quinta-feira, 15 de maio de 2008

A contratação de Rochemback

O regresso do brasileiro Rochemback significa que o Sporting contrata quem pode e não está em condições de contratar quem quer. Pelo contrário, os clubes ingleses, por exemplo, contratam quem querem e não hesitam em reforçar as suas equipas com os melhores valores formados no Sporting. Primeiro foi Hugo Viana, depois foi Cristiano Ronaldo, depois foi Nani... E outros poderão seguir-lhes as pisadas. Porque o Sporting, além de não poder contratar quem quer, também não consegue segurar os jogadores pelo tempo que gostaria até obter deles o desejado rendimento desportivo. É um problema leonino crónico, agravado por um problema de dimensão económica dos países, dos respectivos mercados e de dimensão desportiva das várias ligas de futebol.
Para justificar a sua contratação e constituir uma mais-valia para ao futebol do Sporting, Rochemback, que completa 27 anos em Dezembro próximo, vai ter de trabalhar bem mais do que aquilo que tem trabalhado, pois necessita de estar em condições físicas para responder às exigências de um clube que participa em quatro provas, uma das quais, a Liga dos Campeões, muito exigente. O próprio jogador parece reconhecer isso: “Venho para o Sporting com mais experiência, cabeça e tranquilidade.”
Se conseguir exibir-se em alto rendimento de forma continuada, Rochemback será uma excelente contratação, porque tem qualidade, ainda que não saibamos quanto vai ganhar no final do mês, ele que, num clube mediano da Liga Inglesa, mesmo no banco de suplentes, ganhava mais do dobro dos jogadores mais bem pagos do Sporting.
De resto, não deixa de ser um jogador maduro com dois falhanços profissionais no cartório. Depois de ter falhado em Barcelona, quando era um jovem internacional brasileiro à procura do “El Dourado” europeu, reabilitou-se em Alvalade. E foi para Inglaterra porque queria sair para jogar noutros palcos e ganhar muito mais dinheiro. Legítimo. Mas, em Inglaterra, o futebol é muito mais exigente e o atleta brasileiro não conseguiu impôr-se.
Regressa agora a Portugal, porque, entre outros desejos, quer ter “qualidade de vida”... Por que será que o futebol português é sinónimo de qualidade de vida?... Vem para jogar no Sporting. Mas até poderia regressar para jogar no Benfica ou no FC Porto. Até parecia que estava a ser leiloado. E assim acabou por voltar ao Sporting. Com que motivação?... Cá estaremos para ver os resultados, fazendo votos para que tenha sucesso, contribuindo para o sucesso do Sporting.

7 comentários:

Anónimo disse...

Eu pergunto ao Sr Leão da Estrela qual era o jogador que o Sporting poderia contratar para a mesma posição que desse, pelo menos, as mesmas garantias que o Fábio dá e que, ja agora, fosse mais barato.

Quem não tem dinheiro não tem vícios, e esta contratação é muito boa. Por ser um homem que já conhece a casa e o Paulo Bento, e por se sentir motivado para esta nova etapa da sua carreira.
Eu preferia o Essien, o Gerrard ou o Deco. Mas estas contratações não são possíveis não é?

Fica-nos a faltar um defesa que espero que seja o Caneira e um avançado com nível e "calo" para ser titular.

E por favor não me falem em Hugo Viana. O Sporting Clube de Portugal não é um gabinete de reabilitação social, daí termos corrido com o Carlos "esta pago eu" Martins. Não me tragam outra "eterna promessa" por favor.

Anónimo disse...

Ò Arroios: Estive a ler a posta, parece-me equibrada e não vi lá o contrário daquilo que tu escreveste.
Acho que a contratação é boa.

FRANCO disse...

Sabem porque no Sporting ele tem qualidade de vida?
Porque pode ir curtir para a noites em que ninguem lhe diga nada,
porque pode mandar os treinadores levar...
porque em inglaterra não fazia isso,porque senão lhe caiam em cima.
Lamento esta contratação...
O J.Pedro do belem devia ser mais barato...

Anónimo disse...

Gostava era de saber quem é que lhe paga o ordenado ou porque é que ele reduziu substancialmente esse mesmo ordenado (atitude altamente improvável neste jogador que todos conhecemos).

Garreth Southgate, ex-treinador do Fabio, disse nos jornais que não lhe custava ver a saída do jogador (e de Mendieta) porque assim a folha salarial do clube estava muito mais desafogada.

O que é que eu não percebo neste filme??

Peyroteo disse...

Rui Patrício: Quanto custou a sua titularidade?

Saibam tudo em:
http://bola-na-trave.blogspot.com/2008/05/rui-patrcio-quanto-custou-ao-sporting.html

Anónimo disse...

olhem, como sabem sou benfiquista e como tal inteligente,bom e maganánimo, por isso quero ajudar a malta do clube de odivelas nesta contratação do roshembarck. este player está castigadissmo pelas lesões; este player pira-se de england porque ali ganham,mas tb trabalham todo o dia. além disso, todos sabemos q este jogador é bom na força e pontapé prá frente e um player destas caracteristicas, ressente-se muito com estas lesões. ò espóis,o clube de odivelas tem, por sorte e nao por mérito, uma época que está a sacar gente boa da base e um jogador como o roshemback se não joga arma bailinho , portanto..... vejam bem o que fazem...( já lhes disse: vocês n pretendam ser como o benfica, é impossivel, façam como o belenenses...força pra taça)

Unknown disse...

Afinal sempre se comentou a contratação de Rochembak.
Para criticar, claro.
Rochemback tem tudo para ser novamente o patrão do meio campo do SCP.
Não rendeu tanto quanto seria de esperar no futebol inglês - como Anderson, do Porto, não está nem vai, em minha opinião, render, porque os brasileiros são assim - mas continua com todos os seus predicados no sítio.
Os dados são todos no sentido de que é uma excelente contratação.
Porque duvidar, então, da mesma?
Para quem já aconselhou aqui as contratações de Pedro Mendes, Pauleta e - pasme-se, Jardel!!!!
E esse pormenor de dizer que em Dezembro completa 27 anos....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...