quarta-feira, 30 de novembro de 2011

As cadeiras inflamáveis do Benfica

 
Já vimos em vários estádios adeptos de diversas equipas a partir cadeiras e a atirá-las. Uma prática que, naturalmente, condeno. Mas nunca tinha visto cadeiras queimadas. Não acredito na intencionlidade dos adeptos leoninos, mas houve um acidente que levou a que várias cadeiras ficassem queimadas.

Algo de estranho. E porquê? Para quem não sabe, nos protocolos de construção dos novos estádios portugueses, as cadeiras deveriam ser anti-inflamáveis. O preço delas é 65 euros por unidade, enquanto as que são inflamáveis custam apenas 22 euros.

Como as cadeiras arderam, ficámos a saber que não eram anti-inflamáveis. Logo, para lá da violação de uma questão de segurança, em termos de custos, o Benfica poupou ou "encobriu" (faço as contas simples de 40 euros vezes 60 mil lugares) 2,4 milhões de euros. Quer o sr. Luis Filipe Vieira explicar?
 
Rui Calafate

domingo, 27 de novembro de 2011

Temos Sporting!


Três conclusões do jogo com o Benfica:

1ª – Temos Sporting para lutar pelo título nacional já esta temporada. A equipa leonina – que teve em Rui Patrício uma das suas melhores unidades – dominou em todos os capítulos do jogo, menos nos golos marcados. O Benfica foi eficaz e feliz ao ter marcando a poucos minutos do intervalo, segurando a vantagem até ao fim.

2ª – O Sporting perdeu, portanto, porque não teve a eficácia ofensiva de outros jogos. Elias não chegou para tudo e desequilibradores como Capel e Carrilho estiveram particularmente desinspirados. Tanto mais que o Benfica também soube jogar bem defensivamente.

4ª – Resumindo e concluindo, num grande jogo de futebol, o Sporting honrou a camisola verde e branca e justificou, pelo menos, o empate. FOTO: Francisco Seco (Associated Press)

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Godinho Lopes impedido de ir para a gaiola da Luz


“O coração está muito tranquilo e em vésperas de derby não bate mais forte. Como qualquer sportinguista, o que interessa é estarmos de bem com a nossa consciência, sabermos que, acima de tudo e em termos clubísticos, o que interessa é defender a instituição que temos a honra de servir e que quando o fazemos bem e no limite das nossas capacidades, respeitando aquilo que é a história, a cultura e a tradição sportinguista, o coração bate igual todos os dias.”

“Uma coisa posso garantir, a direcção do Sporting Clube de Portugal estará sempre com a equipa profissional de futebol, ou com qualquer atleta do Clube, em qualquer lugar, em qualquer circunstância, doa a quem doer, custe o que custar. Estamos sempre com eles e sábado será mais um dia.”

“O presidente, não por falta de vontade, que a tinha e muita, mas por conselho médico, atendendo aos locais para onde vamos, ficará em repouso. No entanto, estará connosco antes do jogo.”

Paulo Pereira Cristóvão, vice-presidente do Sporting, www.sporting.pt, 25-11-2011

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

"A Bola" chama "gaiola" à caixa de segurança


A edição digital do jornal desportivo "A Bola" denomina por "gaiola" a caixa de segurança montada pelo Benfica no Estádio da Luz, que será utilizada, pela primeira vez, no próximo sábado, para receber os adeptos do Sporting. O termo "gaiola" não aparece na notícia digital, mas foi esse o nome que foi dado à imagem digital, como se pode ler neste link: http://www.abola.pt/img/fotos/benfica/2011/gaiola.jpg. O termo "gaiola" pode ser visto clicando com o botão direito do "rato" e acedendo às "propriedades" da imagem.
Quanto à dita "caixa de segurança", ao que parece aprovada pela polícia (claro...), acho que remeter os adeptos do clube adversário para o lugar mais afastado do relvado, ainda assim, vedado, de onde se vê os jogadores como se fossem formigas, é a confissão da total incapacidade do sistema para garantir a segurança. E é, antes de mais, um acto insultuoso, lesivo do futebol e do "fair-play". Donde, também a indústria do futebol, como a conhecemos, tem os dias contados. Porque ir ao estádio é para sentir o ambiente, sem obstáculos visíveis ou invisíveis. Para ver um jogo numa zona dita de segurança, como aquela que o Benfica criou, o melhor é ficar em casa, que é onde se vê melhor se o árbitro erra muito ou pouco.
Excelente foi a atitude de Godinho Lopes, que decidiu assistir ao jogo com o Benfica na jaula montada por Luís Filipe Vieira. Agora é preciso pensar onde vamos meter os adeptos de Carnide no jogo da segunda volta. No fosso, com umas colunas para ouvirem o relato?... É uma ideia...

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Portugal Sporting Clube


Cristiano Ronaldo (2), Hélder Postiga (2), Nani (1), Miguel Veloso (1). Com golos marcados pela armada sportinguista, Portugal venceu a Bósnia por 6-2 e está apurado para o Euro 2012. Parabéns ao Sporting Clube de Portugal!...

domingo, 13 de novembro de 2011

Eusébio foi recusado por filial do Benfica


Eusébio começou a jogar à bola no Sporting de Lourenço Marques, filial nº 6 do Sporting Clube de Portugal, em Moçambique. Foi o clube que lhe deu oportunidades, depois de ter sido recusado duas vezes no Desportivo de Lourenço Marques, a filial do Benfica em Moçambique. E, segundo reza a história, quando viajou para Portugal, seria para representar o Sporting Clube de Portugal. Agora, Eusébio renega as origens leoninas e insulta a nação sportinguista. A falta de memória é uma doença grave.
O que é verdadeiramente extraordinário é que Eusébio, quando era um simples adolescente moçambicano, tenha sido vetado por duas vezes no Desportivo de Lourenço Marques, acabando por bater à porta do Sporting de Lourenço Marques, onde começou a revelar os seus dotes de futebolista de eleição. Depois, chegou o interesse do Sporting Clube de Portugal, que acabou por ser traído por uma prudência demasiada. O clube de Alvalade queria Eusébio à experiência, mas a Dona Elisa Anissabana, mãe de Eusébio, queria “dinêro grande”. E o Benfica lá pagou 110 mil escudos. Era “dinêro grande”.
Enfim, segundo confessa agora o mesmo Eusébio nas páginas do “Expresso”, antes de jogar no Benfica andava metido com “racistas”. Eis o pobre coitado, nesta foto, envergando a bela camisola verde e branca e respectivo leão ao peito, ao serviço do Sporting Clube de Lourenço Marques.

sábado, 12 de novembro de 2011

Eusébio renega origens e insulta nação sportinguista


A camisola do Sporting Clube de Lourenço Marques foi a primeira na carreira de Eusébio. Agora, Eusébio, armado em glória do clube de Carnide, renega as origens leoninas, insultando a nação sportinguista. Só pode estar cheché.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Às vezes a vida costa

O desporto e a política, uma mistura que pode ser explosiva se não se salvaguardarem as regras da boa comunicação. A minha reflexão sobre as declarações de António Costa, aqui neste lugar.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

A pressão da liderança


Com muitos nervos e muita intranquilidade, o Sporting lá acabou por vencer a União de Leiria (3-1) e conquistar sete pontos numa única jornada: dois em Olhão, dois em Braga e três em Alvalade. Foi, por isso, uma grande jornada, em que o Sporting, prejudicado por ausências forçadas – que fazem de Alvalade uma espécie de hospital – e por alguns jogadores longe dos melhores dias, acusou em demasia aquilo que podemos designar por “pressão da liderança”.
Agora que o desperdício pontual das primeiras jornadas está recuperado, a equipa de Domingos Paciência prepara-se para entrar no campo de Carnide, no próximo dia 26, apenas com menos um ponto do que o Sport Lisboa. Há pouco mais de um mês seria impensável.
Daqui para a frente, ganha importância o trabalho psicológico. Independentemente da ausência de Rinaudo e de outros jogadores, o desempenho mental da equipa nos próximos jogos será decisivo para ficarmos a saber se to Sporting é ou não um candidato ao título.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Alma sportinguista



O jogo de ontem foi uma verdadeira tragédia grega. Interrompeu-se a dinâmica das dez vitórias consecutivas e, pior, perdeu-se por doze semanas aquele que é o jogador de referência para muitos sportinguistas.


Felizmente, o pensamento evoluiu a partir das tragédias gregas, em que o homem era impotente perante o seu destino, e desenvolveu a filosofia socrático-platónica. Entre outros conceitos importantes, a necessidade de se conhecer a si mesmo para conhecer o mundo. No caso do Sporting, há que acreditar que Domingos e a sua equipa se conhecem, sabem das suas forças e das suas fraquezas. A partir do auto-conhecimento, não há que ter medo de nada.


O Sporting hoje tem alma e isso é o que interessa.


Até lá, Força Fito!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

O sistema nervoso

O Fernando Sobral fez ontem, no Jornal de Negócios, uma excelente análise ao actual momento do Sporting, de que recomendo a leitura integral aqui. "A equipa do Sporting tem sistema nervoso. É bom para o futebol. É bom para o espectáculo. É essencial para fazer renascer um dos clubes históricos portugueses. Cada vitória deixou de ser um milagre. E é essa a grande vitória que o sr. Domingos está a oferecer aos adeptos do Sporting. E o grande crédito que está a oferecer a esta direcção. Não é pouco. É mesmo muito."


Eu apenas acrescentaria que o Sporting está a mexer com o sistema nervoso de muita outra gente. Já não era sem tempo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...