quinta-feira, 31 de março de 2011

Godinho e Baltazar errados. Fundo BES caducou


Confirmadas as suspeitas
de Bruno de Carvalho

O Espírito Santo Activos Financeiros, SA (ESAF) renunciou a autorização da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), dada no dia 13 de Janeiro de 2011, para a constituição do Sporting Portugal Fund. O Sporting e a entidade gestora do fundo tinham um prazo de 90 dias para o activar (até 13 de Abril), mas a suspensão do investimento aconteceu a 8 de Fevereiro de 2011, confirmou ao i a CMVM.

O fundo de jogadores no valor de 15 milhões de euros, criado pela direcção do Sporting então liderada por José Eduardo Bettencourt, não pode ser activado novamente. Ou seja, se a direcção recém-eleita decidir avançar com este investimento, terá de criar um novo processo de autorização junto da CMVM. Durante a campanha eleitoral, os cinco candidatos deram como adquirido que o fundo estava constituído e pronto a ser utilizado, o que não corresponde à realidade. Questionado pelo i, Abrantes Mendes garantiu desconhecer esta situação: "Não sei, é a primeira vez que estou a ouvir isso. Não sabia da suspensão, mas a ser verdade, faça-se outro fundo". A dois dias das eleições, Godinho Lopes afirmou num debate televisivo: "O fundo está em banho-maria".

Tendo em conta que o actual presidente reuniu com a banca - um dos seus apoiantes é José Maria Ricciardi, presidente do BES Investimento - e que a renúncia à autorização do fundo partiu da ESAF, será que Godinho Lopes não sabia que o fundo não podia ser utilizado? Além do mais, no mesmo debate, Bruno de Carvalho disse que o fundo estava caducado, o que lhe valeu ataques cerrados de Pedro Baltazar... e Godinho Lopes. O i tentou obter esclarecimentos junto do presidente leonino, que não respondeu até à hora de fecho desta edição.

Fonte ligada ao Banco Espírito Santo explicou ao i que a renúncia à autorização da CMVM se deveu a razões administrativas, pelo facto de José Eduardo Bettencourt se ter demitido. O ex-presidente comunicou a demissão à CMVM a 16 de Janeiro, três dias depois de o fundo ter sido autorizado. "A ESAF entendeu que não havia condições para o fundo ficar aberto, em período de subscrição, com uma direcção demissionária no Sporting e em pré-campanha com cinco candidatos", revelou a mesma fonte. Certo é que, quase dois meses depois da suspensão do fundo, nem a direcção demissionária nem a actual fizeram qualquer afirmação pública sobre este tema.

"Em termos hipotéticos, se a direcção do Sporting quiser avançar com o fundo, não vai ter de recomeçar do zero. O processo na CMVM pode durar uma semana em vez de três meses, já que o produto tinha sido apresentado e aprovado anteriormente. A CMVM disse que a activação podia ser mais rápida, se não houver alterações. Caso a nova direcção queira fazer ajustamentos nas avaliações, por exemplo, aí será um processo mais demorado", afirmou fonte do BES. Isto é, caso a direcção de Godinho Lopes queira utilizar o fundo nos mesmos moldes em que foi criado por Bettencourt, a autorização poderá ser fácil, mas de acordo com informações apuradas pelo i, tudo deverá manter-se igual, desde os avaliadores aos activos, passando pelos valores atribuídos aos jogadores.

FONTE: Pedro Miguel Neves, jornal i, 31-03-2011

Eduardo Barroso. Vaidade não rima com lealdade

A voz da nação sportinguista.
Blogue Sporting no Coração.

"O que gostava que Eduardo Barroso dissesse:

'Sportinguistas: Do lamentável acto eleitoral que decorreu, saiu um clube extremamente dividido e uma direção altamente fragilizada, tudo o contrário do que seria necessário para ultrapassar a grave situação em que o nosso clube se encontra. O nosso clube não pode viver com a suspeição que está instalada. Posto isto, os elementos da Mesa da Assembleia Geral decidiram colocar os interesses do nosso clube acima das suas ambições pessoais e apresentam a sua demissão em bloco, para permitir a realização de eleições supervisionadas pelos elementos das listas concorrentes de maneira a que possam ser corrigias todas as anomalias detectadas com o objectivo de se eleger um Presidente reconhecido por todos. Apelamos às 3 listas menos votadas que se abstenham de voltar a concorrer, para que haja a máxima clarificação possível,de maneira a que sejam eleitos uns orgãos socias com a força que se exige para que possam resolver os graves problemas com que se depara o clube que amamos."

FONTE: Joaquim Agostinho, Blogue Sporting no Coração, 30-03-2011

quarta-feira, 30 de março de 2011

A ressurreição de Soares Franco


Filipe Soares Franco ressuscitou dos negócios da construção civil para vir dizer aos sportinguistas que Godinho Lopes "tem toda a legitimidade" como presidente do Sporting. Mas algumas vez Filipe Soares Franco viria a público dizer o contrário?...

Já agora, uma curiosidade: nunca ninguém ouve estes tipos preocupados quando a equipa de futebol do Sporting se perde no quarto lugar da Liga e se arrasta em campo com derrotas e más exibições. É curioso, não é? Pois é. Mas dizem que são sportinguistas. E notáveis. E com credibilidade junto da banca. Pois.

Estatutos, suspeição e fragilização do Sporting


A voz da nação sportinguista.
Blogue Sporting Unido

Julgo que é claro para todos, e agora ainda mais, que os estatutos do Sporting estão ultrapassados e que a sua alteração deverá ser uma das primeiras medidas a tomar. Bruno de Carvalho já tinha aludido para tal facto antes das eleições, anunciando-a como uma das suas primeiras posições na liderança do Sporting. Em democracia, o meu voto como cidadão tem o mesmo valor que o voto de um cidadão com o triplo da minha idade e apesar de concordar que se possa estabelecer uma diferença entre os associados de um clube, nunca poderá atingir valores tão díspares como de 25 para 1, senão estaremos sempre ligados ao conservadorismo e ao conflito geracional. Depois, a centralização do acto eleitoral e o método de contagem dos votos é tão provinciano que espelha mais uma vez a péssima linha de continuidade que temos vindo a assistir nos últimos 15 anos. Ainda de referir que, para bem do Sporting, um candidato, tal como um Presidente da República, só deveria ser eleito por maioria absoluta num claro e inequívoco sentido de voto dos seus associados, originando as voltas que fossem necessárias para uma vitória maioritária e unificadora. A questão dos estatutos ganha maior relevância quando há uma vitória reduzidíssima de um candidato sem qualquer tipo de maioria, numa eleição por cabeça de voto.

Além da fragilidade eleitoral, há uma clara suspeição sobre os resultados eleitorais. Senão, como se explica que todas as sondagens antes e durante as eleições davam uma clara vantagem a Bruno de Carvalho e apenas em cinco minutos se dá um volte-face? Porque razão Rogério Alves, membro da aparente lista derrotada, assumiu a vitória de Bruno de Carvalho pessoalmente e em público? E o polémico Eduardo Barroso poderia alguma vez ter ganho como elo mais fraco da sua candidatura sem a vitória do seu presidente? E a incongruência do número de votos finais? A verdade até pode ser a maior legalidade desta eleição, mas uma coisa é certa, há uma enorme suspeição sobre a manipulação dos resultados e contra isso o Sporting deve reagir com medidas totalmente esclarecedoras.

Um novo acto eleitoral iria devolver a transparência e fortalecer a estrutura que está mais do que dependente de um futuro imediato e próspero, sem bolas na barra e com tiros certeiros. Para aqueles que votaram em Godinho Lopes, e aparentemente atribuíram mais uma vitória à continuidade, peço para assumirem as vossas responsabilidades num Sporting fragilizado, endividado e dependente da Banca, distante competitivamente dos seus rivais, separado emocionalmente dos seus adeptos e associados e sem valores e princípios respeitadores do meu sportinguismo. Quero um “Sporting Unido” mas esta união não é cega e não pode ser vivida a todo o custo. Não me revejo minimamente numa cultura sportinguista da continuidade derrotista e elitista, porque quero um Sporting sem Complexos, muito menos com minorias eleitorais de um presidente, porque o Sporting Somos Todos Nós e a maioria elege a mudança!

FONTE: Gonçalo Cardoso, blogue Sporting Unido, 29-03-2011

Uma descrença absoluta e feroz

A voz da nação sportinguista.
Blogue Verde às Listas

"(...) Bruno de Carvalho é um mistério. Mas era isso que também seduzia, podia muito bem ser a sedução pelo abismo, ninguém saberá ao certo o quão perto estivemos dele. Tanto quanto da mudança e um novo caminho mais vitorioso. A questão é mesmo essa: ninguém sabe. Aliás, esse é pior inimigo de Godinho Lopes. Todos acreditamos saber exactamente o que podemos esperar dele, ou seja, muito pouco.

Conhecemos Luis Duque, conhecemos Carlos Freitas, conhecemos Ricciardi e Nobre Guedes, conhecemos Rogério Alves e pensámos que conhecíamos João Pedro Varandas e Paulo Pereira Cristóvão. Esta promessa de “velhos conhecidos” e do que já fizeram no passado retirou margem de sonho, de acreditar que com outros poderia acontecer algo de inesperado, algo de diferente.

A madrugada das eleições devolveu um clube em guerra, numa luta entre gerações, paixões e ideais. De um lado uma maioria plebeia e jovem, do outro uma aristocracia envelhecida. De democrática a eleição teve muito pouca, mas mesmo assim estava aceite previamente entre todos. Perdeu um Sporting, ganhou outro Sporting. O que é que fica?

O que temos nestes dias de recomeço, de fim de sonho, de ressaca eleitoral é uma imensa desilusão, uma descrença absoluta e feroz. Nos últimos dois dias vários "bloggers" têm desistido de lutar, preferindo a ausência a comentar este verdadeiro estado de sítio. Muito adeptos estarão a reflectir se valerá a pena apoiar um clube que lhes escapa, que foge da sua vontade, que lhes nega o direito de o decidir. (...)

É nesta altura que nos ergueremos mais uma vez. O Sporting não é de Godinho Lopes, não é de Bruno de Carvalho. O Sporting é uma ideia, são equipas que competem, ganham e perdem, mas permanecem. Apoiar o clube é estar atento, é cobrar as promessas, é saber ser desportista e não rasgar cartões. Apoiar o clube é saber encontrar esperança, mesmo que nada pareça ser capaz de a suportar. Daqui a uns anos, quando findar o mandato que acabou de se iniciar, faremos novas apreciações quanto ao destino do clube. Se for mais cedo será muito mau sinal. Ninguém deve esperar ou desejar o insucesso de Godinho Lopes.

Abrir uma contracorrente no sucesso do clube será o mesmo que querer que o Sporting se transforme num sistema anárquico. Sabemos todos o que isso gerou no final do mandato de José Eduardo Bettencourt. Nenhum jogador, treinador ou adepto se quererá juntar a uma organização sem apoio e sem liderança. Isso será o fim do clube. O Sporting é grande, mas não pode desperdiçar grandeza, lutando contra si próprio.

É por isso que acredito que a direcção de Godinho Lopes deve ter de todos os adeptos e sócios o apoio que daríamos a qualquer outro candidato se tivesse ganho as eleições. A validade do acto eleitoral será decidida fora do clube e até lá todos devem respeitar o que os sócios decidiram. Sei que nunca mais será viável a distribuição de votos por antiguidade da forma como está, nunca mais será viável que não exista uma lista vencedora com menos de 50% dos votos, nunca mais será viável que seja apenas possível votar nas urnas em Alvalade. Acredito que estas inviabilidades estarão perto de cessar, não faltarão vozes que irão propor as necessárias alterações.

Posto isto tudo se decidirá, tal como no passado, com o sucesso ou insucesso da equipa de futebol. Aí serão decisivas as escolhas de Godinho Lopes, aí será central a política desportiva, será óbvia a linha da continuidade ou ruptura. Se o que foi prometido servir para alguma coisa, penso que teremos uma equipa mais competitiva na próxima época.

Saiba Carlos Freitas acabar com o truque do “coelho a custo zero desacreditado”. Saiba Duque estar calado com o que interessa esconder e falar quando a equipa precisa. Saiba o treinador (seja ele Domingos ou outro qualquer) entender a diferença entre treinar uma equipa qualquer e treinar o Sporting. Saiba Carlos Barbosa fazer mais do que abrir guerras entre os sócios quando está mandatado para os unir. Saiba Varandas instruir Godinho Lopes a ter ideias que levem os sócios a Alvalade apoiar a equipa. (...)"

terça-feira, 29 de março de 2011

Sporting. Sócia que não podia votar valeu 10 votos


Catarina Bita, sócia do Sporting nº 7504 deslocou-se a Alvalade no dia das eleições para acompanhar o marido, que ia votar. Apresentou o cartão de sócia e indicaram-lhe a mesa 11. Contribuiu com 10 votos. Na semana anterior o clube tinha-a informado de que não tinha direito de voto.

Depois de Bruno de Carvalho ter denunciado irregularidades no decorrer do acto eleitoral do Sporting, que acabou por dar a vitória a Godinho Lopes, uma nova denúncia surge agora pela voz de Catarina Bita, sócia do clube de Alvalade nº 7504 há 33 anos. Há cerca de dez passou a sócia correspondente, sem direito de voto, e recentemente, no final de 2010, voltou a requerer o estatuto de sócia efectiva com o objectivo de adquirir o bilhete de época. Contactou o clube na semana anterior às eleições para saber se podia ou não votar. Foi informada, por telefone e por correio electrónico, que, por não cumprir o critério de ter de ser sócia efectiva há 12 meses ou mais, não podia votar.

"Fui acompanhar o meu marido, que foi votar, apresentei o meu cartão de sócia, apenas para o acompanhar à sala, passei no primeiro controlo do cartão, mandaram-me entrar, no segundo controlo mostrei o cartão, pediram para que me dirigisse à mesa 11 para votar, e tive direito a dez votos", conta Catarina Bita.

Depois de ouvir Lino de Castro a afirmar em conferência de imprensa que não tinha havido qualquer irregularidade, decidiu denunciar o seu caso, e pede agora esclarecimentos sobre quantas mais pessoas votaram na mesma situação. Catarina afirma que seria "digno" do actual presidente, Godinho Lopes, "renunciar ao cargo e requerer segundas eleições" porque, adverte, "as coisas têm de ficar claras (...). O Sporting é um grande clube e tem de subir novamente, mas não é com aldrabices, não é com mentiras, nem com eleições forjadas que se vai lá; muito pelo contrário", conclui.

CÓPIA DO E-MAIL ENVIADO PELO SPORTING

"Prezada Consócia Catarina Bita, Desde já agradecemos o seu contacto. No seguimento da sua solicitação, vimos por este meio informar que as eleições para os Órgãos Sociais do Sporting Clube de Portugal decorrem no próximo dia 26 de Março, tendo início às 10.00 horas e término às 20.00 horas do referido dia, no Hall VIP do Estádio José Alvalade em Lisboa. Adicionamos que podem votar, de forma presencial, todos os sócios efectivos que tenham à data da eleição, tenham sido admitidos na categoria há pelo menos doze meses (artº. 20º, nº 2, dos Estatutos). Ou seja, os sócios daquela categoria com número igual ou inferior a 83034-0 e que tenham pago todas as quotas devidas, incluindo a quota relativa ao mês de Fevereiro de 2011. Desta forma, e tendo em conta que a associada Catarina Fonseca Vilar Bita, sócia n.º 7504, apenas é associada efectiva do clube desde Outubro de 2010 não se encontra abrangida pelo direito de voto. Para mais informações, por favor consulte o nosso site oficial em: http://www.sporting.pt/Clube/eleicoes2011.asp (Caminho no site: Clube/Eleições) Adicionamos que procedemos à actualização dos seus dados pessoais na sua ficha de associada. Agradecemos a sua preferência. Continue a visitar-nos em www.sporting.pt Sem outro assunto de momento, apresentamos os nossos melhores cumprimentos e Saudações Leoninas"


segunda-feira, 28 de março de 2011

Triste e profundamente envergonhado


A voz da nação sportinguista:
Blogue Cantinho do Morais

"Estou triste e profundamente envergonhado. Já não reconheço o meu Sporting Clube de Portugal. O que se viveu ontem é o culminar de um mandato desastroso de Bettencourt que afastou os sportinguistas, desunindo-os, abrindo uma "caça ao Poder" sem precedentes e com graves consequências para o Futuro. Haverá pouco a acrescentar ao que já foi escrito na blogosfera que eu reconheço. Quando ontem alertei para o Não Voto em Branco e quando desejei "Boa Sorte" ao Sporting, era porque imaginava o pior. Mas nunca o que viria a acontecer. Quando um Presidente que vence (?) tem que ser escoltado, fazendo o seu discurso de vitória escondido, então estamos perante a página mais negra da nossa História. Mas, tal como ocorreu com o Bettencourt em cada acção sua, cedo se percebe que isto só tem tendência a piorar. Ontem não foi o primeiro dia do resto da vida do Sporting Clube de Portugal. Foi o último. Pois o meu Sporting morreu.

O Sporting é uma fraude


A voz da nação sportinguista.
Blogue Berde e Branco

"Quando parece que as coisas não podem piorar, o Sporting consegue sempre surpreender.

Este Sporting é uma merda. Os tão elogiados funcionários são uma merda que demoram 8 horas a fazer contagens. As elites são uma merda pois estão sempre a contradizer-se. Os adeptos são uma merda pois continuam a dar-lhes hipóteses. Os estatutos são uma merda pois permitem que a lista menos popular tenha mais votos.

Este Sporting não tem margem de progresso. Quem, como eu, ontem ficou até altas horas da madrugada a acreditar num futuro risonho, hoje só pode estar de luto. Aliás, a certa altura, o cenário ainda era melhor do que o expectável, com um Presidente novo, o mais popular, mas com os restantes órgãos dominados por outras listas, o que parecia ser uma graça pacificadora do destino, e um voto de confiança com reservas, num acto de democracia altamente louvável. De facto, estava tudo a ser perfeito demais. E este Sporting não existe para ser perfeito. Então lá passamos para o outro extremo, o da grande desilusão, à boa imagem dos últimos tempos.

Godinho Lopes está ferido de morte. O Sporting está ferido de morte. Mais do que nunca, até pela calma com que se dirigiu aos sportinguistas, Bruno de Carvalho é o Presidente do Povo. É o homem que pode fazer ressuscitar esta merda, e é o único.

Tudo está invertido. Tudo está podre. Isto até pode ter sido muito correcto, mas o que fica e ficará sempre na nossa memória é a ideia de uma monstra chapelada, de quem, como no antigo regime, faz tudo o que está ao seu alcance para manter o poder.

Deixo, por fim, uma interrogação que me deixou perplexo, conhecendo a forma de pensar de muitos sportinguistas e as declarações dos intervenientes nos últimos dias: como foi possível Eduardo Barroso ganhar a mesa da AG? Será que os sportinguistas queriam mais Eduardo Barroso como presidente da AG do que Bruno de Carvalho como Presidente?

"Trade-off" de pacificação ao contrário? Isto cheira mesmo muito mal... Aliás, o Sporting fede!"

domingo, 27 de março de 2011

Golpe no Sporting. Blog aponta indícios de fraude


Escândalo. Afinal, "votaram" mais
do que 14.205 associados...

Golpe no Sporting é o título de um novo blogue, criado justamente para denunciar as alegadas irregularidades nas eleições leoninas. Entretanto, Bruno de Carvalho, o candidato da mudança, que foi derrotado depois de ter sido dado como vencedor e de ter sido saudado por Rogério Alves, candidato a presidente da Assembleia Geral na lista de Godinho Lopes, anunciou que vai impugnar as eleições.

Bruno de Carvalho, um líder



Os líderes não precisam de ganhar eleições para demonstrar que são líderes. Nesta madrugada, na Praça do Centenário, no Estádio da José Alvalade, Bruno de Carvalho (que ganhou as eleições, embora não tenha sido anunciado como vencedor, pois é assim que vai rezar a história) demonstrou que é um líder, quando enfrentou uma multidão em fúria contra a organização que tomou conta do Sporting Clube de Portugal, evitando que o escândalo que marcou a noite eleitoral sportinguista assumisse proporções ainda mais graves.

Depois de "afinada" a contagem dos votos, porque "tinha de ser", segundo o inenarrável presidente da Assembleia Geral cessante, a passagem de testemunho, sem a presença do novo presidente da Assembleia Geral, Eduardo Barroso (o que não deixa de ser extraordinário...), foi um espectáculo pobre, deprimente e patético.

Longe do povo, longe dos sportinguistas, que estavam na rua, incrédulos, Godinho Lopes, que é muito mais fraco do que aquilo que parece, recebeu o poder e fez um discurso assustadoramente vazio. E assustadoramente caciqueiro, como demonstrou ao destacar os votos que Moniz Pereira lhe arranjou... Vergonhoso. FOTOS: "Record Online"

Acto eleitoral ferido de morte


Luís Godinho Lopes foi anunciado presidente do Sportting depois das 6h00 da manhã. Pelas 4h45, Rogério Alves tinha sido dado como eleito presidente da Assembleia Geral e apareceu na televisão a dar os parabéns a Bruno de Carvalho, pois o candidato da mudança era dado como vencedor. Afinal, soube-se, mais tarde, que o presidente da Assembleia Geral eleito foi Eduardo Barroso. O curioso ém que, nessa altura, o presidente da Assembleia Geral em exercício afirmou que tudo decorrera com normalidade. Este acto eleitoral do Sporting Clube de Portugal está ferido de morte. Só a repetição das eleições poderá pacificar a nação sportinguista. Faltam explicações para o que aconteceu na noite mais longa e mais vergonhosa da história do clube.

O maior número de votos de sempre

Já há números oficiais finais sobre as eleições do Sporting Clube de Portugal. Exerceram o seu direito de voto 14.205 sócios (a terceira maior afluência de sempre), que valeram 88.530 votos, o que é um novo recorde no clube.

sábado, 26 de março de 2011

Bruno de Carvalho é o novo presidente do Sporting

Segundo adianta o "Record Online". Um "25 de Abril" está a varrer o Sporting Clube de Portugal. A confirmar-se a sondagem do "Record" à boca das urnas, o jovem Bruno de Carvalho consegue uma vitória enorme. É uma vitória contra a comunicação social e contra o "sistema" que domina o futebol português, que quer um Sporting falido e irrelevante, com o alto patrocínio da banca. O Sporting Clube de Portugal regressa ao futuro!...

sexta-feira, 25 de março de 2011

Levanta-te. Tu és o Sporting!...

Raymond Verheijen, o preparador físico de Bruno

Um técnico de reputação mundial

Raymond Verheijen, um dos melhores preparadores físicos do futebol europeu, vai trabalhar no futebol do Sporting Clube de Portugal, integrando a equipa técnica liderada por Marco Van Basten, caso Bruno de Carvalho vença as eleições deste sábado. Técnico de grande cartel, Verheijen é conhecido no futebol europeu, tendo trabalhado como assistente de vários técnicos em diferentes emblemas e selecções, gozando de uma imagem reforçada no futebol internacional.
Verheijen ocupa actualmente o lugar de adjunto da selecção do País de Gales. Segundo o site Academia de Talentos, aos 39 anos, Verheijen possui uma larga experiência, angariada pelas presença no Europeus de 2000 e 2004 como adjunto da selecção da Holanda e em 2008 com a Rússia, para além de ter participado nos Mundiais de 2002, de 2006 e 2010.
Trinta anos depois, o Sporting pode voltar a apostar forte na preparação física com a contratação de um técnico de reputação mundial. Um aspecto que tem sido muito desvalorizado em Alvalade nos últimos anos, com os resultados que se conhecem. E também na imprensa portuguesa, onde este trunfo eleitoral de Bruno de Carvalho é praticamente ignorado. No início da década de 1980, esse papel foi desempenhado pelo jugoslavo Radisic - preparador físico muito importante para a conquista do título em 1981-1982.

Porque vou votar Bruno de Carvalho

Amanhã vou votar em Bruno de Carvalho porque ele é o melhor candidato, com o melhor projecto para o Sporting.
Era já essa a minha ideia quando se revelaram todas as candidaturas (o que me levou a aceitar o convite para fazer parte da sua lista ao Conselho Leonino), fui-a confirmando através da comunicação social, que cumpriu com a sua missão de informar e ajudar a decidir. Só que involuntariamente, diga-se.
Involuntariamente porque, em primeiro lugar, foi por demais transparente na forma como demonstrou que estava contra Bruno de Carvalho. Desconfiei do facto de haver uma vontade tão forte em impedir a eleição de Bruno de Carvalho por parte de jornalistas, editores e directores que não são do Sporting e, por norma, defendem interesses contrários ao Sporting (ou são declaradamente de outros clubes ou, no Sporting, protegeram à exaustão a presidência de JEB e a continuidade). Não acho mal o escrutínio apertado sobre os candidatos, mas quando a malha usada para peneirar um deles é muito mais apertada do que a usada nos outros, acho suspeito. Principalmente quando quem escrutina não é, de todo, imparcial.
Por outro lado, esta fúria inquisitorial fez com que Bruno de Carvalho fosse obrigado a explicar-se mais vezes, mais claramente e com mais pormenor do que qualquer um dos seus adversários, sobre quem continuam muitas dúvidas em relação às propostas que apresentam. Assim, ao indicar com exactidão aquilo que se propõe fazer, vai ser mais fácil confrontá-lo caso não o cumpra. Já aos outros, não se podem pedir contas sobre promessas vagas. Não se pode dizer em AG que “o Presidente não fez o coiso com que se tinha comprometido não sei onde, daquela vez não sei quando!”
É pena que a lupa usada para os investidores russos não tenha sido usada para analisar as formas de financiamento dos outros candidatos. É caricato que o candidato que apresenta quem vai investir seja considerado menos credível do que os candidatos que dizem “logo se vê”.
Por causa disto tudo, paradoxalmente, o Bruno de Carvalho, que era o candidato menos conhecido no início da campanha, acaba por se tornar naquele em quem os sócios poderão votar com mais certezas.

Zé Diogo Quintela, humorista,
Sporting Apoio, 25-03-2011

Godinho Lopes critica Carlos Freitas...

O candidato da continuidade, Godinho Lopes, diz que precisa do cheque e da vassoura para despedir os jogadores que estão emprestados e com os quais o Sporting gasta 3,9 milhões de euros anuais só em salários. Porque, em sua opinião, esses jogadores resultam de más escolhas dos "incompetentes" que têm gerido o futebol do Sporting. O problema é que Godinho Lopes não sabe de uma coisa: alguns desses jogadores, que não têm mercado, foram comprados por Carlos Freitas, o seu guru para o mercado. Milan Purovic, que custou 2 milhões de euros, é um desses craques. Donde, quando fala da "incompetência" que tem reinado no futebol leonino, Godinho Lopes, embora desconheça, também está a chamar incompetente a Carlos Freitas. Não foi por acaso que Eduardo Barroso, o candidato da lista da mudança à presidência da Aseembleia Geral do Sporting, qualificou a lista de Godinho como "um albergue espanhol".

Bruno de Carvalho enche auditório de Alvalade

Ex-jogadores José Eduardo
e Hilário apoiam mudança

Bruno Carvalho encheu o auditório de Alvalade na sessão de esclarecimento que decorreu ontem e aproveitou para defender as suas ideias, com críticas fortes a todos os restantes candidatos.
Comparando a lista de jogadores possíveis e referenciados apresentada por Paulo Futre aos tempos em que jogava Football Manager, um jogo virtual de futebol, Bruno Carvalho colocou dúvidas à forma como Dias Ferreira irá fazer a contratação de jogadores. "Dias Ferreira já disse que haverá investidores a ajudar nas contratações, mas não explicou quem são e quais serão as percentagens do Sporting sobre os jogadores. Vai ser como no Jardim Zoológico, onde podemos ser patronos dos leõezinhos e dos jacarés?", questionou.
Em relação a Godinho Lopes, e referenciando o ordenado altíssimo (€3 milhões) de Hugo Almeida, avançado ligado à lista A, Bruno Carvalho apontou baterias à... bomba de gasolina. "Não percebo qual é o seu modelo e sem o iPad parece ser uma confusão. Se soubesse que uma bomba de gasolina valesse tanto, não me candidatava e preferia abrir também eu uma bomba!", disparou.
Por fim, Bruno Carvalho deixou questões no que toca às ideias de Pedro Baltazar:
"Afinal, quem são os tomadores do fundo de que está sempre a falar? E qual é o modelo que tem? Não sei de nada..."
A sessão serviu também para apresentar dois apoiantes da candidatura: os ex-jogadores José Eduardo e Hilário, que chegou a discursar.
"Ainda há muitos indecisos? Indecisos de quê? Entre votarem em quem tem um projeto e quem não tem? Mesmo sem fundo, ganhava sempre as eleições!", salientou Bruno Carvalho, que acrescentou a impossibilidade de contratar um jogador de 32 anos e a necessidade de o Sporting ter de pagar 19 milhões de euros do empréstimo obrigacionista entre junho e julho.
Por fim, o candidato insurgiu-se contra o facto de o Sporting não ter saído em defesa de um sócio, após uma notícia que veiculava um alegado conflito entre Bruno Carvalho e o clube em torno da marca Centenário.

FONTE: Bruno Roseiro,
"Expresso Online", 25-03-2011

Os desesperados

Há um filme, do realizador Manoel Oliveira, intitulado “O Dia do Desespero” (1992), que conta a história verídica e dramática dos últimos anos de vida do escritor Camilo Castelo Branco, em finais do século XIX. Cego, não podendo continuar a escrever para viver, Camilo afundava-se sem remissão num conflito íntimo, ou melhor, interno, “um drama em gente”, como diria Fernando Pessoa.
Ora, para alguns candidatos à presidência do Sporting – refiro-me a Godinho Lopes, o candidato da continuidade, e Pedro Baltazar, que apelido como o candidato da “continuidade inteligente” – são justamente dias de desespero aqueles que passam e se aproximam do dia 26 de Março.
Godinho e Baltazar mais não fazem do que desenvolver um ataque cego contra um único candidato e também contra os sportinguistas que o apoiam. Nesta campanha negra nunca vista no Sporting, houve até um candidato a vice-presidente que afirmou que os sportinguistas que dizem que Godinho representa a continuidade “são completamente burros”.
Cegos como Camilo, Godinho e Baltazar não conseguem a ver a maneira de ganhar as eleições pelas suas ideias e pelos seus projectos, nem conseguem ver a forma lícita de derrotar Bruno de Carvalho, o candidato da mudança e da lufada de ar fresco numa grande instituição desportiva que parou no tempo e que se degrada a cada dia que passa.
Godinho e Baltazar estão desesperados porque sabem que os sportinguistas querem um novo ciclo no clube a partir deste sábado. Daí a avalanche de notícias que apenas visam denegrir a vida pessoal e empresarial de Bruno de Carvalho e o seu projecto de gestão desportiva para o Sporting Clube de Portugal. E isto acontece porque temos um sistema mediático desportivo com vícios de muitos anos, onde os atropelos e as manipulações nos meios de comunicação social não são objecto de queixa, por parte das vítimas, não sendo, portanto, alvo de investigação por parte das autoridades, nomeadamente a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC).
Nesta campanha leonina vale tudo. Até o jornal “A Bola”, que como meio de comunicação controlado pelo Benfica quer um Sporting manso e controlado pela banca, foi ao Brasil entrevistar Liedson – cuja venda em Janeiro ficou para sempre como um símbolo da miséria da continuidade – para que o ex-avançado leonino nos dissesse que, se fosse eleitor, “votava na lista de Carlos Freitas”. O problema da continuidade é que tem de se agarrar a tudo, pois, desta vez, uma primeira página com José Roquette só faria Godinho Lopes perder mais votos.
Ao ver os debates e ao ler os jornais, as coisas são cada vez mais claras. Godinho Lopes passou a campanha a justificar-se – a construção do estádio, as contas do estádio, os elementos da continuidade, a promiscuidade com a banca, etc. – e a debitar ideias e frases feitas pela sua fortíssima assessoria de comunicação, que ainda há poucos anos ensinava Luís Filipe Vieira a discursar em público.
À medida que a sua performance foi caindo nas sondagens, Godinho nunca explicou como vai arranjar 100 milhões de euros e foi lançando nomes de treinadores e jogadores sem critério (que tanto podem vir como não vir, o que é extraordinário, fazendo dos meios de comunicação social autênticos panfletos de campanha). Já sobre o treinador de Bruno de Carvalho, o holandês Marco Van Basten, curiosamente o único que esteve em Alvalade e que foi apresentado em carne e osso, parece que o seu valor técnico deixou de estar em causa e saem agora pseudonotícias de última hora a colocá-lo na rota da Fiorentina…
Sem o passado de Godinho para ocupar o tempo em justificações, Pedro Baltazar – uma espécie de extensão moderna da continuidade – ficou com o terreno livre para atacar Bruno de Carvalho sem dó nem piedade. Para disfarçar, atacou Godinho com banalidades, do tipo “não percebe nada de futebol”. O que permite concluir que Baltazar é apenas uma das faces da continuidade que teria por objectivo eleitoral dividir os votos da mudança.
Dias Ferreira, agora que descobriu ter sido enganado pelo projecto José Roquette, emergiu não pelo projecto que tenha apresentado, mas como crítico da “continuidade”, mas num registo que tem favorecido Bruno de Carvalho no combate contra Godinho Lopes.
Já Sérgio Abrantes Mendes, o homem que teve razão antes do tempo, parece estar a falar sozinho. Todos concordam com ele, mas não votam nele. Perdeu, por isso, uma excelente oportunidade de integrar um projecto de mudança, dando-lhe ainda mais força. O seu contributo, porém, não pode ser desperdiçado. O Sporting precisa de todos para mudar com sucesso.

[Texto publicado no sítio
Sporting Apoio, 24-03-2011]

O que é que Paulo Futre anda a fumar?...


Até Dias Ferreira ficou surpreendido... Clique na imagem para ouvir as declarações de Paulo Futre, na conferência de imprensa em que anunciou 12 jogadores estrangeiros referenciados pela candidatura de Dias Ferreira como possíveis reforços do Sporting. Merece especial destaque o anúncio do melhor jogador chinês. Não vão faltar voos "charter" entre Lisboa e Pequim e vice-versa. Palavra de Paulo Futre. Haja paciência para tanto disparate. Paciência de chinês. Reparem no ar atónito de Dias Ferreira. É uma comédia.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Um relato banal das eleições no Sporting na TSF

Eis uma excelente crónica de Bruno Nogueira sobre as eleições no Sporting. Para ouvir, siga este link: Enviado banal: As eleições do Sporting - TSF

Como as coisas se fazem

Só a queda do governo menorizou os estragos dirigidos à candidatura de Bruno de Carvalho. Reparem na pequenina chamada de capa: "Carvalho falha negócio russo". Trata-se do diário mais lido no País, qualquer sportinguista que se limite a uma passagem de olhos fica logo com a ideia de que "o fundo já era".
Ao avançarmos para o miolo do jornal tomamos conhecimento de um negócio irrelevante para esta campanha e para o candidato visado (nas actuais circunstâncias), que terá sido tratado em 2006 e transferido na sua concretização de Lisboa para o Algarve. É muito baixo o jogo de quem procura descredibilizar o candidato Bruno de Carvalho. São os sportinguistas, entre eles, com a conivência do jornalismo influenciável, a revelarem a mesma sanha dos partidos políticos.
Há gente agarrada ao protagonismo e aos favorecimentos que os cargos principais no Sporting permitem, que estão dispostos a tudo para conspurcar o carácter de quem se lhes oponha. Que isto possa ser orquestrado por um benfiquista é a suprema das ironias.

FONTE: Blogue
Ricardo Gross, 24-03-2011

Brincar com os sportinguistas

Ao contrário do que estava previsto para esta quinta-feira, Paulo Futre, o homem do futebol da candidatura de Dias Ferreira, não anunciou jogadores já negociados, caso o seu candidato vença as eleições leoninas. Futre apresentou uma lista de 12 jogadores que estão "referenciados".
No fundo, Futre fez o que tem feito Godinho Lopes: atirar nomes para o ar para enganar a nação sportinguista. Foi nisto que deu o jogo louco da exibição de nomes para treinadores e jogadores antes da ida às urnas. Um caminho perigoso, como agora se confirma.
Eis os "trunfos" referenciados por Paulo Futre, que, segundo revelou, poderão ingressar no Sporting através da compra definitiva ou de cedência por empréstimo: Bryan Ruiz (avançado, Twente), Elia (avançado, Hamburgo), Sergio Canales (médio, Real Madrid), Pedro León (médio, Real Madrid), Tasci (defesa, Estugarda), Drenthe (defesa/médio, Real Madrid), Bojan Krkic (avançado, Barcelona), Breno (defesa, Bayern Munique), Stekelenburg (guarda-redes, Ajax), Van der Wiel (defesa, Ajax), Balázs Dzsudzsák (médio, PSV Eindhoven) e, ainda, Alexis Sánchez (médio, Udinese).
Dias Ferreira não apareceu ao lado de Paulo Futre, talvez para se proteger. É que isto já não é campanha eleitoral. Isto é brincar com os sportinguistas!...
Godinho Lopes também não fica nada atrás. Até ao dia das eleições, Carlos Freitas ainda lhe vai fazer chegar mais algumas "cassetes" com uns craques referenciados à última hora...

quarta-feira, 23 de março de 2011

Os "trunfos" Luís Duque e Carlos Freitas

Tenho umas coisas para dizer sobre Luís Duque e Carlos Freitas, que são apresentados como os trunfos (agora todos são trunfos...) do candidato da continuidade, Godinho Lopes. Na verdade, eles não trazem nada de novo para o futebol do Sporting.
Luís Duque já demonstrou que precisa de ter muito dinheiro para desbaratar. Ele, aliás, faz o favor de confirmar, quando diz que só precisa "de um cheque e de uma vassoura" para mudar o futebol leonino, provando que a boca acaba sempre por fugir para a verdade.
Ao contrário do que se diz, não foi Luís Duque quem preparou o plantel do Sporting campeão, em 1999-2000. Ele entrou já com a temporada em andamento e foi apenas responsável por três aquisições no Inverno, graças à carteira de contactos de Freitas. E nesse Inverno foram certeiros no reforço da equipa, ganhando uma boa fama que ficou para sempre.
Quanto a Carlos Freitas, que se demitiu em 2008, não percebo a lógica de um eventual regresso, tendo em conta que tinha deixado o clube justamente na sequência de alguns negócios muito maus para o Sporting (designadamente ao ter contratado uma série de "monos" vindos do Leste, no Verão de 2007, tais como Marian Had, Purovic ou Celsinho). De resto, de milhão em milhão, de dois milhões em dois milhões, a verdade é que, com Carlos Freitas a comprar jogadores, o Sporting sempre gastou muito dinheiro para o retorno que não teve.
Curiosamente, a única época preparada totalmente pela dupla Duque/Freitas (2000-2001) revelou-se um descalabro desportivo e financeiro para o Sporting Clube de Portugal. Foi a temporada em que o Sporting mais gastou no futebol em mais de 100 anos de história. Foi a temporada em que os custos das SAD dispararam.
Com o Sporting campeão nacional, em 2000, Duque e Freitas desfizeram a equipa e compraram 15 novos jogadores, que colocaram à disposição de Augusto Inácio. E o pior é que, quando chegámos ao Natal, a equipa estava desequilibrada. E o treinador teve que pagar a factura, deixando Alvalade pela porta pequena.
Foi aí foram comprar Rodrigo Tello, o jogador mais caro da história do Sporting, que Carlos Freitas deixou fugir em 2007 para a Turquia. Ah!, voltando à temporada dos gastos sumptuários da dupla Duque/Freitas (2000-2011): o Sporting ficou atrás do Boavista, que nesse ano foi campeão nacional. Mas nessa altura, Godinho Lopes andava entretido com os paquetes da Expo'98 ou, de capacete enfiado na cabeça, a construir um estádio com um fosso e um centro comercial que acabou por ser vendido ao desbarato. Diz agora que votou contra esse estádio, mas não disse nada publicamente naquela altura. Há momentos em que o respeito pelas decisões colegiais é muito mau para as instituições...
O que é curioso é que, também Godinho Lopes deixa a boca fugir para a verdade. Numa entrevista ao "Público", nesta quarta-feira, diz: "Quero acabar com a incompetência no futebol...". Não sabemos se estamos perante uma crítica exclusiva à gestão de José Eduardo Bettencourt ou se a "incompetência" se refere também a anos anteriores...

terça-feira, 22 de março de 2011

"O Jogo": Bruno de Carvalho ganha eleições

"O Jogo" utiliza sondagem
para fazer manipulação grosseira

Uma sondagem publicada hoje no diário desportivo "O Jogo", propriedade de Joaquim Oliveira, um conhecido defensor da continuidade no Sporting Clube de Portugal, dá claramente a vitória a Bruno de Carvalho nas eleições do próximo sábado, apesar dos esforços gráficos e numéricos para que os leitores fiquem com a ideia de que estamos perante um empate técnico.
A sondagem, realizada pela Eurosondagem, empresa de Rui Oliveiora e Costa, outro sportinguista da continuidade, é clara, mas "O Jogo" faz um esforço por lançar a confusão nos eleitores sportinguistas, anunciando que Godinho Lopes e Bruno de Carvalho estão "empatados". Lendo tudo ficamos a saber que é mentira.
Bruno de Carvalho surge com uma votação que pode atingir 41,1 por cento dos votos, enquanto Godinho Lopes poderia chegar aos 38,6 por cento. Porém, a manipulação grosseira do jornal de Joaquim Oliveira aparece não só na primeira página (repare-se que Godinho Liopes aparece do lado esquerdo da página, normalmente reservado aos que estão em primeiro lugar, uma vez que a nossa leitura acontece da esquerda para a direita), mas também nas páginas centrais. Aí a manipulação do jornal do sócio e accionista do Sporting Joaquim Oliveira atinge requintes de malvadez. Num friso com as fotografias dos cinco candidatos, Godinho Lopes, mais uma vez, aparece no lado direito, sendo, por isso, o primeiro em termos visuais, enquanto que Bruno de Carvalho é embrulhado no meio dos cinco candidatos. Uma vergonha, merecedora de uma queixa na Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC).
Se manipularam assim em termos imagéticos, imagine-se como é que o sportinguista Rui Oliveira e Costa manipulou os números da sondagem. Rui Oliveira e Costa é indigno de ser sócio do Sporting Clube de Portugal e de fazer sondagens em que tem interesses directos!...

Artur Agostinho, 1920-2011

O Sporting Clube de Portugal está de luto. Morreu esta terça-feira o jornalista, locutor e actor Artur Agostinho, um rosto que fica ligado na memória popular à rádio, à televisão, ao desporto em geral e ao futebol em particular. Artur Agostinho, de 90 anos, estava internado há cerca de uma semana, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.O Sporting colocou a sua bandeira, no Estádio de Alvalade, a meia haste, em sua homenagem. Jornalista desportivo, locutor, apresentador de televisão e actor, Artur Agostinho trabalhou para a Emissora Nacional e dirigiu o diário desportivo “Record” entre 1963 e 1974. Trabalhou na televisão quando a RTP começou a emitir e fez depois parte do departamento desportivo da Rádio Renascença e esteve na Rádio Comercial. Dirigiu também o jornal do Sporting, ele que era conhecido por ser adepto sportinguista. No jornal “Record” assinava uma crónica semanal, onde, nos últimos tempos, foi um crítico assumido da gestão do Sporting Clube de Portugal, clube de que era sócio desde 1949.
Em Dezembro passado, Artur Agostinho havia sido condecorado pelo Presidente da República com a Comenda da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada, num dia que classificou como “um dos mais felizes” da sua vida.
No cinema, participou em filmes como “Capas Negras” (1947), “O Leão da Estrela” (1947), “Cantiga da Rua” (1949), “Sonhar É Fácil” (1951), “Dois Dias no Paraíso” (1957), “O Tarzan do 5.º Esquerdo” (1958) e “Encontro com a Vida” (1960). Mais recentemente, na televisão, vinha participando em telenovelas.
No início deste mês tinha apresentado o livro “Flashback”, no qual faz o relato na primeira pessoa das dificuldades vividas no período revolucionário do pós-25 de Abril.
Nascido em 25 de Dezembro de 1920, Artur Agostinho era um dos sportinguistas mais antigos do País. Registou uma longevidade activa impressionante, tendo, nos últimos anos, participado em telenovelas e dirigido o jornal “Sporting”. Teve uma vida de comunicador multifacetado, embora os mais velhos o recordem mais como homem da rádio e da televisão. Por vezes, vemos Artur Agostinho bem mais novo, naquelas imagens muito antigas, ainda a preto e branco, como repórter desportivo da RTP, acompanhando a brilhante campanha portuguesa no Mundial de Inglaterra, em 1966.
Como actor de cinema, Artur Agostinho participou em nove filmes, tendo um deles sido “O Leão da Estrela” – título inspirador deste blogue. "O Leão da Estrela" é um clássico de 1947 – uma época dourada do cinema português e do Sporting Clube de Portugal, com os seus "Cinco Violinos".
O LEÃO DA ESTRELA apresenta sentidas condolências à família de Artur Agostinho.

A grande noite de Dias Ferreira

Experiente em televisão, Dias Ferreira foi o vencedor da noite no debate entre os cinco candidatos à presidência do Sporting Clube de Portugal, que decorreu na RTPN. Dias Ferreira fez um debate por ele e até ajudou Bruno de Carvalho no combate contra a continuidade, encostando Godinho Lopes às cordas.
Estranhamente, Bruno de Carvalho não esteve no debate. Perdeu-se em picardias, mais parecendo que era ele quem estava em último nas sondagens e precisava de se colocar em bicos de pés. E revelou uma arrogância, por vezes, a roçar o insuportável. Não se comportou como um presidenciável. Não comprometeu a vitória nas eleições, até porque o debate nada clarificou e o Sporting talvez precise mesmo de um presidente arrogante.
No entanto, Bruno de Carvalho não confirmou a prestação clara, lúcida e sóbria do debate anterior realizado na SIC Notícias. Por isso, não terá ganho mais votos. E ele bem precisava de mostrar serenidade para atrair os sócios indecisos e com mais idade, que, naturalmente, são mais conservadores. Depois de uma semana marcada por muitos insultos à sua candidatura, a Bruno de Carvalho faltaram-lhe nervos de aço.
Godinho Lopes, repleto de frases feitas, servidas por António da Cunha Vaz, continua embrulhado nas contradições da sua continuidade. Pedro Baltazar oscila entre o assertivo e o desconexo. Sérgio Abrantes Mendes teve razão antes do tempo. E aproveitou mais este debate para fazer gala disso.

segunda-feira, 21 de março de 2011

A esperança da geração mais velha

“São ataques lamentáveis entre irmãos, porque os sportinguistas são irmãos. Esses ataques são motivados pelo desespero.”

“A nossa candidatura une gerações. Estou aqui como representante da geração mais velha, pois já sou sexagenário, mas é uma candidatura de juventude e pessoas mais velhas. E temos demonstrações muito evidentes de que esta candidatura está a tocar todas as gerações de sócios do Sporting e isso é ameaçador para as outras candidaturas, que não têm projecto e apenas lançam ataques na Comunicação Social, ao que os sportinguistas não vão responder.”

Daniel Sampaio, psiquiatra, candidato a vice-presidente da Assembleia Geral do Sporting da candidatura de Bruno Carvalho, sobre os ataques de que tem sido alvo a candidatura da mudança, “A Bola”, 18-03-2011

Contra a promiscuidade com a banca

"O que nos preocupa, e muito, é a promiscuidade que existe com a banca da candidatura do engenheiro Godinho Lopes. É exactamente isso que queremos alterar, não só evitar o continuar desta promiscuidade, mas mostrar que o Sporting, aos olhos da banca nacional e internacional, é um clube poderoso, forte, dos maiores da Europa e do Mundo.”

“[As declarações de Carlos Barbosa representam] manifestamente uma posição de desespero. Não há dúvida nenhuma que com a nossa candidatura o que pretendemos é a mudança, é tornar o Sporting um clube rigoroso, firme, muito personalizado e acabar com quaisquer imagens mais ou menos pessimistas e derrotistas que o doutor Carlos Barbosa, em jeito de provocação, disse.”

“Negociamos com toda a gente, falamos com toda a gente, não temos qualquer problema. Não queremos é ter acordos prévios, nem estar amarrados, como, pelos vistos, está a candidatura do engenheiro Godinho Lopes.”

“A candidatura de Bruno de Carvalho arranjou um treinador conhecido internacionalmente, um homem que só pela sua presença e pelo seu currículo aumenta a credibilidade do Sporting. É isso que é preciso. O clube precisa de aumentar o nível de credibilidade, o nível de confiança, dar uma esperança aos seus associados e adeptos."

José Vieira Sampaio, candidato a presidente do Conselho Fiscal da lista de Bruno de Carvalho, "Agência Lusa", 20-03-2011 (FOTO: Record Online)

Bruno de Carvalho dispara nas sondagens

Em duas semanas disparou nas intenções de voto. Ainda há muitos indecisos. Núcleos podem ter papel fundamental a equilibrar contas.
Duas semanas de campanha foram suficientes para Bruno de Carvalho disparar na liderança das sondagens para a presidência do Sporting. O candidato da lista C reúne, neste momento, 42,6 por cento das intenções de voto dos sócios leoninos - 616 inquiridos antes do Sporting-UD Leiria de sábado, em Alvalade -, quando há duas semanas, em sondagem semelhante igualmente realizada pela Euroexpansão para A BOLA, recolheria 25,2 por cento dos votos. Godinho Lopes, que nessa primeira sondagem aparecia com 23,1 por cento, cai agora para os 18,5. O maior tombo é de Dias Ferreira, que tinha 11,5 por cento e agora surge apenas com 4,6, atrás até de Pedro Baltazar.
O número de indecisos diminuiu mas é ainda bastante elevado (25,8 por cento de votos ainda por entregar), impondo por isso alguma prudência na análise dos resultados. É quase impossível que aconteça, mas se todos se virassem para Godinho Lopes o candidato da lista A ultrapassaria Bruno de Carvalho. E a maior fatia de indecisos está nos sócios mais velhos e com mais votos, onde as diferenças entre Bruno de Carvalho e Godinho Lopes são menores.
Há ainda a considerar um dado que já referimos há duas semanas - o facto de a sondagem ser feita em Alvalade. Os inquiridos são por isso maioritariamente da zona de Lisboa e a expectativa é que nas eleições do próximo sábado, 26 de Março, haja uma presença em massa de sócios de todo o país. Nas últimas eleições, por exemplo, estima-se que o apoio maioritário dos sócios dos vários núcleos leoninos tenha tornado ainda mais esmagadora a vitória de José Eduardo Bettencourt sobre Paulo Pereira Cristóvão.
Seja como for, e sem podermos dar as eleições do Sporting como resolvidas, um dado é indesmentível: o candidato da lista C, em sondagem em tudo idêntica à que apresentámos há duas semanas, obtém resultados muito melhores. E basta isso para perceber que está a ganhar força e se encontra bem lançado para a vitória.

domingo, 20 de março de 2011

Bruno de Carvalho. Os russos, os fundos e a banca

“Os russos subscrevem a totalidade [do capital do fundo]. Nós suportamos os ordenados e ainda se conseguiu uma divisão favorável ao Sporting nas vendas [numa relação de 60 por cento para o clube e 40 por cento para os investidores].”

“Há o Fundo anunciado com o BES que que tenciono activar e melhorá-lo. O Sporting tem a possibilidade de chegar ao banco com um cliente de 50 milhões que lhe vai dar outra capacidade de negociação com as entidades credoras. De repente, o Sporting já não tem de passar o tempo todo a pedir e pode renegociar o serviço de dívida e novos fundos. Terei força junto da banca.”

“O Sporting não vai gastar verbas em contratações. Não terá de suportar nada dos jogadores e quando forem vendidos assegura 60 por cento. Isto não são condições muito saudáveis? Há condições mais saudáveis do que isto? O Sporting vai ficar com capacidade financeira. Parece que toda a gente se esquece que o Sporting não é só um conjunto de encargos e dívidas, também é um conjunto de proveitos e vai ser ainda mais, porque o nosso modelo de negócio não se prende só com o fundo. O risco da contratação de jogadores está diluído pelos investidores. Mas queremos a agregação e mobilização dos sócios, com o aumento de quotização, de fidelização, venda de bilhetes, venda de game-boxes. Possibilidade de melhor negociação com os parceiros, de negociação séria com as entidades credoras. Criou-se isto do Fundo, que é importante, mas não é o único ponto do nosso programa. Estas condições que eu revelei na Rússia demonstram que até nesta negociação o Sporting fica favorecido.”

“Não acredito em soluções negociadas com os Bancos via candidatos. Não é possível que um candidato tenha acesso às contas. O que eu já mandei, pela apresentação do meu programa e fundo, foram muitas mensagens claras aos bancos que podem ter no Sporting um interlocutor de grande valia para todos. Um Sporting asfixiado como nos últimos anos é um Sporting fraco e eles não querem um Sporting fraco.”

“Tenho sido contactado por investidores de vários países, inclusive portugueses. Para já e para estes primeiros 50 milhões foram as pessoas com quem foram negociadas as melhores condições para o Sporting. Quem pôde assistir à apresentação notou que são pessoas a nível governamental, desportivo e financeiro. Pessoas muito importantes. Foi dito por eles que se escancarou uma porta para que profissionais desportivos portugueses possam ir para a Rússia desenvolver o seu trabalho. Não só esta negociação permite um Sporting com força para ser campeão, como abre as portas a Portugal a um sector que também precisa de apoio. Conseguiram-se duas coisas importantes: uma garantia de que o Sporting vai ficar forte e pode ser campão já no próximo ano e para Portugal fomentar a exportação de profissionais portugueses para a Rússia. Não é só o Sporting, mas portugueses. Isto não é apenas bom, é excelente. Acho que acertei em cheio nestes investidores.”

“As pessoas serem ou não ex-agentes do KGB nada tem de interesse, nem para o investimento para o Sporting e para Portugal. Houve várias pessoas ex-Pide em vários governos depois da queda de Salazar. Já foi o tempo em que se dizia que os soviéticos comiam criancinhas ao pequeno almoço. Estamos a falar de homens com poder, de homens ligados ao desporto e Governo da Rússia. Mais credível do que isto não existe. Os russos são exemplos de sucesso. Não ia apresentar pessoas que não dessem garantias de não ter este dinheiro. Eles têm-no. Isto é ao mais alto nível. Foi dito na Rússia e na apresentação do fundo que houve encontros com o vice-primeiros ministro Shukov. Isto não é bom para Portugal?”

“As decisões são todas do Sporting e do presidente. Eles disseram que vão dar o empurrão para o Sporting ser campeão. Os enviados portugueses lá estavam espantados e a perguntar como foi possível pôr pessoas de reconhecida influência a falar no Sporting. Tenho negócios com a Rússia há dez anos, só falo e respiro o Sporting e essas pessoas passaram a sentir carinho pelo clube. Os outros candidatos deviam era dizer: "Que bom, o Sporting consegue atrair investidores deste nível." Como nenhum dos candidatos tem ideias nem programa só falam em múltiplos de 50, eu pergunto se é uma solução para o Sporting, por exemplo, Pedro Baltazar a pôr dinheiro no Sporting, que teve chatices e devido a essas chatices ficou com o passe de Carriço na mão? Eu não vou ficar com o passe de nenhum jogador na mão. Godinho Lopes tem 100 milhões de nada. Vai pedir 40 milhões à banca. Fui o único que dei a cara, que mostrou quem são os investidores. O que eu diria é que podia perceber se apenas eu saísse na Comunicação Social, mas as pessoas vão dizendo umas patranhas e eu é que faço tudo mal. Pedro Baltazar vai pôr dinheiro no Sporting? Mas qual dinheiro? Para a Nova Expressão sair do Sporting o que custou ao Sporting? O passe de Carriço. Eu trouxe parceiros para o Sporting e que vão alavancar o desporto português.”

“Quer se queira quer não, isto é um clube desportivo que vive da sua marca que não é mais do que o seu universo de apoio - adeptos e sócios. Quando não acarinharmos essa marca, não vale a pena ter empresas, pois os accionistas não vão ter lucro nenhum. A dimensão do Sporting é dada pelos três milhões de sportinguistas e quando eles perderem o poder de intervenção no clube, acabou-se a galinha de ovos de ouro da SAD. O Sporting só vai poder intervir no seu futuro enquanto comandar a SAD. A SAD é tudo: Futebol, Academia, Comércio e Serviços. Quando o Sporting deixar de mandar na SAD, nem que seja pela ‘golden-share‘ que não é nada (é um engodo, pois um dia a União Europeia vai acabar com isso), o Sporting tem de assegurar o que sabe fazer há mais de 100 anos que é ser campeão. Não são empresários que sabem como o Sporting vai ser campeão.”

“As pessoas devem ter algum rigor intelectual. Há várias maneiras de se fazer o fundo, porque o fundo é para iniciar já para o reforço da nova época. Ao fazermos um acordo entre dois agentes económicos e esse acordo, com as regras todas definidas, não precisa de nenhum aval da CMVM. Ou fazemos o fundo fora de Portugal e não é preciso o aval da CMVM, ou começamos após as eleições a cumprir os trâmites para o fundo ser integrado na CMVM. O importante não é cumprir ou não burocracias, mas cumprir desígnios e objectivos. Está definido como o Sporting se vai relacionar com os investidores. É ridículo andarmos nisto. As pessoas têm de dizer se o investimento em jogadores nesta base é bom. É excelente. Essas questões vão resolver-se a partir de dia 27.“

“A Europa é um mercado muito interessante e não tem sido bem aproveitado pelo Sporting. Não é por haver investidores russos que vamos focalizar aí o investimento. Quero é dizer que todas as decisões sobre contratações relacionadas com o dinheiro do Fundo vão estar nas mãos do Sporting e de Bruno de Carvalho. As decisões serão sempre do Sporting e minhas.”

Bruno de Carvalho, candidato à presidência do Sporting, entrevistado pelo
"Correio da Manhã", 20-03-2011

Palha para os sportinguistas. Oferta de Godinho

Eis um fardo de palha para os sportinguistas "completamente burros" que querem a mudança nas eleições de 26 de Março. Uma oferta exclusiva de Godinho Lopes, o candidato da continuidade.

Burros. Vice de Godinho insulta sportinguistas

"Quem fala nisso é completamente burro. As únicas duas pessoas da continuidade são Nobre Guedes e Rogério Alves. E ainda bem que estão. O Nobre Guedes conseguiu negociações para o Sporting que mais nenhum clube conseguiu. Nem Benfica, nem FC Porto. Se não fosse ele, mesmo actualmente, o Sporting já tinha entrado por outro caminho. Temos nove pessoas novas no Conselho Directivo. Isso é que é continuidade? A continuidade que queremos é honrar os compromissos e pagar o que temos de pagar. Continuidade? Não temos lá o Bettencourt ou o Costinha, e foram eles que gastaram, e mal, o dinheiro do Sporting. Eles é que decidiam sobre futebol."

Carlos Barbosa, candidato a vice-presidente na lista de Godinho Lopes, o candidato da continuidade, ao que se diz, para gerir o marketing do Sporting, "A Bola", 20-03-2011

Bruno de Carvalho. Um "doidinho pelo Sporting"

Não tinha os mesmos sonhos dos outros rapazes. O gosto pelo futebol era semelhante ao de todos os colegas daquela idade mas os objetivos diferiam e não passavam por vestir calções, calçar chuteiras e imitar os feitos dos ídolos. Com 6/7 anos entrou pela primeira vez no velho José Alvalade pela mão do avô e do pai e logo para um dérbi com o rival Benfica. Mas o que ficou na retina dos progenitores não foi tão-pouco o resultado ou a forma como o pequeno Bruno viveu as incidências da partida. Foi a frase do petiz no final que os deixou de boca aberta: “Um dia vou ser presidente do Sporting.” Ao ar de espanto sucederam-se sorrisos e um olhar típico para uma criança com um sonho tão invulgar mas, ao mesmo tempo, tão próprio da imaginação fértil daquela idade.
Bruno de Carvalho, hoje próximo de concretizar o sonho traçado naquela tarde em Alvalade, é o vulgarmente designado “doidinho pelo Sporting”. Tudo na sua vida gira em torno do verde e foi assim desde cedo. Numa família em que não há um único adepto de clubes rivais, a influência mais forte surgiu por parte do avô, Eduardo Azevedo.
“Tenho um grande orgulho no meu avô que escreveu a História e Vida do Sporting até final dos anos 60, com uma história rica”, começa por contar, lembrando a vez em que ficou uma semana sem falar com o familiar:
“Contava-me a história do desporto e falou-me no Sport Lisboa e Benfica. Fiquei tão chateado, tão chateado, mas depois passou-me”.
Com três irmãos mais velhos, o pequeno Bruno era também a animação da casa e era fácil sossegá-lo quando estava mais irrequieto. “Os meus irmãos diziam-me muitas vezes: Bruno, diz aí o nome de todos os jogadores do Sporting. E eu ficava ali uma série de tempo naquilo. Aliás, nunca contávamos carneiros. Quando não conseguíamos dormir eu punha-me a dizer os nomes dos jogadores do Sporting até cairmos todos no sono”, revela.
Hoje vive com vista privilegiada para o Estádio José Alvalade e foi praticamente sempre assim desde que veio de Lourenço Marques com 2 anos, com uma curta passagem pelo Bairro... Azul. Já em Telheiras tinha uma janela com vista para o anfiteatro leonino que fazia questão de mostrar à filha, a então bebé Ana Catarina, agora com 7 anos: “Perto da janela tinha uma aparelhagem e punha-lhe uns phones com os hinos do Sporting. Era um desgosto se ela não fosse sportinguista...”, conta.
A um primeiro relacionamento em que nasceu Ana Catarina – que o candidato faz questão de levar à escola – seguiu-se a melhor fase da vida pessoal do candidato. “Sem a Cláudia a meu lado não conseguia nada. Devo-lhe muito”, faz questão de afirmar. Como não poderia deixar de ser, a forma como se conheceram está ligado o... Sporting. “Era um jantar de aniversário de uma amiga e estava cheio de trabalho. Tanto insistiram que eu fui. Havia um lugar vago em frente à Cláudia e fiz questão de sentar-me ali. Apresentei-me e a primeira pergunta foi se era sportinguista. Quando disse que sim, fiquei com a certeza que tinha tudo para dar certo (risos). Ficámos horas a falar do Sporting e convidei-a para ir ver jogo com o FC Porto”, relembra o empresário que coloca verde em todas as suas empresas.
No caso de vencer as eleições do próximo dia 26, Bruno Carvalho marcará um feito inédito em Alvalade. O Sporting passará a ter um presidente que também é treinador. A sede de conhecimento do jogo levou-o a frequentar o curso de treinadores, numa história contada na primeira pessoa. “Na brincadeira tenho dito a alguns amigos que me perguntam quem vai ser o treinador que o Sporting já o tem: sou eu (risos). Não, agora mais a sério, sempre quis ter noções mais exatas e um dia disse para mim mesmo que estava na altura de tirar o curso e adquiri até ao Nível II na Associação de Futebol de Lisboa”, revela. Bruno Carvalho exerce a “profissão” apenas por hobby junto de crianças na Fundação Aragão Pinto, à qual preside.
O tio-avô de Bruno Carvalho foi nem mais nem menos que o primeiro-ministro do VI Governo provisório e a ligação à política continuou por intermédio da mãe que trabalhou com Pinto Balsemão no governo liderado por Francisco Sá Carneiro. O facto de a progenitora trabalhar na assembleia era um excelente motivo para o pequeno Bruno treinar os discursos que tanto gostava de fazer. “Fugia da minha mãe e entrava no plenário a fazer discursos”, revela. O gosto pela liderança revelou-o também na primária quando em poucos dias se tornou no chefe da turma. Hoje, nos tempos livres, Bruno de Carvalho gosta de ir ao cinema (por vezes em sessão dupla), tem mais de 4 mil filmes originais em casa e não perde oportunidade de estar na conversa com amigos.

LEÃO AO RAIO-X

Nome: Bruno Miguel Azevedo Gaspar de Carvalho
Idade: 39 anos
Profissão: Empresário
Número de associado: 15.531
Anos de filiação: 25

Melhor recordação:
O título de 1999/00, a época da quebra do jejum. “Foi uma onda verde e branca que invadiu Portugal inteiro, África... Nunca se tinha visto nada assim. E, infelizmente, já assisti a vitórias de rivais mas nunca com manifestações daquela grandeza”, afirma.

Pior recordação: A final da Taça UEFA, em 2004/05, com o CSKA. “Não esqueço os 6-3, o golo do Luisão mas aquela final foi uma desilusão tremenda para todos os sportinguistas”.

FONTE: "Record", 20-02-2011 (texto e fotografias)

Van Basten em Alvalade. Vídeos arrepiantes




Pediram militância sportinguista? Ela aí está... À atenção de grande parte da comunicação social portuguesa, que tem boicotado a candidatura de Bruno de Carvalho à presidência do Sporting Clube de Portugal.

sábado, 19 de março de 2011

Van Basten: "Merecem um Sporting campeão"

Marco Van Basten foi apresentado na noite deste sábado como o treinador do candidato Bruno de Carvalho, em conferência de imprensa presenciada por algumas centenas de adeptos leoninos, na sede campanha, no Centro Comercial Alvaláxia, no Estádio de Alvalade. A estrela do futebol holandês prometeu empenho para "devolver o Sporting ao topo".
"É muito bom ver o entusiasmo entre os adeptos. O Sporting é um grande clube, espero devolver o clube ao topo, que é o seu lugar", disse Van Basten, expressando-se em inglês, muitas vezes interrompido pelas palavras de incentivo dos adeptos, segundo relata a edição online do jornal "A Bola".
"Espero que possamos trabalhar bem, comprar bons jogadores e ser um bom adversário de FC Porto e Benfica. Os adeptos merecem um Sporting campeão. Espero viver bons momentos em Lisboa", afirmou o holandês, ladeado por Bruno de Carvalho e Augusto Inácio. FOTOS: "A Bola Online"

As Velhas Guardas de Godinho Lopes

O candidato da continuidade, Godinho Lopes, apresentou hoje o antigo defesa-central Beto como mais uma velha guarda leonina a integrar a estrutura do futebol do Sporting. Há dias, quando anunciou um convite a Sá Pinto, Godinho Lopes tinha dito que tinha encerrado a ronda de promessas de emprego a antigas glórias do clube que iriam formar a "estrutura do futebol, em caso de vitória eleitoral. Afinal, ainda cabia mais um, por sinal, anteriormente anunciado por Augusto Inácio. Amanhã, não sabemos se haverá mais outro.
Beto Severo junta-se a Nélson, André Cruz, Vidigal e Manuel Fernandes. E Godinho ainda está à espera de uma resposta de Ricardo Sá Pinto. A cada dia que passa, o candidato da continuidade vai mostrando o seu verdadeiro plano estratégico para o futebol do Sporting: ser campeão nacional das Velhas Guardas!... FOTO: "Record Online"

Anúncio de Van Basten recebido em delírio


Clique na imagem e veja a reacção dos sócios do Sporting Clube de Portugal quando o candidato à presidência Bruno de Carvalho anunciou Marco Van Basten como futuro treinador do clube caso vença as eleições de 26 de Março.

Van Basten. Um treinador de cultura formadora

Bruno Carvalho vai anunciar que o holandês Marco Van Basten será treinador do Sporting na próxima temporada caso ganhe as eleições marcadas para dia 26 de Março. "Marco Van Basten é um nome coerente com tudo o quensamos para o futebol do Sporting Clube de Portugal. Mais uma vez vamos cumprir com o prometido, o que confirma a credibilidade do nosso projecto de mudança para o Sporting. A credibilidade não se anuncia, a credibilidade pratica-se", adiantou ao LEÃO DA ESTRELA uma fonte da candidatura de Bruno de Carvalho.
O holandês Mitchell van der Gaag (ex-Marítimo), que conhece, naturalmente, o futebol português, vai ser o adjunto do ex-internacional holandês. Segundo notícias recentes, Van Basten seria uma das hipóteses para o Chelsea na próxima época. Tudo indica que o anúncio de Marco Van Basten - um treinador com uma cultura formadora adquirida no Ajax - deve acontecer numa sessão de esclarecimento que terá lugar no Alvaláxia, zona comercial do Estádio da Alvalade, nesta tarde, às 16h30.
De acordo com o jornal "A Bola", na sua edição digital, Marco Van Basten "é mais uma cartada forte do candidato à presidência do Sporting que há poucos dias esteve em Moscovo para apresentar os investidores russos que se associaram à sua candidatura".
Marco van Basten, de 46 anos, destacou-se como jogador no Ajax e no Milan, bem como na selecção holandesa, pela qual foi campeão europeu em 1988.
Iniciou a carreira de treinador nas camadas jovens do Ajax e, em 2004, assumiu o comando da selecção holandesa, que dirigiu no Mundial 2006 (eliminado por Portugal nos oitavos-de-final) e no Euro 2008 (derrotado pela Rússia nos quartos-de-final).
Depois da experiência na selecção, Van Basten treinou o Ajax em 2008-2009 e demitiu-se no final da época, após falhar a qualificação para a Liga dos Campeões.
A sua carreira como jogador foi brilhante. É ainda hoje considerado um dos melhores pontas-de-lança da história. Figura maior do Ajax e Ac Milan, Van Basten venceu A Bola de Ouro em 1988, 1989 e 1992, ano em que foi igualmente distinguido com o prémio de melhor jogador do Mundo para a FIFA.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...