sexta-feira, 27 de maio de 2011

Rodriguez. Excelente escolha para a defesa



O namoro foi longo. Hoje foi o casamento. O internacional peruano Rodriguez, defesa-central que actuava no Sporting de Braga, é reforço do Sporting. Assinou por 4 anos. Uma excelente escolha da dupla Luís Duque-Carlos Freitas que Godinho Lopes caucionou. "Sou mais um jogador que chega ao Sporting com o objetivo de fazer o clube regressar o mais depressa possível aos lugares de topo do futebol português e, acima de tudo, ganhar títulos. Ganhei dois campeonatos nacionais peruanos (2002 e 2005), pelo Sporting Cristal, e quero voltar a ser campeão, aqui em Portugal. Vou dar tudo de mim para que tal aconteça o mais depressa possível", afirmou o novo defesa leonino. FOTOS: "Record Online"

Comunicação do Sporting. Dois directores?


O Sporting anunciou uma directora de comunicação, Irene Palma, escolha de Carlos Barbosa, que eu já critiquei pois não tem perfil nem experiência para aquele lugar tão importante.
É uma escolha fraca e que a comunicação social não respeita - ninguém lhe liga e não tem qualquer influência - nem outros membros da direcção têm qualquer confiança. Bom exemplo disso é Luis Duque que a pretende afastar do futebol.
Fiquei a saber que o Sporting procura um director de comunicação para a SAD e futebol e já foram feitos pelo menos dois convites.
Sendo assim, como será a relação entre os dois directores de comunicação? Sendo assim, como será o relacionamento entre dirigentes, uns que confiam na senhora (apenas Barbosa) e os outros? E Godinho Lopes que perde o seu homem de confiança, Miguel Morgado (grande sportinguista) depois de ter realizado um bom trabalho em campanha e ser respeitado por todos os jornalistas?
Acham que faz sentido? Não, não faz. Basta olhar para os principais rivais para se ver que isto só vai trazer confusão, rivalidades e provocar afastamento de pessoas num momento em que todos precisam de estar unidos.
Há um ano escrevi que a escolha de Nuno Dias para director de comunicação do Sporting era um erro. Já escrevi que a escolha da directora de comunicação era um erro. E, mais cedo do que previa, vou ter razão outra vez.


Rui Calafate

quarta-feira, 25 de maio de 2011

A festa de Domingos




Envergando uma gravata verde pastel, Domingos Paciência tomou, enfim, o primeiro contacto com o mundo sportinguista, tendo sido apresentado aos sócios e à comunicação social numa cerimónia festiva. Oxalá esta tenha sido a primeira de muitas festas sportinguistas com o novo treinador, cujo ingresso em Alvalade chegou a ser posto em causa. Foi o cumprimento do primeiro grande compromisso do presidente Godinho Lopes com o futebol do Sporting Clube de Portugal.
As imagens também foram uma demonstração do novo poder no futebol leonino. Godinho Lopes, Luís Duque e Carlos Freitas perfilados no relvado, com Domingos Paciência entre deles. O murro na mesa de Luís Duque, no último fim-de-semana, deixou claro que não há lugar para José Couceiro no balneário profissional, havendo, porém, uma porta bem aberta na academia e na formação. É uma oportunidade que Couceiro deveria agarrar com as duas mãos. Em nome de um Sporting mais forte e mais competitivo. Um Sporting que "é muito grande", como descobriu o novo treinador. FOTOS: "A Bola"

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Duque, egos, Domingos e miúdos


Independentemente do que estiver em causa, e estão em causa várias situações criticáveis, aliás, já mencionadas neste blogue, o episódio pitoresco, mais um, que sujou o grande Sporting Clube de Portugal neste fim-se-semana, com Luís Duque a ameaçar demitir-se, fazendo constar que já estava de saída, acabando por recuar não se sabendo muito bem porquê, significa, antes de mais, que o nosso clube continua na mesma.
O Sporting continua a ter um presidente que não é um líder. O Sporting continua a ser palco de egos e de vaidades. O Sporting, assim, não vai a lado nenhum.
A Luís Duque bastou dar um murro na mesa para que o clube tremesse. E o drama é esse. Duque deu o murro na mesa, o Sporting tremeu, e Duque voltou atrás, voltando para o lugar onde se encontrava, dizendo agora que tem mais apoio do presidente. Para o caso, não interessa se tem ou se não tem.
O drama ainda é maior quando isto tudo acontece precisamente na semana em que o FC Porto soma mais dois títulos, um europeu e outro nacional.
Agora, é anunciado Domingos Paciência como treinador do Sporting, que muitos sportinguistas com memória conhecem de ter ganho títulos em Alvalade com a camisola de jogador do FC Porto. Anunciado é uma forma de expressão. Já toda a gente sabia. Há muito tempo. Porque no Sporting Clube de Portugal tudo isto é possível...
Só não parece ser possível ganhar. E, agora, já nem os miúdos da academia sabem ganhar campeonatos. Esta é a primeira temporada em muitos anos em que o futebol do Sporting não consegue ganhar nenhum título em nenhum escalão. Pior seria impossível.
Independentemente de tudo, que Domingos Paciência seja bem-vindo. E que tenha paciência e, sobretudo, muita corte. Sorte e paciência é que são precisas para recolocar o Sporting nos trilhos das vitórias. Porque, ao contrário do que acontece no Sporting de Braga, quem manda em Alvalade pode não ser o presidente... FOTO: "A Bola"

domingo, 22 de maio de 2011

A saída de Luís Duque


Rude golpe na curta Presidência de Godinho Lopes. Luís Duque e Carlos Freitas foram dois dos seus trunfos principais para ganhar eleições.
Duque sabe de futebol, conhece as estruturas dirigentes do futebol português, sabe blindar um balneário e queria trabalhar em paz na construção do plantel. Mas será a primeira vítima do que muitos chamaram a lista do “saco de gatos” na última disputa eleitoral. Senão vejamos os motivos exibidos na comunicação social para a sua possível saída:
– Ontem, pelas minhas informações recolhidas, já tinha comentado num grupo sportinguista do Facebook que no cerne da decisão estava Nobre Guedes. Personagem que já devia ter saído de Alvalade e que nesta fase estava a fechar a torneira a possíveis contratações, o que bloquearia o trabalho de Duque.
– Depois, e já tinha dado essa "cacha" neste blog, Duque queria Couceiro fora do futebol profissional, passando a liderar a Academia do clube e despedindo Pedro Mil-Homens e Jean paul, personagens mal-quistas pelos adeptos e decisão que cairia bem no universo leonino.
– Por último, noutra informação que eu veículei na altura, foi Carlos Barbosa e só ele quem escolheu a nova directora de comunicação do Sporting, que não tem perfil, currículo, nem experiência para um cargo tão importante, como já escrevi. Duque também achou um lamentável erro e um tiro no pé.
São estes três factores que ditaram a possível saída de Duque. Por um lado fico satisfeito pois tudo o que tenho escrito está correcto e é informação verídica, mas fico preocupado pois começamos a preparação da época com uma perda lamentável e com um Sporting enfraquecido e já com sinais de divisão.

Rui Calafate

A demissão de Luís Duque


A demissão do administrador da SAD do Sporting Luís Duque, menos de dois meses após ter entrado em funções, abre uma brecha surpreendente e, provavelmente, irreparável na equipa directiva de Luís Godinho Lopes.
É preciso lembrar que a larga maioria dos sócios que votaram em Godinho Lopes, não votaram no candidato a presidente, mas sim "na dupla Luís Duque-Carlos Freitas", que, por indicação da assessoria de comunicação, Godinho mencionava em todas as entrevistas ou declarações públicas. Porque Godinho Lopes não é propriamente um especialista em futebol. E a dupla Luís Duque-Carlos Freitas, não obstante os erros que também cometeu, perdurava com boa nota no imaginário de muitos adeptos pelo facto de estar ligada aos dois últimos títulos nacionais do Sporting, obtidos em 2000 e 2002.
Porém, há um ditado segundo o qual a mesma água não passa duas vezes por baixo da mesma ponte. O que acaba de se confirmar, com a demissão de Luís Duque. Duque que era a peça-chave de Godinho para o futebol e estivera na idealização de um conjunto de jogadores prometidos aos associados durante a campanha eleitoral que, afinal, nunca mais assinam o contrato. E ainda não sabemos ao certo quem será o próximo treinador. Entretanto, Duque, que sempre disse que um cheque e uma vassoura resolviam os problemas do futebol do Sporting, o que caiu muito mal no grupo de trabalho, também não queria José Couceiro na cúpula do futebol...
Enfim, a instabilidade teima em continuar por Alvalade. É um momento muito preocupante na vida do Sporting Clube de Portugal.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Godinho Lopes vai mostrar o que vale


Godinho Lopes prometeu Domingos Paciência como treinador da equipa do Sporting. A temporada terminou e não se sabe nada sobre a eventual contratação do treinador que levou o Sporting de Braga à final da Liga Europa. A Norte, o FC Porto pode ficar sem o "special one 2" André Villas-Boas. E Domingos Paciência, um portista do coração, está de prevenção, tomando decisões quanto ao seu futuro só quando Pinto da Costa quiser.
Aliás, em resposta à suspensão das acções do Sporting SAD na Bolsa de Lisboa, por causa de Domingos Paciência, a empresa leonina já informou a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) que não efectuou "quaisquer contactos" tendo em vista a contratação do técnico bracarense. É extraordinário!...
No documento, assinado pelo administrador da continuidade José Filipe Nobre Guedes, esclarece-se que a SAD leonina "não efectuou quaisquer contactos com o presidente da Sporting Clube de Braga, SAD, relacionados com o seu treinador principal".
Até Arthur Moraes, que o Sporting Clube de Portugal perdeu para o Benfica, pode, afinal, não ir para a Luz, podendo substituir Helton, que está a pensar em regressar ao Brasil. Pinto da Costa manda, ganha e pode.
Por falar em Arthur Moraes, é de destacar a forma como o Sporting de Braga colmatou a sua saída: foi buscar Bracalli ao Nacional da Madeira, um dos melhores guarda-redes da Liga Portuguesa.
Voltando a Domingos Paciência, é caso para dizer que agora é que Godinho Lopes vai mostrar o que vale como presidente do Sporting Clube de Portugal. Sendo que, perdendo o actual treinador bracarense, começará cedo a deixar as grandes promessas pelo caminho....

terça-feira, 17 de maio de 2011

Virgílio Lopes reforça LEÃO DA ESTRELA

Depois do consultor de comunicação e grande leão Rui Calafate, Virgílio Lopes, antigo futebolista do Sporting Clube de Portugal e da selecção portuguesa, é a segunda figura da nação sportinguista a aceitar integrar o grupo de colaboradores do blogue LEÃO DA ESTRELA.
Afastado do futebol desde que pendurou as chuteiras, Virgílio Lopes regressou à vida leonina no último processo eleitoral, ao lado de Bruno de Carvalho, tendo sido candidato a ocupar um lugar na estrutura do futebol sportinguista da candidatura "Por um Sporting Sem Complexos".
Virgílio Lopes, de 53 anos, que jogou no Sporting Clube de Portugal nas décadas de 1970 e 1980, aceitou o convite para integrar o "plantel" do LEÃO DA ESTRELA, agora para exprimir as suas opiniões sobre a nação leonina, o que, para mim, constitui uma honra. De Virgílio, campeão leonino na mítica temporada de 1981-1982, o treinador de então, o inglês Malcolm Allison, dizia que era "o líder do balneário". FOTO: "Record"

Rui Calafate no LEÃO DA ESTRELA

Está em marcha um plano de reestruturação do blogue LEÃO DA ESTRELA, com a sua abertura a novos colaboradores. Trata-se de uma nova fase deste blogue, que tive a honra de fundar em 2006, sendo hoje um dos mais antigos, mais lidos e mais prestigiados do universo sportinguista.
Para já, posso anunciar a "contratação" do amigo Rui Calafate, consultor de comunicação, director-geral da Special One e editor do blogue It's PR Stupid. Nas últimas eleições para os órgãos dirigentes do Sporting Clube de Portugal, Rui Calafate colaborou com o candidato Pedro Baltazar.
Ao cabo de 5 anos de existência, com uma interrupção de algumas semanas entre Setembro e Novembro de 2009, o LEÃO DA ESTRELA pretende continuar a assumir-se como um espaço de opinião de referência para todos os sportinguistas, contando agora com diferentes contributos, geradores de novas ideias em favor de um clube tão grande como foi imaginado por José Alvalade, há mais de 100 anos. Nos próximos dias, haverá mais novidades.

Terminou o pesadelo!

Terminou a Liga Portuguesa 2010-2011. Para os sportinguistas, terminou mais um pesadelo, o segundo consecutivo. Em 2010, o quarto lugar. Em 2011, o terceiro. A imagem mostra Yannick a marcar em Braga o golo solitário que evitou mais um quarto lugar. Para o ano, exige-se muito mais e muito melhor. FOTO: Reuters

domingo, 8 de maio de 2011

Sporting perde o terceiro lugar em Alvalade

O Sporting despediu-se do Estádio de Alvalade com mais uma derrota, desta vez com o Vitória de Setúbal, por 1-0. Uma derrota que tem tudo a ver com uma das piores temporadas de sempre do clube leonino. E que significou, também, uma descida ao quarto lugar. Para o Sporting ficar em terceiro lugar será preciso ganhar em Braga. Já lá vão 10 anos sem ganhar o campeonato e 3 anos sem ganhar nada de nada. Para o ano é que vai ser. Palavra de Godinho Lopes.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Hugo Viana e Custódio. A segunda final euriopeia

Seis anos depois da final de Lisboa, em Alvalade, os ex-sportinguistas Hugo Viana e Custódio regressam a uma final da Liga Europa, agora em Dublin, pelo Sporting Clube de Braga. Eles estiveram na origem da eliminação do Benfica. Hugo Viana apontou o pontapé de canto para o cabeceamento decisivo de Custódio, que assim marcou o golo solitário que derrotou o Benfica. E o Sporting de Braga também fez história, atingindo, pela primeira vez, uma final europeia, que, de forma também inédita, será portuguesa. O adversário é o FC Porto. O herói de Alkmaar Miguel Garcia, também do Sporting de Braga, João Moutinho e Silvestre Varela, ambos do FC Porto, são outros ex-leões que estiveram na final de 2005, entre o Sporting e o CSKA de Moscovo, que os russos venceram. Entretanto, depois do Braga-Benfica, resta saber se Domingos Paciência ainda será o próximo treinador do Sporting Clube de Portugal, como prometeu Godinho Lopes, ou se Jorge Jesus é que ficou mais perto de Alvalade. Os próximos dias serão decisivos. FOTO: "Reuters"

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Por uma redução de salários no Sporting

Esta é uma sugestão construtiva para o novo Presidente do Sporting, de quem aguardo a sensatez por conhecer o estado da nossa economia.
Ontem, o “Público” trazia como manchete: “Salários dos gestores das maiores empresas cotadas caíram um terço”, fruto dos prémios terem diminuído pela crise, mas sobretudo pela moderação imposta pelos accionistas.
Tiro ainda do editorial: “Num país com mais de 600 mil desempregados, no qual os rendimentos das famílias estão em queda e onde os funcionários públicos sofreram cortes salariais (...) o mundo dos gestores não se pode desligar da realidade social.”
Se todos conhecemos a realidade actual do nosso País, também conhecemos a realidade actual do Sporting Clube de Portugal. Um clube endividado, a depender da banca, a respirar com dificuldade.
Sendo assim, na minha proposta, não incluo nem salários humildes de muitos funcionários nem os salários dos nossos activos, os jogadores (apesar de alguns merecerem bem uma punição). O que defendo é que Godinho Lopes deve negociar com muitos funcionários do universo Sporting o corte, no mínimo de 5 a 10%, dos seus salários e alguns, infelizmente, por falta de competência e produtividade devem ver os seus contratos rescindidos porque o Sporting não é a função pública.
Tenho conhecimento, e muitos outros também, de salários sumptuosos de muitos funcionários que nem currículo têm para desempenhar determinadas funções, muito menos salários de mais de 3000 euros e em alguns casos ordenados estratosféricos que pensamos só os jogadores de futebol auferem.
Sabendo também que a actual direcção não está a receber nenhuma verba pelo seu trabalho em prol do clube, mais se acentuam os erros cometidos no tempo do projecto Roquette que criou uma amálgama de mais de uma dezena de empresas com elevados gastos com o pessoal, administradores, directores e outros funcionários.
O Sporting tem de redimensionar a sua folha salarial, não só na sua equipa de futebol, mas mais importante nos seus funcionários (repito, deixo de parte os salários mais humildes).
Luís Duque durante a campanha pediu «um cheque e uma vassoura». Pois bem, o cheque, infelizmente, só pode ser curto, reduzido, e a vassoura pode começar a entrar em funções. A moral do País e do Sporting assim o exige.

FONTE: Rui Calafate, no blogue It’s PR Stupid, 03-05-2011

domingo, 1 de maio de 2011

O Sporting e a arbitragem, segundo Carlos Freitas

"Independentemente do excesso verbal que João Pereira [expulso no Sporting-Portimonense] protagonizou, convido todos os observadores, delegados da Liga e presidentes das várias instituições a desmentir o que vou dizer: semanalmente, os jogos são passíveis de ser vistos na televisão. E também semanalmente vimos aquilo que os árbitros assistentes são invectivados por jogadores de outros emblemas e cuja admoestação não é, nem de perto nem de longe, aquela de que João Pereira foi alvo hoje. Daí ser fácil de concluir a disparidade de critérios na qual estamos envolvidos e contra a qual vamos lutar com todas as forças que temos."

"João Pereira utilizou uma palavra que não é bonita e que nem vou reproduzir. Também é visto nas câmaras e não vou negar nem o jogador nega. Está em causa é o julgamento. Não é igual ao que jogadores de outros emblemas sofrem. Não vou utilizar o termo perseguição, pedimos é paridade para que possamos lutar com armas iguais."

"O Sporting não pode ser o parente pobre dos grandes portugueses em termos de arbitragens nem em termos de julgamentos das mesmas. [Na próxima temporada] não vai continuar assim, seguramente. Vai haver um Sporting mais forte, mais interventivo, mais participativo e mais contestatário quando tiver que o ser e que irá expor em primeira instância as debilidades dos jogos em que participarmos."

Carlos Freitas, director do futebol do Sporting, "A Bola", 01-05-2011


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...