quinta-feira, 19 de abril de 2012

Sporting mais perto da sua terceira final europeia



Desfalcado de alguns valores importantes, como Rinaudo e Matias Fernández, o Sporting Clube de Portugal provou hoje que as grandes vitórias podem começar do nada. Foi sem que nada o fizesse prever que uma surpreendente cabeçada de Insúa resultou num golo que tirou a equipa portuguesa do fundo do jogo e catapultou-a para uma vitória por 2-1 sobre os espanhóis do Atlético de Bilbau. O Sporting até tinha feito uma primeira parte irrepreensível, mas faltaram-lhe os golos. E depois caiu muito de rendimento por quebra psicológica quando os espanhóis inauguraram o marcador, no princípio da segunda parte. Mas o golo de Insúa, o tal golo que nasceu do nada, tudo mudou. E a equipa orientada por Ricardo Sá Pinto – uma revelação ao nível dos treinadores em Portugal – transfigurou-se. Fez o 2-1, num excelente golo do espanhol Capel, e uma parte final de grande nível. No fundo, a psicologia é decisiva no desempenho da uma equipa de futebol. A vitória pela margem mínima, com que o Sporting parte para o jogo da segunda mão, acaba por ser escassa face ao número de oportunidades de golo. Mas o futebol é assim mesmo. O importante é que o Sporting ficou mais perto da sua terceira final europeia. Uma final que o nosso clube precisa de ganhar para dedicar a todos os seus inimigos. FOTO: Francisco Leong (AFP - Getty Images)

terça-feira, 17 de abril de 2012

A vitória de Paulo Pereira Cristóvão


Contra todas as previsões, Paulo Pereira Cristóvão transformou-se num nome incontornável no Sporting Clube de Portugal. O dirigente que devolveu a cor verde às bancadas do Estádio de Alvalade regressa hoje às suas funções de vice-presidente, porque seria obrigado a deixar o Sporting, uma vez que não existe nos estatutos a figura da suspensão de mandato.
Embora as notícias sejam contraditórias, a nação sportinguista continua estupefacta, à espera de esclarecimentos. Como diz o presidente da Assembleia Geral, Eduardo Barroso, importa esclarecer o que se passou no mais curto espaço de tempo. Não fosse o momento sensível da temporada futebolística, com a equipa de futebol envolvida em compromissos decisivos em duas competições, e tudo seria mais fácil de ser abordado publicamente.
Por mim, prefiro acreditar que tudo isto servirá para reforçar a acção e o papel futuros do Sporting Clube de Portugal no futebol e no desporto português. Há 30 anos, na cidade do Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa também era amado e, também, muito odiado, no seio do próprio clube nortenho, ao ponto de se envolver numa guerra interna como nunca tínhamos assistido num clube de futebol em Portugal. Era o FC Porto em mudança, rumo a uma época gloriosa. Hoje, três décadas depois, só se fala nos títulos conquistados por Pinto da Costa em Portugal e no mundo, mas ele teve muitos obstáculos até assumir o poder no FC Porto.
Por isso, quando leio que a banca não gosta de Paulo Pereira Cristóvão ou quando leio num jornal informações assustadoras que outros jornais não publicam, eu, como sportinguista, prefiro acreditar que tudo isto faz parte de um processo de crescimento do meu clube.
Por isso, que as cenas dos próximos capítulos venham de encontro àquilo em que eu quero acreditar.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Um bom artigo sobre o "caso" PPC

 

Face ao esturricar diário que vem sendo feito na imprensa ao vice-presidente do Sporting, sem que o clube o defenda de forma eficaz, não me surpreende a decisão de PPC em regressar às funções. O segredo de justiça parece, como em quase todos os outros casos mediáticos, funcionar apenas num sentido, obrigando os arguidos ao silêncio enquanto a imprensa, com o Correio da Manhã à cabeça, a deixar cair diariamente noticias, sem qualquer prova ou confirmação, que vão formando a opinião pública.

Sobre a possibilidade de o CD recusar o regresso de PPC  e salvo melhor opinião , tal não me parece uma boa medida. Para o exterior seria a admissão de culpa. Se, como Godinho Lopes disse, o CD confia na sua inocência, tem agora uma dimensão prática para o demonstrar.

Sou já demasiado velho para acreditar em coincidências. Não me surpreende que, independentemente do que é verdade e do que venha a ser apurado, PPC seja um alvo que a muitos daria gosto abater. PPC talvez seja, dos membros que compõem o actual CD, aquele que melhor percebe as particularidades do futebol português, juntamente com o Luis Duque. E isso tem faltado em anos seguidos ao Sporting. Os dirigentes parecem revelar alergia ao cheiro dos balneários bem como aos subterrâneos do futebol português, onde muito da sorte é decidida. Não duvido que o Sporting precisa de gente que incomode e que infunda receio junto de aqueles que se recusam a respeitar-nos. Já passou demasiado tempo para esperar que nos vejam trazer ao colo o que é nosso de direito.

Nada acontece por acaso. Nesse sentido não surpreende que o Correio da Manhã, baluarte nacional do jornalismo de sarjeta, tenha escolhido Patrício como exemplo dos “perseguidos” de PPC. É pública a sua situação contratual com o Sporting e uma noticia como esta dificilmente ajuda a um entendimento. E quanto à possibilidade de os jogadores do Sporting serem “vigiados” da parte que me toca só me resta um comentário: até que enfim! Provavelmente o Sporting será dos últimos clubes a adoptar tal medida.

Não falo obviamente de um “Big Brother” mas o Sporting, tendo em conta o investimento que faz nos seus jogadores e do que deles depende para alcançar resultados, tem que assegurar que a sua vida privada é consentânea com a sua vida profissional. E tem obviamente que assegurar também que noticias, como por exemplo as do Grimi apanhado a altas horas da noite e com álcool no sangue, ou não aconteçam ou sejam contidas. Elas fazem a imagem do clube e a relação dos adeptos com a equipa.

É lamentável que o Sporting, sempre que está num bom momento ou em véspera de grandes decisões veja, seja por culpa própria uma vezes, por fomento externo ou ambos, surgirem casos e episódios que ameaçam a estabilidade necessária. Será inocente que um caso que foi despoletado o final do ano passado tenha dito agora os desenvolvimentos que teve e, face à acusação de “denúncia caluniosa” os meios que foram empregues?

Do mês que resta para o fim se fará a história desta época e por isso não é a altura para abrir mais uma frente interna, discutindo o  sexo do anjos. Não concebo que o meu clube adultere a verdade desportiva mas tenho cada vez menos pruridos em aceitar uma resposta musculada contra o tráfico de influências, contra os interesses instalados.

O Sporting pode contar apenas consigo e com os seus. Da imprensa, mais do que a missão de informar, que ainda ocorre, mas cada vez menos, há a necessidade de vender. Não é apenas o CM. Durante todo o fim-de-semana a Sport Tv passou em rodapé a noticia de que PPC foi acusado de tentativa de corrupção. E vários foram os que tentaram que o caso fosse analisado como se de coacção se tratasse, com objectivos óbvios. E dos organismos oficiais que pode o Sporting esperar, depois do que vimos este ano acontecer com a recusa dos árbitros e as consequências nulas deste procedimento?

sábado, 14 de abril de 2012

Viva o Sporting Clube de Portugal!...

 
 
Tudo o que dizem de nós é mentira. A única verdade está nesta imagem. O Estádio de Alvalade está cheio. Yazalde já chutou. E o guarda-redes do Benfica só a viu lá dentro. Até eu gostaria de acreditar que esta imagem é que é a verdadeira representação imagética daquilo que está a acontecer no nosso clube. Mas não é. Aquilo que a imagem mostra já não existe. Fiquemos então com a memória. Viva o Sporting Clube de Portugal!...

A hora do Bruno está a chegar. Finalmente!...

quinta-feira, 5 de abril de 2012

A meia-final de Rui Patrício e de mais dez


Depois de uma primeira parte quase sufocante, o Sporting começou a resolver a eliminatória com um golo a fechar a primeira parte. O guarda-redes ucraniano não tinha feito uma única defesa e a equipa portuguesa marcava sem dar hipótese de reacção. Após o intervalo tudo parecia mais fácil para o Sporting, porém, o Metalist, que impôs um grande ritmo, chegou ao empate e até poderia empatar a eliminatória. Mas Rui Patrício voltou a ser o melhor leão em campo e até defendeu uma grande penalidade. Sete anos depois, o Sporting volta a estar numa meia-final europeia. O que acontecerá pela quinta vez na sua história. É a meia-final de Rui Patrício e de mais dez. É tempo de vincar isso e o grande feito de uma equipa em construção.

Fábio Paim, um rapaz lúcido. Até que enfim!...


“Dizem que fui dos melhores jogadores jovens que apareceu no futebol português e a construção dessa ideia foi um mérito meu. Hoje olho para colegas como Rui Patrício, Daniel Carriço ou Bruno Pereirinha e penso que podia estar no lugar deles, mesmo num patamar superior. Mas eles trabalharam sempre no duro, enquanto eu cometi vários erros. Fico feliz por eles, não tenho inveja, rancor. Nem mesmo quando me dizem na rua que poderia ser melhor que o Cristiano Ronaldo. A verdade é que não consegui lidar com o facto do futebol passar de hóbi para profissão.”

Fábio Paim, antigo campeão nas camadas jovens do Sporting Clube de Portugal, hoje com 24 anos, "Record", 05-04-2012

Juntos somos mais fortes. Força, Sporting!...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...