sexta-feira, 19 de julho de 2013

A transformação do Sporting


“Os sportinguistas já perceberam que o meu trabalho é para transformar o Sporting num grande clube. Quando assim o é, temos de ter atenção a pequenas coisas e más-criações é daquelas coisas com as quais não compactuamos”
Bruno de Carvalho, sobre o corte de relações com o FC Porto, “Record”, 18-07-2013

Nelson Mandela e o Sporting

Ser do Sporting Clube de Portugal é ser de um grande clube em Portugal e no mundo. Nelson Mandela, que completou 95 anos nesta quinta-feira, é o associado nº 31.118 do Sporting Clube de Portugal. Em comunicado, o clube português parabenizou o prestigiado político sul-africano, "um eterno exemplo de esforço, dedicação, devoção e glória”, pode ler-se no comunicado sportinguista. Mandela é sócio do Sporting desde 1997.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

O essencial sobre a Bruma destes dias


"Estas situações só mostram que os clubes não estão defendidos perante meia de dúzia de sanguessugas. O Sporting tem de fazer exposição à UEFA e à FIFA. Algo tem de ser feito. É essencial que se proíba os empresários de fazerem contratos com jovens da formação."
Paulo de Andrade, antigo dirigente do Sporting, sobre o "caso" Bruma

domingo, 7 de julho de 2013

A história incrível de Salim Cissé


“Para mim é um sonho estar aqui. O Sporting é o Sporting. Estou muito contente e vou dar o meu melhor. Não prometo golos, mas quero trabalhar muito para estar sempre disponível para o treinador.” Estas foram as primeiras palavras, sábias, por sinal, do avançado Salim Cissé, de 20 anos, ex-Académica, após assinar um contrato de cinco temporadas com o clube de Alvalade.
Cissé já entrou para a história do Sporting Clube de Portugal ao ter sido fixada em 60 milhões de euros a sua cláusula de rescisão, pois é a maior da história do clube. São números tão incríveis quanto a sua história, desde Kindia, na Guiné-Conacri, onde nasceu, em 24 de Dezembro de 1992, até revelar qualidades como jogador de futebol na Académica de Coimbra, que levaram o Sporting a contratá-lo para terrenos que já foram de jogadores como Hector Yazalde, Manuel Fernandes, Jordão, Fernando Gomes, Juskowiak, Jorge Cadete, Balakov, Beto Acosta, Mário Jardel, Liedson, Wolfswinkel e muitos outros.
Na temporada 2012-2013, Salim Cissé ficou colocado na 25ª posição da lista dos marcadores da I Liga Portuguesa, com 6 golos marcados nos 25 jogos em que participou, com a camisola da Académica de Coimbra, o que dá uma média de 1 golo de quatro em quatro jogos. Para um atleta tão novo, o grau de exigência de um clube maior, mais a mais sedento de vitórias e títulos, poderia assustar. Mas Cissé já ultrapassou dificuldades bem maiores na sua vida pessoal. Ele fugiu de África como muitos outros jovens, em busca de uma vida melhor na Europa.
Acabou em Itália, ao cabo de uma viagem aventureira ao lado de nigerianos e camaroneses, apresentando-se num centro de acolhimento de estrangeiros. Em Itália ganhava ao dia, trabalhando a limpar quartos, a fazer as camas, deixando tudo pronto para os turistas que iam depois ocupar os apartamentos. Também ajudava a carregar as malas. Segundo contou ao “Mais Futebol”, foi nesses tempos difíceis, em que o futebol profissional era uma miragem, que conheceu Franco Anzalone, diretor do Arezzo, cuja ação mudou para sempre o rumo da sua vida. Uma vida de sacrifícios e perseverança. A sua hora parece ter chegado. Confira no link: http://migre.me/fmcul.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...