sábado, 31 de julho de 2010

Pedro Mil-Homens chumba formação do Sporting

"[Colocar um jogador da formação na equipa principal] é como pedir a um jornalista estagiário para fazer uma entrevista ao primeiro-ministro."

"Ao longo dos últimos anos o Sporting não foi capaz de promover essa integração da melhor forma possível."

"O clube corre o risco de acelerar precocemente essa integração e de sentir falta de capacidade competitiva."

"Também há menos paciência para esperar [pelos resultados]."


Pedro Mil-Homens, administrador da Sporting SAD e director da Academia do Sporting, "Público", 31-07-2010

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Zapater, o novo médio defensivo do Sporting

O médio espanhol Alberto Zapater, reforço do Sporting para a próxima época, começou a dar nas vistas ainda júnior, quando foi eleito o melhor futebolista jovem da região de Aragão.
Com 25 anos, 1,80 metros de estatura e 80 kg de peso, Zapater reforça a linha média do Sporting, em especial a posição mais recuada – apesar de ter começado por ser um médio criativo, o espanhol fixou-se depois em posições mais defensivas.
Em 2004, Zapater jogava ainda a médio ofensivo, com o número 10 nas costas, e os 12 golos na categoria de juniores do Saragoça fizeram com que o técnico Victor Muñoz chamasse o futebolista à primeira equipa.
O jogador passou quatro épocas na formação do Saragoça, como juvenil e júnior, onde tinha chegado proveniente do clube da sua terra natal, o SD Ejea, equipa de Ejea de los Caballeros.
No plantel principal do Saragoça, Zapater foi desde logo uma aposta na estreia, na Supertaça espanhola, frente ao Valência, e ganhou a titularidade, chegando a participar também durante essa época na antiga Taça UEFA.
Neste mesmo período, o médio foi internacional sub-20 por Espanha e no Saragoça começou a ter presença cada vez mais influente, até chegar a sub-capitão em 2007/2008 e capitão em 2008/09, já a jogar mais recuado no terreno, como médio defensivo.
Em 2009 o jogador foi contratado pelos italianos do Génova, por quatro milhões de euros, quando já se encontrava no estágio de pré-época da equipa espanhola.
No Génova, Zapater estreou-se na Série A frente à Roma, num jogo em que assistiu de cabeça para o primeiro golo da sua equipa, marcou o segundo e iniciou a jogada do terceiro (3-2), prometendo muito nesse primeiro jogo.
A época em Itália terminou para Zapater com um saldo de três golos na Série A, em 28 jogos, enquanto na Liga Europa, marcou um golo em cinco jogos.

FONTE: "Público Online", 30-07-2010

Miguel Veloso no Génova e Zapater em Alvalade

O Sporting comunicou esta manhã à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) ter chegado a um acordo de princípio com os italianos do Génova para a transferência dos direitos desportivos do jogador Miguel Veloso e para a aquisição dos direitos desportivos do médio defensivo espanhol Alberto Zapater, "com o consentimento de ambos".

Vukcevic em posição legal no golo leonino

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Nordsjaelland-Sporting Clube de Portugal, 0-1

Vukcevic, aos 24'.

Paulo Sérgio à campeão

"Os jogos foram todos oficiais desde o primeiro dia. Não há duas formas diferentes de encarar um jogo. A forma como enfrentamos os adversários é a mesma, o que pretendemos é igual, e este jogo não será excepção.”

“[Com o Nordsjaelland] é um desafio para vencer, não há tempo para ansiedade ou receios."

“Em todos os jogos, independentemente do adversário, será sempre um Sporting com pensamento na vitória, com alguma arrogância até, porque quero o Sporting a mandar e a jogar futebol.”

“[O Nordsjaelland] é uma equipa que sabe jogar, que tem toque de bola, mas não pareceu muito pressionante. Cabe-nos a nós tentar por essas dificuldades a nu. Teremos de ser nós a mandar no jogo.”

“É bom que [os jogadores do Sporting] saibam respeitar o adversário. Não há vencedores antecipados, e, ao longo da história, sabemos que tem havido surpresas."

“Os jogadores têm de ser humildes e respeitar o adversário, mas também têm de jogar sempre para ganhar, em qualquer campo."

"O Sporting onde entra é sempre para vencer. É esse o nosso objectivo. Estamos aqui para ganhar e marcar o maior número de golos possível, para resolver a eliminatória."

Paulo Sérgio, treinador do Sporting, na antevisão do primeiro jogo oficial da época, com os dinamarqueses do FC Nordsjaelland, que se realiza hoje, a contar para a terceira pré-eliminatória da Liga Europa
FOTO: "Record Online"

quarta-feira, 28 de julho de 2010

O primeiro troféu da temporada

O médio do Sporting Pedro Mendes celebrando a conquista da New York Barclays Challenge, no Red Bull Arena, em New Jersey, nos Estados Unidos, onde a equipa portuguesa defrontou o Manchester City (vitória por 2-0) e o Tottenham (2-2) - duas equipas cimeiras na Liga inglesa.
Surpreendentemente, o Sporting fez muito boa figura nesta digressão pelos EUA, para satisfação da entusiástica comunidade portuguesa naquele País. Uma digressão que começou em Boston, onde a equipa leonina empatou com o Celtic de Glasgow (1-1), perdendo no desempate por grandes penalidades, por falhanço decisivo de Liedson.
Depois desta incursão norte-americana, o trabalho desenvolvido pelo treinador Paulo Sérgio confirmou os sinais positivos demonstrados do jogo de apresentação, em Alvalade, frente ao Lyon (vitória por 2-0), e começou a ser olhado com outros olhos...

domingo, 18 de julho de 2010

Boa apresentação leonina



Liedson só jogou uns minutos, mas a avaliar pelo jogo de apresentação, com o Lyon, este até pode ser o ano do Sporting. Desde logo se a equipa conseguir resultados um pouco melhores do que no ano anterior...
No teste mais exigente da temporada, frente aos vice-campeões franceses do Lyon, o Sporting não fez um jogo de encher o olho, mas deu boas indicações, demonstrando que está a fazer o trabalho de casa liderado por Paulo Sérgio. A equipa apresentou-se bem e venceu com justiça.
Com o grupo de jogadores mais completo, e com os índices físicos a melhorar, Paulo Sérgio viu o Sporting a ganhar por 2-0, com golos de dois jogadores que, em princípio, seriam para vender: Tonel e Yannick Djaló. Foi um bom suplemento anímico para a digressão que se segue pelos Estados Unidos da América.
Entretanto, algumas observações avulsas retiradas da partida: Vítor Golas é guarda-redes para integrar o plantel principal. Salomão tem condições para ser a revelação da temporada. Postiga e Pongolle continuam a jogar de costas para os golos. FOTO: AFP - Getty Images

Sporting-Lyon só na TV francesa

Os dirigentes do Sporting não devem querer que os sportinguistas espalhados pelo País, que não podem ir a Lisboa, assistam pela televisão ao jogo de apresentação a accionistas, sócios e adeptos, hoje, às 20h00, com o Lyon. Pelo menos, é isso que se deduz do facto de o Sporting ter vendido a totalidade dos direitos a um canal francês, pelo que a artida não terá transmissão televisiva por parte de qualquer um dos canais portugueses.
De acordo com o "Record", "o processo usual neste contexto é negociar uma percentagem desses direitos com um canal do país de origem do clube em questão, mas desta feita os leões negociaram a totalidade desses direitos, pelo que, ao contrário de outras ocasiões, o jogo de apresentação do Sporting não será transmitido por qualquer um dos canais nacionais (RTP, SIC, TVI ou Sport TV)".
Uma situação pouco usual olhando aquilo que aconteceu nas últimas temporadas, durante as quais os leões nunca cederam a totalidade desses direitos a uma emissora estrangeira, permitindo sempre que um dos canais nacionais garantisse o exclusivo da transmissão para Portugal. Deste modo, quem quiser assistir ao Sporting-Lyon deste domingo, só mesmo no Estádio José Alvalade.

sábado, 17 de julho de 2010

Virgílio Lopes: "Jogo de apresentação é decisivo..."

Não tenham dúvidas de que, neste momento, os jogadores e os treinadores do Sporting estão a trabalhar afincadamente no sentido de construir uma equipa que encha de orgulho todos os sportinguistas. Eu não duvido.
Não estive no Sporting Clube de Portugal apenas na época de 1981-1982. Também lá estava noutras épocas que correram menos bem e, nalguns casos, muito mal. Eu sei o esforço, a entrega e a dedicação que todos colocam nestas primeiras semanas de trabalho.
Os jogadores e o treinador sabem, nesta altura, que a margem de erro que lhes é permitida é quase nula. Têm perfeita consciência disso. O apoio dos adeptos é neste momento essencial para que existam maiores possibilidades de sucesso.
O Sporting, neste momento, precisa de união e tolerância. Aquilo que se vai escrevendo por aqui tem uma importância muito relativa. Aquilo que acontecer em Alvalade, no jogo de apresentação [neste domingo, 18-07-2010, às 20h00, frente ao Lyon, em Alvalade], será decisivo e irá muito provavelmente marcar toda uma época.
É fundamental não só o apoio dos adeptos nesse jogo, mas acima de tudo a capacidade de dar a esta equipa algum tempo para trabalhar e poder crescer até render aquilo que todos, nomeadamente os jogadores e os treinadores, desejam.
Entendam estas palavras como um apelo à união e compreensão dos sportinguistas. Acreditem que não é fácil, em poucas semanas, fazer com que uma equipa recupere aquilo que mais influência tem no seu rendimento: a confiança no seu valor como equipa, e a confiança de cada um em si próprio.
As feridas profundas que a época anterior deixou não são fáceis de fechar para ninguém. É sempre necessário fazer um diagnóstico ao que se passou e encontrar o melhor tratamento. Quanto mais acertado for o diagnóstico mais possibilidade de cura existe.
Mas para além dos tratamentos, o tempo de que se dispõe não pode ser demasiado curto. Senão nunca saberemos se a terapêutica que está ser utilizada é ou não a mais correcta. E, como num filme já muito visto, continuaremos a mudar de "médico" e de tratamento, sem nunca encontrarmos a cura definitiva.
Virgílio Lopes, antigo futebolista do Sporting Clube de Portugal
(Depoimento escrito para o LEÃO DA ESTRELA)

As aventuras de Bettencourt

O Sporting contrata jogadores sem ter dinheiro para pagá-los, pois não tem cumprido os compromissos assumidos, nomeadamente com o Sporting de Braga. Segundo alguma imprensa (porque outra imprensa procura branquear a situação em nome do "sistema" dos amigos de Alvalade...), o Sporting ainda só pagou ao Sp. Braga 10 por cento dos 3 milhões de euros combinados pela contratação de João Pereira, em Janeiro passado. E, quanto a Evaldo, também acertado por três milhões, a pagar em três percelas de um milhão, estará totalmente em falta. De resto, o Sporting não desmentiu as informações vindas a público. Apenas Costinha falou publicamente, de um modo que confirmou o incumprimento. "Não tenho conhecimento dessa situação...", declarou o director do futebol leonino.
Seja como for, é vergonhoso e humilhante que o Sporting ande a comprar jogadores sem dinheiro e pague a peso de ouro por jogadores que estão dispensados de trabalhar. Mais: é vergonhoso, irresponsável e humilhante que o Sporting dispense jogadores a torto e a direito, sem que tenha dinheiro para comprar substitutos. Isto para não falar dos 600 mil euros combinados com o Vitória de Guimarães para contratar o treinador Paulo Sérgio. Será que o empréstimo de Bruno Pereirinha serviu para pagar o treinador?...
José Eduardo Bettencourt foi escolhido como presidente porque a maioria dos sócios que foram votar não queriam aventureiros no Sporting. Um ano depois, pergunta-se: há gestão mais aventureira e irresponsável que a de Bettencourt?... FOTO: "A Bola"

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Liedson com a fasquia bem alta

"A época passada foi para esquecer, mas acredito que este ano vai ser completamente diferente. Este tem de ser o ano do Sporting!"
Liedson, na chegada a Lisboa, 16-07-2010

Dias de desespero em Alvalade

Há um filme, do realizador Manoel Oliveira, intitulado “O Dia do Desespero” (1992), que conta a história verídica e dramática dos últimos anos de vida do escritor Camilo Castelo Branco, em Vila Nova de Famalicão, em finais do século XIX. Cego, não podendo continuar a escrever para viver, Camilo afundava-se sem remissão num conflito íntimo, ou melhor, interno, "um drama em gente", como diria Fernando Pessoa.
Ora, são justamente dias de desespero aqueles que se vivem no futebol do Sporting, nesta pré-temporada atípica, só comparável ao que se passou em meados da década de 1980, depois da retirada de João Rocha, por motivos de saúde, quando o então treinador Manuel José também iniciou a pré-temporada com 15 ou 16 jogadores, porque não havia dinheiro para comprar mais. No Sporting de hoje, não faltam jogadores. O problema é que faltam jogadores de qualidade e com carisma leonino. É a consequência de uma gestão ruinosa e irresponsável, que escorraça jogadores formados no Sporting sem que haja dinheiro para adquirir substitutos de qualidade.
Em função disto, e das fracas prestações da equipa, ressalta o desespero do treinador, que agora estará mais consciente das dificuldades. Desespero que é notório nas declarações de Paulo Sérgio à comunicação social, em que, insistentemente, vem falando da necessidade de reforçar a equipa, passando, deste modo, uma onda negativa para o grupo de trabalho, uma vez que o técnico sente que, com os jogadores disponíveis, dificilmente cumprirá os objectivos de modo consentâneo com a putativa grandeza do Sporting Clube de Portugal. Hoje mesmo, a imprensa revela que Paulo Sérgio “quer mais cinco reforços”: um guarda-redes (quando há Stojkovic pago para não trabalhar...), um defesa.-central (já serão três, a juntar aos que estavam!…), um médio-defensivo (o que significa que Nuno André Coelho não serve…), um extremo e um ponta-de-lança (onde está o "novo" Pongolle? Será que existe apenas nos treinos?...).
Por outro lado, não faltam notícias sobre jogadores em que o Sporting está interessado, mas para os quais não há dinheiro: Hugo Viana, Manuel Fernandes, Drenthe, Giovani dos Santos, entre muitos outros. E isto está a acontecer no ano em que Costinha promoveu uma limpeza de balneário, com as saídas de Bruno Pereirinha, Adrien Silva e João Moutinho. Entretanto, Miguel Veloso e Yannick também deverão rumar a outras paragens, havendo quem tema que possam vestir de encarnado ou azul e branco…
Falando ainda de jogadores, é curioso que todos aqueles atletas que não interessam ao treinador continuam numa prateleira dourada, muito bem pagos pelo Sporting. Refiro-me, por exemplo, a Pedro Silva e Marco Caneira. Por que é que Costinha não consegue colocá-los?...
Bom, para quem começou a trabalhar em meados da época passada, de modo a planificar ao milímetro a temporada de 2010-2011, podemos concluir que o Sporting está a atravessar problemas a mais. Se calhar, no pomar de Alvalade, as maçãs podres estão uns ramos acima do balneário…

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Virgílio, antiga glória leonina, contraria Costinha: "Aprendi a ser homem na escola do Sporting..."

Foi sem dúvida um privilégio integrar a equipa de futebol do Sporting de 1981-1982, que, na opinião de muitos, era uma das melhores da Europa. Já repararam que continua a ser conhecida como “a equipa 81/82”?...
Esta equipa, a sua organização, as relações entre os jogadores, os treinadores, os dirigentes e todos os que compunham o departamento de futebol profissional e de formação (ou ainda o seu relacionamento com os adeptos) deviam ser objecto de estudo obrigatório para todos os que, hoje em dia, integram o futebol profissional do SCP. Na destruição deste grupo, no ano seguinte, fruto da ambição desmedida e doentia de duas ou três pessoas, estão muitas das explicações para o que se passou no futebol do SCP durante todos estes anos. Outros tempos...
Representei o SCP durante doze anos e, como muitos outros, passei pela formação, já lá vão tantos anos, e aí aprendi a jogar futebol. Mas, sobretudo, aprendi a ser homem, aprendi a respeitar os outros, colegas ou adversários e a camisola do Sporting ou de outro clube que representasse. Sobretudo, quando passei a profissional, tive à minha volta uma quantidade de pessoas que, todos os dias, me recordavam o que tinha aprendido nos anos anteriores.
E assim, olhando hoje para trás, acho que tive sorte. Aprendi numa grande escola, onde trabalhava gente fantástica, competente, séria, com carácter, a quem nunca se ouviu uma crítica pública ao futebol profissional, por muito que lhes vão destruindo sistematicamente os jogadores que tanto trabalho lhes dão a formar. Esta gente, que merece todo o meu respeito e devia merecer os respeito de todos os sportinguistas, sejam eles simples adeptos, dirigentes ou profissionais a exercerem a sua actividade no clube, tem ultrapassado sempre os objectivos que lhes são pedidos e contribuído, de uma forma notável para a história riquíssima de um clube centenário, a que todos nos orgulhamos de pertencer.
Um abraço a todos, principalmente para todos os que têm, ao longo dos anos, trabalhado na formação do SCP e estão, nos dias que correm, a ser tão injustamente desrespeitados.
Desde que saí do Sporting, e já lá vão vinte e tal anos, nunca fiz declarações públicas sobre o clube. Por duas razões: entendo que já existem demasiadas pessoas a falar sobre tudo o que acontece, na maior parte das vezes sem saberem muito bem do que estão a falar e depois porque, na realidade, não me sentiria bem a fazer declarações sobre coisas que não conheço com alguma profundidade.
Na realidade não conheço nenhum dos intervenientes nos acontecimentos que se desenrolaram (ou que enrolaram) o SCP desde o início da época passada. Com excepção do Presidente, que tive o prazer de cumprimentar duas ou três vezes, sempre que me desloquei a Alvalade, a convite do SCP. Para mim é sempre uma honra ser convidado a estar presente em qualquer iniciativa promovida pelo Sporting e, como é evidente, um enorme prazer voltar, ainda que apenas por algumas horas à "minha casa".
Durante todos estes anos também nunca me opus, ou apoiei, nenhuma direcção, candidato ou tendência dentro do SCP. Isto não significa que não acompanhe tudo o que diz respeito ao clube com a maior atenção, e que não discuta, num círculo muito fechado composto pelos meus filhos e por dois ou três amigos que, como eu, conhecem muito bem o clube.
Desta vez resolvi "dizer" alguma coisa [na página do LEÃO DA ESTRELA no Facebook], embora ainda num sítio relativamente privado, porque entendi que se estavam a passar todos os limites do respeito que o SCP merece.
O respeito não se exige, como ouvi um responsável do clube afirmar, o respeito merece-se e o SCP é merecedor de todo o respeito. Nomeadamente por todos os que exercem funções no clube. Um abraço.
Virgílio Lopes, antigo futebolista do Sporting Clube de Portugal

Nota do editor – Virgílio Lopes, o "jogador-operário" do Sporting Clube de Portugal, onde se formou na década de 1970 e onde jogou na década de 1980, depois de ter feito o tirocínio em Famalicão durante três temporadas, escreveu na página do LEÃO DA ESTRELA no Facebook sobre o Sporting de 1981-1982. Face ao interesse manifestado por mim, Virgílio deu autorização para que o texto fosse publicado no blogue. O título é da responsabilidade do LEÃO DA ESTRELA. É um documento importante e pleno de actualidade sobre o futebol leonino, em particular sobre o futebol de formação, em que Virgílio Lopes contraria uma opinião expressa pelo actual director de futebol profissional, Costinha, justamente sobre a escola de formação do Sporting, a propósito de João Moutinho... Também por isso, o LEÃO DA ESTRELA decidiu publicar este depoimento, para que todos os sportinguistas possam debatê-lo.

Não olhem para Grimi. Olhem para Yannick...


Reparem como Yannick desiste do lance... É assim que o rapaz quer ir para Inglaterra?... E que tal umas lições de atitude competitiva?...

Processo revolucionário em curso...

Qual será o João Moutinho que se seguem? Yannick Djaló ou Miguel Veloso?...

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Era uma vez uma equipa do Sporting...

As goleadas ao Sarilhense (10-0 e 5-1), o empate com o Mafra (2-2), a vitória sobre o Young Boys e novo empate ante o Nice (1-1) ainda não fizeram o treinador do Sporting, Paulo Sérgio Bento, definir uma equipa. Ainda em França, o “leão” saiu goleado frente ao PSG, por 4-2, em jogo diputado nesta quarta-feira.
Os sportinguistas até começaram bem, chegaram a uma vantagem de 2-0, depois de uma oferta do guarda-redes dos parisienses, que meteu a bola na própria baliza. Depois foi Carriço, de cabeça – o mesmo jogador sairia lesionado na segunda parte (saiu com o braço ligado e a lesão pode ser grave) – a ampliar a vantagem.
Mas foi tudo o que se viu do Sporting. Depois, foi um acumular de erros defensivos, passando por Rui Patrício (culpas no terceiro golo), defesas (não aliviaram a bola na pequena área e ofereceram dois golos ao adversário). E assim prosseguiu a "revolução" que dizem estar em curso no futebol leonino...
Inicialmente, o Sporting alinhou com os seguintes jogadores: Rui Patrício; João Pereira, Carriço, Polga e Evaldo; André Santos, Maniche, Vukcevic e Yannick; Postiga e Saleiro. Substituições: Postiga por Sinama-Pongolle (66’); Vukcevic por Valdés (66’); André Santos por Nuno André Coelho (66’); Polga por Torsiglieri (68’); Saleiro por Salomão (68’); João Pereira por Abel (72’); Evaldo por Grimi (72’); Carriço por André Martins (81’). TEXTO: LEÃO DA ESTRELA com "Público Online" FOTO: "A Bola"

O autógrafo de Rui Jordão

Em breve, contarei, aqui no LEÃO DA ESTRELA, a história deste autógrafo, que tive a honra de receber das mãos do grande avançado português Rui Jordão, que representou o Sporting Clube de Portugal nas décadas de 1970 e 1980, tendo sido campeão nacional duas vezes, para além de vencedor de outros títulos colectivos e individuais.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Casillas e Sara: o amor em directo

Sporting está "no caminho certo", diz JEB

“O grupo tem dado tudo e trabalhado no duro. Estamos claramente no caminho certo.”

“Acho que se tem feito um excelente trabalho, com as pessoas certas nos lugares certos e os perfis adequados.”

“Continuamos a trabalhar para assegurar que o Sporting seja competitivo, sem colocar em causa a sustentabilidade financeira, numa altura de grande crise em que as pessoas acham que os recursos são ilimitados. Estamos a construir equipa competitiva, com atletas que nos respeitam e respeitam os sócios, mas não podemos pôr em causa o modelo de sustentabilidade.”

"Mais prendas? Vamos ver. Quem vier será sempre para somar e não só para encher. O mercado está longe de estar fechado."

"Queremos ganhar rapidamente no futebol, após um período muito conturbado.”

“Vamos vender cara a derrota e seremos dignos como os campeões."

"Se [Miguel Veloso] fica? Não tenho indicações em contrário."

José Eduardo Bettencourt, no Núcleo Sportinguista do Luxemburgo, 10-07-2010

domingo, 11 de julho de 2010

Bettencourt sob fogo cerrado no Facebook

Figuras públicas do Sporting não poupam a gestão em curso no clube de Alvalade. O locutor de rádio António Macedo, conhecido sportinguista, demonstra a sua indignação face à gestão da dupla José Eduardo Bettencourt/Costinha. Hoje, após o jogo Nice-Sporting, deste domingo, Macedo não poupou os dirigentes leoninos. Eis algumas frases:

"A dupla Bettencourt/Costinha já conseguiu aquilo que queria: amputar a equipa do Sporting de todos e quisquer símbolos que sejam exemplos e que sejam mobilizadores. Com o criminoso "negócio" Moutinho, os dois cavalheiros vomitaram em cima da Formação do Sporting e metralharam a "geração de Alcochete". A equipa do Sporting já tem muito pouco que a distinga!"

"E vamos agora aguardar aquilo que está preparado para o Miguel Veloso e para o Liedson. É bom lembrar, já agora, que o nojento Bettencourt impediu, em 2001 e assim que chegou a Alvalade, o regresso de Simão ao Clube. Agora, a maior parte dos sportinguistas insulta o Simão. Eu insulto -- e cada vez mais indignado -- esse falso sportinguista que, para mal de nós, foi eleito Presidente do Sporting. Eu, que até estive quase convencido a votar nele!"

"Já agora: sabem que é feito do Adrien? Sabem? Foi emprestado, a bem dizer quase clandestinamente, a um qualquer clube grego!!! Sim, sim: quase clandestinamente, às escondidas de todos. Também não podia ficar no Clube, claro. Pertencia à geração de Alcochete, estava demasiadamente ligado ao Clube. Seria também uma maçã podre?"

Jorge Gabriel, também sportinguista, participou no diálogo e, dirigindo-se a António Macedo, comentou assim:

"Meu grande amigo Leão: Temos de, juntos, continuar lúcidos e precisamos de nos preparar para o que aí vem. Eles vão deixar o clube na ruína e nós, os verdadeiros sportinguistas, temos de nos unir para sustentar o caos. Infelizmente, prognostiquei há muito este destino. São benzocas, pseudo aristocratas que vão abandonar assim que o Sporting estiver a naufragar. Mantém te atento e conta comigo para o que der e vier."

Pongolle marcou de penálti

O Sporting empatou 1-1 no segundo jogo de preparação realizado em França, desta vez frente ao Nice, que se classificou em 15º lugar na última edição da I Liga Francesa. A equipa leonina esteve a perder durante a maior parte da partida, tendo sofrido um golo nos minutos iniciais, na sequência de uma grande penalidade provocada pelo defesa-central argentino Torsiglieri. Perto do fim, Pongolle restabeleceu a igualdade também de grande penalidade.
No final, o treinador Paulo Sérgio Bento, em declarações à Sport TV, justificou-se: "Jogámos em condições difíceis, está muito calor e o relvado muito seco, o que impediu de fazer o que pretendiamos, mas não há como desculpar, mostrámos pouca qualidade na primeira parte, com um jogo um pouco lento. (...) O grupo está curto, não temos todos os jogadores que queríamos, não estão os do Mundial, hoje tive de repetir atletas, mas toda a gente se empenhou e vamos no bom caminho. Há que aproveitar estes jogos, procurando sempre o resultado. Temos de fazer tudo e mais alguma coisa, porque quando os pontos contarem não se pode fazer experiências." FOTO: "A Bola"

As saídas de Miguel Veloso e Yannick

Miguel Veloso e Yannick vão sair do Sporting porque o director do futebol Costinha não os quer em Alvalade. Esses jogadores só não estão separados do plantel (quais "maçãs podres", como Pedro Silva ou Marco Caneira...) porque isso pareceria muito mal.
Com as saídas de Miguel Veloso e Yannick será desmantelado um grupo antigo do plantel do Sporting ligado à formação do clube, que já integrou Nani (vendido por 25 milhões ao Manchester United, em 2007) e João Moutinho (vendido agora ao FC Porto por metade da cláusula de rescisão). Costinha quer, a todo o custo, desfazer esse grupo. Um grupo de que também faz parte o introvertido Izmailov (que, como devem estar recordados, foi ambientado a Portugal em casa de Miguel Veloso...).
Com a saída de Moutinho, Veloso e Yannick perderam espaço e influência num balneário que o director do futebol pretende totalmente controlado. As contratações dos seus amigos Nuno Valente (treinador auxiliar sem aptidões para se sentar no banco de suplentes), Manniche e Valdés (antigos colegas de equipa de Costinha) inserem-se nessa lógica. Não há nada de mal nisto. Um general não consegue ganhar uma guerra se não tiver soldados que se identifiquem totalmente com o chefe, dando tudo por ele. O problema será das finanças do clube (contratar um extremo quando há Yannick Djaló não faz sentido nenhum), que se ressentem com tantas mudanças destinadas apenas a satisfazer lógicas de grupo...
Mas não há nada a fazer num clube de futebol que está transformado num partido político... No fundo, o que os sportinguistas querem é que o "novo" Sporting traga vitórias e títulos. Por isso, a verdadeira cobrança não acontece agora. A verdadeira cobrança acontecerá quando surgirem os primeiros resultados...

A promessa de um "novo Pongolle"

"Na época anterior passei por uma fase muito má, muito difícil e confesso que foi muito importante o apoio que tive dos meus companheiros, do Sporting. As coisas não me correram bem, uma vez que como a cabeça não funcionava, o corpo também não respondia. Mas, felizmente que já está tudo ultrapassado e, claro, quero realizar uma boa época."

"Espero estar à altura das exigências, tal como esperam todos os meus companheiros. Todos nós queremos dar muitas alegrias, por isso, estamos a trabalhar muito com confiança no futuro."

"O técnico tem uma carácter forte e procura uma equipa forte. Ele é exigente e isso tem-nos ajudado bastante para ganharmos uma boa forma. Todos queremos entrar bem na nova época. Quando o treinador nos pressiona, ajuda-nos a crescer como jogadores. Portanto, o saldo é muito positivo."

"[Jaime Valdés] é um jogador com muita alegria e que técnica e tacticamente vai acrescentar muito à equipa. Ele será mais um jogador a lutar pelos objectivos, a puxar para o mesmo lado."

"O individual não me preocupa. Sou a favor do colectivo e do trabalho em equipa Temos uma equipa jovem, mas ao mesmo tempo composta com outros jogadores que têm muita experiência. Todos queremos vencer as competições em que estamos inseridos. Somos ambiciosos e tudo faremos para o conseguir."

Pongolle, www.sporting.pt, 10-07-2010

sábado, 10 de julho de 2010

Bettencourt desvaloriza Nuno André Coelho

Uma nota sobre a miserável conferência de imprensa de José Eduardo Bettencourt, onde apelidou João Moutinho de "maçã podre". Porque essa conferência de imprensa demonstrou mais um erro de comunicação do presidente do Sporting.
Bettencourt teria sido inteligente se tivesse optado por chamar os jornalistas unicamente para apresentar Nuno André Coelho no âmbito de um acordo estabelecido com o FC Porto. Não o fez. Acabou por dar mais importância a um jogador sobre o qual não teve pulso para segurar. Deste modo, José Eduardo Bettencourt cometeu vários erros:
1. Desvalorizou Nuno André Coelho de um modo lamentável, dando a entender que o defesa-central portista foi incluído no negócio sem qualquer planeamento. O ex-jogador do FC Porto acabaria por ser apresentado em França, juntamente com o chileno Valdés.
2. Atacando o comportamento e o carácter de João Moutinho, Bettencourt desfez a ideia de que houve algum acordo com o FC Porto, reforçando a percepção já existente na opinião pública, segundo a qual o Sporting foi incapaz de segurar Moutinho e teve que aceitar negociar com o clube que o próprio jogador escolheu, em articulação com o seu empresário.
3. Ao classificar Moutinho como uma "maçã podre" aumentou a lista de capitães do Sporting que saem em litígio com o clube.
Ora, esta questão da ruptura do clube com os seus símbolos maiores, que tem sido uma constante nos últimos 30 anos, seria caso para reflexão urgente em Alvalade, pois também ela é responsável pela decadência leonina. "Por que é que o Sporting não tem antigas figuras do clube na sua estrutura? Onde é que estão o Figo, o Futre ou o Carlos Lopes? O Moutinho foi-se embora porque não foi bem tratado", disse um ex-responsável leonino à revista "Sábado". Onde a mãe do atleta, Lina Moutinho, também se queixou: "Deu tanto ao clube e depois tratam-no assim." FOTO: "A Bola"

Esforços admiráveis em Alvalade

Depois de ter vendido João Moutinho ao FC Porto por metade da cláusula de rescisão, José Eduardo Bettencourt prepara-se para emprestar o guarda-redes Stojkovic ao Sporting de Braga. O esforço que os dirigentes do Sporting têm revelado no reforço das equipas adversárias é simplesmente admirável!...
Miguel Veloso será o próximo a deixar Alvalade, talvez acompanhado de Yannick Djaló. Aliás, Nuno André Coelho, ex-defesa-central do FC Porto, está a ser testado à frente da defesa, justamente para substituir Veloso.

Moutinho: FC Porto paga o mesmo que o Sporting

João Moutinho quis sair do Sporting por questões financeiras. Queria ganhar mais do que 1,2 milhões de euros por ano só em ordenados. Quis ir para o FC Porto, onde também vai jogar na Liga Europa... Só que Pinto da Costa aproveitou o momento de fragilidade do jogador e deu-lhe a volta. João Moutinho vai ganhar no FC Porto precisamente o mesmo que ganhava em Alvalade. E tem que dar o litro...

Moniz Pereira deixa atletismo leonino

"Não vou poder continuar a ser o responsável pelo atletismo do Sporting. Estou quase com 90 anos e chegou o momento de passar a pasta a outros técnicos coordenadores da modalidade."

"Já tive uma conversa com o presidente do clube [José Eduardo Bettencourt] e ele compreendeu a minha situação."

"Começa a ser difícil continuar. A negociação dos contratos com atletas e treinadores, a organização das competições. Enfim, uma série de situações em que já tenho dificuldades."

"Estou 'destreinado' de ter férias. Preciso de tempo para mim. Ler livros e escrever sobre coisas que não tenho tido tempo."

"Tenho uma ligação [ao Sporting Clube de Portugal] de uma vida. Por isso também a minha continuidade na direcção."

"Sugeri ao presidente os nomes de Bernardo Manuel [antigo atleta do Sporting e actual treinador de meio-fundo] e/ou Abreu Matos [técnico de velocidade, saltos e barreiras]. Ele agora terá de decidir qual a melhor solução."

Mário Moniz Pereira, vice-presidente do Sporting e coordenador da secção de Atletismo, "Diário de Notícias", 09-07-2010

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Yannick e Saleiro em destaque


No primeiro jogo de preparação fora da Academia de Alcochete, o Sporting 2010-2011venceu a equipa suíça do Young Boys, segunda classificada da I Liga Suíça, por 1-0. Curiosidade: o golo decisivo, bem desenhado, foi construído por uma dupla da casa: Yannick Djaló e Carlos Saleiro. Os putos da academia não querem perder um lugar na equipa de Paulo Sérgio. Clique na imagem para ver.

Sem ti não há campeões...

Em defesa dos animais

Activistas do PETA, um movimento internacional de pessoas pelo tratamento ético dos animais manifestaram-se na África do Sul contra o uso de casacos de peles. A entidade protectora dos direitos dos animais aproveitou o Mundial de futebol para ganhar visibilidade. As mulheres despiram-se de preconceitos e pintaram o corpo com as cores das selecções que participaram na prova. Não sabemos se a representante da selecção portuguesa é sportinguista, mas, pelo aspecto, é leoa desde que nasceu...

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Drenthe para esquecer João Moutinho

O treinador do Real Madrid, José Mourinho, deu luz verde para nova cedência, por empréstimo, do esquerdino holandês Drenthe. Costinha gostaria de ver o jogador no plantel do Sporting. O ordenado do internacional holandês pode constituir um obstáculo. Na semana em que perdeu João Moutinho para o rival FC Porto, a mudança de Drenthe para Alvalade, para além de significar um novo paradigma no recrutamento de novos jogadores, seria uma boa forma de travar a contestação dos adeptos leoninos à gestão José Eduardo Bettencourt...

António Oliveira não quer Sport TV em casa

"Não tenho Sport TV. Dos meus bolsos não sai um cêntimo para o Joaquim [Oliveira]. Era só o que faltava. Nem morto."
António Oliveira, antigo jogador e treinador do Sporting, irmão de Joaquim Oliveira, dono da Sport TV, "Correio da Manhã", 08-07-2010

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Teatro Variedades em Alvalade*

Ronaldo é pai solteiro e o capitão do SCP vai para o FCP. Quem ouvisse isto de rajada pensaria num 1 de Abril pouco criativo. Mas é verdade. Afastemo-nos de CR9 que é do domínio de Hollywood e concentremo-nos no Sporting, uma espécie de Teatro Variedades.
Porque é que Moutinho sai por menos de metade da cláusula para um rival? De maneira a haver liquidez para um chileno (Valdés) que não foi ao Mundial (Tello e Matías foram, só para servir de escala)? Ah, mas vêm jogadores do Dragão: Nuno Coelho, essa esperança que, por acaso, até é mais velha que Moutinho. E Postiga, que marcou um golo em 2009-10, fica pago.
O capitão sai por insubordinação? Mas não era um profissionalão? E antes dele, não era Izmailov o homem que trocava férias por trabalho na Academia? Costinha zangou-se com ambos? E onde fica Paulo Sérgio, que não daria a braçadeira a Moutinho por ser muito novo, e agora quer dá-la a Carriço, aos 21 anos, contando, no entanto, com o número 28 como um dos capitães?
Claro que aparecerão notícias sobre o carácter do jogador para domar a opinião pública e mostrar que a SAD não quer ninguém contrariado, etc... Ontem, quem olhasse para a RTP1 a seguir ao almoço descansava: lá está Costinha a explicar tudo. Afinal não, estava num programa cor-de-rosa gravado, "Só Visto", a falar de fatos e assim. Sim, parece mentira mas é verdade.

João Almeida Moreira, jornal "i", 05-07-2010
Obs. - Título da responsabilidade do LEÃO DA ESTRELA

O chileno Valdés a caminho

Valdés, o médio chileno dos italianos do Atalanta, clube de Costinha, antes de pendurar as botas e rumar a Alvalade. Estamos perante um reforço devidamente pensado, de que o Sporting realmente precisa, ou estamos perante mais um amigo de Costinha no plantel do Sporting, capaz, por isso, de envergar a braçadeira de "capitão", como sucede com o recém-chegado Maniche?...

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Falemos de "maçãs podres"...

João Moutinho é um mercenário telecomandado e um mal agradecido. Era dos jogadores mais bem pagos do Sporting Clube de Portugal e achava que ganhava pouco, ainda que não tenha feito nada para merecer mais um aumento. Em particular nos últimos dois anos, em que o seu futebol cristalizou e a equipa, de que era “capitão”, não ganhou nenhum título. Mesmo assim, Moutinho ousou colocar em causa a estabilidade da empresa que lhe pagava no fim do mês, nomeadamente quando revelou ao mundo que queria sair do Sporting, já com a temporada em andamento. Se fosse um homem decente, depois de ter dito que queria ir embora, deveria ter tomado a iniciativa de passar a braçadeira de “capitão” a outro colega. Sem o Sporting, talvez Moutinho não fosse ninguém no futebol. Se tivesse ido aos treinos de captação do Benfica, provavelmente, dir-lhe-iam que não tinha altura para jogar lá. Como disseram a Miguel Veloso que era gordo. No FC Porto também não entraria, mais a mais sendo filho de um mouro.

Pini Zahavi, o empresário israelita de João Moutinho, é um mercenário profissional. É descrito como todo-poderoso no futebol europeu e mundial, mas jamais conseguiu um negócio de jeito em benefício do Sporting Clube de Portugal. Fez ninho em Alvalade, colocando um familiar a jogar na Academia de Alcochete. Curiosamente, Zahavi é poupado por Bettencourt. Mas foi este empresário que colocou Moutinho no FC Porto, munindo-se de um documento assinado pelo próprio Bettencourt, segundo o qual Zahavi teria carta branca do Sporting para negociar Moutinho “a partir dos 10 milhões de euros”. Curiosamente, na extensa da carteira de clientes de Zahavi, só o FC Porto apareceu como interessado no jogador leonino… Se Moutinho é uma “maçã podre”, não sabemos o que é que Pini Zahavi representa para o Sporting na opinião de Bettencourt…

José Eduardo Bettencourt, essa espécie de presidente do Sporting, é um incompetente que só tem prejudicado o clube. Acordou com Pini Zahavi a negociação de Moutinho, a partir de 10 milhões de euros, quando o empresário já conhecia o interesse do FC Porto. Mas Bettencourt não impôs regras, impedindo, à partida, que o jogador fosse vendido para qualquer clube português, ao contrário do que costumam fazer o Benfica e o FC Porto quando têm futebolistas para venda no mercado. Ingénuo ou trapalhão, Bettencourt ainda chegou a propor a Zahavi uma adenda ao acordo, segundo a qual o Sporting, no futuro, teria preferência de compra de Moutinho sobre FC Porto e Benfica (preferência sobre uma “maçã podre”?...). Só que Zahavi recusou, dizendo a Bettencourt que a única proposta era do FC Porto e pedindo desculpa, “através de carta”, segundo revela o “Record”.

Costinha é um peão ainda à procura do seu verdadeiro papel no Sporting. Ao incompatibilizar-se com João Moutinho, só ajudou a empurrá-lo para fora do Sporting. Como, de resto, já fez com outros atletas. Ganhou, por isso, a imagem de “agente infiltrado” de Pinto da Costa.

Pinto da Costa é um defensor exemplar dos interesses do FC Porto. Limitou-se a estar atento, como quase sempre, liderando um negócio face ao qual o Sporting Clube de Portugal, apesar de ser o vendedor, esteve sempre de mão estendida, alienando o seu património e, sobretudo, a sua autonomia como organização desportiva.

O que nos vale é que o Sporting Clube de Portugal é muito grande. Caso contrário já teria acabado no meio das golpadas destes incompetentes e destes mafiosos.

Moutinho no Porto: todo o negócio

Comunicado da Sporting SAD à CMVM, sobre a transferência do futebolista João Moutinho para o FC Porto:
Nos termos e para efeitos do cumprimento da obrigação de informação que decorre do disposto no artigo 248º, nº1 al. a) do Código dos Valores Mobiliários, a SPORTING - Sociedade Desportiva de Futebol, SAD, (Sporting SAD) vem informar ter chegado a acordo com a Futebol Clube do Porto - Futebol, SAD (Porto SAD) para a cedência definitiva dos direitos desportivos do jogador João Moutinho pelo montante de € 11.000.000,00, ficando esta Sociedade com o direito a receber 25% da mais-valia que se venha a verificar numa futura cedência do jogador da Porto, SAD para um terceiro clube, por valor superior a € 11.000.000,00.
Como contrapartida adicional, a Porto, SAD cedeu a favor da Sporting, SAD, a título definitivo os direitos desportivos do jogador Nuno André Coelho, mantendo na sua titularidade 50% dos respectivos direitos económicos.
A Sporting, SAD e o jogador Nuno André Coelho celebraram contrato de trabalho desportivo válido até 30 de Junho de 2014, tendo sido fixada cláusula de rescisão de € 30.000.000,00.
Lisboa, 4 de Julho de 2010
O Conselho de Administração da Sporting SAD

domingo, 4 de julho de 2010

Um negócio muito bom para o FC Porto

O Sporting vendeu a totalidade de João Moutinho ao FC Porto, devendo garantir 30 por cento de uma eventual venda futura. O FC Porto dá ao Sporting apenas 10 milhões de euros, menos de 50% da cláusula de rescisão de Moutinho, que estava fixada em 22,5 milhões de euros. O que sifnifica que as cláusulas de rescisão são uma treta...
Para Alvalade segue o defesa-central português Nuno André Coelho, de 24 anos, suplente no FC Porto. Mas Pinto da Costa só cede ao Sporting 50 por cento dos direitos económicos de Nuno André Coelho. Dizem que é o maior negócio de sempre no mercado português. Uma coisa é certa: parece ser um negócio muito bom para o FC Porto. FOTO: "A Bola"
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...