3 anos. Para que os sportinguistas saibam quais são as metas do crescimento do clube e não sejam iludidos com promessas de títulos que não podem ser conquistados... Para que os sportinguistas não tenham a promessa do título nacional quando equipa mal consegue segurar o quarto lugar...

sábado, 27 de março de 2010

Onde está o jornalismo?...

Esta capa do jornal "Record" é mais uma prova de que o jornalismo português anda pelas ruas da amargura. Quanto é que o Benfica pagou por isto? Se não pagou nada, e acredito que não tenha pago, estaremos perante uma manifestação de benfiquismo primário por parte da redacção da Cofina, que é deontologicamente condenável... Os jogadores do Braga não teriam amigos de outros clubes a torcer por eles no jogo desta noite, no Estádio da Luz?...
Já estamos fartos destes laparotos sem escrúpulos disfarçados de jornalistas que são pontas-de-lança dos clubes nos meios de comunicação. É por estas e por outras que todos somos poucos para torcer por um Sporting Clube de Braga campeão nacional!... É por estas e por outras que, onde quer que jogue o Benfica, o que eu quero é que perca, e que perca por muitos, seja em Portugal ou no estrangeiro.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Pongolle começa a marcar... nas duas balizas

Depois de uma semana assinalada pelo regresso da turbulência ao balneário do Sporting, a equipa claudicou, na Madeira, interrompendo um ciclo de cinco jogos consecutivos no campeonato sem perder, pinceladas com grandes exibições. Frente ao Marítimo, regressou o futebol depressivo e o resultado (3-2) acaba por ser justo para a equipa da casa pela forma afoita como encarou, em especial, o segundo tempo.
Com o jogo empatado a uma bola a dez minutos dos 90’, saíram do banco os protagonistas das grandes emoções dos derradeiros instantes. Carvalhal jogou primeiro e apostou em Pongolle para a cartada final, mas a sorte não quer definitivamente nada com o francês, que involuntariamente desviou uma bola para as redes de Rui Patrício. Van der Gaag reagiu de imediato à entrada do avançado sportinguista, chamando Pitbull, que apontou o terceiro golo insular, num grande remate à entrada da área. Antes do fim da partida, Diakité, entrado já em cima dos descontos, ainda teve tempo de rasteirar Pongolle na área, com o ex-Atlético de Madrid a retractar-se e a cobrar o castigo máximo, fixando o resultado em 3-2.
Ler mais aqui.
FONTES: "Público" (texto) e "Reuters" (foto), 26-03-2010

Um manicómio alucinante

A cada dia que passa começam a faltar as palavras para definir o futebol do Sporting. Por agora só me ocorre defini-lo como uma espécie de manicómio alucinante, tais são as novidades que brotam todos os dias. E a realidade, como sabemos, vai muito além daquilo que os jornais conseguem saber e conseguem publicar.
Ontem, Izmailov tinha quebrado o silêncio para responder ao director de futebol Costinha e ao médico Gomes Pereira, tendo revelado que tem jogado injectado, não tendo sido desmentido. Mas hoje, ficamos a saber, afinal, que o jogador aproveitou o facto de ter sido afastado do estágio que antecedeu o jogo com o Atlético de Madrid para viajar até à Rússia, onde, aliás, terá falado ao "Sport Express".
Conforme as coisas estão neste momento, Costinha passa a bestial e Izmailov transforma-se em besta. Mas não sabemos o que virá a seguir. Até porque Izmailov foi convocado para o jogo com o Marítimo, embora, ao que mandou dizer Costinha, tenha sido apenas para proteger o atleta. Protecção de que Costinha não se lembrou quando mandou o jogador para casa antes do jogo com o Atlético de Madrid, nem quando foi a correr para a sala de imprensa de Alvalade, mal acabou a partida com os espanhóis, para contar uma parte desta história de loucos aos jornais e às televisões...
Como evidencia o blogue O Cacifo do Paulinho, neste texto magnífico, que é o melhor retrato da temporada leonina 2009-2010, Izmailov é só mais um entre muitos casos em tão pouco tempo. Qual será o próximo? Num manicómio é impossível de prever...

quinta-feira, 25 de março de 2010

Izmailov arrasa Costinha e o médico do SCP

Metido num caso rocambolesco que não criou, ao ter sido brutalmente acusado de falta de profissionalismo por não se sentir confiante para dar o seu contributo à equipa, dado estar lesionado e precisar de tomar injecções para jogar sem dores, o jogador russo Marat Izmailov reagiu agora de forma muito contundente, arrasando Costinha e o médico Gomes Pereira. Não com acusações disto ou daquilo, mas com factos. Ora, os factos são sagrados.
Não tenho razões para não acreditar em Marat Izmailov, que até agora era um símbolo de profissionalismo e competência em Alvalade, jogando com sacrifício pessoal, nunca tendo levantado o mínimo problema no Sporting, apesar de ter como empresário o "terrível" Paulo Barbosa, já criticado aqui, noutros tempos, por causa de Miguel Veloso...
O "caso" Izmailov é de outra natureza. Assim como o túnel da Luz fez cair Hermínio Loureiro da presidência da Liga, o médico do Sporting, Gomes Pereira, e o director do futebol, Costinha, tropeçaram no joelho de Marat Izmailov que, para ser traduzido correctamente, fez questão de falar ao jornal russo "Sport Express". O tombo do director do futebol e do médico é muito grande. Porque é o tombo da autoridade e, sobretudo, da credibilidade.
A confirmar-se o que diz o atleta russo, Costinha perdeu toda a autoridade moral para falar e para impor rigor e disciplina no balneário leonino, embora possa alegar que não tinha toda a informação sobre a história clínica do atleta russo. Mas o médico, que afiançou há dias que Izmailov jamais jogara infiltrado, ficou com a sua credibilidade totalmente abalada, 10 anos depois de ter chegado.
O caso é grave. Dificilmente os três - director, médico e jogador - poderão continuar em Alvalade em simltâneo como se nada tivesse acontecido. O jogador é o elo mais fraco nesta história. No entanto, por incrível que pareça, só a continuidade do atleta no Sporting será menos gravosa para o clube e para o balneário.
Confirma-se, portanto, aquilo que o LEÃO DA ESTRELA já tinha escrito no dia em que o caso rebentou: Costinha, sedento de mostrar serviço à comunicação social, para informar quem manda, é que inventou este caso. Donde, castigar Izmailov com outra multa (outra?...), como escrevem os jornais, e vendê-lo a preço de saldo seria como limpar uma casa simplesmente empurrando o lixo para debaixo do tapete...

AS EXPLICAÇÕES DE IZMAILOV

"O que aconteceu não foi nada de especial, acontece em qualquer clube, foi situação profissional. A diferença é que foi tornada pública quando devia ter sido tratada dentro da equipa. Não gosto de estar a falar de assuntos internos, faço-o porque se referem a mim."

"O ano passado [21 de Julho de 2009] fui operado ao joelho e depois o clube tentou acelerar o processo de reabilitação para voltar a jogar. Quis jogar muito e os treinadores também contavam comigo, por isso foi necessário acelerar o processo. Quando voltei a jogar, joguei praticamente em todos os jogos e o joelho começou a doer."

"[O médico alemão que operou Izmailov] disse que se tivesse dores tinha de fazer um intervalo, parar um pouco. E se as dores não parassem até final da época teria de ser operado de novo."

"Antes de todos os jogos desta época recebia injecções analgésicas para acalmar as dores. (...)Chegou a uma altura que já não ajudavam, as dores eram insuportáveis."

"Após o jogo com o V. Guimarães não participei no treino de recuperação antes do jogo com o Atl. Madrid. Os médicos pediram-me para participar no treino, mas só fiz o aquecimento e depois saí porquesentia dores fortes. (..) Os médicos esperavam que pudesse participar no jogo com o Atl. Madrid, também queria muito jogar, são jogos raros numa carreira, foi por jogos destes que quis deixar o futebol russo."

"Na manhã do jogo [com o Atl. Madrid] fiz um teste ao joelho e senti que nada melhorou. Disse-o ao treinador e aos médicos. Depois fui chamado por Costinha, que disse que eu devia jogar. Respondi que quando um jogador participa num jogo sem poder ajudar a cem por cento os colegas isso é mau para a equipa. [Costinha] disse-me para recolher as minhas coisas, deixar a Academia e ir para casa."

quarta-feira, 24 de março de 2010

E por falar em Sporting de Braga...

"Gostava que o Sporting de Braga fosse campeão."

José Eduardo Bettencourt, presidente do SCP, num encontro com jornalistas, 12-02-2010

As multazinhas da Liga

Segundo um comunicado da Liga de Clubes, o FC Porto e o Benfica foram multados em 2250 euros devido ao mau comportamento dos adeptos de ambos os clubes na final da Taça da Liga, que se disputou domingo, no Estádio Algarve. O secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias, tem toda a razão, ao afirmar que as multass "são irrisórias". Mas o Estado, é bom lembrá-lo, tem subsidiado com milhões este futebol das multazinhas simpáticas...
Com a insustentável leveza destes castigos, é natural que os energúmenos continuem de cabeça levantada e que a violência continue a ganhar terreno, levando à falência o que resta do nosso futebol. No fundo, atirar pedras a quem aparecer, partir vidros de autocarros, destruir indiscriminadamente o que aparecer na frente e mandar cadeiras para o relvado, tudo isso, constitui um grande espectáculo para animar muita gente frustrada, que dá muito tempo de antena nas televisões e, ainda por cima, fica baratíssimo... FOTO: "A Bola Online"

terça-feira, 23 de março de 2010

A grave crise do FC Porto

O FC Porto está em crise. Em grave crise. De efeitos imprevisíveis no maior clube do Norte, cujos últimos 30 anos foram moldados pelo todo-poderoso Jorge Nuno Pinto da Costa, para muitos (incluindo o presidente sportinguista José Eduardo Bettencourt) um modelo de dirigente do futebol contemporâneo a imitar e a seguir. Só que, tal como Tomislav Ivic sentenciou uma vez para afastar o goleador Fernando Gomes da equipa portista, também Pinto da Costa é um homem de carne e osso e, portanto, também ele "é finito". Por isso, a crise que o FC Porto atravessa é a mais grave de todas.
Pela primeira vez, os adeptos portistas - que não estão habituados a perder - não põem em causa apenas o treinador ou este ou aquele jogador, como acontecia no final de um ciclo desportivo. Pela primeira vez, há dirigentes que são colocados em causa. E alguns deles confundem-se com os enormes sucessos do clube nos últimos 30 anos, que terão aburguesado o povo portista. Com ou sem fruta. Com ou sem café com leite. Pela primeira vez, há candidatos de olhos na cadeira do "Papa" portista...
Os olhares apreensivos e indefesos de Pinto da Costa e Reinaldo Teles, na noite do último domingo, quando assistiam à derrocada de uma equipa irreconhecível banalizada pelo Benfica de Jorge Jesus, diziam quase tudo: não há nada a fazer que não seja dar o lugar a outros. Quando não há capacidade de renovação, a lei natural da vida resolve as coisas. Bem ou mal. O problema é que pode não resolver à nossa maneira. FOTO: Reuters

domingo, 21 de março de 2010

Enfim, uma Taça da Liga legítima para LFV

O Benfica conquistou hoje a Taça da Liga 2009-2010 ao vencer no Algarve o FC Porto por 3-0. Uma partida que foi assistida por apenas 23.500 espectadores, não tendo aparecido mais gente porque houve alguns que foram detidos pela polícia e outros ainda que ficaram feridos durante desacatos entre claques, que animaram as imediações do Estádio do Algarve...
Foi a primeira Taça da Liga legítima da presidência hipermilionária de Luís Filipe Vieira. Sim. Porque a Taça da Liga 2008-2009 foi roubada ao Sporting pela arbitragem, pois foi decidida através de uma grande penalidade inexistente. FOTO: Armando França (AP Photo)

As explicações de Costinha na íntegra

“Na manhã de quinta-feira, quando estava a ter um almoço importante para vida do Clube, fui alertado por Gomes Pereira e Carlos Carvalhal de que Izmailov não queria alinhar no jogo e que queria abandonar as instalações, por não se sentir confiante para dar o seu contributo à equipa. Uma vez que não se sentia confiante, entendia que não tinha que ficar no estágio e pediu para sair. Ao mesmo tempo, Paulo Barbosa pediu a Gomes Pereira para ter uma reunião, a essa mesma hora, nas instalações do Clube na Academia, para a em conjunto com ele tentar convencer Izmailov a jogar frente ao Atlético de Madrid. Gomes Pereira telefonou-me, pôs-me ao corrente do pedido de Paulo Barbosa ao qual respondi que Paulo Barbosa não tinha que entrar nas instalações do Clube. O Sporting tem um director de futebol, um treinador e um presidente e essas pessoas sabem decidir o futuro do Clube.”

“Carlos Carvalhal disse-lhe que Carriço tentou jogar até ao último momento e que não foi permitido, porque Gomes Pereira entendeu que não estavam reunidas as condições clínicas para jogar e mesmo assim o jogador preferiu ficar em estágio. Disse-lhe ainda que não podia abandonar o local de estágio sem a presença do director de futebol, que estava a caminho. Dirigi-me à Academia e em conjunto com Gomes Pereira e Carlos Carvalhal falei com Izmailov, única e exclusivamente em inglês para que não tivesse a ousadia de dizer que não tinha percebido o que lhe tinha dito em português, o Dr. e Carlos Carvalhal falaram com ele em inglês. Tivemos troca de palavras através da qual tentámos compreender e perceber o porquê da sua atitude. Gomes Pereira, mais uma vez, referiu que não via qualquer tipo de impedimento para que participasse e o treinador tudo fez e pediu-lhe para que desse o seu contributo para ajudar a equipa. Izmailov, quando o confrontei perguntando: 'Do you want to help the team tonight, ou do you don’t want to help the team tonight', ele respondeu 'i dont want to help the team tonight'. A partir desse momento e como o Marat queria sair do centro de estágio, eu, em conjunto com Carlos Carvalhal, fui chamar um elemento da equipa júnior, Cedric Soares, e dispensámos os Izmailov, porque não fazia sentido termos um jogador em estágio que não queria jogar, não queria ir para o banco de suplentes e não queria estar em estágio. Isto foi o que se passou. O Marat não foi expulso, quis abandonar o local, esperou pela minha presença, porque é assim que tem de ser, porque sou eu quem decide, e a partir do momento em que as partes foram ouvidas, tomei a decisão de lhe fazer a vontade de sair do estágio.”

“O jogador saiu da reunião, foi para o seu quarto. Chamei José Viegas, motorista do Clube, para ir levar o Marat onde ele quisesse. Qual é o nosso espanto quando o Marat, contactado por Eurico Gomes, estava na portaria da Academia. Disse a José Viegas para o ir buscar à portaria e para o levar a casa, situação que ocorreu sem qualquer tipo de problemas.”

“Efectivamente, tive uma reunião com os atletas, situação que vocês [jornalistas] sabiam. Nessa reunião quis explicar aos atletas o porquê do Marat não estar na lista de convocados. Nada mais do que isso. Posteriormente, fui assistir ao treino e quando estava na hora de almoço recebi uma chamada da jornalista da TVI, Irene Palma, a dizer que tinha recebido a informação de um jogador do Sporting Clube de Portugal, que sabia de tudo o que se tinha passado na cabina e queria que desse a minha informação, porque a queria passar na televisão. Disse-lhe que podia passar o que bem entendesse e que eu não tinha que passar qualquer informação, porque não se tinha passado nada demais. Peço-lhe a ela, se ela quiser, para dar o nome da sua fonte, porque quando falo, falo de nomes concretos e falo das pessoas com quem mantenho contacto, porque não tenho nada a esconder. A partir daí despoletou-se uma série de comentários de que eu disse que o Marat não tem espaço e que tem a vida difícil, quando eu, na conferência de imprensa após o jogo, tinha dito que o Izmailov tinha contrato até 2013, que era importante para o Sporting e que tudo iríamos fazer para que Marat, como sentia falta de confiança na sua forma e dores, pudesse recuperar e voltar o mais rapidamente possível ao convívio do grupo para ajudar a equipa do Sporting. Não disse que ele estava afastado do Sporting. É mais uma história que não tem pés nem cabeça, ou então seja a Irena Palma, ou a Agência Lusa a trazerem à presença de todos nós o jogador que fez essas afirmações. Até porque sei, não tenho que o esconder, que a Irene é bem relacionada com alguns jogadores do Sporting. Mas, isso é um assunto que irá ser tratado mais para a frente. Como também sei e vou estar atento que não é só a Irene que tem relações com os jogadores do Sporting. Há outros jornalistas e o que aconselho a esses jogadores, neste momento, é manterem essas relações até ao dia 16 de Maio. Até essa data, dêem as informações necessárias e possíveis de tudo aquilo que querem fazer, porque os canais que os jogadores têm com os jornalistas eu também os tenho. Isso vai ser resolvido, depois, em sede própria, mas deixo já o aviso a toda a gente que se as pessoas estão à espera de que vim para o Sporting para andar a passear a roupa e dizer ámen a tudo, para isso não contem comigo. Vim para o Sporting porque quero fazer do Sporting um clube ganhador, porque quero que o Sporting ganhe 10 vezes mais do que aquilo que ganhei como jogador.”

“Não vou permitir a ninguém que se intrometa no meu caminho, que isso fique bem claro. Seja através de pressões dos Paulos Barbosas e Irenes desta vida. Portanto, neste momento, quero agradecer a vossa presença e dizer que era nosso dever informar os sportinguistas, porque não se pode pedir apenas para eles encherem o Estádio, é preciso também alertá-los para esta situação, porque têm de conhecer a vida do Clube. Quero também dizer-lhes para estarem sossegados, tranquilos, pois o Sporting, certamente, irá voltar a um caminho grandioso e se tiver de afastar jogadores e pessoas que não querem o bem do Clube essas são as medidas que vão ser tomadas.”

“O Sporting tinha conhecimento que Izmailov tinha pedido dispensa para se apresentar no consulado para tratar de assuntos particulares, mas isso não quer dizer que o Sporting tenha dado essa autorização. O Sporting convocou o Izmailov no dia do jogo, até porque ao que sei não veio ver o encontro, convocou-o na manhã seguinte, porque o treino foi alterado para o Estádio e o Marat, até à data, nem sei se está em Portugal – se não tivesse nada a esconder atendia o telefone e vinha fazer a sua recuperação, ou observação clínica – nada disse. Ele ainda não compareceu aos tratamentos. Quem não deve não teme e se o Marat não dá explicações vamos ficar a aguardar, para ver o que se passa, porque não sabemos onde ele está.”

FOTO: "A Bola Online"

Cocktail Izmailov

Izmailov, o nosso Izmailov, faltou ao treino sem justificação. Pelas palavras do seu empresário, Paulo Barbosa, já se percebeu as razões dessa mesma ausência.
Não posso dar razão ao russo nesta atitude, mas muito menos posso concordar com a espécie de julgamento em praça pública que foi feito por Costinha, apontando o dedo a um dos maiores profissionais deste plantel.
Jogar com uma entorse, contra o Benfica, nos 5-3; jogar contra o Porto acabado de sair do hospital, nos 3-0; andar a jogar em esforço desde que regressou, depois de ser operado (e ter abdicado de parte do ordenado durante essa mesma recuperação), são apenas alguns exemplos daquilo que Marat já fez pela equipa.
Se, ontem [quinta-feira], não se sentia em condições, não me parece ser razão para colocá-lo de lado, tratá-lo como mau profissional e, pasme-se, comparar o seu suposto pouco esforço em prol da equipa com o esforço feito por outro jogador que, há uns meses, andava em campanha para ser presidente da junta…
Vão-se foder!...

sábado, 20 de março de 2010

As explicações de Costinha

"Fiquei perplexo por ver o representante do Izmailov afirmar que o jogador foi expulso da Academia. Isto não corresponde à verdade. Na manhã de quinta-feira fomos informados que o jogador não queria jogar, por não se sentir confiante. Confrontado com esta possibilidade, foi sugerida uma reunião com Gomes Pereira para tentar demover o jogador. Mas o Sporting tem um diretor de futebol, um treinador, um presidente, capazes de tratar destes assuntos. No encontro, o treinador até deu o exemplo do Carriço, que tentou até ao último momento disputar o jogo, o que não aconteceu porque o departamento médico não autorizou. Para não haver mal-entendidos, eu e o treinador falámos em inglês com Izmailov, mas ele disse que não queria ajudar a equipa. Assim, não fazia sentido ter um jogador no estágio que não queria jogar e tomei a decisão de fazer a vontade do jogador."

"O Izmailov foi para o quarto e, minutos depois, já estava na porta da Academia à espera do motorista do clube, a quem eu tinha dito para levá-lo a casa."

"Nunca disse que o Izmailov não voltaria a vestir a camisola do Sporting. Ele tem contrato até 2013 e é um jogador muito importante. Sei que muitos jogadores do Sporting são amigos de jornalistas. Até ao dia 16 de Maio os jogadores que façam o que entenderem. A partir daí, porque quero que o Sporting conquiste 10 títulos a mais do que eu ganhei, não vou permitir que ninguém se meta no meu caminho. Se tiver que afastar jogadores, fá-lo-ei. Se estão à espera que eu tenha vindo passear no Sporting, isto não vai acontecer."

"Tínhamos conhecimento de que ele [Marat Izmailov] iria ao consulado, mas isto não quer dizer que tivéssemos dado autorização. Desde quinta-feira, como ele não assistiu ao jogo, não tenho conhecimento do seu paradeiro. Não sei se ele está em Portugal ou não. Vamos aguardar."

Costinha, director do futebol do Sporting, "Record Online", 20-03-2010

Agora sim, estas notícias ganham todo o sentido...


FOTO: "A Bola"

Sá Pinto, Costinha e as confusões continuam...

O director do futebol do Sporting, Costinha, comunicou ao plantel, numa reunião antes do treino matinal desta sexta-feira, que Izmailov "não voltará a vestir a camisola do clube". A revelação foi feita por um jogador "leonino" à agência de notícias Lusa. Costinha criticou a atitude do futebolista russo por se ter recusado a "ajudar os companheiros" num momento importante como era o do jogo de quinta-feira com o Atlético de Madrid, para a Liga Europa, e quando alguns deles se tinham disponibilizado "a sacrificar-se pela equipa" apesar dos problemas físicos que os afectavam. O responsável pelo futebol leonino considerou, ainda, uma "falta de respeito" a ausência de Izmailov na reunião e fez saber que, com ele a mandar no futebol, o jogador russo "não tinha condições" para voltar a representar o clube verde e branco...
Enfim, o Sporting Clube de Portugal continua a ser um alfobre de confusões sem paralelo. A avaliar pelas últimas notícias, a diferença entre Sá Pinto e Costinha é que o primeiro resolvia as coisas ao murro, enquanto o segundo já despede os melhores activos da Sporting SAD em declarações ao plantel durante os treinos... E o presidente do clube e da SAD, o profissional José Eduardo Bettencourt, não existe?... Ou será que já entregou todas as decisões quanto ao futebol leonino ao empresário Jorge Mendes?... FOTO: "A Bola Online"

sexta-feira, 19 de março de 2010

Izmailov, o caso que Costinha inventou

Costinha, responsável máximo pelo futebol do Sporting, está no centro daquilo que considero tratar-se de um caso desnecessário, envolvendo o jogador russo Izmailov (que, não obstante os seus problemas físicos, que são antigos, tem sido conhecido como um exemplo de entrega e profissionalismo no balneário leonino).
Acho legítimo que Costinha tenha necessidade de se afirmar rapidamente como responsável pelo futebol do Sporting. Até para não perder espaço mediático para Miguel Salema Garção, que – veremos até quando – dá a ideia de ser uma segunda cabeça a mandar no balneário. No entanto, acho que a posição de Costinha foi exagerada. Como bem salientou o médico Gomes Pereira, quando se analisa a disponibilidade de um jogador para ficar apto a jogar há sempre duas sensibilidades que têm de ser respeitadas: a do médico e a do atleta. Ora, o que se passou é que Izmailov, perante um jogo decisivo para o Sporting, implicando, por isso, o máximo de todos os jogadores, entendeu que não estaria em condições para jogar. Igualmente legítimo.
Donde, ressalta à vista que este imbróglio acabou por ser empolado por Costinha ao ter decidido afastar o jogador do estágio leonino. Porque a decisão de afastar o atleta demonstra uma clara contradição com outros momentos de dificuldade colectiva, no Sporting e em outros clubes, em que todos os jogadores são chamados para estágio, para dar a ideia de que o grupo está unido, sabendo-se à partida que alguns dos jogadores nem sequer irão para o banco dos suplentes. Ora, Izmailov não deveria ter sido afastado do grupo. Não jogaria, por estar lesionado, e ponto final.
Reconheço que Costinha revelou, pelo menos, coragem para decidir alguma coisa e para assumir publicamente a sua decisão. E isso é novo e saudável no futebol leonino. A meu ver, decidiu mal. Porque o rigor e a disciplina que Costinha recomenda para o futebol do Sporting não lhe dão margem para avaliar se um jogador está em condições físicas para jogar, nem, muito menos, para castigar um jogador que se recuse a jogar por entender que não está em condições físicas. Essa é uma esfera muito sensível, que deve caber unicamente ao médico e ao atleta, prevalecendo sempre a decisão do atleta, que é o dono do corpo que está em causa.
Em resumo, a ter decidido afastar Izmailov do estágio (como forma de castigar o atleta), Costinha deu um sinal claro de que existe (revelando capacidade de decisão), mas chamou a atenção do exterior para um caso que só aconteceu porque o dirigente decidiu inventá-lo. Agora vamos ver como tudo vai acabar, tendo em conta que, segundo notícias de hoje, o atleta faltou ao treino e ficou sob alçada disciplinar.

Obs. - É inevitável: olho para Costinha e, por muito sportinguista que ele seja, não consigo vê-lo como responsável do futebol do Sporting Clube de Portugal, mas sim, como antigo jogador do FC Porto que contribuiu, e de que maneira!, para uma série de desilusões sportinguistas. Eu sei que o defeito é de quem, como eu, tem memória e gosta do seu clube de sempre…

O agitador de massas de Alvalade

As imediações do Estádio José de Alvalade voltaram a ser palco de cenas de violência, entre adeptos do Sporting Clube de Portugal e o Atlético de Madrid. Como se trata de um jogo internacional, as imagens, naturalmente, são vistas em Portugal e no estrangeiro, em particular em Espanha. O que envergonha o Sporting e os sportinguistas...
Miguel Salema Garção, um homem que dizem ser especialista em comunicação, não pode ficar de fora deste caso. Porque foi ele que fez declarações gravíssimas, porque incendiárias, antes da partida: "O jogador Simão deve ser recebido em Alvalade tal como toda a equipa do Atlético de Madrid: num ambiente extremamente difícil", disse o "team manager", assumindo o papel de agitador de massas em Alvalade.
Repare-se que Salema Garção, num assomo de populismo absolutamente irresponsável, foi ao pormenor de destacar a necessidade de ser criado um "ambiente extremamente difícil" a Simão Sabrosa e à sua equipa para a "batalha" de Lisboa. Ora, o discurso foi traduzido à letra e as pedras andaram pelo ar... No fundo, foi ainda fora do campo que o Sporting começou a perder a eliminatória...

quinta-feira, 18 de março de 2010

Acabou em Março. Venha a próxima época!...

Um Sporting remendado (e envergando uma camisola que não é a sua não se sabendo por que motivo) foi eliminado da Liga Europa sem perder com o Atlético de Madrid. Em campo, a equipa de Carlos Carvalhal apresentou-se com os jogadores que estavam disponíveis e começou o jogo a perder. Entre os jogadores disponíveis para a equipa inicial estavam Marco Caneira, Pedro Silva, Anderson Polga e Bruno Pereirinha. Quatro unidades (algumas delas transformadas em cepos ultrapassados para o futebol de alta competição) que nunca tinham sido primeira opção no melhor Sporting desta temporada, que tínhamos visto nas últimas partidas. Em minha opinião, esse facto esteve intimamente ligado a uma exibição menos fulgurante, que ditou a eliminação.
Tanto mais que há outras diferenças a ter em conta relacionadas com o impedimento de jogadores leoninos, que pesaram seriamente nesta eliminatória: é preciso recordar que o Sporting, para se reforçar no mês de Janeiro, foi buscar um jogador (Pongolle) que estava tapado no ataque deste Atlético de Madrid, pelo qual pagou 6,5 milhões de euros, mas que não poderia jogar nesta competição, mesmo que tivesse lugar na equipa sportinguista. João Pereira foi outro trunfo de Inverno impedido de participar na Liga Europa. Ora, se alguém, em Alvalade, tinha sonhado fazer carreira europeia esta época, os casos mencionados das aquisições impedidas dizem muito da desorganização do futebol leonino, que só o treinador Carlos Carvalhal, mesmo mal-amado pela administração, conseguiu iludir até agora...
A temporada, que já vai longa em desilusões e equívocos, acabou em Março. Cedo demais, mas acabou. Agora é preciso dignidade para chegar até à última jornada da Liga Portuguesa a defender com honra uma camisola centenária (de preferência, com listas horizontais verdes e brancas).
No plantel leonino é tempo de afastar os cepos e de promover a qualidade. E é tempo de assumir, de uma vez por todas, Carlos Carvalhal como o treinador da próxima época, como, aliás, até defende o antigo presidente José Roquette. Porque Carvalhal herdeu uma equipa que não dava uma para a caixa e fez regressar o prazer de ver o Sporting a jogar futebol. FOTOS: Reuters

segunda-feira, 15 de março de 2010

O "novo" Sporting é uma máquina de fazer golos

O Sporting já marcou tantos golos nas últimas três jornadas da Liga (10) como nas 11 jornadas anteriores, pois marcara um total de 10 golos entre a 10ª e a 20ª jornada, numa média inferior a um golo por jogo. Sob a orientação técnica de Paulo Bento, o Sporting, em jogos da I Liga Portuguesa, só uma vez ganhou por uma diferença superior a um golo (vitória por 2-0, sobre a Académica, em Coimbra). Com Carlos Carvalhal, a equipa leonina já venceu 4 vezes por mais de um golo de diferença (Setúbal, FC Porto, Belenenses e Guimarães). FOTO: Reuters

domingo, 14 de março de 2010

Este Leão não engana!...

Com um início de jogo muito forte, traduzido nos golos de Grimi, Liedson e Carlos Saleiro, o Sporting voltou a obrigar o seu adversário a jogar mal e venceu com todo o merecimento, por números que não deixam dúvidas (3-1), cimentando o quarto lugar na Liga Portuguesa. Desta vez, a vítima foi o Vitória de Guimarães. A vantagem da equipa orientada por Carlos Carvalhal foi construída nos primeiros 20 minutos de uma partida disputada em bom ritmo, assistida por 35 mil pessoas, mais um sinal de que os bons espectáculos de futebol regressaram ao estádio leonino. Este Sporting não engana. Defende com segurança e ataca com perigo. A equipa actua em bloco, numa dinâmica colectiva que dura os 90 minutos e ocupa o campo todo. Venha o Atlético de Madrid!... FOTOS: Reuters

sábado, 13 de março de 2010

O Sporting do futuro

"Agarrei-me ao trabalho com toda a dedicação e é claro que gostaria de me manter num patamar mais alto... Não sei se serei eu ou outro colega a beneficiar desse trabalho, mas o Sporting vai beneficiar seguramente. Posso garantir que estou a preparar um Sporting de futuro."

Carlos Carvalhal, "A Bola Online", 13-03-2010

sexta-feira, 12 de março de 2010

Deixem-no trabalhar!...

"Estamos a deixar para trás uma era, em que cada jogo significava desapontamento e um dia seguinte insuportável. Íamos aos jogos com cepticismo e vínhamos com azia redobrada. Hoje, os adeptos redescobrem a alegria, activam o entusiasmo, arquivam o medo e atrevem-se a ter esperança. O que parecia uma utopia é agora mais tangível. O prazer de ir ao estádio renasce, menos tímido e mais descarado. Isto é o Sporting que queremos. A mudança tem um rosto e um nome: Carlos Carvalhal. Aceitou, com coragem, uma equipa que se esvaía. Viveu ténues melhoras iniciais, aguentou uma recaída perigosa, mas preservou no combate. O resultado está à vista. A equipa joga, a equipa luta, a equipa marca e a gente gosta. Gosta e apoia. Deixem-no trabalhar."

Rogério Alves, presidente da Assembleia Geral da Sporting SAD, "A Bola", 12-03-2010

quinta-feira, 11 de março de 2010

A lição táctica do dr. Carvalhal

O Sporting foi a Madrid empatar a zero com o Atlético local, num jogo em que soube sofrer, actuando grande parte do jogo com menos um jogador, continuando com as portas abertas rumo aos quartos-de-final da Liga Europa. A equipa sportinguista acabou com 9 jogadores em campo, depois de ter jogado uma hora com 10.
Presentes no Vicente Calderón, Paulo Futre e Luís Figo, dois dos símbolos da mítica formação leonina pré-academia, viram o Sporting a demonstrar grande atitude competitiva e um forte sentido colectivo, que bloqueou por completo a equipa espanhola. O Sporting foi defensivo, sem sem massacrado e sem perder de vista a baliza contrária. Trabalho táctico do dr. Carlos Carvalhal, que revela ter a equipa à sua volta...
Pedro Mendes é cada vez mais a estrela da companhia leonina, pautando o jogo a meio-campo, devendo-se a ele grande parte da transformação verificada no futebol sportinguista, em particular ao nível da sua consistência defensiva.
Não fosse a expulsão de Leandro Grimi, por ter visto 2 cartões amarelos nos primeiros 30 minutos da partida, demonstrando mais uma vez ter sido um jogador demasiado caro, e talvez a equipa leonina pudesse ter saído de Madrid com uma vitória. Aliás, a melhor oportunidade de golo até saiu dos pés de Liedson, num remate em jeito que acertou na barra... O Sporting tem todas as condições para seguir em frente na Liga Europa, apesar do descontrolo emocional de jogadores como Grimi (como é possível, depois de ter visto um cartão amarelo, que tenha jogado como se não tivesse visto nenhum cartão?...) e Tonel (incrível aquele empurrão que ditou a sua expulsão, embora tenha sido já no últimos minutos). FOTOS: Reuters

quarta-feira, 10 de março de 2010

O café de Coimbra que sofre pelo Sporting

Peguemos numa máquina do tempo ainda por inventar e recuemos dez anos. Estamos a 9 de Março de 2000. O medo do apocalipse já lá vai e em Portugal uma equipa começa a ameaçar a hegemonia do FC Porto, que parece ir a caminho do sexto título consecutivo. Essa equipa é o Sporting, que já não se sagra campeão desde 1982. Por todo o país, os sportinguistas começam a aparecer na esperança de festejar um título, muitos deles pela primeira vez. As histórias de grandes sportinguistas surgem na comunicação social e uma delas ganha mais força que todas as outras: a de um restaurante em Coimbra que não aumenta o preço do café desde o último campeonato.
Na altura, vivíamos ainda no reino do escudo e, se na maioria dos sítios o café se bebia a 100 escudos, o Restaurante Brasil vendia-o a 25. Porquê? Maria de Jesus da Silva, a proprietária do estabelecimento (na foto, com o cachecol leonino), repete ao "i" uma explicação que chegou a dar vezes e vezes sem conta no passado: "O Sporting já não era campeão há algum tempo e uns amigos benfiquistas do meu marido [Manuel de Jesus] provocaram-no para ele não aumentar o preço do café enquanto o Sporting não voltasse a ser campeão."
Maria de Jesus manteve a promessa inquebrável mesmo depois da morte do marido, num acidente de viação, em 1995. Na sombra do café a 25 escudos, o café ganhou notoriedade e passou a ser um ponto de paragem obrigatório de muitos sportinguistas, apesar de o estabelecimento ser frequentado principalmente por benfiquistas. "Sempre foi um hábito. Gostam de cá vir e nem se importam que seja tudo verde à volta. Na altura, o pior nem era isso. Quando se começou a saber em todo o lado que o café era mais barato, começou a aparecer gente muito oportunista, que chegava a vir cá beber três cafés durante a manhã. Nunca me importei com o prejuízo que a promessa provocou, mas não foi com esse intuito que foi feita. Acabámos por arranjar a solução de adiar a abertura do estabelecimento para as dez horas."
A noite de 14 de Maio, quando o Sporting foi finalmente campeão, mantém-se como uma das melhores recordações de Maria de Jesus. A presença das várias televisões, o estabelecimento completamente cheio, o trânsito cortado e, acima de tudo, o título do Sporting contribuíram para que fosse uma noite inesquecível. Os festejos davam margem para tudo, inclusive para um cliente que decidiu pagar um café com uma nota de dez contos, desabafando: "Por todos os cafés, por todos os cafés."
A subida do preço para os 100 escudos não tinha data marcada mas, perto da meia-noite, o presidente do Sporting da altura, José Roquette, cumpriu a promessa e passou por Coimbra para beber o último café ao preço antigo e o primeiro a 100 escudos: "O Sousa Cintra e o Santana Lopes também já tinham dito que vinham quando o clube fosse campeão, mas não estava nada à espera. Foi tudo uma surpresa." (continua aqui)

Reportagem publicada pelo jornal "i", 09-03-2010. Leia mais clicando aqui.

terça-feira, 9 de março de 2010

A vergonhosa campanha anti-Sporting

Caros sportinguistas, todos nós sabemos que o jornal "A Bola" é benfiquista, mas pior ainda é o anti-sportinguismo do jornal "Record".
Ser anti-Sporting acaba por ser eticamente, em termos jornalísticos, muito mais grave. A actual redacção são só benfiquistas e alguns são amigos pessoais de Paulo Bento. A capa do "Record" 'Villas-Boas vai ser treinador do Sporting' é mais uma vergonhosa provocação. Porquê nesta altura? Para prejudicar o Sporting na Europa e desestabilizar a equipa de maneira a chegar ao jogo da Luz de rastos.
Nas minhas crónicas do "À Lei da Bola" devo ter sido dos primeiros a referir Villas-Boas como excelente hipótese para o Sporting, isto logo após o seu primeiro jogo pela Académica no Dragão. No entanto, depois do que ele fez a Sá Pinto e ao Sporting, só há duas hipóteses: Não teve coragem de pegar no Sporting numa altura critica, Carvalhal, pode não ser um génio, mas teve essa coragem. Ou então, o que é a minha teoria, Villas-Boas já estava comprometido com o Porto. Mas sabem porque é que esta capa do "Record" cheira a aldrabice para desestabilizar? É que, também no mesmo dia [sábado, 06-03-2010], no "Correio da Manhã", dão o Domingos como a prioridade de JEB. E sabem a melhor? O "Correio da Manhã" e o "Record" fazem parte do mesmo grupo editorial, as redacções dos dois jornais têm ligações e colaboram uma com a outra. Um jornal diz que é Domingos, o outro dá Villas-Boas como certo.
Se isto não é só para desestabilizar o nosso clube, então não sei o que é... Uma dessas noticias pode até ser verdade, mas divulgá-la e lançar paralelamente um outro nome no outro jornal do grupo editorial, é de uma má-fé vergonhosa contra o nosso clube, inacreditável. A ideia é um três em um: destruir Carvalhal, e queimar as hipóteses Domingos e Villas-Boas no Sporting. Nesta altura crítica do campeonato temos de apoiar a equipa, o actual treinador, e estarmos muito atentos às campanhas anti-Sporting que estão em marcha. Agora, mais do que nunca, temos de ir à Luz tirar o título ao Benfica. Saudações Leoninas!

José de Pina, www.sportingapoio.com, 09-03-2010

O póquer no Sporting. De Peyroteo a Liedson.

O luso-brasileiro Liedson está de parabéns. Regressou aos golos no Restelo. Marcou quatro de uma vez. O quatro golos que derrotaram o Belenenses e confirmaram a ressurreição do futebol do Sporting, orientado por Carlos Carvalhal. Em 7 anos, foi o primeiro póquer de Liedson no clube leonino. Quatro golos numa única partida pelo mesmo jogador é um feito cada vez mais raro no futebol contemporâneo.
Nos últimos 50 anos, para encontrar outros casos de póquer no Sporting em jogos do principal campeonato português, temos de recuar a 2007 (quatro golos de Carlos Bueno ao Nacional, numa vitória por 5-1), a 1992 (quatro golos de Jorge Cadete ao União da Madeira, numa vitória por 5-1), a 1988 (quatro golos de Paulinho Cascavel ao Penafiel, numa vitória por 7-0), a 1986 (os célebres quatro golos de Manuel Fernandes ao Benfica, numa vitória épica por 7-1), a 1973 (quatro golos de Yazalde numa vitória por 7-0 no Estádio do Oriental), a 1965 (quatro golos de Lourenço ao Benfica, numa vitória por 4-2, na Luz, e ao Torreense, numa vitória por 4-0, em Alvalade) e a 1960 (quatro golos de Fernando Puglia, numa vitória por 4-1, sobre o V. Guimarães).
De qualquer modo, o grande violino Fernando Peyroteo continua a ser o rei dos póqueres no futebol português. O maior goleador do mundo (sim, até hoje, o antigo avançado sportinguista continua a ser o jogador do mundo que marcou mais golos em jogos oficiais em menos tempo) marcou quatro golos num só jogo por 12 vezes. Mais até do que Eusébio, que alcançou tal feito apenas em 11 vezes.

domingo, 7 de março de 2010

Onda verde prossegue no Restelo

BELENENSES-SPORTING, 0-4. Quatro golos de Liedson. A onda verde continua. O Sporting não sofre golos há quatro jogos consecutivos. E nas últimas três partidas marcou 10 golos. A onda verde continua, sob a batuta de Carlos Carvalhal!... O FC Porto, que ocupa o terceiro lugar, está a nove pontos, a nove jornadas do fim...

Aqui está a solidariedade com Carvalhal...

sábado, 6 de março de 2010

Este FC Porto já deu o que tinha a dar

Depois do empate a dois golos com a surpreendente "filial" algarvia chamada Olhanense, no Estádio do Dragão, o que podemos dizer é que o FC Porto de Jesualdo Ferreira, que evitou a derrota no último minuto do tempo extra, já deu o que tinha a dar. Resta saber se Pinto da Costa, aos 72 anos, ainda tem fôlego e motivação para liderar um novo ciclo do futebol portista. Nesta temporada, resta-lhe lutar pela Taça da Liga (contra o Benfica, precisamente) e pela Taça de Portugal. Ah! E poder entregar o título ao Sporting de Braga na penúltima jornada desta Liga 2009-2010.
Entretanto, o castelo portista em fase de derrocada apresenta-se como factor de grande motivação para o Sporting de Carlos Carvalhal, que ainda pode pode sonhar com algo mais do que o objectivo do quarto lugar... O futebol é mesmo um caixote de surpresas. FOTO: Francisco Seco (Associated Press)

Sporting-Benfica, um jogo especial

"Um Sporting-Benfica é um jogo especial. Em 12 anos no Sporting nunca falhei um: fiz 24 jogos com o Benfica para o campeonato."
Manuel Fernandes, antiga glória do Sporting, "Sport TV", 05-03-2010

sexta-feira, 5 de março de 2010

quinta-feira, 4 de março de 2010

Postiga regressou aos golos...

... Mas foi num jogo-treino do Sporting, sem os jogadores que estão na selecção e frente a uma equipa dominada por juniores.

A solidariedade de Bettencourt

“Fiquei contente também por Carlos Carvalhal. Sou bastante solidário com ele, porque não foi ele o único a ser alvo de críticas... Eu também tenho dado bastante o peito às balas e tenho-o apoiado sempre.”

“Não quero falar muito sobre isso [eventual continuidade de Carlos Carvalhal na próxima época]”.

“Reconheço que as tentativas de explicar algumas coisas não me têm corrido particularmente bem. Mesmo quando se faz um esforço de tentar explicar um pouco as etapas a percorrer, são sempre feitos juízos quase que apriorísticos, sem querer ouvir ou perceber aquilo que quero dizer.”

“No futebol, quando os resultados não aparecem põe-se muita coisa em causa. Temos um programa para cumprir, para revitalizar, reestruturar o Sporting. Vamos cumpri-lo, embora com a consciência de que quando os resultados não aparecem... Esta época foi muito difícil.”

José Eduardo Bettencourt, "Público", 02-03-2010

quarta-feira, 3 de março de 2010

Agradável surpresa para a nação leonina

"Focus", 03-03-2010

Impressionante!

Bastaram duas boas exibições e outras tantas vitórias da equipa do Sporting para surgirem notícias em todo o lado do interesse de clubes estrangeiros nos jogadores leoninos. Em apenas uma semana deixaram de ser a "sucata" que ninguém quer para se transformarem na filigrana mais procurada. É impressionante! Será assim nos outros clubes?... Onde acaba a verdade e começa a desestabilização em todas estas notícias? Quando é que isto acaba no Sporting?...

terça-feira, 2 de março de 2010

Do prejuízo ao investimento

A partir de Inglaterra, onde representa o Sporting Clube de Portugal numa reunião da Associação dos Clubes Europeus (ACE), que decorre em Manchester, José Eduardo Bettencourt falou aos jornalistas para se manifestar "feliz" pelos adeptos e pelo treinador Carlos Carvalhal, pela vitória sobre o FC Porto, importante para segurar o quarto lugar apontado agora como meta da temporada. Mas não ficou por aí. Bettencourt também revelou ao mundo que "o Sporting vai ser muito forte" na próxima época, em função de "um grande investimento" na equipa leonina 2010-2011. Os sportinguistas já esfregam as mãos...
Não sei se José Eduardo Bettencourt estava bem ciente do que disse em mais este aparente assomo de incontinência verbal. Se estava, então há informação escondida que tem de ser revelada aos sportinguistas. Porque, também hoje, a imprensa revela que as sociedades anónimas desportivas do Sporting, do FC Porto e do Benfica devem, no total, algo como 632 milhões de euros. E que, só a Sporting SAD – e não o Sporting Clube de Portugal – tem uma dívida acumulada de 142,8 milhões de euros, de acordo com o último relatório de contas da sociedade, no qual a empresa liderada por Bettencourt acumulou mais 7,8 milhões de euros de prejuízo no segundo semestre de 2009.
Donde, José Eduardo Bettencourt deveria explicar muito bem de onde é que virão os milhões necessários para o tal “grande investimento” num "Sporting muito forte" na próxima época. Porque pode suceder que haja um Abramovich a caminho da Sporting SAD ou que tenha sido encontrado um poço de petróleo nos terrenos do antigo estádio e que nós não saibamos...

Obs. – Há um jornal que, citando “fontes do Sporting”, revela hoje que a SAD leonina já procura novo treinador. Se isto acontecesse no FC Porto – o tal modelo de gestão em que Bettencourt se inspira –, o presidente do clube ordenaria de imediato a renovação do contrato com o treinador que está.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...