sábado, 12 de março de 2011

Godinho não diz onde vai buscar o dinheiro

“Espero ser eleito pelos mesmos sócios que elegeram os outros presidentes.”

“Eu era vice-presidente para o património e quando cheguei ao Sporting já havia uma tomada de decisão sobre a construção do estádio naquele sítio. A única discussão foi saber quantos lugares teria – decidiu-se passar de 40 para 52 milhões de lugares – e a minha votação na altura não interessa, pois sou solidário com as decisões assumidas. Aí acabou a pista de atletismo, ocupou-se grande parte do terreno e deixou de haver pavilhão. Foi uma decisão tomada no ano de 2000 pelo conselho directivo, ao qual eu pertencia.”

“Eu quero deixar um Sporting independente dos seus credores e da banca. As pessoas falam em promiscuidade, mas comigo jamais um jogador do Sporting é vendido para a concorrência abaixo da cláusula de rescisão. Não tenho nenhum direito de os impedir de ir para um projecto desportivo que lhes possa pagar muito mais, mas para a concorrência directa só vão se for paga a cláusula, isso vai fazer parte dos contratos dos jogadores que assinarem pelo Sporting. Para que não tenha necessidade de vender um jogador a qualquer preço para sobreviver no dia-a-dia, tenho de ter um Sporting independente, daí os 100 milhões.”

“É fundamental que as contas sejam regularizadas hoje, as receitas têm de ser superiores às despesas por isso preciso dos primeiros 60 milhões. Os 40 milhões são para investir na equipa para ter a certeza que o Sporting não gasta 3,9 milhões euros/ano com 16 jogadores emprestados, para poder dispensar os que não forem necessários, e para contratar um treinador e jogadores. Onde é que fui buscar este dinheiro, perguntava... Reuni-me com a banca, é verdade, em torno de empresários, sim, em torno de fundos de jogadores, salvaguardando sempre o direito do Sporting, é verdade. Portanto, reuni-me com várias entidades financeiras credíveis e consegui as condições para dizer que, sem aumentar o passivo e garantindo a sua diminuição daqui a três anos, tenho um projecto desportivo vencedor.”

“Neste momento estamos a eleger um presidente, não um treinador. Duque e Freitas estão a trabalhar há vários dias, a informar-se sobre os contratos dos jogadores (não sabem os salários, mas as datas em que terminam). Olhando para isso, criámos um modelo e definimos uma coluna vertebral da equipa, em torno da formação, e verificámos quais os lugares que precisavam de estar preenchidos. Não vamos falar em nomes porque isso era triste sem o treinador estar a trabalhar connosco. Já falámos com ele, temos um pré-acordo e acreditamos que serve o momento do Sporting. Tem de ser ambicioso, ganhador, tem de ter conquistado títulos, tem de perceber o papel da formação no Sporting, tem de ser uma referência para os jogadores.”

“Tenho toda a consideração por [Augusto Inácio], foi o treinador campeão, isso não está em causa. Inácio jogou no Sporting e foi campeão como treinador, mas hoje fala-se dele como responsável desportivo de outra candidatura. Não vou comparar Inácio/treinador com Inácio/vice-presidente para o futebol. Não há lugar a mais experiências no Sporting, qual é a experiência dele nesse cargo?”

“O meu pai era sportinguista, aos domingos íamos ver os jogos do Sporting da Beira, às vezes fazíamos 200 quilómetros. Aprendi a ser sportinguista e desde cedo o meu pai me habituou a ter esses valores por perto. Na altura via os filmes do Artur Agostinho, o "Leão da Estrela", por exemplo, ligado aos relatos que ele fazia.”

“Tenho cinco filhos. O primeiro é do Benfica, infelizmente tornou-se sócio quando era vice-presidente do Sporting. Os outros quatro são do Sporting…”

“Não tive nenhum amigo a virar-me a cara [após a detenção pela Polícia Judiciária, em 2002]. As pessoas perceberam que tinha havido uma injustiça naquele projecto [paquetes da Expo’98] e sempre acreditaram em mim.”

Godinho Lopes, candidato à presidência do Sporting, jornal i, 12-03-2011

5 comentários:

MAFARRICO disse...

Vai buscá-lo ao sitio do costume. Ao nosso bolso.

Mário Rui Oliveira disse...

Não diz !?

Então isto é o quê ?

"Reuni-me com a banca, é verdade, em torno de empresários, sim, em torno de fundos de jogadores, salvaguardando sempre o direito do Sporting, é verdade. Portanto, reuni-me com várias entidades financeiras credíveis e consegui as condições para dizer que, sem aumentar o passivo"

Mas está tudo doido ?

Luis Magalhães Pereira disse...

O que é engraçado é que o candidato da continuidade/Banca foge-lhe a boca para a verdade! Diz que vendia o Moutinho para um rival (porto ou lamps)mas só pela clausula de rescisão, em vez de dizer que contratualmente impediria um jogador do Sporting de ir jogar para um dos outros grandes!!!

Grande Sportinguista! CORJA PURA!

P.S. Alguma vez algum filho ou filha meus seria de outro clube que não o SCP? NUNCA! Há questões em que o fundamentalismo é lei!

António Lopes da Costa disse...

Não deixa de ser curioso que o candidato que mais critica os outros ainda não tenha dito quem e quanto vai investir no Sporting, não tendo apresentado ainda qualquer treinador, limitando-se a dar alguns nomes para uma lista ligados à banca e à política.
Mas há aqui uma pergunta que eu gostava de fazer a Godinho Lopes: se há 10% da lista, incluindo o próprio, que já tiveram funções executivas no Sporting, qual foi a razão de nunca terem feito uma auditoria às contas?
Há muita coisa que foi escondida, muita que está escondida. E, pelos vistos, continua a haver uma enorme vontade de esconder...

Um abraço a todos

PG disse...

Vai revelar os investidores?

No dia em que ganhar começarei a utilizar os meios que tenho. Se por algum motivo os sócios entenderem que não sou merecedor de ser presidente, colocarei o meu projecto à disposição de candidaturas credíveis. Estou aqui para servir o Sporting, não para iludir os adeptos com promessas vãs em torno de um projecto. Tenho 40 anos de trabalho, sempre honrei os compromissos na minha vida e não venho hipotecá-la em torno de um projecto falso.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...