domingo, 5 de fevereiro de 2012

Amadores insensatos


Regra Nº1 do dirigismo desportivo é não estar envolvido em "guerras" contra a imprensa em tempos de crise desportiva.

Quando o clube está a atravessar uma crise é muito mais vulnerável a ataques e a sua credibilidade e competência é mais fácil e questionar, é por essa razão que um dirigente experiente não é arrogante nem é insensato ao ponto de hostilizar a imprensa. Aprende a conviver com ela, sem prepotências nem demagogias.

Como eu previ há três semanas atrás (hiperligação), o Sporting vai suportar uma 2ª volta muito penosa e vai ser "agredido" pela imprensa a torto e a direito pois neste momento é fácil fazerem-se coisas destas, o Sporting está fragilizado e sem capacidade de responder (em campo) às críticas e à chacota a que vai ser sujeito.

Qualquer dirigente inteligente não teria movido "guerrinhas" desnecessárias contra a Sportv, Maisfutebol e Público, pois um dirigente com experiência no futebol saberia que um campeonato tem muitos altos e baixos e que mais cedo ou mais tarde a onda crescente que o Sporting surfava até finais de Novembro ia perder a sua força e depois seria preciso gerir a situação com inteligência e sem criar distracções.

Os de Alvalade optaram por barrar o Maisfutebol na Academia (uma semana depois tiverem que levantar a sanção), decidiram barrar a Sportv (na CI seguinte já não o fizeram), decidiram barrar o Público (duas semanas depois o SCP já se tinha esquecido de tudo), ameaçaram jornalistas com queixas crimes, etc.

E agora, como vai ser até finais de Maio?

11 comentários:

cacilhas disse...

Posso então concluir que ACF está de acordo com a peça da SIC, levada hoje à estampa, sobre Domingos e os jogadores do Sporting, no seguimento do jogo com o GIL?
É que, com essa teoria de não fazer guerra às "guerrinhas", concluo que devemos deixar sem resposta todas as provocações que alguns canalhas na CSocial não se atrevem a fazer com os clubes do sistema.
A má organização da COMUNICAÇÃO do clube não pode servir de desculpa para tudo. E o que a SIC fez hoje ao Sporting deveria merecer uma nota, dura, de repulsa.

ACF disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mike Portugal disse...

É obvio que a SIC não teria exibido essa peça se o SCP tivesse passado às meias-finais.

A peça não me pareceu assim tanto um insulto. Acho que se está a exagerar um bocado.

Leão Justiceiro disse...

É uma pena que o ACF não demonstre perante o Sporting a mesma preocupação que demonstra, de forma claramente corporativista, com a classe a que pertence. Bem, pertence, se considerarmos ACF, que vive nas franjas do que pode ser considerado Comunicação Social, como um verdadeiro jornalista, o que é muito discutível.

A mim, incomoda-me muito mais a guerra permanente que o ACF e os seus companheiros de desdita movem ao Sporting que a guerra (totalmente justificada diga-se) que opõe o Sporting à Comunicação Social.

A peça da SIC de ontem é do mais nojento e hostil que tem havido, bem na linha do que o Público fez. Sobre isto, o ACF nada diz.

ACF disse...

Não concordo(nem tenho que o fazer nem deixar de o fazer) com a peça, embora já tenha visto peças deste género serem feitas sobre outros clubes no estrangeiro, alguns até de dimensão social superior à do Sporting.

Apenas afirmei que só é possível fazer peças deste género contra um clube sem credibilidade em campo.

E disse igualmente que isto acontece por que o Sporting não colhe boa vontade da imprensa pois quando estava por cima foi prepotente e arrogante a lidar com ela. O que está a acontecer era expectável, o Sporting tem uma péssima relação com a imprensa por duas razões:

1) O Departamento de comunicação é formado por pessoas sem experiência profissional e que ao longo dos passados 12 anos vieram parar ao clube e SAD de paraquedas e não por mérito profissional ou académico. É factual e ninguém o desmente.

2) O Conselho Directivo interfere na "cumplicidade" entre o DPT COM e a imprensa ao ameaçar a imprensa e efectivamente corta as pernas ao DPT COM que fica visto como não tendo qualquer real autonomia, a partir daí é uma questão de tempo até chegar um momento menos bom e todos (imprensa, árbitros, etc) puxarem o clube para baixo porque o clube não tem força desportiva para resistir a estas "habilidades".

O Conselho Directivo não compreende o fenómeno média desportivo em Portugal. Pensa que resolve tudo com ameaças e sanções, é uma mentalidade digna de quem não faz ideia do que estão a fazer.

Não faz sentido encher o Conselho Directivo de "peças" e depois tentar encaixar as mesmas num determinado pelouro quando eles não possuem o "know-how" nem têm o "background" no mesmo.

Quantos elementos do CD têm formação académica que tenha a ver com a área de influência que desempenham no clube!?!? Apenas estão ali por que querem estar independentemente do seu mérito ou erudição adequada.

O Sporting tem uma péssima estrutura, é por causa disso que o treinador não está bem assessorado nem respaldado quando lida com a COM SOC, é em grande parte por causa disso que ele e a equipa falham, por que o treinador "anda aos tiros" com toda a gente em vez de se concentrar UNICAMENTE em treinar e orientar a equipa. Mas há quem acredite em advertir árbitros, advertir jornalistas, em pintar murais nos corredores, etc.

Mike Portugal disse...

ACF,

Qualquer clube grande que esteja desportivamente mal, leva sempre com a imprensa em cima, tenha boas ou más relações com a mesma.

No SLB foi assim durante anos e agora como estão bem, não há nada para dizer. Mas espera que eles voltem à mó de baixo....

Achas que o Pedro Sousa que tem anos de Radio Renascença não tem CV para lá estar? Ou referes-te à Ireme Palma?

Leão Justiceiro disse...

ACF:

Conhece o currículo dos elementos do CD? Não seja patético. Dizer que os elementos do CD não têm currículo para ali estar e só lá estão porque querem, para além de uma tremenda ignorância, é um insulto.

Desde já porque se esquece que há uma razão de peso para eles lá estarem, a única que é soberana: foram eleitos.

Já o ACF que currículo apresenta? Nem para criticar ele serve.

MALUCODOFUTEBOL disse...

Peço desculpa, sou benfiquista e formado em Comunicação. A peça da sic (com letra muito pequena) é INDECENTE, INDECENTE. Se aquilo é jornalismo... Aquilo que a sic fez foi INDECENTE! INDECENTE, MESMO!

MALUCODOFUTEBOL disse...

Peço desculpa, sou benfiquista e formado em Comunicação. A peça da sic (com letra muito pequena) é INDECENTE, INDECENTE. Se aquilo é jornalismo... Aquilo que a sic fez foi INDECENTE! INDECENTE, MESMO!

P disse...

http://semprecontigoscp.blogspot.com/

Sigam sff!

Saudações leoninas!

Ricardo Almeida disse...

A campanha contra o Sporting continua. Vejamos um caso. A campanha publicitária do Banif, com criatividade assinada pela BAR, reproduz a estratégia continuada de menorização do Sporting Clube de Portugal pelos orgãos de comunicação, sejam eles de que quadrante forem. Se repararem, o texto de César Brito e Jorge Couto, culmina no “fomos campeões”, após terem dito que o jogo em questão se tratava de "um jogo em que estava em causa o título". Quanto ao texto de Paulo Alves, diz que se tratava de "um jogo contra o meu Gil Vicente" e em que o Sporting vence apenas por 3 a 0. Se virmos bem, nenhum dos três foi um craque irrepreensível nem figura como símbolo do clube, pelo que a ambição da BAR é modesta na escolha dos artistas. De outra forma, as pronúncias dos três situam o Benfica numa terra de ninguem, apesar de Cesar Brito ser da Beira e se esforçar para dizer "ganhamos 2 a 0" sem vincar o "jero", o Sporting algures no Minho, apesar de Paulo Alves ser de Vila Real, e o Crime Organizado na zona do Douro Litoral. Contudo, o factor distintivo "ser campeão" não se aplica ao Sporting, dando a subentender que nunca foi campeão, não entra nas lutas do título e possui um capital simbólico que a BAR e o Banif não aproveitam e até tratam com pinças, menosprezando esse legado e colocando os jogos do Sporting como se fossem para "cumprir calendário", os jogadores não se identificam com o clube nem têm ambição alguma. Enquanto "terceiro grande", anda às sobras. Observamos nitidamente que estas opções não são inocentes, pois não faltariam jogadores que foram campeões em 2000 e 2002 e dariam a sua versão de "como a sua saída do banco foi a solução" e os treinadores encontram a "solução no banco". Cito alguns, como Nélson, Beto, Rui Jorge, Vidigal, Pedro Barbosa, Paulo Bento, isto só para falar de portugueses. Se fossemos aos estrangeiros, Scheimchel, Acosta, Jardel, e tantos outros.

Com tudo isto, há que dizer que estas brincadeiras não podem continuar, pois não são meros acasos: tem uma função e cumprem um objectivo específico. Como Sportinguista, não colocarei NUNCA o meu dinheiro no BANIF e exorto a direcção do nosso clube, associados e simpatizantes a fazerem o mesmo se acaso tiverem uma conta nesse banco. É nos conceitos e no seu factor de construção de realidade que temos de travar esta luta epistemológica e só assim, modificando as condições de existência e vivência do clube, é que ganharemos o respeito daqueles que pensam que somos uma cambada de meninos.


Viva o Sporting Clube de Portugal!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...