terça-feira, 17 de abril de 2012

A vitória de Paulo Pereira Cristóvão


Contra todas as previsões, Paulo Pereira Cristóvão transformou-se num nome incontornável no Sporting Clube de Portugal. O dirigente que devolveu a cor verde às bancadas do Estádio de Alvalade regressa hoje às suas funções de vice-presidente, porque seria obrigado a deixar o Sporting, uma vez que não existe nos estatutos a figura da suspensão de mandato.
Embora as notícias sejam contraditórias, a nação sportinguista continua estupefacta, à espera de esclarecimentos. Como diz o presidente da Assembleia Geral, Eduardo Barroso, importa esclarecer o que se passou no mais curto espaço de tempo. Não fosse o momento sensível da temporada futebolística, com a equipa de futebol envolvida em compromissos decisivos em duas competições, e tudo seria mais fácil de ser abordado publicamente.
Por mim, prefiro acreditar que tudo isto servirá para reforçar a acção e o papel futuros do Sporting Clube de Portugal no futebol e no desporto português. Há 30 anos, na cidade do Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa também era amado e, também, muito odiado, no seio do próprio clube nortenho, ao ponto de se envolver numa guerra interna como nunca tínhamos assistido num clube de futebol em Portugal. Era o FC Porto em mudança, rumo a uma época gloriosa. Hoje, três décadas depois, só se fala nos títulos conquistados por Pinto da Costa em Portugal e no mundo, mas ele teve muitos obstáculos até assumir o poder no FC Porto.
Por isso, quando leio que a banca não gosta de Paulo Pereira Cristóvão ou quando leio num jornal informações assustadoras que outros jornais não publicam, eu, como sportinguista, prefiro acreditar que tudo isto faz parte de um processo de crescimento do meu clube.
Por isso, que as cenas dos próximos capítulos venham de encontro àquilo em que eu quero acreditar.

4 comentários:

Pedro Almeida disse...

Cai assim por terra o mito do clube diferente, vocês querem é um Pinto da Costa!
Sabem que o Benfica já passou por essa fase, mas não correu bem, o nosso Pinto da Costa anda por Londres...
Melhor sorte para vocês.

Tim disse...

Tem razão: não se passou nada, e a vitória sobre o Marítimo para a chegada à final da taça foi límpida, sem qualquer influência da arbitragem que só mal intencionados divisaram!

Bubbles disse...

"eu, como sportinguista, prefiro acreditar que tudo isto faz parte de um processo de crescimento do meu clube. "
Numa palavra: chocado!
Então o crescimento do clube sustenta-se na constituição de arguido do vice presidente sportinguista? o renascer das cinzas vem, do arrastar na lama do nome do único clube, grande, que ainda não tinha sido associado à corrupção que vem desgraçado o nosso futebol?

Joseph Lemos disse...

Pois!!!! Faz parte do crescimento à Pinto da Costa, porque honestamente e dentro do campo não conseguem ganhar nada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...