terça-feira, 6 de setembro de 2011

O melhor presidente da história do Sporting


"José Roquette liquidou o Sporting"

João Rocha foi eleito presidente do Sporting Clube de Portugal em 7 de Setembro de 1973. Faz 38 anos nesta quarta-feira. Em 12 anos, João Rocha fez do Sporting a maior força desportiva portuguesa e um dos maiores clubes da Europa e do Mundo, tal como preconizava José de Alvalade. E não precisou de ganhar mais do que 3 campeonatos nacionais de futebol (1974, 1980 e 1982). O que prova a força da multidisciplinaridade do seu trabalho. Foi, sem dúvida, o melhor presidente da história do Sporting, que merecia uma homenagem que ficasse para sempre na memória dos Sportinguistas. Sugiro, a propósito, que o pavilhão prometido por Godinho Lopes, e sobre o qual deixou de haver notícias, seja baptizado com o nome de João Rocha.
Foi com João Rocha que Pinto da Costa, então a emergir como dirigente desportivo, lançou os primeiros ataques do FC Porto ao Sporting, na primeira metade da década de 1980. Na altura, Pinto da Costa era amigo do Benfica, liderado por Fernando Martins. Pinto da Costa foi a Alvalade buscar Paulo Futre, Eurico e Inácio. Mas João Rocha já tinha ido ao Norte buscar António Oliveira. E também respondeu à altura, contratando os internacionais portugueses Sousa e Jaime Pacheco. A luta era taco-a-taco...
O LEÃO DA ESTRELA evoca os 38 anos da tom,ada de posse de JOão Rocha como presidente do Sporting recordando o essencial da sua última grande entrevista a um jornal desportivo, o "Record", onde o antigo presidente leonico considera que José Roquette "liquidou o Sporting". Foi há apenas 5 anos, no jornal "Record". A entrevista originou um processo em tribunal que não chegou a julgamento. Eis o que disse João Rocha:

“O Sporting está a atravessar a pior crise dos seus 100 anos. Convinha, no entanto, esclarecer, até porque os mais jovens não o sabem, que quando veio a revolução [em 25 de Abril de 1974], os clubes passaram por uma crise muito grande, concretamente na altura do PREC. Eram, no fundo, ‘presas’ a tomar de assalto. Criaram-se decretos e portarias à luz dos quais os jogadores se transferiam livremente, bastando uma carta. O Sporting passou essa crise colaborando em algo que era necessário, ou seja, apostando na massificação do desporto em Portugal. Não havia ginásios nem pavilhões e o Sporting começou por ter logo 15 mil atletas, um recorde. Nenhum clube da Europa o conseguia, nem o próprio Barcelona.”

“Fizeram-se ginásios, pavilhões e compraram-se terrenos. Dinamizámos o desporto em Portugal. A ginástica foi de Norte a Sul do País com várias equipas. Promovemos as modalidades junto de entidades como os bombeiros, diversos tipos de associações, polícia, escolas, etc. Introduzimos em Portugal as artes marciais e a dinamização junto das instituições referidas foi a mesma.”

“Começámos a ter um património invejável. Pagámos as dívidas do passado e sempre com dirigentes que nunca ganharam nada. Foram centenas de pessoas a participar neste projecto de servir o Sporting gratuitamente. O clube tem de estar grato a esses dirigentes que pagavam, inclusivamente, hotéis, e passes dos jogadores das modalidades de forma desinteressada. Com tudo isto, o Sporting passou a ter a primazia do desporto em Portugal e a ser a maior força desportiva nacional.”

“De tal forma que nos primeiros 10 anos após a revolução, o Sporting tinha 22 modalidades e ganhou 1.210 títulos nacionais e 52 Taças de Portugal. Conquistámos 8 taças europeias em 7 anos, tínhamos 105 mil sócios e, no futebol, entre campeonatos, Taças e Supertaças, o Sporting conquistou 8 títulos contra 10 do Benfica, 6 do FC Porto e 3 do Boavista. Conseguimos reconquistar o estatuto vivido, por exemplo, no tempo dos ‘Cinco Violinos’. Finalmente, juntando provas nacionais e europeias de alta competição, ganhámos 47 títulos contra 20 do Benfica e 13 do FC Porto, ou seja, mais do que os dois rivais juntos. Acrescente-se que mandámos uma equipa de ciclismo à Volta a França. Nenhuma equipa europeia com futebol o fez por duas vezes como nós. Foi importantíssimo para o país.”

“Quando saí, deixei o clube sem dívidas, com passivo zero, jogadores valorizados zero, estádio valorizado zero, tudo a preço zero e nada reavaliado. Além disso, 300 mil metros quadrados de construção aprovada, o que em termos actuais e se o Sporting tivesse sido administrado como deve ser, faziam dele hoje um dos maiores clubes da Europa. Só nesses 300 mil metros quadrados tinha um valor de 120 milhões de contos.”

“Eu saí. Não podia ficar, porque tinha uma doença grave. Nos últimos dois anos, já assistia deitado às reuniões da direcção. Só bebia leite e um médico americano disse-me que eu tinha de decidir entre a morte e o Sporting. Eu queria viver mais alguns anos e saí. Depois, o passivo foi aumentando ao longo dos anos, até que chegou José Roquette com o seu projecto.”

“O Projecto Roquette liquidou o Sporting. Ninguém soube o que era o projecto, porque ele não dizia. Sabia-se, apenas, que era uma dezena de sociedades, dirigentes e funcionários superiores a ganhar centenas de milhares de contos. O projecto foi reduzir os sócios de mais de 100 mil para pouco mais de 30 mil, foi acabar com as modalidades amadoras, foi vender património, foram dezenas e dezenas de milhões de contos de prejuízo que não aparecem nos resultados, porque parte deles foram executados pelo Sporting. No caso da SAD deram-se informações falsas aos associados e à própria CMVM para a entrada na bolsa.”

“O que lhe posso dizer é que era tudo tão bom que ele próprio, José Roquette, ia subscrever capital e a primeira coisa que fez quando saiu foi vender todas as acções da SAD que tinha comprado. Isto levou os sócios a perderem quase 14 milhões de contos só na subscrição e nos resultados negativos.”

“Numa assembleia da SAD e para defender os interesses do Sporting, lembrei que ao abrigo do Artº 35, a Sociedade tinha de acabar, mas havia uma possibilidade que era a reavaliação dos jogadores, repondo capital necessário na SAD para esta não ser extinta.”

“O Projecto Roquette liquidou o Sporting. Disso já não restam dúvidas. Queria gerir o clube ditatorialmente e a primeira coisa que fez foi fechar as portas aos jornalistas nas assembleias gerais. No meu tempo, havia uma bancada só para os jornalistas. Não tínhamos receio de nada.”

“Quando José Roquette entrou, o clube estava numa situação caótica, mas ele aceitou um passivo de 4 milhões de contos e, actualmente, ascende a 60 milhões de contos. É uma diferença enorme. Mas esse não é o grande problema. É preciso ter em conta os prejuízos, os quais foram colmatados com a venda de património e a reavaliação de todo o activo, incluindo jogadores. Esses prejuízos não foram contabilizados.”

“Fez-se a Academia e o estádio, mas nada disso é do Sporting. Mesmo que se venda aquilo que se está a propor vender, ainda vamos continuar a dever o estádio, que é fruto de compromissos com a banca e do contributo de alguns sócios que ajudaram em muitos milhares de contos, comprando lugares cativos.”

“Havia um projecto com o FC Porto que era muito prejudicial para o Sporting. Era mesmo inqualificável. Insurgi-me num Conselho Leonino e numa assembleia geral. Era um projecto gravíssimo que só podia sair da cabeça de um indivíduo sem responsabilidades. José Roquette dizia que era um projecto válido, porque era a única maneira de Sporting e FC Porto estarem sempre representados na Liga dos Campeões.”

“Não digo mais nada sobre isso. Foi falado no Conselho Leonino (…). (…) O resumo do acordo com o FC Porto devia ser gravado de tão grave que era, porque talvez fosse necessário que essa gravação viesse a ser pública na defesa dos interesses do Sporting e dos seus sócios. Não vejo o desporto assim."

João Rocha, Presidente do Sporting Clube de Portugal entre 1974 e 1986, entrevistado pelo jornalista João Pedro Abcasis, “Record”, 15 de Fevereiro de 2006

12 comentários:

pedro oliveira disse...

Hoje?
Amanhã... talvez.
(hoje é 2011.09.06,amanhã será 2011.09.07)
(quanto à questão do melhor presidente, enfim, em quantas finais europeias de futebol participámos com João Rocha? Quantas ganhámos?)

condor disse...

Em boa hora o João Rocha veio buscar o Pacheco e o Sousa pois foi a unica forma de estes dois ganharem muitos titulos como se viu!
Creio que o meu amigo Leão comete uma pequena imprecisão no seu post!
O Pinto da Costa não ataca o Sporting quando contrata Futre!
Acho que responde a um ataque vindo de Alvalade pois Sousa e Pacheco foram duas trutas "termo utilizado por João Rocha na altura"pescadas nas Antas primeiro!
Aliás,Pinto da Costa nunca atacou Benfica nem Sporting,apenas respondeu e continua a responder a ataques!
Só que convenhamos!O gajo paga-se com lingua de palmo!

KYLE disse...

corrigindo ( corrijam me tb se estiver errado ):

Pinto da Costa contrata Inacio em 82

JoaoRocha responde com a contrataçao de Sousa e Pacheco em 84

O Poeta Morto disse...

pois, e eu gostava de saber que projecto era esse entre o fcp e o sporting. em que medida é que ia contra a verdade desportiva? havia combinação de alguma coisa do genero eu fico em primeiro e tu em segundo que é melhor que ficares em terceiro e não ires à liga dos campeões? como queres? juntas-te a mim e ficas em segundo ou não, e ficas pela taça uefa?

KYLE disse...

deixa me responder te pelas conversas entre o meu pai com o meu tio ( elementos q pertenceram à direçao do Boavista e Salgueiros, respetivamente ), qq coisa como JRocha sair do Sporting pq o porto estava em conluio com o benfica..pq o porto nao podia vencer sempre ( certamente isso faria chegar ao futebol as altas patentes politicas do governo e isso nao convinha a PC ) a outra equipa q beneficia seria o benfica, a equipa do povo..mais vale deitar abaixo o Sporting para assim ter uma equipa no norte e outra no sul..
ganha o porto o campeonato e depois o benfica..mas qd o benfica estava em baixo, vencia novamente o porto, o q por vezes daria 2/3 campeonatos seguidos ao porto..isto explicado como se estivessemos na conversa numa mesa de cafe..e mts outras historias entre porto e benfica mas q normalmente um corrupto insinua sempre q os outros é q o sao, e isto tb para os projetos q entre porto e Sporting nunca existiram!
Termino com uma frase do JRocha: " com PC na liderança do porto, o Sporting nao sera campeao na proxima decada " ( isto numa altura creio q da saída do JR da presidencia do Sporting )

O Poeta Morto disse...

o joao rocha disse que o SPORTING (não o benfica) fez um pacto com o FCP. esse pacto prejudicou o clube! nesses anos o clube ficou em segundo, o que me parece que o acordado era deixar o fcp ganhar o campeonato, sendo o segundo lugar sempre para o sporting. assim iam sempre os dois à champions. é do genero: !querem ter o lugar da champions sempre assegurado ou preferem lutar pelo titulo e arriscar a ficar em 3º ou 4º e não ir? daí a ilusão com aqueles 2º lugares (lembro o Eduardo barroso e a sua euforia em ficar à frente do benfica. quando caimos na real vimos o que tinhamos. o braga chegou lá acima e os pactos agora são com outros. 1º boavista, 2º sporting, 3º braga... ninguem vê uma logica nisto?

O Poeta Morto disse...

na primeira entrevista após sair do Sporting disse "O êxito desportivo que acabámos por ter no futebol, embora não tivéssemos sido campeões, mas ficámos sempre à frente do Benfica, em segundo lugar, qualificando-nos para a Liga dos Campeões."

KYLE disse...

1- eu disse q foi aquando da saida do JR do Sporting, nao referi se era a primeira ou segunda entrevista e tal..qual é a dificuldade em entender?!

2- deves inventar largo ou achar q as pessoas nao sao informadas.. ou entao alguem te informou mal..repara, naquele tempo NAO EXISTIA Liga dos campeoes pra segundo lugar..qd JR saiu do Sporting na decada de 80, nao existia liga dos campeoes nem 2 ou 3 equipas na taça dos campeoes..só o campeao jogava na taça dos campeoes..pq vens com essa conversa de pacto existir e o Sporting usufruir do segundo lugar pra ir à liga dos campeoes?!?! Mas quem te contou essa historia? devias informar te antes de dizeres barbaridades!!

3- nao houve pacto nenhum entre Sporting e Porto, o q existiu foi um conluio entre porto e benfica, o q se diz para a praça publica, muitas vezes nao corresponde ao q sucede nos bastidores..

KYLE disse...

p.s. e os tais pactos pelo menos concordo ctgo qd dizes q sao com outros..naturalmente q interessa ao PC q outra equipa tome o lugar do Sporting ( passsaria a preocupar se apenas com o benfica pois a outra equipa pouca "mossa" iria fazer - estou pra ver este ano os jogos do porto contra braga e nacional )..e mais tarde iria acontecer ao benfica..so q nesta altura ja o PC nao estará no poder pq os anos contam e as coisas nao sao feitas da noite para o dia!

Anónimo disse...

Pinto da Costa contrata Inácio no verão de 82... Segundo li aqui, João Rocha "contra ataca" e vai buscar Jaime Pacheco e Sousa. Pinto da Costa responde com Futre e alguns sportinguistas ainda tentam enaltecer a grande qualidade do seu presidente João Rocha. Quando se inicia uma novela, convém levar o guião até ao fim. Este guião que os sportinguistas gostam de contar para dizer: "grande João Rocha eras o maior", deve também ter um fim...Esse fim é o enorme Pinto da Costa ter construído uma super equipa liderada por Artur Jorge que foi campeã da Europa em 1987 no estádio do prater, em viena, frente a um poderosíssimo Bayern de Munich. "E depois?" - perguntam as osgas. A resposta está no onze inicial do Porto nesse mítico jogo. Atentem bem nesta equipa de craques e notem bem nos nomes a maiúsculas. Vejam apenas se vos são familiares.

Onze Fc Porto em Viena:
józef mlynarczyk; joão pinto; celso; eduardo luís e INÁCIO; andré, quim, jaime magalhães e SOUSA; madjer e FUTRE.

Quase 30 anos passaram depois desse jogo e o sporting não se cansa de ser satélite do FC PORTO..Basta ver os jogadores que têm ganho títulos nacionais e internacionais com o camisola do Fc Porto e que vieram do sporting. Até lá continuem a cantar aquele vosso hino depressivo: "O sporting não vai acabaaaarrrr". kakakakakaka

Wiliam Carvalho disse...

Quanto ao João Rocha, do que sei da história é o seguinte: na altura em que o Pinto da Costa era director do futebol do Porto, e o Pedroto treinador, já o Porto fazia ataques a Lisboa, e pretendia o poder do futebol. Foi o João Rocha que o topou, e andava às turras com ele. Pois o Pinto da Costa sabia que era mais difícil derrotar o clube do regime que entretanto no meio de tantas vitórias se tornou no clube mais popular em Portugal. Assim atacando o Sporting, e aliando-se ao Benfica, seria fácil ir destruindo o Sporting desportivamente, e fazendo assim um ciclo vicioso. O que é certo é que desde 1982 até 2000 o Sporting nunca ganhou o campeonato. Só o conseguiu quando curiosamente havia sorteios dos árbitros. Ingenuamente os sportinguistas assistiram à final da Taça no Jamor no Porto- Benfica, torcendo para que o Porto perdesse. Só que o Fernando Martins era o melhor amigo do Pinto da Costa, ao ponto deste fazer estas figuras http://img55.imageshack.us/img55/9066/pdc.jpg

E o que é certo, é que desde 1982 até 1992, coincidência ou não, o Benfica e o FCP foram dividindo campeonatos. Depois, quando o Sousa Cintra punha em causa certas nomeações de jogos do Porto, o Damasio estava na presidência da Liga com o apoio do Pinto da Costa, e já no tempo do Santana Lopes, o Sporting em protesto contra o apoio do Damasio à candidatura do Pinto da Costa para a Liga; ficou sem qualquer representante alegando que "o Sporting tem sido tão prejudicado estando representado, que até é melhor nem lá estar". O que na prática ainda foi pior. Pois o Sporting expôs-se ainda mais para ser prejudicado.

Quanto ao Roquette, o acordo era para aqui e ali fazerem-se trocas de jogadores que pudesse ser útil ao Sporting. E em certa medida receber por exemplo um jogador como o Rui Jorge até nem foi mau, por exemplo. Negociar jogadores não tem nada de ilegal. Depois se o Sporting prefere que perca o Benfica que o Porto? Claro! Qual é o sportinguista que entre os dois clube rivais não prefira que seja o SLB a estar pior que o Porto? Nada que o SLB não tivesse feito antes.
Isso incluía arbitragens por acaso? Não me parece. Então para quê tamanho escândalo, vindo do próprio João Rocha?? Lembro que na presidência do Roquete de 1996 a 2000, o Sporting ficou apenas 1 vez à frente do Benfica, e ainda ficou 2 vezes no 4º lugar devido a más arbitragens. Culminando no luto no Sporting Academica de 1999. Já no verão de 1999 o Roquete criticava o Porto dizendo que era o Porto que beneficiava mais com o sistema, e falou mal de Pinto da Costa, e do homem que está hoje na Carregueira.

Depois veio o Dias da Cunha que acabando por conhecer das coisas, não se calava com o sistema. Resultado: vários dirigente apanhados em escutas com o Pinto da Costa, o Vieira, o Veiga , etc , apanhados em escutas. Do Sporting nada. E quando o Benfica ganhou aquele campeonato da treta m 2005, o Dias da Cunha acabou por dizer que o SLB foi levado ao colo.

Wiliam Carvalho disse...

Já agora: isso de se dizer que o João Rocha foi indiscutivelmente o melhor presidente de sempre é muito discutível. Ao longo da história, vários tiveram a sua importância em determinados momentos. O Visconde de Alvalade que foi o que permitiu concretizar o desejo do neto e que foi o 1º presidente; mais tarde o Mário Pistachini que emprestou o dinheiro para o Sporting construir o seu primeiro campo com bancadas. Caso contrário o Sporting não teria continuado, quando o Visconde de Alvalade saiu de Portugal em 1910 com medo que o matassem, para nunca mais voltar. O ribeiro ferreira dos 5 violinos, ou o Braz de Medeiros que conseguiu pagar o estádio, etc.

O Roquete acho que foi importante numa determinada fase, mas já há muito tempo que a sua linha de continuidade deveria ter acabado.

Mas será que o Roquete conhecendo a história que levou o seu trisavô a partir para Inglaterra, não faria com que ele tivesse um odio de estimação suplementar ao Benfica do que qualquer outro sportinguista?? Era interessante os benfiquistas começarem por pesquisar de onde os seus fundadores foram buscar a àguia, o vermelho e o "e pluribus unum". E mais não digo. LOL

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...